A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ACESSO A BASE DE DADOS Outros Sistemas de Informações em Saúde Salvador Novembro/2011.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ACESSO A BASE DE DADOS Outros Sistemas de Informações em Saúde Salvador Novembro/2011."— Transcrição da apresentação:

1 ACESSO A BASE DE DADOS Outros Sistemas de Informações em Saúde Salvador Novembro/2011

2 Programa de Agentes Comunitários de Saúde e Programa de Saúde da Família Disponibiliza as principais informações sobre população coberta pelos programas: crianças menores de quatro meses em aleitamento materno exclusivo, TMI, casos de diarréia, IRA, hipertensão, tuberculose e hanseníase, dentre outras. Sistemas de Informações de Atenção Básica (SIAB)

3 Caracterização sócio-demográfica das áreas de abrangência dos programas Perfil de morbidade no que diz respeito aos agravos alvo de atenção dos programas nas áreas de abrangência dos programas Conhecimento mais imediato da situação de saúde das áreas de abrangência dos programas SIAB : Usos da informação

4 Informações parciais, já que se refere apenas às áreas cobertas pelos programas Piores condições de vida SIAB : Algumas limitações

5 Sistema de Informações Ambulatoriais (SIA) Informa o quantitativo de procedimentos ambulatoriais realizados na rede SUS Lógica de pagamento Organização por códigos

6 Sistema de Informações Ambulatoriais (SIA) Difícil manejo – necessidade de conhecimento da abrangência dos códigos Não uniformidade dos critérios de captação - comparabilidade

7 Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (PNI) Informa o quantitativo de indivíduos vacinados por faixa etária, por tipo de vacina, cobertura vacinal em rotina e em campanhas, taxa de abandono e controle de envio de boletins de imunização.

8 Sistema de Informações do Programa NACIONAL de Imunizações (PNI) Registro por local de ocorrência Estimativas populacionais Invasão e evasãode população

9 Hiperdia Faz parte do plano de Reorganização da Atenção à Hipertensão Arterial e ao Diabetes Mellitus Permite o cadastramento de portadores de diabetes mellitus e hipertensão arterial e o seu acompanhamento A médio prazo, permitirá a definição do perfil epidemiológico desta população

10 Hiperdia – Algumas limitações Necessidade de adesão do município Alimentação irregular do sistema

11 VIGITEL Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico Objetivos: Monitorar a frequência e a distribuição de fatores de risco e proteção para Doenças Crônicas não Transmissíveis em todas as capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal Subsidiar as ações de promoção da saúde

12 VIGITEL Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico Histórico: USP/2003 – desenvolvimento e teste do sistema em São Paulo Apoio do CNPQ/ Teste do sistema em Belém, Salvador, Florianópolis e Goiânia, além de São Paulo Início do VIGITEL, sob a responsabilidade da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, em parceria com a Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa

13 VIGITEL Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico Metodologia: Periodicidade: Anual População monitorada: Adultos residentes em domicílios com telefones fixos nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal Entrevista telefônica (telefone fixo)

14 VIGITEL Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico Produtos: Estimativa de prevalência de fatores de risco para DCNT, segundo sexo, faixa etária e anos de estudo Tabagismo Consumo de bebida alcoólica Sedentarismo Consumo alimentar Excesso de peso e obesidade, entre outros

15 EXERCÍCIOS

16 1 - Proporção da população cadastrada pela Estratégia da Saúde da Família População cadastrada no SIAB* (modelo de atenção ESF) em determinado local e periodo. X 100 População no mesmo local e período *Tipos de equipe: ESF, ESF com Saúde Bucal Modalidade I e ESF com Saúde Bucal Modalidade II Fonte: Numerador: Sistema de Informação da Atenção Basica (SIAB) Denominador: Base demográfica do IBGE.

17 1 - Proporção da população cadastrada pela Estratégia de Saúde da Família, segundo macrorregião de residência do estado da Bahia, no ano de 2010 PASSOS: Entrar no DATASUS: htttp://www.datasus.gov.br Para o numerador: Informações de saúde Atenção básica – Saúde da família desde 1998 Cadastramento familiar - Clicar no mapa da Bahia Linha: Macrorregião de saúde Coluna: Não ativa Conteúdo: Nº de famílias Períodos disponíveis: Dez/2010 Seleções disponíveis: Tipos de equipes: ESF, ESB1 e ESB2 Clicar em: MOSTRA e depois em COPIA COMO CSV ou COPIA PARA O TABWIN.

18 1 - Proporção da população cadastrada pela Estratégia de Saúde da Família, segundo macrorregião de residência do estado da Bahia, no ano de 2010 PASSOS: Para o denominador: Informações de saúde Demográficas e socioeconômicas População residente Censos - Clicar no mapa da Bahia Linha: Macrorregião de saúde Coluna: Não ativa Períodos disponíveis: 2010 Clicar em: MOSTRA e depois em COPIA COMO CSV ou COPIA PARA O TABWIN.

