A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GESTÃO DE ORGANIZAÇÕES CONTÁBEIS – OC´s 25.09.2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GESTÃO DE ORGANIZAÇÕES CONTÁBEIS – OC´s 25.09.2010."— Transcrição da apresentação:

1 GESTÃO DE ORGANIZAÇÕES CONTÁBEIS – OC´s

2 1 AGENDA 1 – Mercado de Terceirização (Global, Brasil e Pernambuco/Recife) 2 – Desafios para as Organizações de Contabilidade (OC´s) no Brasil 3 - Gestão das OC´s no Brasil 4 – Mensagem Final 5 – Perguntas?

3 2

4 3 Terceirização – Ferramenta de Gestão 1.8 Pesquisa desenvolvida em 2009, com executivos ao redor do mundo, atesta que à medida que os executivos mudam seus objetivos e prioridades, eles também mudam as ferramentas e técnicas utilizadas para gerir os seus negócios. A pesquisa revelou também que: Em 2006 a média de ferramentas usadas era de 15; Em 2008 com a desaceleração global a média foi de 11; e com a turbulência global vivenciada no ano de 2008, houve uma reordenação da lista de 25 ferramentas usadas pelos executivos até então; Em 2009, listaram-se 10 ferramentas mais usadas ou com perspectivas de maior utilização pelos executivos. Fonte: BAIN & COMPANY – Management tools and trends 2009: Pesquisa sobre tendências em ferramentas e técnicas de gestão. Pesquisa desenvolvida em 2009, com executivos ao redor do mundo, atesta que à medida que os executivos mudam seus objetivos e prioridades, eles também mudam as ferramentas e técnicas utilizadas para gerir os seus negócios. A pesquisa revelou também que: Em 2006 a média de ferramentas usadas era de 15; Em 2008 com a desaceleração global a média foi de 11; e com a turbulência global vivenciada no ano de 2008, houve uma reordenação da lista de 25 ferramentas usadas pelos executivos até então; Em 2009, listaram-se 10 ferramentas mais usadas ou com perspectivas de maior utilização pelos executivos. Fonte: BAIN & COMPANY – Management tools and trends 2009: Pesquisa sobre tendências em ferramentas e técnicas de gestão.

5 4 Terceirização – Ferramentas de Gestão ferramentas mais usadas pelos executivos

6 5 Informações estatísticas e tendências referentes a terceirização No Mundo 376,8 milhões de ocupações terceirizadas 15,5% da mão-de-obra em atividade No Brasil 1,9% das ocupações terceirizadas no mundo 21,4% dos empregados com carteira assinada (33,2 milhões de trabalhadores), ou seja, 7,1 milhões de trabalhadores terceirizados 7,7% do PEA (população economicamente ativa – 92,6 milhões de pessoas). Fonte: SINDEPRESTEM - Pesquisa Setorial: 2007 | 2008 Números da Terceirização 3.8 (empregabilidade)

7 6 Terceirização – Posicionamento mundial 4.8 O Brasil avançou cinco posições de 2005 a 2007 e hoje ocupa a 5ª. posição mundial dos Países com desenvolvimento de negócios na modalidade offshore outsourcing. Este é o termo em inglês que se refere à transferência dos serviços para um fornecedor externo, fora do país de origem do tomador dos serviços. Com o offshore outsourcing há uma busca por melhores condições de prestação de serviços, independe da localização do fornecedor. Fonte: A.T.Kearney, a pedido da Brasscom (Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação), divulgada pela Computerworld em 16 de abril de 2009.

8 7 1º. – Índia 2º. – Filipinas 3º. – China 4º. - Irlanda 5º. – Brazil Fonte: Global Services (2009, Top 50 Emerging Global Outsourcing Cities). 1º. – Índia 2º. – Filipinas 3º. – China 4º. - Irlanda 5º. – Brazil Fonte: Global Services (2009, Top 50 Emerging Global Outsourcing Cities). As nações Top em Offshore 5.8

