A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

NOVO ENEM – 2009 Ciências Humanas e suas Tecnologias – Geografia Prof. Msc. Sandro Ivo de Meira Eixos cognitivos (comuns a todas as áreas de conhecimento):

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "NOVO ENEM – 2009 Ciências Humanas e suas Tecnologias – Geografia Prof. Msc. Sandro Ivo de Meira Eixos cognitivos (comuns a todas as áreas de conhecimento):"— Transcrição da apresentação:

1 NOVO ENEM – 2009 Ciências Humanas e suas Tecnologias – Geografia Prof. Msc. Sandro Ivo de Meira Eixos cognitivos (comuns a todas as áreas de conhecimento): Dominar linguagens (DL): dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e cientifica e das línguas espanhola e inglesa. Compreender fenômenos (CF) : construir e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para a compreensão dos fenômenos naturais, de processos histórico-geográficos, da produção tecnológica e das manifestações artísticas.

2 Construir argumentação (CA): relacionar informações, representadas em diferentes formas, e conhecimentos disponíveis em situações concretas, para construir argumentação consistente. Elaborar propostas (EP): recorrer aos conhecimentos desenvolvidos na escola para elaboração de propostas de intervenção solidária na realidade, respeitando os valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. Enfrentar situações-problema (SP): selecionar, organizar, relacionar, interpretar dados e informações representados de diferentes formas, para tomar decisões e enfrentar situações- problema

3 01) Condições de moradia do operário industrial À medida que as novas cidades industriais envelheciam, multiplicavam-se os problemas de abastecimento de água, saneamento, superpopulação, além dos gerados pelo uso de casas para serviços industriais, culminando com as estarrecedoras condições reveladas pelas investigações sobre moradia e condições sanitárias, na década de Essas condições, nas vilas rurais ou nas aldeias têxteis, eram, muito precárias, mas a dimensão do problema era certamente maior nas grandes cidades, pela facilidade de proliferação de epidemias. (...) Os habitantes das cidades industriais tinham freqüentemente de suportar o mau cheiro do lixo industrial e dos esgotos a céu aberto, enquanto seus filhos brincavam entre detritos e montes de esterco. Na verdade, alguns desses fatos persistem ainda hoje (década de 1960), no panorama industrial do norte e da região central da Inglaterra. (...) (Adaptado de: E. P. Thompson. A formação da classe operária inglesa. In: Alceu Pazzinato e Maria Helena Senise. História moderna e contemporânea. São Paulo: Ática, p. 102) As precárias condições de vida operária reveladas por investigações realizadas na década de 1840, na Inglaterra, são resultantes de um processo marcado pelo avanço tecnológico, grandes transformações nas relações de trabalho e nas formas de produção, conhecido como a) Primeira Revolução Industrial. b) Liberalismo Econômico. c) Segunda Revolução Industrial. d) Revolução Gloriosa. e) Terceira Revolução Industrial.

4 02) A intensa e acelerada urbanização brasileira resultou em sérios problemas sociais urbanos, entre os quais podemos destacar: a) Falta de infra-estrutura, limitações das liberdades individuais e altas condições de vida nos centros urbanos. b) Aumento do número de favelas e cortiços, falta de infra-estrutura e todas as formas de violência. c) Conflitos e violência urbana, luta pela posse da terra e acentuado êxodo rural. d) Acentuado êxodo rural, mudanças no destino das correntes migratórias e aumento no número de favelas e cortiços. e) Luta pela posse da terra, falta de infra-estrutura e altas condições de vida nos centros urbanos.

5 03) Saudosa maloca Se o senhor não tá lembrado, dá licença de contar Ali onde agora está este adifício arto Era uma casa véia, um palacete assobradado Foi aqui seu moço que eu, Mato Grosso e o Joca Construimo nossa maloca Mais um dia, nóis nem pode se alembrá Veio os home com as ferramenta e o dono mandô derrubá Peguemos todas nossas coisas e fumos pro meio da rua Apreciá a demolição Que tristeza que nóis sentia, cada tábua que caía Doía no coração Matogrosso quis gritar, mas por cima eu falei Os home ta coa razão, nóis arranja outro lugar Só se conformemo quando o Joca falou Deus dá o frio conforme o cobertor E hojé nóis pega as paia nas grama do jardim E pra esquecer nóis cantemos assim: Saudosa maloca, maloca querida Dim dim donde nóis passemo dias feliz da nossa vida. Fonte: CD Reviver Adoniran Barbosa. Som Livre, 2002.

