A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sociedade de consumo, Sociedade de massa e Participação popular A luta por reconhecimento.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sociedade de consumo, Sociedade de massa e Participação popular A luta por reconhecimento."— Transcrição da apresentação:

1 Sociedade de consumo, Sociedade de massa e Participação popular A luta por reconhecimento

2 Conteúdo da Unidade I i.Sociedade de massa, sociedade de consumo: alienação e emancipação ii.Cidadania, direitos e deveres iii.Formas de participação popular

3 Em Sociologia, uma sociedade é o conjunto de pessoas que compartilham propósitos, preocupações e costumes, e que interagem entre si constituindo uma comunidade. [...] A origem da palavra sociedade vem do latim societas, uma "associação amistosa com outros". Societas é derivado de socius, que significa "companheiro", e assim o significado de sociedade é intimamente relacionado àquilo que é social. Está implícito no significado de sociedade que seus membros compartilham interesse ou preocupação mútuas sobre um objetivo comum. Como tal, sociedade é muitas vezes usado como sinônimo para o coletivo de cidadãos de um país governados por instituições nacionais que lidam com o bem-estar cívico. (Wikipédia)

4 Sociedade: Modo de Produção Para Karl Marx, Sociedade deve ser entendida como Modo de Produção. Isso significa que a sociedade deve ser compreendida a partir da forma como se organiza para garantir sua sobrevivência!!

5 Para fazer compreender o que seja o Modo de Produção, Marx indica três componentes da organização social: Estrutura Infra-estrutura Super- estrutura

6 Estrutura É a sociedade propriamente dita, que se nos dá a perceber, com suas relações pessoais e sociais e, sobretudo, com suas classes. Por que a sociedade é dessa forma e, não, de outra? O que faz com que as relações sejam estas que temos e não outras?

7 Infra-estrutura Assim com nenhum edifício pode subsistir sem que tenha uma base, isto é, fundamentos sólidos e garantidos, assim também numa sociedade são necessários os fundamentos. Esses fundamentos, essa base é a infra-estrutura, que é constituída pela produção: as forças e relações de produção. Sem produção não existe possibilidade duma nação sobreviver.

8 Super-estrutura A superestrutura é toda uma camada superior, que aos poucos foi sendo criada, e colocada por cima da infra-estrutura. Ela é muitas vezes imaterial, não é concreta e palpável, mas é muito real e eficiente: as leis, o direito, a moral, as normas, as legitimações, as explicações, os mitos, as lendas, as tradições, os códigos de leis de diversos tipos, os decretos, as IDEOLOGIAS...

9 Produção Marx dizia que a organização do modo de produção é decorrência da relação (e apropriação) dos meios de produção. Os meios de produção se constituem de: Terras, máquinas, equipamentos... Recursos econômicos, capital; e Mão-de-obra = força de trabalho

10 Modo de produção comunista: Terra - Capital -- Todos (A, B, C...) Trabalho - Modo de produção feudal: Terra -- A Capital - Trabalho -- B, C... Modo de produção capitalista: Terra -- A Capital-- B Trabalho -- C

11 A Realidade

12

13

14 Ideologia Falsa consciência, falsa representação que as classes sociais possuem de sua própria condição. Necessário aparecer de uma sociedade dividida em classes.

15 Discurso ideológico - I Em um discurso descontraído, Lula definiu os antigos e os novos titulares de sua equipe como "verdadeiros heróis" por receberem um "baixo" salário de R$ 7 mil. "O salário é baixo", disse Lula a uma platéia lotada de ministros e políticos. "A máquina pública, ela é dotada de verdadeiros heróis. Por que na iniciativa privada eles podem ganhar bem e aqui não?", questionou o presidente, sob aplausos. Durante a cerimônia, Lula não deixou também de comentar sobre seu próprio salário. "Eu sou o único que não posso reclamar do meu salário, porque não tem nenhum torneiro mecânico no mundo ganhando 8 mil reais", continuou o presidente, arrancando risos da platéia.

16 "Quando eu fico vendo os ministros, que ganhavam muito bem [na iniciativa privada], virem ganhar R$ 7.000, R$ 8.000, eu falo: esses são heróis. Alguns pagam para serem ministros, essa é a pura verdade. E eu digo isso de cátedra, porque eu digo sempre: eu sou o único que não posso reclamar do meu salário de R$ porque não tem nenhum torneiro mecânico no Brasil ganhando R$ por mês."

17 Discurso ideológico - II A Comissão de Fiscalização e Controle aprovou hoje um projeto de decreto legislativo que permite que o parlamentar fique com parte do dinheiro da verba indenizatória, sem a necessidade de comprovação dos gastos. [...] Uma parcela flexível é importante. Os deputados têm reclamado muito disso. É um táxi que o sujeito paga e não pede nota, por exemplo. Imagina a coisa desagradável de um parlamentar aumentar uma nota para compensar outra. É natural ter essa flexibilidade", argumentou o deputado Virgílio Guimarães [...]

