A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Metabolismo de Lipídeos Profa. Edilamar Menezes Oliveira Bioquímica da Atividade Motora EEFE-USP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Metabolismo de Lipídeos Profa. Edilamar Menezes Oliveira Bioquímica da Atividade Motora EEFE-USP."— Transcrição da apresentação:

1 Metabolismo de Lipídeos Profa. Edilamar Menezes Oliveira Bioquímica da Atividade Motora EEFE-USP

2 Adipócitos

3 Triglicéride ou Triacilglicerol

4 Glicerol - não é utilizado pelo tecido adiposo pela falta da glicerol quinase. - liberado para a circulação e captado principalmente pelo Fígado, - convertido a intermediários da glicólise e da gliconeogênese.

5 METABOLISMO DE LIPÍDIOS - Solúveis em solventes orgânicos - Insolúveis em água Função: - reserva energética - componente de membranas celulares - serve de proteção - isolamento térmico - serve de meio de transporte para outros nutrientes (Vitaminas: A, D, E, K)

6 Fontes e Reservas de Energia

7 Lipos = gordura Termo geral para um grupo heterogêneo de compostos que inclui: Óleos Gorduras Ceras Compostos correlatos Natureza dos lipídeos

8 Tipos e fontes dos lipídeos SIMPLES EXEMPLOS Gorduras neutras e ceras cera de abelhas, triglicerídeios COMPOSTOS EXEMPLOS Fosfolipídeos Lecitinas Glicerolipídeos cerebrosídeos Lipoproteínas Qm, VLDL, IDL, LDL, HDL DERIVADOS EXEMPLOS Ácidos graxos palmítico, oléico, esteárico, linoléico Esteróides Colesterol, Ac. Biliar, vitamina D, estrogênios, progesterona, androgênios

9 Fosfolipídios: São componentes de membranas não armazenáveis membrana Espaço extracelular LECITINA (detergente)

10 Lipídeos simples SIMPLES EXEMPLOS Gorduras neutras e ceras cera de abelhas, triglicerídeios Principal forma de armazenamento de gorduras nas células adiposas TRIGLICERÍDEO = GLICEROL ESTERIFICADO POR 3 ÁCIDOS GRAXOS

11 Triglicerídeos Os triacilgliceróis são as gorduras mais importantes da nossa dieta. As propriedades biológicas do TG são determinadas pela: - natureza química dos Ác Graxos que os constituem, - especialmente pela presença ou ausência de ligações duplas, - o número e localização da duplas ligações, - a configuração cis ou trans dos Ác Graxos insaturados.

12 SATURADOS: - ác. acético: 2C (CH 3 -COOH) ác. Butírico: 4C ác. Capróico: 6C ác. Cáprico: 8C ác. Caprílico: 10C ác. Láurico: 12C ác. Merístico: 14C ác. Palmítico: 16C ác. Esteárico: 18C INSATURADOS: = ác palmitoleico: 14C ác oleico: 16C ác linoleico: 18C Ocorrem em maior quantidade no organismo Classificação dos Ácidos Graxos

13 Ácidos Graxos Saturados e Insaturados

14 Colesterol Total Plasmático Colesterol LDL Risco doença cardíaca coronariana Col Total e Col LDL Plasmático Risco doença cardíaca coronariana Col HDL

15 Ácidos Graxos Saturados e Insaturados

16

17

18 Ácidos Graxos Poliinsaturados Omega 6: primeira ligação dupla no C6 diminui Col Total, Col LDL, mas também diminui Col HDL (nozes, abacate, azeitonas, soja, e vários óleos, incluindo gergelim, algodão e milho) Omega 3: primeira ligação dupla no C3

19 Ácidos Graxos Poliinsaturados

20 Digestão e Absorção Quantidades diárias: g TG (30-40% das calorias totais) - 6 g fosfolipídios - 0,7 g colesterol Digestão: - Boca - Estômago: lipase lingual e movimentos peristálticos - Intestino delgado: condições de detergência

21 CONDUTO PANCREÂTICO CONDUTO HEPÁTICO CONDIÇÕES DE DETERGÊNCIA

22 CONDUTO PANCREÂTICO CONDUTO HEPÁTICO CONDIÇÕES DE DETERGÊNCIA SAIS BILIARES SUCO PANCREÁTICO

23 CONDUTO PANCREÂTICO CONDUTO HEPÁTICO CONDIÇÕES DE DETERGÊNCIA SAIS BILIARES SUCO PANCREÁTICO - Ác. Taurocólico - Ác. Glicocólico - HCO3 - lipase pancreática

24 CONDUTO PANCREÂTICO CONDUTO HEPÁTICO CONDIÇÕES DE DETERGÊNCIA SAIS BILIARES SUCO PANCREÁTICO - Ác. Taurocólico - Ác. Glicocólico - HCO3 - lipase pancreática DETERGENTES

25 CONDUTO PANCREÂTICO CONDUTO HEPÁTICO CONDIÇÕES DE DETERGÊNCIA SAIS BILIARES SUCO PANCREÁTICO - Ác. Taurocólico - Ác. Glicocólico - HCO3 - lipase pancreática DETERGENTES EMULSIFICAÇÃO

26 Absorção de TG da dieta

27 Estrutura Molecular de um Quilomícron

28 UTILIZAÇÃO DOS LIPÍDIOS DURANTE O EXERCÍCIO 1. METABOLIZAÇÃO: degradação dos TG do tecido adiposo 2. CIRCULAÇÃO: transporte dos AGL do tecido adiposo para o músculo 3. CAPTAÇÃO: a entrada dos AGL, provenientes da circulação, no músculo 4. ATIVAÇÃO: aumento dos níveis de energia dos ác. Graxos preparatório para o catabolismo 5. TRANSLOCAÇÃO: a entrada dos ác. graxos ativados na mitocôndria 6. -OXIDAÇÃO: o catabolismo do ACETILCOA dos ác. Graxos ativados e a produção de equivalentes redutores(NADH e FADH). 7. OXIDAÇÃO MITOCONDRIAL: Ciclo de Krebs e atividade da Cadeia de transporte de elétrons.

29 1. METABOLISMO Diminuição da Insulina Aumento do Glucagon

30 1. METABOLISMO Diminuição da Insulina Aumento do Glucagon Exercício Aeróbio Noradrenalina Adrenalina

31 4. ATIVAÇÃO Acil-CoA

32 5.TRANSLOCAÇÃO

33 Obtenção de Carnitina: - dieta principalmente carne - sintetizada a partir de lisina e metionina - sintetizada no fígado e rim, mas não pelo músculo esquelético e cardíaco. - MÚSCULO ESQUELÉTICO contém ~97% de toda a carnitina presente no corpo.

34 7. -OXIDAÇÃO CK e Cadeia Respiratória

35 Síntese de Corpos Cetônicos

36 Inter-relações entre Metabolismo da Glicose e Síntese do Palmitato VLDL Fígado e Tec Adiposo

37 UTILIZAÇÃO DE CORPOS CETÔNICOS -OXIDAÇÃO

38

39

40

41

42

43

44

45 Sistemas de Obtenção de energia durante o exercício físico

46 Duração do exercício


Carregar ppt "Metabolismo de Lipídeos Profa. Edilamar Menezes Oliveira Bioquímica da Atividade Motora EEFE-USP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google