A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RESPOSTA METABÓLICA NO ESTADO ABSORTIVO E NO JEJUM Jacqueline I Alvarez-Leite.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RESPOSTA METABÓLICA NO ESTADO ABSORTIVO E NO JEJUM Jacqueline I Alvarez-Leite."— Transcrição da apresentação:

1 RESPOSTA METABÓLICA NO ESTADO ABSORTIVO E NO JEJUM Jacqueline I Alvarez-Leite

2 ESTADO ABSORTIVO: Período de 2 a 4 horas após ingestão de refeição normal. Ocorre: aumento no sangue da glicose, Aa e Triglicérides O pâncreas responde à elevação de glicose e Aa com a liberação de insulina e redução de glucagon = ANABOLISMO Neste período, praticamente todos os tecidos usam glicose como combustível. TECIDO ADIPOSO Grande sensibilidade do tecido adiposo à insulina. Aumenta influxo de glicose Glicólise aumentada – produzir glicerol fosfato para a síntese de TGGlicólise aumentada – produzir glicerol fosfato para a síntese de TG Gliconeogênese diminuídaGliconeogênese diminuída Aumenta a síntese de ácidos graxos, TG. Aumenta a síntese de ácidos graxos, TG.

3 FÍGADO PAPEL CENTRAL - Capta e metaboliza os nutrientes. GLICOSE: Fígado retém 60% da glicose que entra pelo sistema porta. Não influenciado pela insulina. Síntese de glicogênioSíntese de glicogênio Glicólise aumentada – produzir acetil CoA como bloco construtorGlicólise aumentada – produzir acetil CoA como bloco construtor Gliconeogênese diminuídaGliconeogênese diminuídaLÍPIDES: Aumenta a síntese de ácidos graxos, TG, colesterol, etc.Aumenta a síntese de ácidos graxos, TG, colesterol, etc.PROTEÍNAS: Degradação aumentada de Aa (há mais Aa que o fígado pode utilizar). Fígado libera Aa para tecidos periféricos ou degrada (desaminação e formação de intermediários de Krebs para fonte de energia)Degradação aumentada de Aa (há mais Aa que o fígado pode utilizar). Fígado libera Aa para tecidos periféricos ou degrada (desaminação e formação de intermediários de Krebs para fonte de energia) Síntese protéica: O corpo não armazena proteínas e assim a síntese protéica é baixa, para repor eventuais proteínas degradadas no estado absortivo prévio.Síntese protéica: O corpo não armazena proteínas e assim a síntese protéica é baixa, para repor eventuais proteínas degradadas no estado absortivo prévio.

4 TECIDO MUSCULAR Captação aumentada de glicose para utilizaçãoCaptação aumentada de glicose para utilização Síntese aumentada de glicogênio: depletado como resultado da atividade muscularSíntese aumentada de glicogênio: depletado como resultado da atividade muscular Captação aumentada de Aa ramificados : Leucina isoleucina e valina usadas principalmente no músculo para síntese protéica ou energia.Captação aumentada de Aa ramificados : Leucina isoleucina e valina usadas principalmente no músculo para síntese protéica ou energia. Síntese aumentada protéica: Síntese para repor a proteína perdida desde a refeição anteriorSíntese aumentada protéica: Síntese para repor a proteína perdida desde a refeição anterior Ácidos graxos liberados do sangue para o tecido muscular pela lipase lipoprotéica (embora glicose seja a fonte primária de energia)Ácidos graxos liberados do sangue para o tecido muscular pela lipase lipoprotéica (embora glicose seja a fonte primária de energia) CÉREBRO Consome 20% do oxigênio corporal em repouso. Prioridade de energia. Usa exclusivamente glicose como fonte de energia. Não contém depósito de glicogênio – Dependente da glicose do sangue. Ácidos graxos não atravessam eficientemente barreira hemato-encefálica = TG não contribui como fonte de energia e nem deposita neste órgão.

