A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Plano de Negócios Participativo - PNP Profª. Fernanda Alves Rocha Guimarães.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Plano de Negócios Participativo - PNP Profª. Fernanda Alves Rocha Guimarães."— Transcrição da apresentação:

1 Plano de Negócios Participativo - PNP Profª. Fernanda Alves Rocha Guimarães

2 O planejamento turístico apresenta uma série de informações que objetivam dinamizar o tratamento sistêmico das necessidades, propondo soluções mercadológicas factíveis com a realidade regional. –Faz uma radiografia do que é necessário fazer para que aquela região possa ser reconhecida no mercado pela qualidade na prestação dos serviços turísticos. Adoção do modelo do Plano de Negócios como metodologia de estruturação da informações relevantes ao sucesso do projeto de novembro de 2013

3 O plano de negócios deve ser desenvolvido de forma participativa no que tange a discussão dos seus pontos de análise. –Construído coletivamente na medida que são abordadas as várias questões estruturais que influem diretamente na dinâmica turística regional e na comercialização dos serviços turísticos. PNP –Respaldo às instituições apoiadoras de iniciativas comunitárias; –Visão mercadológica; –Sustentabilidade –Realidade e necessidade. Plano de Negócios Participativo - PNP 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação3

4 Elaboração do PNP –Todo o processo deve ser estruturado de forma participativa. –Roteiro de assuntos. –Deve ser alinhado dentro de um viés comercial que atenda às demandas e necessidades locais e não locais. O PNP é um documento amplo na medida em que discute vários assuntos que auxiliam tanto na estruturação do negócio turístico propriamente dito, quanto no fornecimento de valiosas informações que serão usadas na elaboração e no planejamento da pauta dos assuntos a serem discutidos nas oficinas de trabalho. Plano de Negócios Participativo - PNP 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação4

5 Existem vários modelos de plano de negócios. Qualquer que seja adotado, deve responder às seguintes questões: –O que é o negócio? –O que precisa ser feito, tanto da parte interna da comunidade quanto na mercadológica (marketing)? –Quanto custa? –Quais são os gargalos e as necessidades estruturais que estão atrelados ao risco de o negócio não dar certo? Plano de Negócios Participativo - PNP 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação5

6 Exemplo de PNP 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação6

7 1. Introdução –Normalmente se converte em um resumo do que será executado. –Trata-se de um texto curto e objetivo 2. Metodologia de Trabalho –Descreve como o trabalho foi feito. –Tempo de duração, instrumentais utilizados, como o método DAFO (SWOT ou FOFA) ponderado, recursos utilizados e dificuldades encontradas. DAFO (SWOT ou FOFA) PNP 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação7

8 3. Plano de Negócios –É a alma do documento. –Composto por oito itens, é estruturado partindo-se sempre da visão macro para a micro. –3.2 Análise do Macroambiente – Estrutural Pode ser analisado com base em uma abordagem externa, utilizando- se informações disponíveis nos órgãos oficiais de turismo nacional, estadual e municipal se existirem, além de periódicos acadêmicos. –3.3 Análise Microambiente – Setorial Demanda uma abordagem essencialmente mais técnica e mercadológica, pois discute assuntos importantes relativos ao posicionamento estratégico da região e de seus atores sociais. Atenção para os itens 3.3.3, e 3.3.5: o papel da equipe executora nesse momento é fundamental. Não possui caráter participativo. A análise bem feita desses tópicos é que norteará boa parte das ações estratégicas que serão desenvolvidas ao longo da execução do projeto. PNP 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação8

9 –3.4. Planejamento Estratégico De caráter participativo. É aplicada e discutida uma metodologia de análise sistêmica do entorno através da análise SWOT ponderada Debate sobre as deficiências (fraquezas), ameaças, fortalezas (forças) e oportunidades do projeto para o desenvolvimento turístico da região. De forma ponderada, há a eleição das prioridades dentro de cada item o que ajudará na construção dos itens e De forma geral, os itens 3.3 e 3.4 trazem as visões exógena e endógena do processo de desenvolvimento, o eu possibilita a melhor visualização do que realmente é prioridade dentro de um plano de trabalho. PNP 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação9

10 A apresentação dos resultados na análise de ambos os itens leva o grupo a uma série de reflexões e discussões, por vezes acirrada. A discussão promove o avanço do projeto. Nesses eventos ocorre o início da imersão do grupo no projeto. O envolvimento dos atores sociais fica mais claro e forte e também se inicia o processo de empoderamento de alguns indivíduos do grupo que começam a se posicionar como líderes. PNP 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação10

11 –Plano de Operação e Logística da Informação Diz respeito à forma como irão ocorrer os processos de comunicação para a gestão do processo e, posteriormente, a maneira como irá acontecer a operação dos roteiros turísticos e serviços turísticos comercializados. Um dos principais problemas que normalmente são identificados quanto ao fluxo da informação – comunicação interna: turista- entidade; entidade-associados; associados entre si. A distância entre os vários integrantes que compõem um produto turístico normalmente é grande. Acertar a operacionalidade entre todos é uma as chaves do sucesso. PNP 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação11