9 8 Cidade País Região 1 - Nizhny Novgorod - Russia - Eastern Europe 2 - Bhubaneswar - India - South Asia 3 - Iloilo City - Philippines - Southeast Asia 4 - Cork Ireland - Western - Europe 5 – Thiruvananthapuram - India - South Asia 6 - Recife - Brazil - South America 7 - Santa Rosa, Laguna - Philippines - Southeast Asia 8 - Córdoba - Argentina - South America 9 - Puerto Rico - U.S.A. - Central America 10 - Amman - Jordan Middle - East and Africa Cidade País Região 1 - Nizhny Novgorod - Russia - Eastern Europe 2 - Bhubaneswar - India - South Asia 3 - Iloilo City - Philippines - Southeast Asia 4 - Cork Ireland - Western - Europe 5 – Thiruvananthapuram - India - South Asia 6 - Recife - Brazil - South America 7 - Santa Rosa, Laguna - Philippines - Southeast Asia 8 - Córdoba - Argentina - South America 9 - Puerto Rico - U.S.A. - Central America 10 - Amman - Jordan Middle - East and Africa Top 10 Aspirants – Offshoring/Outsourcing Fonte: Global Services (2009, Top 50 Emerging Global Outsourcing Cities).

10 9 Top 10 Aspirants – Offshoring/Outsourcing – algumas razões desta posição: Segundo estimativas do IBGE (2009), Recife possui:IBGE habitantes em uma área de 217,494 km², o queárea resulta em uma densidade demográfica de 7.180,23 hab./km².densidade demográfica Em 2007, registrou-se um PIB nominal de R$ 20,7 bilhões, obtendo o PIB per capita mais elevado das capitais do Nordeste, de R$ , Nordeste Tem uma área de TI denominada como Porto Digital, que abriga 130 empresas, que empregam mais de pessoas (entre empresas de tecnologia, institutos de pesquisa e serviços especializados). O Porto digital completou 10 anos em 2010; Fonte: Global Services (2009, Top 50 Emerging Global Outsourcing Cities).

11 10 Top 10 Aspirants – Offshoring/Outsourcing – algumas razões desta posição: A Universidade Federal de Pernambuco forma os profissionais de TI; Há investimentos por parte do Governo do Estado para o Porto Digital, para deixá-lo nos patamares mundiais; Forte estrutura educacional; O aeroporto internacional facilita a proximidade geográfica com a América do Norte; Entretanto, a cidade ainda não foi capaz de capturar a atenção da mídia global. Fonte: Global Services (2009, Top 50 Emerging Global Outsourcing Cities).

12 11

13 12 Dificuldades para as OC´s Formação de profissionais pelas IES (instituições de ensino superior); - Grade curricular dos cursos de graduação, MBA, Pós e etc., distanciadas das necessidades reais das empresas; Há muitos anos escutamos o Trevisan dizer: As escolas estão se tornando cada vez mais empresas e as empresas cada vez mais escolas.

14 13 Dificuldades para as OC´s Pouca ou praticamente nada de articulação dos 4 elementos fundamentais para a formação adequada de nossas crianças e jovens: MEC/Governo x IES x Empresas e Famílias; - Sobrecarga de novas Leis e Normas (contábeis e tributárias); - Convergência da Lei Contábil às Normas Internacionais: International Financial Reporting Standard (IFRS) Composta por: Framework, IAS, IFRS (são pronunciamentos técnicos) SIC e IFRIC (são interpretações)

15 14 Dificuldades para as OC´s 3.8 Lei contábil – 6.404/76 x /07 = 31 anos! CPC – comitê de pronunciamentos técnicos: Pronunciamento conceitual básico – estrutura conceitual + 43 CPC´s + 15 ICPC (interpretações) + 03 OCPC (orientações) + Revisões (R1) de aproximadamente 07 CPC´s (1, 2, 3, 5, 16 e 36) CPC 04 – Ativos intangíveis está em revisão. Audiência Pública até 08/10/ CPC – PME = contabilidade para pequenas e médias empresas Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade – The International Financial Reporting Standard for Small and Medium-sized Entities (IFRS for SMEs). Fonte: CPC –

16 15 Dificuldades para as OC´s 4.8 CPC – PME = contabilidade para pequenas e médias empresas Em 2003, o IASB deu início ao projeto de organização das normas do IFRS para PMEs, que foi concluído em julho de A versão passou a ter menos de 300 itens (modelo completo tem 3 mil itens). Nas 52 bolsas mundiais há menos de 50 mil empresas listadas, ou seja, a força está mesmo nas PMEs.

