A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Situação 1: pais ao serem chamados à escola afirmam que o(a) filho(a) não leva jeito para os estudos, nasceu assim como os demais membros da família. Um.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Situação 1: pais ao serem chamados à escola afirmam que o(a) filho(a) não leva jeito para os estudos, nasceu assim como os demais membros da família. Um."— Transcrição da apresentação:

1 Situação 1: pais ao serem chamados à escola afirmam que o(a) filho(a) não leva jeito para os estudos, nasceu assim como os demais membros da família. Um primeiro aspecto a ser caracterizado nesta apreensão de método é que a dialética é um atributo da realidade e não do pensamento. A lógica dialética não é outra coisa senão o processo de construção do pensamento, ao passo que a lógica formal é o processo de construção da forma de pensamento. Para chegar à sua compreensão é necessário fazer não só um certo esforço, mas também um detour.

2 Assim, aquilo que é chamado de lógica formal ganha um significado novo e deixa de ser a lógica para converter-se num momento de lógica dialética. (SAVIANI, 2007,p 04). 1 - Entendendo que o raciocínio da mãe só traz um atributo do pensamento e não converte-se num momento da lógica dialética - pois para isso tal pensamento deveria ter passado pelo processo de detour, buscando todas as determinações do fato do(a) filho(a) ter baixo rendimento na escola)-, como a escola pode enfrentar a situação dada, optando por um método que permite uma apreensão radical da realidade, ou seja, que vá à raiz do problema?

3 Situação 2: A educação é o caminho para um mundo melhor. Sem educação não há possibilidade. É preciso que todos invistam na educação, só por ela teremos um mundo mais justo, igualitário e possível. A forma de inserção da educação na luta hegemônica configura dois momentos simultâneos e organicamente articulados entre si: um momento negativo que consiste na crítica da concepção dominante (a ideologia burguesa); e um momento positivo que significa: trabalhar o senso comum de modo que extraia o seu núcleo válido (o bom senso) e lhe dê expressão elaborada com vistas ä formulação de uma concepção de mundo adequada aos interesses populares.

4 Trata-se de elaborar uma concepção que seja suscetível de se tornar hegemônica, isto é, que seja capaz de superar a concepção atualmente dominante, é necessário dispor de instrumentos lógico-metodológicos cuja força seja superior àqueles que garantem a força e coerência da concepção dominante. (SAVIANI, 2007, p 04) 1 - Em que medida a situação exposta desconsidera os vários determinantes que incidem sobre a educação e que impedem a práxis transformadora da realidade. Justifiquem.

5 Situação 3: Professores alegam que hoje em dia os pais não contam mais histórias para os filhos, não conversam com eles na hora das refeições, enfim, não participam da vida dos filhos e que assim fica difícil aprender. O senso comum é, pois, contraditório, dado que se constitui num amálgama integrado por elementos implícitos na prática transformadora do homem de massa e por elementos superficialmente explícitos caracterizados por conceitos herdados da tradição ou veiculados pela concepção hegemônica e acolhidos sem crítica (Gramsci, 1977ª, p.13). (SAVIANI, 2007, p 07)

6 1 - Para compreender os determinantes que hoje interferem na postura das famílias com relação à escola é fundamental uma leitura histórica, econômica e social da realidade em que estão inseridas estas famílias. Assim, descreva quais são os possíveis determinantes – em todas as suas dimensões – que interferem na organização das famílias atualmente. A partir desta compreensão, como a escola pode pensar a sua organização, tendo como princípio o método dialético, sem perder de vista a sua função social?

7 Situação 4: A escola, historicamente serviu para reproduzir a hegemonia ou a ideologia dominante. Ela é o aparelho ideológico do Estado. Por ela, a burguesia se legitima e se consolida. O reconhecimento da importância da educação traduz uma posição incompatível com a postura elitista. A educação é uma atividade que supõe a heterogeneidade (diferença) no ponto de partida e a homogeneidade (igualdade) no ponto de chegada. Diante disso, a forma pela qual a classe dominante, por meio de suas elites, impede a elevação do nível de consciência das massas é manifestando uma despreocupação, um descaso e até mesmo um desprezo pela educação.(SAVIANI, 2007, p 07)

8 1 - Descrevam situações de reconhecimento desta postura de conformismo encontrada na escola. 2 - Considerando a dimensão contraditória da escola, que ao mesmo tempo emancipa e aliena, como é possível que a escola avance na sua prática pedagógica?

9 Situação 5: Professores em conselho de classe que assumem a postura de: Ela não tem jeito! É irreverente, indisciplinada, não estuda porque não gosta e nem serve para o estudo. Tomara que encontre um marido rico que a sustente... não tem dom!... a passagem do senso comum à consciência filosófica é condição necessária para situar a educação numa perspectiva revolucionária. Com efeito, é essa a única maneira de convertê-la em instrumento que possibilite aos membros das camadas populares a passagem da condição de classe em si para a condição de classe para si.

10 Ora, sem a formação da consciência de classe não existe organização e sem organização não é possível a transformação revolucionária da sociedade. 1 - Após discutir e analisar a situação e tendo em vista a concepção do método dialético, aponte os limites conceituais e práticos evidenciados nos comentários dos professores e que encaminhamentos são necessários, por parte do colegiado, mediados pelo pedagogo, no sentido de superar a maneira de pensar precedente e do pensamento concreto existente como crítica do senso comum.


Carregar ppt "Situação 1: pais ao serem chamados à escola afirmam que o(a) filho(a) não leva jeito para os estudos, nasceu assim como os demais membros da família. Um."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google