A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Vinicius Fernandes de Sousa 2009. Introdução: Fundamental para aumentar a probabilidade de sobrevivência ; Resposta coordenada objetivando: Manutenção.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Vinicius Fernandes de Sousa 2009. Introdução: Fundamental para aumentar a probabilidade de sobrevivência ; Resposta coordenada objetivando: Manutenção."— Transcrição da apresentação:

1 Vinicius Fernandes de Sousa 2009

2 Introdução: Fundamental para aumentar a probabilidade de sobrevivência ; Resposta coordenada objetivando: Manutenção do fluxo sanguíneo e do O 2 ; Mobilização de substrato energético; Duas fases: Catabólica / anabólica Benéfica X Maléfica

3

4 Resposta neuro-endócrina Cortisol e ACTH Catecolaminas ADH Aldosterona Glucagon Insulina GH e IGF-1 TSH, T3 e T4

5 Cortisol: Efeito generalizado sobre o catabolismo tecidual, mobilizando AA (ALA, GLU) da musculatura esquelética Estímulo à Lipólise Aumento de 4 a 5 vezes o normal, por mais de 24h

6 Catecolaminas: epinefrina Vasoconstrição Estímulo à glicogenólise, gliconeogênese e lipólise Necessário presença de glicocorticóides Elevadas por 48 – 72h (urinária)

7 ADH: Reabsorção de H 2 O pelos túbulos coletores Retenção hídrica no pós-operatório Oligúria funcional, edema Vasoconstrição esplâncnica (acidental) Em níveis elevados: estimula glicogenólise e gliconeogênese Pode permanecer elevado por 1 semana

8 Aldosterona: Lesão tecidual = balanço K + positivo Manutenção do volume intravascular (+ Na +, - K +, H + )

9 Glucagon: Estimula a glicogenólise e inibe a síntese de glicogênio Atividade lipolítica ( liberação de ácidos graxos livres e glicerol pelo tecido adiposo. Efeito permissivo do cortisol

10 Insulina: Principal hormônio anabolizante, armazenando glicose, ácidos graxos Secreção reduzida pelas catecolaminas Meia vida reduzida Ação periférica bloqueada

11 GH e IGF-1: Classicamente anabólico, está aumentado no trauma IGF-1 inibido por IL-1, IL-6, TNFα GH + epinefrina = lipólise

12

13

14 Balanço Nitrogenado Negativo No fígado os AA são desaminados e o grupamento amino não é utilizado na gliconeogênese hepática Aumento da excreção urinária de amônia

15 Fase catabólica (adrenérgica-corticóide) Alterações promovidas pela epinefrina e glicocorticóides são mais intensas Máxima detecção de mediadores pró-inflamatórios. Níveis máximos de gliconeogênese, síntese de PFA, atividade imune celular e balanço negativo de nitrogênio Lipólise intensa Duração 6 a 8 dias em cirurgias eletivas não complicadas

16 Fase anabólica precoce: retirada do glicocorticóide Declínio na excreção de nitrogênio com o balanço nitrogenado tendendo ao equilíbrio Restauração do balanço do potássio Presença da ação anabólica do IGF-1 Diminuição dos níveis de ADH, início da diurese da água retida Desejo de se alimentar ( redução TNF-α ) Ganho de massa corporal magra ( até 100g) e peso

17 Fase Anabólica Tardia Ganho de peso mais lento (tecido adiposo) Balanço positivo de carbono Duração: meses a anos

18 Quando limitada: BENÉFICA Disponibiliza glicose (tecidos nobres) Mantém fluxo sanguíneo Disponibiliza AA para a cicatrização Retém liquido sem alterar a osmolaridade Inflamação local (defesa)

19 Quando exacerbada: MALÉFICA Hipercatabolismo protéico Intolerância periférica à glicose Isquemia renal e instestinal SIRS Imunodepressão e apoptose

20 O não conhecimento das alterações metabólicas relacionadas ao trauma Não envolvimento com o aspecto nutricional DESNUTRIÇÃO

21

22 OBRIGADO!


Carregar ppt "Vinicius Fernandes de Sousa 2009. Introdução: Fundamental para aumentar a probabilidade de sobrevivência ; Resposta coordenada objetivando: Manutenção."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google