18 O indiozinho e a carta. Era uma vez um indiozinho que trabalhava para um fazendeiro. Toda semana ele levava frutas, em uma cesta, para o compadre do fazendeiro. No caminho, o indiozinho sempre comia algumas, tomando o cuidado para não ser visto. Porém, sempre o fazendeiro descobria e lhe chamava a atenção.

19 Intrigado, certa vez o indiozinho perguntou ao fazendeiro como descobria exatamente quais frutas ele comia. Sorrindo, o fazendeiro lhe mostrou uma carta e disse: É ela quem conta das frutas para o compadre e é por ela que o compadre me conta que das frutas que você comeu.

20 O indiozinho pensou e achou que descobrira um modo de enganar os dois. No meio do caminho, escolheu um lugar bem escondido e colocou a carta embaixo de uma pedra. Aí, sentou bem distante e comeu as frutas. Qual não foi sua surpresa quando o fazendeiro lhe chamou a atenção de novo?

21 Desorientado, ele explicou que havia escondido a carta muito bem e que ela não poderia ter visto coisa alguma, de modo que não poderia contar para o compadre. Rindo muito, o fazendeiro disse que a carta não precisava ver nem falar, porque o que ela contava estava escrito. O indiozinho ficou olhando aqueles riscos e disse: Então, é essa a mágica? A partir desse dia, procurou aprender a ler.

22 Que análises são possíveis para essa historinha, que fazia parte dos livros didáticos de língua portuguesa há anos atrás?

23 Alienação e Sociedade de Massa Alienação: Quando a pessoa tem seu centro de autodeterminação em outra instância que não seja si mesma. É o ser estranho – estrangeiro – a si mesmo. ALTER: outro (alter ego) ALIEN: estrangeiro (alienígena) ALIENADO: louco, fora de si...

24 Sociedade de massa Mills (1985, p. 136) definiu que a sociedade pública possui tantos emissores quanto receptores de opinião. Na sociedade de massa, as pessoas expressam muito pouco e recebem muito mais opiniões dos meios de comunicação. Torna-se uma comunidade abstrata onde as opiniões individuais são diluídas e a opinião da mídia é regulada pelas instituições.

25 Quando há um número proporcional de emissores e receptores de opinião há a possibilidade de debate e de manifestação (Mills, 1985, p. 135). Quando há uma desproporção entre emissores e receptores, no caso um número reduzido de emissores, o processo democrático, que para Mills (1985) é a idéia central da vida comunitária, torna-se impossível.

26 A comunicação seria na opinião de Mills (1985, p. 142) o veículo transformador do público em massa. Os meios de comunicação retiraram a discussão e a tensão entre o indivíduo e a sociedade em favor de uma distração; de uma alienação que suspende a atenção do indivíduo.

27 Massificação – I Com 85% de mais de 55 milhões de votos, o mineiro Alberto Pimentel Batista foi eliminado no décimo primeiro paredão do "Big Brother Brasil 7". Analy, sua adversária, continua na luta por R$ 1 milhão. Caubói chegou à segunda berlinda pela indicação da líder Carol. Já Analy recebeu os votos de Alberto, Airton e Diego e enfrentou seu primeiro paredão.

28 Massificação – I (bis) Com 40 pontos, santista Juliana Góes foi eliminada no oitavo paredão do programa Big Brother da Rede Globo. De acordo com a emissora, 62% dos aparelhos de televisão estavam sintonizados no canal. A votação foi recorde, em todas as edições do programa: 64 milhões de votos.

29 Massificação – I (tris) Tessália, publicitária twitteira, foi eliminada no terceiro paredão da 10ª edição do Programa global Big Brother com 78% dos votos, equivalente a 32 milhões de votos.

30 Massificação - II De acordo com um estudo, que mede a evolução da indigência nos principais municípios das regiões metropolitanas, realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) existem 50 milhões de miseráveis no Brasil. Isso significa que 29% da população têm renda inferior a R$ 80 por mês e não consomem o mínimo de calorias estabelecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

31 Massificação - III Os 10 por cento mais ricos da população brasileira detêm 46,9 por cento da renda nacional e os 10 por cento mais pobres apenas 0,7 por cento, revela o relatório deste ano do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Num outro indicador usado para medir a desigualdade,o Brasil é o oitavo pior país [...] melhor apenas que a Guatemala, Suazilândia, República Centro-Africana, Serra Leoa, Botsuana, Lesoto e Namíbia. De acordo com o relatório do PNUD, cerca de 26 milhões de pessoas no Brasil poderiam sair da linha de pobreza se houvesse a transferência de cinco por cento da renda dos 20 por cento mais ricos para a população mais pobre.

32 CIDADANIA Como falar de cidadania para quem não tem, sequer, dignidade...? Como falar de dignidade para quem não tem, sequer, humanidade...?


Carregar ppt "Sociedade de consumo, Sociedade de massa e Participação popular A luta por reconhecimento."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google