A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 CENSO DEMOGRÁFICO E CONTAGEM DE POPULAÇÃO Data 29/11/2010 METODOLOGIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 CENSO DEMOGRÁFICO E CONTAGEM DE POPULAÇÃO Data 29/11/2010 METODOLOGIA."— Transcrição da apresentação:

1 1 CENSO DEMOGRÁFICO E CONTAGEM DE POPULAÇÃO Data 29/11/2010 METODOLOGIA

2 2 CENSO DEMOGRÁFICO Fonte mais completa de informações sobre a situação de vida da população brasileira. CONTAGEM DA POPULAÇÃO Investiga um subconjunto das características dessa população, mantendo a abrangência geográfica no nível nacional.

3 3 A CONTAGEM DA POPULAÇÃO é uma operaçãocensitária realizada entre dois censos demográficos, ou seja, no meio de cada década. OBJETIVO Atualizar as estimativas de população, incorporando ainda as mudanças demográficas ocorridas no Território Nacional, desde o último levantamento de referência que foi, neste caso, o Censo Demográfico 2000.

4 4 Os Censos são operações de levantamento de dados fundamentais para a FORMULAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS e para tomada de decisões acerca de INVESTIMENTOS PRIVADOS E GOVERNAMENTAIS. A Contagem da População proporcionará estimativas populacionais atualizadas, dando maior visibilidade às transformações demográficas ocorridas no País.

5 5 HISTÓRICO IBGE realiza estimativas desde Lei Complementar nº 59, de 22/12/1988 O IBGE publica até o dia 31de agosto de cada ano, a população de cada um dos municípios brasileiros, com data de referência em 1º de julho. As estimativas devem ser também encaminhadas ao Tribunal de Contas da União para orientarem a repartição do Fundo de Participação dos Municípios – FPM. Artigo 102 da Lei nº8.443, de 16/07/1992

6 6 HISTÓRICO A contagem populacional, a partir dos anos 90, passou a ser um instrumento essencial para que o IBGE pudesse atender, mantendo seu padrão habitual de eficiência, às demandas de informações demográficas por parte de vários setores da sociedade. Restrições orçamentárias em 1995 impediram a realização da contagem populacional, acarretando distorções nas estimativas municipais provocadas pelo afastamento da data do último recenseamento, principalmente nos municípios de menor porte, os mais afetados por possíveis imprecisões e, portanto, os mais dependentes do FPM.

7 7 HISTÓRICO A pressão de parlamentares e prefeitos sensíveis aos prejuízos sofridos por tais municípios, garantiu a inclusão de recursos no orçamento de 2006, visando a realização da contagem em 2007 para que o IBGE pudesse atualizar o sistema de projeções e estimativas populacionais para os últimos três anos dessa década.

8 8 CONTAGEM 2007 Quantitativos mais consistentes para a população das Unidades da Federação e dos municípios. Novas estimativas por grupos de idade, sexo, situação urbano-rural e estratificações socioeconômicas para todas as unidades político-administrativas do País. Efeito imediato devido à atualização das estimativas das populações municipais fundamentais para a eqüidade da distribuição do FPM.

9 9 CONTAGEM ª Fase – Preparação da Base Territorial Levantamento de novas leis de estaduais de ajustes de divisas. Levantamento de novas leis municipais de distritos, de bairros, de áreas urbanas [mapa CE de municípios com lei de Bairros]. Atualização de mapas 2ª Fase – Atualização dos mapas e divisão de setores para a coleta da Contagem 2015

10 10 AS INOVAÇÕES O Cadastro de Endereços para Fins Estatísticos – CNEFE Base Cartográfica eletrônica A Coleta Digital de Informações – PDA Outras inovações a serem incorporadas e que estão em estudo.

11 11 CNEFE Elaborado a partir dos registros de unidades recenseadas em 2000, atualizados pela PNAD e PNAD Contínua Contém a quase totalidade dos setores censitários urbanos Ao final dos Censos 2015, o CNEFE terá a cobertura total dos endereços das unidades residenciais e não-residenciais do País, inclusive das áreas rurais, onde serão captadas as coordenadas geográficas necessárias ao georreferenciamento das propriedades rurais, além de estabelecimento de saúde e de ensino.

12 12 COLETA DIGITAL DE INFORMAÇÕES Através de computador de mão ( Personal Digital Assistant ou PDA) VANTAGENS a crítica imediata no momento em que os dados estiverem sendo digitados, possibilitando a correção da informação no ato da entrevista; o preenchimento de todos os quesitos obrigatórios, evitando a não resposta por esquecimento ou erro do recenseador; a customização do preenchimento dos dados a partir de saltos automáticos no formulário;

13 13 VANTAGENS o acompanhamento em tempo real do andamento da coleta de dados em todos municípios, propiciando um melhor gerenciamento do trabalho; Supervisão da coleta ganhos na precisão da informação e agilidade no seu processamento.

14 14 VANTAGENS Os PDAs foram equipados com receptor de sinais do Global Position System - GPS. Isto permitiu o georreferenciamento de todas as unidades de coleta, dos estabelecimentos de saúde e educação localizados nas áreas rurais; Acompanhamento da cobertura geográfica praticamente em tempo real, de acordo com os descritivos das Leis Estaduais de criação dos municípios.

15 15 PARCERIAS O IBGE realiza consultas a comunidades de especialistas e outros grandes usuários diretos das informações censitárias, a fim de que as estatísticas acompanhem as demandas reais. A instituição fará articulação com diversos setores, elegendo parceiros externos e internos, montando uma extensa rede de pesquisadores nos temas em foco.

16 16 PARCEIROS EXTERNOS Usuários e Especialistas em Agropecuária e Demografia Centros de pesquisa Universidades Órgãos regionais de estatística (resp. pela área de planejamento dos governos estaduais e municipais). Na Contagem 2015, podemos citar: - no RJ: Iplan Rio e Fundação Cide - em SP: Fundação Seade e Emplasa - no CE: IPECE, ALCE, APRECE, UVC, ÓRGÃOS FEDERAIS E ESTADUAIS - Nos municípios: PREFEITURAS MUNICIPAIS E CÂMARAS DE VEREADORES

17 17 Comissões Consultivas Assessoram o IBGE no planejamento dos Censos, principalmente nas definições de conteúdos, métodos de apuração de dados e planos de divulgação dos resultados. São Presididas pelo titular da Diretoria de Pesquisas do IBGE e contam com a participação de representantes de instituições de pesquisas, universidades, órgãos públicos e diferentes instâncias de governo. Comissão Consultiva da Contagem da População Comissão Consultiva do Censo Agropecuário.

18 18 Comissões Municipais de Geografia e Estatística Canal de comunicação entre o IBGE e a sociedade em cada município. Acompanhamento de todas as etapas (base territorial, coleta de dados, término da coleta). Formada por rep. do IBGE e Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário e Organizações civis locais (Sindicatos, ONGs, Igrejas), EMATERCE, FUNASA, etc. Colaborar no decorrer dos trabalhos, incentivando a receptividade e a necessidade de responder aos recenseadores; Criar facilidades locais para a realização do Censo (postos de coleta).

19 IBGE-CE Titular do IBGE/CE: Fco. José Moreira Lopes Av. 13 de Maio, 2901, Benfica Setor de Disseminação de Informações / 5369 Gabinete ou Muito obrigado!


Carregar ppt "1 CENSO DEMOGRÁFICO E CONTAGEM DE POPULAÇÃO Data 29/11/2010 METODOLOGIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google