A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UFRJ / COPPE UFF / LATEC SOLUÇOES TECNOLÓGICAS RECURSOS HÍDRICOS RECURSOS HÍDRICOS DESPOLUIÇÃO DE ÁGUAS DESPOLUIÇÃO DE ÁGUAS TRATAMENTO DE ESGOTO SANITARIO,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UFRJ / COPPE UFF / LATEC SOLUÇOES TECNOLÓGICAS RECURSOS HÍDRICOS RECURSOS HÍDRICOS DESPOLUIÇÃO DE ÁGUAS DESPOLUIÇÃO DE ÁGUAS TRATAMENTO DE ESGOTO SANITARIO,"— Transcrição da apresentação:

1

2 UFRJ / COPPE UFF / LATEC SOLUÇOES TECNOLÓGICAS RECURSOS HÍDRICOS RECURSOS HÍDRICOS DESPOLUIÇÃO DE ÁGUAS DESPOLUIÇÃO DE ÁGUAS TRATAMENTO DE ESGOTO SANITARIO, EFLUENTES INDUSTRIAIS COM REUSO TRATAMENTO DE ESGOTO SANITARIO, EFLUENTES INDUSTRIAIS COM REUSO ÁGUA DE LASTRO DE NAVIOS ÁGUA DE LASTRO DE NAVIOS

3 UFRJ / COPPE UFF / LATEC SOLUÇÕES E TECNOLOGIAS AMBIENTAIS UFRJ / COPPE UFF / LATEC SOLUÇÕES E TECNOLOGIAS AMBIENTAIS ÁREAS DE ATUAÇÃO Gestão Ambiental Gestão Ambiental Tratamento de Águas Tratamento de Águas Tratamento de Efluentes ( Industriais, Sanitários e Hospitalares ) Tratamento de Efluentes ( Industriais, Sanitários e Hospitalares ) Gerenciamento de Resíduos Sólidos Gerenciamento de Resíduos Sólidos Reuso de Águas Reuso de Águas Avaliação de Passivos Ambientais Avaliação de Passivos Ambientais

4 UFRJ / COPPE UFF / LATEC ÁGUA NO MUNDO

5 UFRJ / COPPE UFF / LATEC ÁGUA DOCE NO MUNDO UFRJ / COPPE UFF / LATEC ÁGUA DOCE NO MUNDO

6 UFRJ / COPPE UFF / LATEC UTILIZAÇÃO DE ÁGUA DOCE

7 DENSO CRESCIMENTO DO CONSUMO MUNDIAL DE ÁGUA; DENSO CRESCIMENTO DO CONSUMO MUNDIAL DE ÁGUA; DIMINUIÇÃO DRÁSTICA DAS RESERVAS MUNDIAIS; DIMINUIÇÃO DRÁSTICA DAS RESERVAS MUNDIAIS; MAIS DE 50% DOS RIOS DO MUNDO ESTÃO POLUÍDOS; MAIS DE 50% DOS RIOS DO MUNDO ESTÃO POLUÍDOS; DESERTIFICAÇÃO MUNDIAL: 10 milhões hectares/ano; DESERTIFICAÇÃO MUNDIAL: 10 milhões hectares/ano; CONTAMINAÇÃO DOS LENÇOIS PELO CHORUME – LIXO; CONTAMINAÇÃO DOS LENÇOIS PELO CHORUME – LIXO; NO MUNDO, A ÁGUA POLUÍDA É MAIOR QUE A SOMA DAS DEZ MAIORES BACIAS HIDROGRÁFICAS DO PLANETA; NO MUNDO, A ÁGUA POLUÍDA É MAIOR QUE A SOMA DAS DEZ MAIORES BACIAS HIDROGRÁFICAS DO PLANETA; USO DE 70% DA ÁGUA PARA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS; USO DE 70% DA ÁGUA PARA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS; O.M.S. CITA QUE 80% DAS INTERNAÇÕES HOSPITALARES NO MUNDO SÃO CAUSADAS POR DOENÇAS TRANSMITIDAS PELA ÁGUA; O.M.S. CITA QUE 80% DAS INTERNAÇÕES HOSPITALARES NO MUNDO SÃO CAUSADAS POR DOENÇAS TRANSMITIDAS PELA ÁGUA; APENAS 16% DOS ESGOTOS SÃO TRATADOS NO BRASIL; APENAS 16% DOS ESGOTOS SÃO TRATADOS NO BRASIL; ÁGUA É UM BEM FINITO DOTADO DE VALOR ECONÔMICO; ÁGUA É UM BEM FINITO DOTADO DE VALOR ECONÔMICO; PAÍSES ÁRABES EXPORTAM PETRÓLEO À U$ 130/140 E JÁ PAÍSES ÁRABES EXPORTAM PETRÓLEO À U$ 130/140 E JÁ IMPORTAM ÁGUA À U$ 200 O BARRIL; IMPORTAM ÁGUA À U$ 200 O BARRIL; REUSO DE ÁGUA X CUSTO, LEI / 97 REUSO DE ÁGUA X CUSTO, LEI / 97 ÁGUA DE LASTRO – ELIMINAÇÃO DE ESPÉCIES EXÓTICAS PREDADORAS E DOENÇAS NOS PORTOS DO MUNDO TODO ÁGUA DE LASTRO – ELIMINAÇÃO DE ESPÉCIES EXÓTICAS PREDADORAS E DOENÇAS NOS PORTOS DO MUNDO TODO POR QUE TRATAR EFLUENTES ?

