A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA de CONTROLE E AUTOMAÇÃO PARTE 4 Ciência e Tecnologia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA de CONTROLE E AUTOMAÇÃO PARTE 4 Ciência e Tecnologia."— Transcrição da apresentação:

1 1 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA de CONTROLE E AUTOMAÇÃO PARTE 4 Ciência e Tecnologia

2 2 CIÊNCIA E TECNOLOGIA O Engenheiro deve desenvolver suas atividades com o auxílio da pesquisa científica e desenvolvimento tecnológico. O Engenheiro deve desenvolver suas atividades com o auxílio da pesquisa científica e desenvolvimento tecnológico. A pesquisa e o desenvolvimento tecnológico evoluem em paralelo, inter-relacionando-se constantemente. A pesquisa e o desenvolvimento tecnológico evoluem em paralelo, inter-relacionando-se constantemente. Pesquisa é um conjunto de investigações, operações e trabalhos intelectuais ou práticos, objetivando a descoberta de novos conhecimentos, a invenção de novas técnicas e a exploração ou criação de novas realidades. Pesquisa é um conjunto de investigações, operações e trabalhos intelectuais ou práticos, objetivando a descoberta de novos conhecimentos, a invenção de novas técnicas e a exploração ou criação de novas realidades. O desenvolvimento tecnológico está relacionado à definição de procedimentos técnicos para produção de algum bem ou serviço. O desenvolvimento tecnológico está relacionado à definição de procedimentos técnicos para produção de algum bem ou serviço.

3 3 CIÊNCIA E TECNOLOGIA A ciência procura descobrir leis e explicações que possam desvendar os fenômenos da natureza. A ciência procura descobrir leis e explicações que possam desvendar os fenômenos da natureza. A tecnologia, através dos conhecimentos científicos, procura obter instrumentos, processos e sistemas para linhas de ação com valores práticos. A tecnologia, através dos conhecimentos científicos, procura obter instrumentos, processos e sistemas para linhas de ação com valores práticos. Ciência e Tecnologia se preocupam em obter soluções para problemas, utilizando procedimentos semelhantes de trabalho. Ciência e Tecnologia se preocupam em obter soluções para problemas, utilizando procedimentos semelhantes de trabalho. O estudante de Engenharia tem uma importante contribuição para com o desenvolvimento da ciência e da tecnologia através de uma formação profissional consistente, de uma conscientização das necessidades da sociedade e de visão real de futuro para a humanidade. O estudante de Engenharia tem uma importante contribuição para com o desenvolvimento da ciência e da tecnologia através de uma formação profissional consistente, de uma conscientização das necessidades da sociedade e de visão real de futuro para a humanidade.

4 4 MÉTODO DE PESQUISA Numa pesquisa estão sempre dois tipos de conhecimentos: Numa pesquisa estão sempre dois tipos de conhecimentos: -Conhecimento sensível _ absorção -Conhecimento Intelectual _ processamento das informações e reflexões necessárias O espírito científico deve ser um espírito crítico, inovador e isento de preconceitos. O espírito científico deve ser um espírito crítico, inovador e isento de preconceitos. Método: palavra grega: Método: palavra grega: META = ao longo de ; ODOS = caminho,via MÉTODO = caminho ao longo do qual Aplicação de um plano de ação Aplicação de um plano de ação Reflexão e criatividade do pesquisador são insubstituíveis Reflexão e criatividade do pesquisador são insubstituíveis

5 5 PROCESSOS DO MÉTODO DE PESQUISA Pesquisa Bibliográfica Pesquisa Bibliográfica Observação Observação Hipótese Hipótese Experimentação Experimentação Indução Indução Dedução Dedução Análise e Síntese Análise e Síntese Teoria Teoria

6 6 PESQUISA BIBLIOGRÁFICA Consiste na seleção, leitura e análise dos trabalhos que tratam do assunto de interesse; Consiste na seleção, leitura e análise dos trabalhos que tratam do assunto de interesse; Os pesquisadores através de procedimentos científicos ou tecnológicos trabalham para o progresso da ciência e para o avanço das técnicas; Os pesquisadores através de procedimentos científicos ou tecnológicos trabalham para o progresso da ciência e para o avanço das técnicas; O estudante através da pesquisa bibliográfica treina passos no caminho da ciência, com caráter de redescoberta e de conquista para si próprio. O estudante através da pesquisa bibliográfica treina passos no caminho da ciência, com caráter de redescoberta e de conquista para si próprio.

