A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Doenças do inverno Mírian Silva do Carmo. Doenças do Inverno Alvos preferidos Vias respiratórias superiores, Garganta, Ouvidos, Pulmões.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Doenças do inverno Mírian Silva do Carmo. Doenças do Inverno Alvos preferidos Vias respiratórias superiores, Garganta, Ouvidos, Pulmões."— Transcrição da apresentação:

1 Doenças do inverno Mírian Silva do Carmo

2 Doenças do Inverno Alvos preferidos Vias respiratórias superiores, Garganta, Ouvidos, Pulmões.

3 Porque ocorrem? Aumento do ar seco mantém mais partículas de poluição no ar Consequências Se tratadas adequadamente, não têm maior gravidade, embora tragam grande desconforto. Quando se complicam, podem levar à morte.

4 O que fazer? Conhecer as diferenças e ficar de olho nos sintomas. Secreções amareladas ou muito espessas, febre alta, dores fortes na cabeça ou no peito e dificuldades respiratórias Necessidade de tratamento de emergência, algumas vezes com hospitalização.

5 Resfriado O QUE É Em geral, causada por adenovírus ou por rinovírus, mas cerca de 200 variações de microorganismos dão origem a ele. SINTOMAS Ataca principalmente o nariz e a garganta. Espirros, coriza e tosse. A recuperação acontece em dois ou três dias. PREVENÇÃO Exercícios regulares, boa alimentação e descanso. Evite lugares fechados e cheios de gente.

6 Gripe O QUE É Infecção respiratória causada pelo vírus influenza tipos A e B e altamente contagiosa. SINTOMAS Variam conforme mutações sofridas pelo vírus na temporada. Em geral, há um cansaço extremo, febre por dois ou três dias, dores no corpo, de cabeça e na garganta, coriza. PREVENÇÃO Boa alimentação, beber muita água, Fazer exercícios e dormir bem. A vacina também reforça a imunidade.

7 Asma O que é Inflamação, inchaço e estreitamento dos brônquios, o que dificulta a passagem do ar. Sintomas Tosse, chiado na expiração, falta de ar e Sensação de aperto ou opressão no peito, podendo variar de intensidade. Início com crises leves, de pouca duração, que cedem facilmente podendo tornar-se mais intensos e demorados, até se tornarem contínuos. Consequências O ataque não é muito intenso se tratado corretamente, podem ser fatais em cardíacos e grávidas.

8 Bronquite O que é Inflamação dos brônquios e bronquíolos, que provoca inchaço na mucosa e dificulta a passagem do ar. Sintomas Chiado à inspiração e expiração, tosse e produção crônica de secreção. Origem Após quadros de gripe, cigarro, poluição e inalação de gases tóxicos. Nas crianças, que ainda não desenvolveram um sistema imunológico satisfatório, as crises de bronquite geralmente surgem uma atrás da outra, mas agrava- se quando o processo inflamatório fica crônico.

9 Amidalite O que é Inflamação das amídalas Origem Pode ser causada por vírus ou por bactérias. Sintomas Dor de garganta, dor ao engolir, febre, mau hálito e, às vezes, inchaço dos gânglios do pescoço.

10 Otite O que é Infecção bacteriana do ouvido médio, que fica entre o tímpano e o ouvido interno, muito comum em crianças. Origem Normalmente, vírus e bactérias que infectaram a garganta migram até o ouvido e provocam a doença.

11 Rinite O que é Normalmente causada após o contato com poeira, mofo, cheiros fortes, produtos químicos, cigarro, mudanças de temperatura e umidade. O quadro tem evolução crônica, com períodos de melhora e piora. Sintomas Coriza, espirros, coceira no nariz até obstrução nasal. Quase um terço da população brasileira sofre com esta doença, sobretudo no inverno.