17 16 Dificuldades para as OC´s 5.8 CPC – PME = contabilidade para pequenas e médias empresas No Brasil, surgem cerca de 460 mil novas empresas por ano. No Brasil, existem 5,1 milhões de empresas. As Micro e pequenas empresas (MPEs) respondem por 98% das empresas, 67% das ocupações e 20% do PIB (dados de 2006). O faturamento das micro e pequenas empresas teve aumento de 9,5% em julho de 2010 sobre julho de MPE (micro e pequenas empresas - padeiro, cabeleireiro, consultor de informática, advogado, contador, costureira, consultor econômico, pousada e etc.). Fonte: acesso em: http://www.sebraesp.com.br/conhecendo_mpe

18 17 Dificuldades para as OC´s 6.8 SPED – Sistema Público de Escrituração Digital - Instituído pelo Decreto n º 6.022, de 22/01/ Faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal (PAC ). - Composição: Escrituração Contábil Digital, Escrituração Fiscal Digital e a NF-e - Ambiente Nacional. - Informatização e integração das relações - fisco x contribuintes, nas esferas: Federal, Estadual e Municipal.

19 18 Dificuldades para as OC´s 7.8 SPED – Sistema Público de Escrituração Digital O Brasil é pioneiro em NF-e? A Espanha deu início a este sistema ainda na década de 1990 e o principal objetivo na época com esta implantação era a redução de custo de emissão de papel. Segundo a Agência Tributária Espanhola, a redução de custo girou em torno de 15,7 bilhões de euros. O Chile ao aplicar a NF-e, conhecida no país como Factura Eletrônica – desde 2003, foi a redução de gastos. Segundo o Ministério da Economia do Chile, a redução de custos com papel alcançou 800 milhões de dólares.

20 19 Dificuldades para as OC´s 8.8 SPED – Sistema Público de Escrituração Digital No Brasil, a obrigatoriedade da NF-e - Protocolo ICMS 10/07, a partir de 1º de abril de 2008 (alguns segmentos da economia brasileira). Gradativamente vem aumentando o número de empresas obrigadas, por meio de protocolos ICMS 68/08; 87/08; 04/09; 101/09; 102/09 e etc.....

21 20 Oportunidades para as OC´s Entender o momento atual do nosso mercado; - Entender o perfil do cliente que compra nossos serviços; - Entender a necessidade efetiva das empresas que compram nossos serviços; - Ampliar as atividades terceirizáveis (de contabilidade e tributárias); - Educação continuada dos profissionais (CFC – adotar o mesmo que hoje é aplicado aos auditores independentes); - Estabelecer parcerias/alianças para garantir o maior número possível de habilidades no atendimento aos clientes

22 21

23 22 Triângulo dos Serviços Fonte: Karl Albrecht (1984).

24 23 Cliente 1.5 ATENÇÃO AO CLIENTE!

25 24 Cliente - WEB – Internet 2.5 Fonte: Deloitte (maio/2010) Mídias sociais nas empresas. O relacionamento online com o mercado

26 25 Cliente - WEB – Internet 3.5 O Brasil é o 5º país com o maior número de conexões à Internet (66,3 milhões de internautas); A internet se tornou o 3º. veículo de maior alcance no Brasil (rádio e TV ocupam a 1ª. e 2ª. Posição, respectivamente); 44% da população (áreas urbanas) está conectada à internet; 97% das empresas estão conectadas à internet; 23,8% dos domicílios brasileiros estão conectados à internet; 87% dos internautas utilizam a rede para pesquisar produtos e serviços; Antes de comprar, 90% dos consumidores ouvem sugestões de pessoas conhecidas; 70% dos internautas confiam em opiniões expressas online. Fonte: disponível em: http://www.tobeguarany.com/internet_no_brasil.php

27 26 Atributos para um bom relacionamento com o cliente 4.5

28 27 Como encantar e reter o Cliente 5.5

29 28 Estratégia de Serviços 1.6

30 29 Estratégia de Serviços 2.6 Esta estratégia é bem concebida quando as organizações prestadoras de serviços têm desenvolvida uma idéia unificadora para o que fazem. Uma espécie de padrão com a missão e os valores da organização e estes voltados para o cliente. [...] transforma-se num brado de união, numa espécie de evangelho, e no núcleo da mensagem a ser transmitida ao cliente. Todos os sistemas são considerados e voltados ao atendimento ao cliente, quando: - são projetados para atender à conveniência do cliente, e não da organização.; - [...] as instalações, as políticas, os procedimentos, os métodos e os processos de comunicação dizem ao cliente: este aparato está aqui para atender suas necessidades.

