A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Rio de Janeiro : evolução urbana da cidade Marcus Vinicius Geografia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Rio de Janeiro : evolução urbana da cidade Marcus Vinicius Geografia."— Transcrição da apresentação:

1 Rio de Janeiro : evolução urbana da cidade Marcus Vinicius Geografia

2 Mas de qual Rio de Janeiro estamos falando? - estado - Região Metropolitana - município

3 Noção de sítio urbano: local onde se fixou e se desenvolveu o aglomerado urbano. Ex: RJ - pântanos, brejos, serra e mar. A topografia dificultou e orientou a ampliação do espaço urbano (demanda por aterros e obras de drenagem). Praça XV 1580 Porto 1608 Largo da Carioca 1608

4 Período Colonial ( ) Expansão urbana: quadrilátero dos morros (Castelo, Conceição, Sto. Antônio e S. Bento). –Desmonte –Aterros –Função higienista (circulação: transporte; respiração: ventilação e salubridade; e digestão: saneamento)

5

6 Animação da vida urbana: centralidade do porto. atividades: contrabando, cana de açúcar, café e ouro. adensamento populacional e crescimento urbano. 1763: capital da colônia (novo papel jurídico e político). cidade-sede do poder colonial

7 Intervenções no espaço da cidade: Aqueduto da Carioca (Arcos da Lapa): resolver o grande problema da cidade, o abastecimento de água. Paço Imperial (atual Praça XV): Casa dos Governadores; o edifício mais importante e imponente da cidade colonial. As edificações (autoridade colonial, militar, religiosa, civil não -oficial) demonstram a centralidade do poder nesta área Passeio Público: primeiro parque público do Brasil (1783); semelhança com o passeio público de Lisboa.

8 Período Joanino ( ): Ampliação da função administrativa da cidade. Conjunto de intervenções para adequar o espaço urbano carioca às suas novas funções. –Sede do poder da metrópole portuguesa. –Obras: imprensa régia; Jardim Botânico; Banco do Brasil; Gabinete Real Português; Polícia Militar. –Tecido urbano carioca: expansão imobiliária da cidade; novos eixos (Quinta da Boa Vista, Botafogo-Glória-Catete, área central). –Café: primeiro produto nacional, e não mais colonial.

9 Período Republicano: positivismo e modernidade Governo Federal e Municipal. Novas edificações: Senado Federal; Teatro Municipal; Museu Nacional de Belas Artes; Biblioteca Nacional; Supremo Tribunal Federal; Cinelândia (Brodway carioca) Reforma urbana de Pereira Passos ( ): ações concentradas na área central da cidade. Trens e bondes: –Extensão da rede urbana –Segregação socio-espacial As metrópoles do mundo empenhavam-se em realizar reformas urbanas e Paris passou a ser o exemplo mundial da cidade moderna, racionalmente planejada, bem cuidada, monumental e funcional.

10 Reforma: cirurgias - alterar as artérias. –Econômica: amplo e moderno porto para escoar a produção de café. –Viária: grandes avenidas; ruas alargadas para facilitar a circulação na cidade. –Saneamento: combate às epidemias (vacinação); guerra aos cortiços (acelera a favelização nas encostas). Rua 1º de Março, 1905.

11 Favela do morro do Pinto, fotografada por Augusto Malta em 1912.

12 Reforma Carlos Sampaio ( ): reparos - termo mais adequado. Desmonte do morro do Castelo: –Novos investimentos na área central –Política higienista: pobreza (expulsar as área vizinha à valorizada Avenida Central); ventilação. Gestão Prado Júnior ( ): Plano Agache: remodelação, extensão e embelezamento. –Circulação: transporte –Digestão: saneamento –Respiração: salubridade –Suprimir os bondes: símbolos do atraso (não-moderno).

13 A reforma do Estado Novo ( ): –Monumentalidade do espaço urbano (expressão do poder de um Estado forte). Ações no espaço urbano: Prédios monumentais: Ministério da Fazendo, Justiça e Educação. Av. Presidente Vargas Av. Brasil Política habitacional (conjuntos habitacionais): subúrbio ferroviário.

14

15 Refletir: Onde estão os investimentos e equipamentos urbanos?

16 Copacabana:

17 Zona portuária Arcos da Lapa

18 (Uerj) O mapa mostra a intensidade do processo de favelização no município do Rio de Janeiro, ao longo da década de O crescimento da população nessas comunidades e a distribuição das mesmas no espaço urbano podem ser explicados, respectivamente, por: (A) estagnação dos níveis de escolaridade e oferta igualitária dos serviços públicos (B) redução do valor dos salários e concentração espacial das atividades tecnológicas (C) segregação de parte da classe trabalhadora e acesso desigual à rede de transporte (D) desaceleração dos fluxos migratórios e crescimento acentuado da especulação fundiária

19 Reconhecido há tempos, dentro e fora do Brasil, como manifestação artística legítima e pública, o grafite vem sendo visto também como um elemento relevante do espaço urbano, pois nele realiza sucessivas intervenções. Com base nessa ideia e no foco da matéria jornalística, é correto afirmar que atualmente o grafite a) estimula e aprofunda o desemprego entre a população jovem urbana. b) potencializa e provoca a revolta de grupos sociais oprimidos. c) renova e estetiza diversos trechos da paisagem urbana. d) fortalece e antecipa o aspecto marginal das pichações. e) abandona e contesta valores estéticos externos à cultura nacional. (uff)

20 (Uerj) As paredes centenárias do convento de Santo Antônio guardam histórias da época em que nas proximidades do Largo da Carioca encontrava-se uma lagoa. As ilustrações acima evidenciam mudanças na forma e no uso do Largo, através dos séculos, que estão relacionadas com: (A) predomínio do padrão arquitetônico ibérico (B) satisfação das necessidades da oligarquia agrária (C) consolidação dos interesses da burguesia urbana (D) implementação de projetos privados de saneamento

21 O crescimento das cidades no Brasil é marcado por fortes contrastes sociais, os quais são revelados pelas seguintes características principais: a) elevados índices de violência urbana; segregação socioespacial; insuficiência na oferta de empregos; b) oferta generalizada de empregos; elevados índices de violência urbana; processo de favelização; c) baixa intensidade de migração campo-cidade; expansão lenta e antiga; elevados índices de violência urbana; d) elevados investimentos em infra-estrutura urbana em áreas periféricas; expansão rápida e recente; incremento da favelização; e) segregação socioespacial; baixas taxas de crescimento populacional; elevados investimentos em infra-estrutura urbana. (UFF)


Carregar ppt "Rio de Janeiro : evolução urbana da cidade Marcus Vinicius Geografia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google