12 Sinusite O que é Inflamação da mucosa que reveste os chamados seios da face, cavidades do crânio em torno do nariz, causada por alergias ou infecções virais e bacterianas. Sintomas Dor de cabeça, inchaço nas pálpebras, nariz entupido e dor nos olhos.

13 Pneumonia O que é Origem a partir de infecções virais, bacterianas ou alérgicas. Quase metade dos quadros é causada por vírus. A maior parte deles ataca o aparelho respiratório superior e suas vítimas preferidas são as crianças. Evolução Os pulmões sofrem um processo inflamatório e o espaço ocupado pelo ar é preenchido por líquido e pus. O oxigênio encontra dificuldade em atingir o sangue e, dependendo da gravidade, pode ocasionar falta de ar. Sintomas Febre alta, tosse com fortes dores no peito, catarro e dificuldades para respirar.

14 Atitudes Não use vassoura ou aspirador de pó para limpeza de casa ou escritório Use panos úmidos, evitando quando possível o uso de produtos químicos.

15 Atitudes Beba água Controla a circulação sanguínea, composição das células, músculos e respiração. Mantém as mucosas úmidas e auxilia na barreira que elas criam contra os micro-organismos. Use soro fisiológico nos olhos e no nariz.

16 Atitudes Não compense a falta de água no banho! Os banhos não devem ser muito prolongados (mais de 20 minutos) e a temperatura deve variar entre os 29° a 37°. Banhos escaldantes causam o ressecamento da pele por eliminar, com a ajuda do uso de sabonetes, uma camada protetora e superficial da pele rica em gordura, que serve como proteção.

17 Atitudes Antes de utilizar casacos e blusas de lã tirados do armário lave essas peças, No caso de quem já tem alergias é importante evitar roupas de crochê ou tricô e dar preferência por peças de algodão.

18 Atitudes Fique atento às variações de temperatura. Em casa, no trabalho e em outros locais fechados, é comum sentir calor. Porém, ao sair destes ambientes, a brusca queda de temperatura pode facilitar a ocorrência de doenças. Agasalhe-se antes de sair

19 Atitudes Mantenha a higiene doméstica, evitando o acúmulo de poeira, que desencadeia diversos problemas alérgicos;

20 Atitudes Evite exposição prolongada a ambientes com ar condicionado quente ou frio;

21 Atitudes Durma em local arejado e umedecido. Podem ser utilizados umidificadores de ar, toalhas molhadas ou reservatórios com água nos quartos; Atitudes

22 As pessoas com alergia devem ficar atentas e evitar o uso de cobertores que soltam pêlos. Substituí-los por mantas de tecido sintético ou algodão pode auxiliar na prevenção de rinites e outros quadros alérgicos; Atitudes

23 Atitudes Quem mata a academia no inverno também está mais sujeito às doenças. Os exercícios físicos, sobretudo os aeróbicos, como nadar, correr e caminhar, são especialmente importantes no frio, porque aumentam a capacidade respiratória. Isso ajuda muito quem Tem doenças pulmonares, como asma e bronquite.

24 Atitudes A medida mais simples, que previne todas as doenças infecciosas, respiratórias ou não, é lavar as mãos com frequência. Esse hábito cresceu muito no Brasil no ano passado, depois do surto da Gripe A, e não deve ser abandonado, mesmo com a vacinação.

25 Último conselho A auto-medicação é perigosa! Analgésicos, antialérgico, descongestionante, antitérmicos e até vitamina C não devem ser tomados sem prescrição médica, Risco de efeitos colaterais: é possível que você seja alérgico a algum componente ou ainda, que este remédio mascare algum sintoma que dificulte o diagnóstico real da doença. Segundo a Organização Mundial de saúde, 23% das internações Hospitalares no Brasil estão relacionadas ao mau uso de medicamentos. No mundo, essa taxa é de 10%.


Carregar ppt "Doenças do inverno Mírian Silva do Carmo. Doenças do Inverno Alvos preferidos Vias respiratórias superiores, Garganta, Ouvidos, Pulmões."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google