6 A letra da música de Adoniran Barbosa nos faz refletir, corretamente, que: I - A segregação residencial no espaço urbano, é conseqüência de um espaço/mercadoria cujos valores de uso e de troca definem as formas de apropriação e de luta pelo direito de morar na cidade. II - Terras vazias à espera de valorização pela especulação imobiliária são uma das causas de a população de baixa renda não ter acesso à moradia digna. III - Os favelados resistem a quaisquer tentativas de melhoria habitacional e impedem a implantação de equipamentos urbanos adequados e eficazes que melhorem sua qualidade de vida. IV - A reforma urbana é um bem necessário, já que poucos têm acesso à infra-estrutura e aos serviços públicos urbanos. Estão corretas: a) Apenas as proposições I e II b) Apenas as proposições I, II e IV c) Apenas as proposições I e III d) Apenas as proposições II e III e) Todas as proposições

7 04) Os resultados dos últimos censos realizados no Brasil mostram que as mulheres vêm tendo menos filhos, assim como mostram, também, que a expectativa de vida da população em geral tem aumentado. Esses fatores contribuem para a mudança no perfil da população brasileira. Com base em seus conhecimentos e nas informações anteriores sobre a dinâmica populacional brasileira, analise as seguintes afirmativas. I. A difusão dos métodos contraceptivos e as transformações econômicas e sociais decorrentes da industrialização e da urbanização, que levam a mulher ao mercado de trabalho, contribuíram para o aumento da longevidade da população no Brasil. II. A melhoria no acesso aos serviços de saúde, as campanhas de vacinação, o aumento da escolaridade e a ampliação do saneamento básico são motivos que favoreceram o aumento da expectativa de vida dos brasileiros nos últimos anos. III. A taxa de mortalidade infantil no Brasil - que está associada à falta de água potável, de saneamento básico e de medicina preventiva -, diminuiu nas últimas décadas, indicando uma melhoria nos sistemas de saúde e nutrição do país. IV. O aumento do número de idosos, juntamente com o maior número de nascimentos, altera o perfil demográfico do país, cuja tendência passa a ser a de predomínio da população de jovens. V. A principal tendência demográfica observada no Brasil é a desaceleração do crescimento populacional, em virtude da queda da taxa de fertilidade, do aumento na proporção de idosos e do crescimento da urbanização. Estão corretas apenas as afirmativas a) II, IV e V. b) I, III e IV. c) II, III e V. d) III, IV e V. e) I e IV.

8 05) (Unicamp ª fase) Considerando a tabela abaixo, responda às questões. Infectados com Aids por Região Geográfica do Mundo – 2005 Fonte: adaptado de em 21/09/2007 a) A África Subsaariana apresenta os piores indicadores quanto a infectados e novos casos de Aids. Quais as razões desses indicadores? b) Compare os casos de mortes decorrentes da Aids em relação à população infectada na África Subsaariana e na Europa Ocidental/Central. Aponte pelo menos uma razão da diferença encontrada.

9

10

11 06) (Unicamp ªfase) O índice de mortalidade infantil é um dos indicadores do grau de desenvolvimento de um país, juntamente com o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), sendo este composto pelos índices de expectativa de vida, escolaridade e PNB per capita. Observe os gráficos abaixo e responda às questões. a) Além dos índices que compõem o IDH, indique outros dois fatores que exercem uma influência positiva na queda dos índices de mortalidade infantil. b) Compare, analisando os dados de IDH e PNB per capita, as taxas de mortalidade infantil de Cuba e Bolívia.

12

13

14 07) (MEC-Inep-2009)

15 O desenho do artista uruguaio Joaquín Torres-García trabalha com uma representação diferente da usual da América Latina. Em artigo publicado em 1941, em que apresenta a imagem e trata do assunto, Joaquín afirma: Quem e com que interesse dita o que é o norte e o sul? Defendo a chamada Escola do Sul por que na realidade, nosso norte é o Sul. Não deve haver norte, senão em oposição ao nosso sul. Por isso colocamos o mapa ao revés, desde já, e então teremos a justa ideia de nossa posição, e não como querem no resto do mundo. A ponta da América assinala insistentemente o sul, nosso norte. TORRES-GARCÍA, J. Universalismo constructivo. Buenos Aires: Poseidón, (com adaptações). O referido autor, no texto e imagem acima, (A) privilegiou a visão dos colonizadores da América. (B) questionou as noções eurocêntricas sobre o mundo. (C) resgatou a imagem da América como centro do mundo. (D) defendeu a Doutrina Monroe expressa no lema América para os americanos. (E) propôs que o sul fosse chamado de norte e vice-versa. Habilidade 6 – Interpretar diferentes representações gráficas e cartográficas dos espaços geográficos.