5 METABOLISMO NO JEJUM: Catabolismo caracterizado pela degradação de nutrientes. Há necessidade de manter os níveis plasmáticos de glicose para cérebro e de degradar ácidos graxos para energia da maioria dos tecidos. Ocorre redução de insulina e aumento de glucagon Combustíveis no Homem de 70 kg: Gordura: 15 kg ou kcal Proteínas 6 kg ou kcal Glicogênio 0,2 kg ou 800 kcal. Proteína não tem reserva. Para utilizá-la algum tecido ou enzima será prejudicada. Somente 2/3 da proteína corporal podem ser degradadas sem comprometimento fatal das funções vitais.

6 METABOLISMO NO JEJUM : FÍGADO Metabolismo de Carboidratos: Degradação de glicogênioMetabolismo de Carboidratos: Degradação de glicogênio Oxidação aumentada de AG eOxidação aumentada de AG e Síntese de Corpos cetônicos, favorecida pelo excesso de acetil CoA além da capacidade do ciclo de Krebs.Síntese de Corpos cetônicos, favorecida pelo excesso de acetil CoA além da capacidade do ciclo de Krebs. TECIDO ADIPOSO: Degrada TG e libera AG. Captação diminuída de AGDegrada TG e libera AG. Captação diminuída de AG TECIDO MUSCULAR: Usa AG e C. cetônicos nas primeiras duas semanas, depois utiliza apenas AG, fazendo com que a concentração de CC aumente mais.Usa AG e C. cetônicos nas primeiras duas semanas, depois utiliza apenas AG, fazendo com que a concentração de CC aumente mais. Degradação rápida de proteína para neoglicogênese hepática. Com o tempo a proteólise diminui pela redução da utilização de glicose pelo cérebro.Degradação rápida de proteína para neoglicogênese hepática. Com o tempo a proteólise diminui pela redução da utilização de glicose pelo cérebro.

7 Conceitos para avaliação da composição corporal: Composição corporal Massa gorda: Todos os lípides extraíveis do corpo. Tecido adiposo é a maioria e formado por 83% de gordura, 2% proteína e 15% de água Lipideos essenciais= componentes essenciais para membranas celulares (10% lipídeo corporal) Lipídeos não essenciais= triglicérides encontrados principalmente no tecido adiposo (90% lípides corporais) Massa livre de gordura: Todos os resíduos e tecidos lívres de lípides, incluindo água, músculo, ossos, tecido conectivo e órgãos internos.

8 Cálculos Importantes para avaliação da ingestão alimentar: Composição corporal Massa livre de gordura: Homem= 85-90%, mulher= 75 – 80% Massa gordurosa: Homem= 10-15%, mulher= 20-25% Cálculo do gasto energético Total: Cálculo do gasto energético Total: 30 kcal/kg de massa magra Tecido muscular e glicogênio armazenado (20% do peso total) Tecido muscular e glicogênio armazenado (20% do peso total)= 1g de nutriente para 4 gramas de água. Aa e glicose 4 kcal/g Tecido adiposo Tecido adiposo = 100 gramas = 770 kcal. Gordura= 9 kcal/g

9 ClassificaçãoIMC (kg/m 2 ) Abaixo do peso< 18,5 Peso Normal18,5 a 24,9 Sobrepeso ,9 Obesidade Grau I ,9 Obesidade Grau II ,9 Obesidade Grau III> 40 Cálculo do Peso Ideal e seus desvios * IMC= Peso (kg) dividido pela altura ao quadrado

10 CÁLCULO DE NECESSIDADES CALÓRICAS HARRIS BENEDICT (GER): Mulher : ,65 Peso (kg) + 1,85 Altura (cm) – 4,68 Idade (anos) Homem : 66,4 + 13,75 Peso (kg) + 5,0 Altura (cm) – 6,77 Idade (anos) GET = GER x FI x FA GET = GER x FI x FA FI = 1,1 acamado 1,2 sedentário 1,3 At aeróbica (3 x sem) 1,5 At aeróbica (5 x sem) 1,6 At aeróbica (7 x sem) 1,7 Atleta FA = 1,2 Peq cirurgia 1,35 trauma ósseo 1,6 Septicemia 2,1 Queimadura extensa


Carregar ppt "RESPOSTA METABÓLICA NO ESTADO ABSORTIVO E NO JEJUM Jacqueline I Alvarez-Leite."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google