19 3 - Média anual de consultas médicas por habitante nas especialidades básicas Número de consultas médicas nas especialidades básicas, em determinado local e período População total no mesmo local e período Fonte: Numerador: Sistema de Informações Ambulatoriais do SUS. SIA/SUS. Denominador: Base Demográfica do IBGE

20 3 - Média anual de consultas médicas por habitante nas especialidades básicas, segundo macrorregião de residência do estado da Bahia, no ano de 2010 PASSOS: Entrar no DATASUS: Para o numerador: Informações de saúde Produção ambulatorial Produção ambulatorial por local de residência a partir de 2008 Clicar no mapa da Bahia Linha: Macrorregião de saúde Coluna: Não ativa Conteúdo: Quantidade aprovada Períodos disponíveis: Jan a Dez/2010 Seleções disponíveis: Procedimento (próximo slide)

21 Atendimento de urgência em atenção básica com remoção Atendimento de urgência em atenção básica Atend. de urgência em Atenção Básica com observação ate 8 horas Atendimento clinico para indicação/fornecimento de diafragma uterino Atendimento clinico para indicação/fornecimento/inserção de DIU Consulta de pré-natal Consulta medica em atenção básica Consulta/atendimento domiciliar na atenção básica Consulta puerperal Consulta com identificação de casos novos de tuberculose Consulta ao paciente curado de tuberculose (trat. supervisionado) Consulta para avaliação clinica do fumante Códigos no SIA/SUS: Clicar em: MOSTRA e depois em COPIA COMO CSV ou COPIA PARA O TABWIN.

22 3 - Média anual de consultas médicas por habitante nas especialidades básicas PASSOS: Para o denominador: Informações de saúde Demográficas e socioeconômicas População residente Censos Clicar no mapa da Bahia Linha: Macrorregião de saúde Coluna: Não ativa Períodos disponíveis: 2010 Clicar em: MOSTRA e depois em COPIA COMO CSV ou COPIA PARA O TABWIN.

23 Nº de portadores de diabetes mellitus cadastrados no Hiperdia X 100 Nº de portadores de diabetes mellitus estimados 4 - Proporção de portadores de Diabetes Mellitus cadastrados Número de Diabéticos estimados corresponde a 11% da população (IBGE) com idade igual ou superior a 40 anos

24 4 - Proporção de portadores de Diabetes Mellitus cadastrados no Hiperdia, segundo DIRES do estado da Bahia, em 2010 PASSOS: Entrar no DATASUS: Para o numerador: Informações de saúde Epidemiológicas e de morbidade Outros agravos Hiperdia – Cadastramento de hipertensos e diabéticos desde Clicar no mapa da Bahia Linha: DIRES Coluna: Não ativa Conteúdo: Diabetes tipo 1, Diabetes tipo 2 e Hiper com Diabetes Períodos disponíveis: Jan a Dez/2010 Clicar em: MOSTRA e depois em COPIA COMO CSV ou COPIA PARA O TABWIN.

25 4 - Proporção de portadores de Diabetes Mellitus cadastrados no Hiperdia, segundo DIRES do estado da Bahia, 2010 Clicar em: MOSTRA e depois em COPIA COMO CSV ou COPIA PARA O TABWIN. PASSOS: Para o denominador: Informações de saúde Demográficas e socioeconômicas População residente Censos - Clicar no mapa da Bahia Linha: Macrorregião de saúde Coluna: Não ativa Períodos disponíveis: 2010 Seleções disponíveis: Faixa etária - 40 e mais Número de Diabéticos estimados corresponde a 11% da população (IBGE) com idade igual ou superior a 40 anos

26 5 - Proporção de fumantes, segundo faixa etária e Capital de residência, em 2010 Clicar em: MOSTRA e depois em COPIA COMO CSV ou COPIA PARA O TABWIN. PASSOS: Informações de saúde Inquéritos e pesquisas Vigitel Linha: Capital Coluna: Faixa etária Conteúdo: % de fumantes Períodos disponíveis: 2010

27 6 - Proporção de consumo abusivo de álcool, segundo faixa etária e Capital de residência, 2010 Clicar em: MOSTRA e depois em COPIA COMO CSV ou COPIA PARA O TABWIN. PASSOS: Informações de saúde Inquéritos e pesquisas Vigitel Linha: Capital Coluna: Faixa etária Conteúdo: % de consumo abusivo de álcool Períodos disponíveis: 2010

28 Diretoria de Informação em Saúde (71)

29 OBRIGADA! GT Análise de Situação de Saúde:


Carregar ppt "ACESSO A BASE DE DADOS Outros Sistemas de Informações em Saúde Salvador Novembro/2011."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google