31 30 Estratégia de Serviços Planejamento Estratégico - Segundo estudos, não há planejamento estratégico bem definido e escrito dentro das OC´s; - Importância do planejamento estratégico. 2 - Marketing e Vendas - Segundo estudos, não há plano de marketing dentro das OC´s; - Novos canais de comunicação; - Significa declarar continuamente ao mundo o que é, o que faz e como faz! - Influenciar o cliente como eles percebem o seu profissional, o escritório, de forma ética, a formar uma imagem positiva. 3 - Portfólio de Serviços - Necessidades de atualizações; - Inovação.

32 31 Estratégia de Serviços Preço dos Serviços - Como mitigação de riscos; - Qual é o custo de ganhar uma nova conta com baixo valor? - Como fica a entrega do que foi vendido? - Equação entre o quanto o cliente está disposto à pagar versus a necessidade requerida pela atividade a ser prestada. 5 - Contrato de Prestação dos Serviços - Aspectos Jurídicos; - Aspectos Comerciais; - Responsabilidade técnica.

33 32 Estratégia de Serviços Gestão do Contrato de Prestação dos Serviços a) Riscos - Deveres e Direitos de ambos; - Organização dos fluxos de dados e informações; - Responsabilidade técnica – pautada em quais fatores? - Acompanhamento das tarefas realizadas x as constantes em escopo dos serviços vendidos; - Ética e valores dos seus clientes; b) Relacionamento e fidelização do cliente - Tempo de resposta; - Qualidade; - Flexibilidade; - Acessibilidade; - Credibilidade e Segurança; - Empatia ; - Antecipação às necessidades do cliente.

34 33 Estratégia de Serviços Gestão do Contrato de Prestação dos Serviços c) Custos e Resultados - Manter custos competitivos com alto apelo tecnológico; - Mensuração dos recursos alocados por cliente; - Margem de contribuição; - Equilíbrio econômico; - Estruturar os fatores para renegociação do contrato.

35 34 Sistemas - Tecnologia 1.2 Contabilidade/Tributos Contas a Receber Compras Tesouraria Custeio Controle de Estoques Vendas ManutençãoIndustrial Produção Folha de Pagamento Controle do Imobilizado linguagem única de programação ambiente cliente-servidor base única de dados integração entre os vários módulos, e destes com a Organização Contábil (OC´s) Contas a Pagar ControledeProjetos Fonte: Peleias, Ivam Ricardo (2008)

36 35 Sistemas - Tecnologia 2.2 Investimentos: Hardware; Software; Automação dos processos operacionais; Segurança dos dados; Comunicação interna; Comunicação com o cliente.

37 36 Pessoas – Foco no Cliente 1.2 Quando o pessoal é orientado para o atendimento e a satisfação do cliente, são capazes de: - envergar total concentração em suas atividades; - sintonizar a situação/problema com o pensamento e a necessidade do cliente no momento necessário/relevante, e isto leva; - a um nível de reação, atenção e disposição para ajudar, que faz com que o cliente sinta que o serviço é de excelente qualidade.

38 37 Pessoas – Foco no Cliente 2.2 Gestão de RH - Políticas corporativas claras e objetivas; - Ética e valores; - Comportamental; - Plano de Carreira/Mapeamento de Competências; - Avaliações periódicas de Desempenho; - Retenção de talentos; - Organização/Limpeza/Arquivos físicos e digitais; - Programa de Qualidade de Empresas Contábeis – PQEC. Educação profissional continuada - Reter profissionais com alta qualificação.

39 38

40 39 COMO? só nos processos – veja o exemplo dos bancos; - só em novos produtos/atividades terceirizáveis; - na forma de gestão da empresa como um todo; - na forma de captação dos clientes; - no perfil dos clientes; - no relacionamento com o cliente; - na forma de entrega ao cliente o que foi vendido; - na missão e nos valores da empresa; - no ambiente físico da empresa e todas as instalações; - no perfil dos profissionais; - na capacitação continuada dos profissionais; - na reciclagem dos sócios proprietários das OC´s; - com parcerias/alianças (com outras OC´s, com empresas de TI; com associações; com empresas de publicidade; com empresas software house; - criar condições para uma gestão ágil e eficiente - entre outros...

41 40 Padronizar o Cliente? 1.1 Nunca padronize um cliente! Entenda o que ele precisa e lhe atenda, porém, sempre, sempre, com um contrato de prestação de serviços claro, objetivo e justo para ambos os lados!

42 41 Perguntas?


Carregar ppt "GESTÃO DE ORGANIZAÇÕES CONTÁBEIS – OC´s 25.09.2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google