7 7 OBSERVAÇÃO Aplicação dos sentidos para o exame cuidadoso e crítico de um fenômeno; Aplicação dos sentidos para o exame cuidadoso e crítico de um fenômeno; Registro e análise dos diferentes fatores e circunstâncias que influenciam o fenômeno; Registro e análise dos diferentes fatores e circunstâncias que influenciam o fenômeno; A observação situa-se normalmente na fase inicial de uma pesquisa e continua em todo o seu desenrolar; A observação situa-se normalmente na fase inicial de uma pesquisa e continua em todo o seu desenrolar; A observação não é intencional; A observação não é intencional; Para a observação deve-se ter conhecimentos prévios sobre o tema. Para a observação deve-se ter conhecimentos prévios sobre o tema.

8 8 HIPÓTESE É uma opinião prévia do pesquisador em relação à solução do problema proposto; É uma opinião prévia do pesquisador em relação à solução do problema proposto; Tem como finalidade fixar uma diretriz de ação, estabelecendo metas, elementos e idéias que orientem a pesquisa na direção da causa provável, ou que facilite o seu desenvolvimento; Tem como finalidade fixar uma diretriz de ação, estabelecendo metas, elementos e idéias que orientem a pesquisa na direção da causa provável, ou que facilite o seu desenvolvimento; Os passos seguintes confirmam ou não as hipóteses iniciais; Os passos seguintes confirmam ou não as hipóteses iniciais; A hipótese estabelece uma relação de causa e efeito entre alguns fenômenos; A hipótese estabelece uma relação de causa e efeito entre alguns fenômenos; A hipótese pode ser estabelecida por dedução de resultados já conhecidos. A hipótese pode ser estabelecida por dedução de resultados já conhecidos.

9 9 EXPERIMENTAÇÃO É o conjunto de procedimentos aplicados com a finalidade de confirmar uma hipótese, obter dados ou testar sistemas; É o conjunto de procedimentos aplicados com a finalidade de confirmar uma hipótese, obter dados ou testar sistemas; Difere da observação pelo fato de que neste processo alteram-se as variáveis envolvidas no problema para verificação das conseqüências ou relações entre elas; Difere da observação pelo fato de que neste processo alteram-se as variáveis envolvidas no problema para verificação das conseqüências ou relações entre elas; A experimentação reproduz fenômenos em condições previamente estabelecidas com controle de variáveis; A experimentação reproduz fenômenos em condições previamente estabelecidas com controle de variáveis; A experimentação deve ser realizada segundo um planejamento prévio com objetivos de descoberta aleatória de algo que não se sabe; A experimentação deve ser realizada segundo um planejamento prévio com objetivos de descoberta aleatória de algo que não se sabe; Cuidados: escolha da aparelhagem e método de ensaio. Cuidados: escolha da aparelhagem e método de ensaio.

10 10 INDUÇÃO Forma de raciocínio ou argumentação; Forma de raciocínio ou argumentação; Principal veículo de experimentalismo moderno; Principal veículo de experimentalismo moderno; Verdades particulares verdades gerais; Verdades particulares verdades gerais; Processo ampliador que transforma-se em lei; Processo ampliador que transforma-se em lei; Lei é uma proposição que estabelece uma relação constante entre variáveis presentes num fenômeno; Lei é uma proposição que estabelece uma relação constante entre variáveis presentes num fenômeno; A Lei é enunciada após a confirmação dos fatos mediante a experimentação; A Lei é enunciada após a confirmação dos fatos mediante a experimentação; As generalizações devem ser compatíveis com o fenômeno estudado, para não se chegar a conclusões falsas. As generalizações devem ser compatíveis com o fenômeno estudado, para não se chegar a conclusões falsas.