12 Fluxo de informações 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação12 Associação ou Cooperativa de Turismo (comitês de trabalho) Agências e operadoras locais Agências e operadoras externas Consumidor final Associados Cooperado s

13 A demanda pelo consumo dos serviços da entidade origina-se das agências e operadoras locais, não locais e do consumidor final. A associação/cooperativa organiza a informação existente sobre disponibilidade de leitos, informações turísticas que venham a despertar o interesse do público alvo, gastronomia, atrativos históricos, culturais e naturais, com horário de uso e visitação em ampla rede de informações. Ela assume assim um papel de Central de Reservas – CRS (inclusive pagamentos) para o mercado e recebimento dos recursos nela locados, para associados. Fluxo de informações 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação13

14 A associação/cooperativa é a instituição que organiza e operacionaliza as informações e os produtos turísticos comercializados por seus associados/cooperados e outros. Após a venda dos serviços formatados pela entidade, as agências e consumidores finais repassarão o pagamento à entidade, que irá recolher a comissão e realizar os respectivos pagamentos aos associados. Sistema Voucher PNP 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação14

15 Fluxo monetário 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação15 Associação ou Cooperativa de Turismo (comitês de trabalho) Agências e operadoras locais Agências e operadoras externas Consumidor final Associados Cooperado s $ $ $ Sistema Voucher Pagamentos Comissão $

16 –3.6 Plano de Marketing Tem como função específica analisar o posicionamento da região e de seus produtos no mercado turístico. É uma análise puramente estratégica que irá orientar as decisões do grupo, objetivando otimizar o que há na região – oferta dos produtos e serviços turísticos regionais e locais que tenham apelo e instiguem o consumo. A estruturação do grupo tem como objetivo estabelecer que ele seja reconhecido com referência da gestão turística regional no que tange à comercialização dos produtos e serviços. PNP 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação16

17 Sistema de distribuição e controle 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação17

18 Numa visão turística, o grupo de atores sociais irá organizar e comercializar seus próprios produtos em parceria com os agentes de mercado. Ele será a central de reservas e ficará responsável pelo controle do fluxo turístico e, fundamentalmente, da qualidade daquilo que se oferece. Esse modelo traz os empresários turísticos para dentro do cenário, envolvendo-os numa série de condicionantes. PNP 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação18

19 O item toca na questão de sustentabilidade, que é identificar de onde vem o dinheiro que dá suporte ao grupo. A manutenção da entidade poderá ocorrer de duas formas: –Contribuição mensal: os custos são divididos igualmente entre todos; –Comissionamento: dentro desta linha se estabelece uma política única de preços de acordo com o fluxo comercial. O estabelecimento da forma como se dará essa sustentação financeira depende da realidade de cada região. PNP 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação19

20 Fluxo de comercialização dos produtos turísticos – vendas diretas e indiretas Tema da Apresentação20

21 4. Legislação e aspectos legais –Apresenta e discute as questões legais para a consolidação do PNP. –Exemplo: se nas primeiras reuniões de trabalho for possível identificar que, em uma determinada realidade, a formação de uma OSCIP possa ser o mais indicado, então essa parte tratará justamente do que é necessário para que isso aconteça. –O mesmo serve para uma associação ou cooperativa. –Essa análise é importante pois alinha as discussões do grupo de acordo com as questões jurídicas e, principalmente, fiscais que permeiam todo o processo. PNP 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação21

22 5. Conclusão e considerações finais –Nesta parte é muito importante que a equipe executora faça uma análise geral do processo, indicando pontos fortes e fracos que serão úteis na definição das estratégias utilizadas ao longo da aplicação do plano de negócios. PNP 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação22

23 O PNP é um documento que trata de forma clara e sistemática todas as necessidades para que o projeto tenha estabilidade. –Que seja encarado de forma mais sustentável, respeitando os limites de atuação das próprias comunidades. Do ponto de vista mercadológico, ter um documento desse porte indica que a comunidade está aberta ao diálogo e que, portanto, é forte candidata ao sucesso no turismo. Outro ponto importante é o diagnóstico que deve ser realizado como marco zero do processo. PNP 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação23

24 MIELKE, Eduardo Jorge Costa. Desenvolvimento turístico de base comunitária. Campinas, SP: Editora Alínea, Referências bibliográficas 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação24

25 STRENGTHS (pontos fortes) Os pontos fortes internos WEAKNESSES (pontos fracos) Os pontos fracos internos OPPORTUNITIES (oportunidades) As oportunidades externas que possam surgir THREATS (ameaças) As ameaças externas enfrentadas D EFICIÊNCIAS A MEAÇAS F ORTALEZAS O PORTUNIDADES F ORÇAS O PORTUNIDADES F RAQUEZAS A MEAÇAS SWOT – DAFO – FOFA 15 de novembro de 2013 Tema da Apresentação25


Carregar ppt "Plano de Negócios Participativo - PNP Profª. Fernanda Alves Rocha Guimarães."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google