8 UFRJ / COPPE UFF / LATEC PRINCIPAIS SISTEMAS DE TRATAMENTO DE EFLUENTES 1 - TRATAMENTO BIOLÓGICO : AERÓBICO AERÓBICO ANAERÓBICO 2 - TRATAMENTO FÍSICO-QUÍMICO : CONVENCIONAL COM PRODUTO QUÍMICO ELETROLÍTICO

9 UFRJ / COPPE UFF / LATEC Patente INPI N° PI PROCESSO ELETROLÍTICO A passagem da corrente elétrica no meio aquoso, efetua a quebra (dissociação) das moléculas, fazendo a sua separação irreversível, criando dois componentes distintos: ÁGUA + RESÍDUOS A ação do processo eletrolítico na dissociação das moléculas faz com que os resíduos (partes sólidas) coagulem e floculem, daí este processo ter também a denominação de ELETROFLOCULAÇÃO.

10 ESQUEMA SIMPLIFICADO DO PROCESSO ELETROLÍTICO

11 Eficiência Eficiência In-plant ou end-of-pipe In-plant ou end-of-pipe Unidades compactas e modulares Unidades compactas e modulares Imune a toxidez Imune a toxidez Facilidade de operação Facilidade de operação Ocupa pequenas áreas Ocupa pequenas áreas Controle automatizado Controle automatizado Baixo tempo de retenção Baixo tempo de retenção Baixo consumo de eletrodos Baixo consumo de eletrodos Gera pouco lodo Gera pouco lodo VANTAGENS OPERACIONAIS DO PROCESSO UFRJ / COPPE UFF / LATEC UFRJ / COPPE UFF / LATEC

12 UFRJ / COPPE UFF / LATEC Menor investimento Menor investimento Menor custo operacional Menor custo operacional Menor tempo de instalação Menor tempo de instalação Ocupa pequena área Ocupa pequena área Baixo custo de energia Baixo custo de energia Redução da conta de água e esgoto Redução da conta de água e esgoto Dispensa aquisição de lodo Dispensa aquisição de lodo Reaproveitamento da água Reaproveitamento da água Reaproveitamento dos efluentes tratados Reaproveitamento dos efluentes tratados VANTAGENS ECONÔMICAS