11 11 DEDUÇÃO Processo de dedução parte do geral para o particular, destacando verdades particulares contidas em verdades universais; Processo de dedução parte do geral para o particular, destacando verdades particulares contidas em verdades universais; A dedução é uma forma de reflexão e não apenas de pensamento; A dedução é uma forma de reflexão e não apenas de pensamento; O pensamento é dispersivo e espontâneo; O pensamento é dispersivo e espontâneo; A reflexão requer esforço e concentração intencionais. A reflexão requer esforço e concentração intencionais.

12 12 ANÁLISE E SÍNTESE É um processo metódico de tratamento de um problema, que implica a decomposição de um todo em suas partes; É um processo metódico de tratamento de um problema, que implica a decomposição de um todo em suas partes; A síntese é a complementação da análise, sendo a decomposição geral das conclusões; A síntese é a complementação da análise, sendo a decomposição geral das conclusões; Síntese é a reconstrução dos tópicos analisados em uma seqüência compacta e lógica; Síntese é a reconstrução dos tópicos analisados em uma seqüência compacta e lógica; Análise e síntese sempre estão juntas; Análise e síntese sempre estão juntas; Análise é precedente à síntese; Análise é precedente à síntese; Síntese é conclusão; Síntese é conclusão;

13 13 TEORIA É um conjunto de princípios fundamentais para explicar, elucidar, interpretar ou unificar um dado domínio de fenômenos ou de conhecimentos; É um conjunto de princípios fundamentais para explicar, elucidar, interpretar ou unificar um dado domínio de fenômenos ou de conhecimentos; Teoria formula hipóteses dos fenômenos analisados; Teoria formula hipóteses dos fenômenos analisados; A teoria só é aceita quando é comprovada a sua sustentação, direta ou indireta; A teoria só é aceita quando é comprovada a sua sustentação, direta ou indireta; Teorias científicas são explicativas: Teorias científicas são explicativas: –Teoria da evolução –Teoria da relatividade –Teoria d

14 14 ORGANIZAÇÃO DA PESQUISA Primeiro passo: escolha do tema Primeiro passo: escolha do tema Quando o pesquisador for capaz de: Quando o pesquisador for capaz de: –explica-lo claramente; –exemplifica-los com casos particulares; –apresentar possíveis aplicações dos resultados; –desenvolver o tema e analisá-lo com propriedade e fluidez; Domínio do assunto pode ser conseguido através de pesquisa bibliográfica; Domínio do assunto pode ser conseguido através de pesquisa bibliográfica; Uma pesquisa só tem sentido quando se procura uma solução; Uma pesquisa só tem sentido quando se procura uma solução; Plano de pesquisa não pode ser rígido. Plano de pesquisa não pode ser rígido.

15 15 ORGANIZAÇÃO DA PESQUISA Definição do tema; Definição do tema; Pesquisa Bibliográfica; Pesquisa Bibliográfica; Delimitação do assunto; Delimitação do assunto; Definição dos objetivos; Definição dos objetivos; Escolha do título; Escolha do título; Justificativa da pesquisa; Justificativa da pesquisa; Formulação do problema; Formulação do problema; Enunciado das hipóteses; Enunciado das hipóteses; Definição dos instrumentos necessários aos trabalhos; Definição dos instrumentos necessários aos trabalhos; Execução do plano de trabalho; Execução do plano de trabalho; Definição do cronograma; Definição do cronograma; Realização do trabalho; Realização do trabalho; Discussão dos resultados; Discussão dos resultados; Conclusão; Conclusão; Confecção de relatórios. Confecção de relatórios.


Carregar ppt "1 INTRODUÇÃO À ENGENHARIA de CONTROLE E AUTOMAÇÃO PARTE 4 Ciência e Tecnologia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google