16 08) (MEC-Inep-2009) Figuram no atual quadro econômico mundial países considerados economias emergentes, também chamados de novos países industrializados. Apresentam nível considerável de industrialização e alto grau de investimentos externos, no entanto as populações desses países convivem com estruturas sociais e econômicas arcaicas e com o agravamento das condições de vida nas cidades. As principais economias emergentes que despertam o interesse os empresários do mundo são: Brasil, Rússia, Índia e China (BRIC). Tais países apresentam características comuns, como mão-de-obra abundante e significativas reservas de recursos minerais. Diante do quadro apresentado, é possível inferir que a reunião desses países, sob a sigla BRIC, aponta para (A) um novo sistema socioeconômico baseado na superação das desigualdades que conferiam sentido à ideia de Terceiro Mundo. (B) a razoabilidade do pleito de participarem do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). (C) a melhoria natural das condições sociais em decorrência da aceleração econômica e da redução dos níveis de desemprego. (D) a perspectiva de que se tornem, a médio prazo, economias desenvolvidas com uma série de desafios comuns. (E) a formação de uma frente diplomática com o objetivo de defender os interesses dos países menos desenvolvidos. Habilidade 7 – Identificar os significados histórico-geográficos das relações de poder entre as nações.

17 09) (MEC-Inep-2009) O efeito estufa não é fenômeno recente e, muito menos, naturalmente maléfico. Alguns dos gases que o provocam funcionam como uma capa protetora que impede a dispersão total do calor e garante o equilíbrio da temperatura na Terra. Cientistas americanos da Universidade da Virgínia alegam ter descoberto um dos primeiros registros da ação humana sobre o efeito estufa. Há oito mil anos, houve uma súbita elevação da quantidade de CO2 na atmosfera terrestre. Nesse mesmo período, agricultores da Europa e da China já dominavam o fogo e haviam domesticado cães e ovelhas. A atividade humana da época com maior impacto sobre a organização social e sobre o ambiente foi o começo do plantio de trigo, cevada, ervilha e outros vegetais. Esse plantio passou a exigir áreas de terreno livre de sua vegetação original, providenciadas pelos inúmeros grupos humanos nessas regiões com métodos elementares de preparo do solo, ainda hoje, usados e condenados, em razão dos problemas ambientais decorrentes. Aquecimento global e a nova geografia de produção no Brasil. Disponível em: Acesso em: 23 jun (com adaptações). Segundo a hipótese levantada pela pesquisa sobre as primeiras atividades humanas organizadas, o impacto ambiental mencionado foi decorrente (A) da manipulação de alimentos cujo cozimento e consumo liberavam grandes quantidades de calor e gás carbônico. (B) da queima ou da deterioração das árvores derrubadas para o plantio, que contribuíram para a liberação de gás carbônico e poluentes em proporções significativas. (C) do início da domesticação de animais no período mencionado, a qual contribuiu para uma forte elevação das emissões de gás metano. (D) da derrubada de árvores para a fabricação de casas e móveis, que representou o principal fator de liberação de gás carbônico na atmosfera naquele período. (E) do incremento na fabricação de cerâmicas que, naquele período, contribuiu para a liberação de material particulado na atmosfera. Habilidade 27 – Analisar de maneira crítica as interações da sociedade com o meio físico, levando em consideração aspectos históricos e(ou) geográficos

18 10) (MEC-Inep-2009) Em fevereiro de 1999, o Seminário Internacional sobre Direito Ambiental, ocorrido em Bilbao, na Espanha, propôs, na Declaração de Viscaia, a extensão dos direitos humanos ao meio ambiente, como instrumento de alcance universal. No parágrafo 3.o do artigo 1.o da referida declaração, fica estabelecido: O direito ao meio ambiente deverá ser exercido de forma compatível com os demais direitos humanos, entre os quais o direito ao desenvolvimento. No Brasil, o cumprimento desse direito configura um grande desafio. Na Região Amazônica, por exemplo, tem havido uma coincidência entre as linhas de desmatamento e as novas fronteiras de desenvolvimento do agronegócio, marcadas por focos de injustiça ambiental, com frequentes casos de escravização de trabalhadores, além de conflitos e crimes pela posse de terras, muitas vezes, impunes. Disponível em: Acesso em: 9 maio (com adaptações).http://www.unicen.com.br/universoverde Promover justiça ambiental, no caso da Região Amazônica brasileira, implica (A) fortalecer a ação fiscalizadora do Estado e viabilizar políticas de desenvolvimento sustentável. (B) ampliar o mercado informal de trabalho para a população com baixa qualificação profissional. (C) incentivar a ocupação das terras pelo Estado brasileiro, em face dos interesses internacionais. (D) promover alternativas de desenvolvimento sustentável, em razão da precariedade tecnológica local. (E) ampliar a importância do agronegócio nas áreas de conflito pela posse de terras e combater a violência no campo. Habilidade 30 – Avaliar as relações entre preservação e degradação da vida no planeta nas diferentes escalas.

19 Gabarito – Novo Enem – 2009 – Geografia 1 A 6 Dissertativa 2 B 7 B 3 B 8 D 4 C 9 B 5 10 A


Carregar ppt "NOVO ENEM – 2009 Ciências Humanas e suas Tecnologias – Geografia Prof. Msc. Sandro Ivo de Meira Eixos cognitivos (comuns a todas as áreas de conhecimento):"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google