13 UFRJ / COPPE UFF / LATEC COMPARAÇÃO DAS TECNOLOGIAS : ELETROLÍTICA LODO ATIVADO ELETROLÍTICA LODO ATIVADO Investimento (coef.) 0,5 1 Investimento (coef.) 0,5 1 Custo operação (R$/m3) 0,11 1,95 Custo operação (R$/m3) 0,11 1,95 Toxidez (metais pesados) Não Sensível Sensível Toxidez (metais pesados) Não Sensível Sensível Mudanças PH Não Sensível Sensível Mudanças PH Não Sensível Sensível Salinidade Alta Eficiência Inoperante Salinidade Alta Eficiência Inoperante Remoções DQO Alto>99% Baixo 99% Baixo<50% Remoções DBO Alto>98% Alto 90% Remoções DBO Alto>98% Alto 90% Consumo de Energia 0,1 kwh/m3 2,9 kwh/m3 Consumo de Energia 0,1 kwh/m3 2,9 kwh/m3 Temperatura Não Interfere Interfere Temperatura Não Interfere Interfere Custo manutenção Baixo Alto Custo manutenção Baixo Alto Odor / Cheiro Elimina Alto Odor / Cheiro Elimina Alto REUSO DE ÁGUA Alta Eficiência Sem Reuso REUSO DE ÁGUA Alta Eficiência Sem Reuso

14 UFRJ / COPPE UFF / LATEC APLICAÇÃO DA ELETROFLOCULAÇÃO TRATAMENTO DE ÁGUA DE LASTRO E ÁGUAS SERVIDAS TRATAMENTO DE ÁGUA DE LASTRO E ÁGUAS SERVIDAS TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS COM REUSO DA ÁGUA TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS COM REUSO DA ÁGUA TRATAMENTO EFLUENTES INDUSTRIAIS COM REUSO DA ÁGUA : TRATAMENTO EFLUENTES INDUSTRIAIS COM REUSO DA ÁGUA :. Água de Lastro. Química Pesada. Água de Lastro. Química Pesada. Papel e Celulose. Petroquímica. Papel e Celulose. Petroquímica. Química. Farmacêutica. Química. Farmacêutica. Laboratórios. Tratamento de Superfícies. Laboratórios. Tratamento de Superfícies. Tintas e Corantes. Emulsões de Óleos e Graxas. Tintas e Corantes. Emulsões de Óleos e Graxas. Borracha. Cosméticos. Borracha. Cosméticos. Mineração. Laticínios. Mineração. Laticínios. Alimentos. Hospitalares. Alimentos. Hospitalares. Navios. Aeroportos. Navios. Aeroportos. Polimentos. Siderurgia. Polimentos. Siderurgia. Outros. Outros

15 ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS

16

17 Glicério-Rio São Pedro BOLETIM DE ANÁLISES - FEEMA Remoção de DQO 98 % Remoção de DBO 99 %

18 ESTAÇÃO EM INDÚSTRIA ALIMENTÍCIA Reator de fluxo horizontal

19 ESTAÇÃO EM INDÚSTRIA DE ALIMENTOS Vista geral da estação

20 ESTAÇÃO EM INDÚSTRIA QUÍMICA REATOR VERTICAL

21 QUEM TRATAR E REUSAR A ÁGUA NO MUNDO VAI PRESERVAR VIDAS E GERAR RIQUEZA Contato ( s ) : José fernando Cirne (21) / (21) Sérgio Lemberck (21) / (21) Sérgio Lemberck (21) / (21) Corpo Técnico / Centros de Excelências : COPPE-UFRJ, UFF-RJ, UERJ, USP-SP UNICAMP-SP, UFRRJ UNICAMP-SP, UFRRJ Universidade Federal Fluminense – UFF - LATEC Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ - COPPE SOLUÇÕES E TECNOLOGIAS AMBIENTAIS


Carregar ppt "UFRJ / COPPE UFF / LATEC SOLUÇOES TECNOLÓGICAS RECURSOS HÍDRICOS RECURSOS HÍDRICOS DESPOLUIÇÃO DE ÁGUAS DESPOLUIÇÃO DE ÁGUAS TRATAMENTO DE ESGOTO SANITARIO,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google