A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

4T13 – O livro do profeta Isaías Estudo 2 Seu nome será Emanuel Texto Bíblico Isaías 7 a 12 Texto áureo Isaías 7.14 Portanto, o Senhor mesmo nos dará um.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "4T13 – O livro do profeta Isaías Estudo 2 Seu nome será Emanuel Texto Bíblico Isaías 7 a 12 Texto áureo Isaías 7.14 Portanto, o Senhor mesmo nos dará um."— Transcrição da apresentação:

1 4T13 – O livro do profeta Isaías Estudo 2 Seu nome será Emanuel Texto Bíblico Isaías 7 a 12 Texto áureo Isaías 7.14 Portanto, o Senhor mesmo nos dará um sinal: Eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel

2 { Introdução I O Reino Unido de Israel, perdurou de Saul a Roboão. Consolidado com Davi e valorizado com Salomão (1050 a 920 a.C), ele veio a se dividir como vemos no mapa ao lado em dois reinos: o do Norte chamado de Israel, porque ficou com a maior parte do povo (10 tribos) e o do Sul, chamado Judá, que ficou com duas tribos (Judá e Benjamim). A partir do fim do reinado de Roboão, o Reino do Norte veio se influenciando pelo paganismo e com isto vai durar pouco, sendo completamente destroçado pelos assírios em 710 a.C., aos tempos de Isaías em Judá. Samaria Jerusalém

3 { Introdução II Por sua vez o Reino do Sul tinha também os seus problemas, mas era menos infiel a Deus que o do Norte, razão porque vai perdurar por mais 130 anos, tendo em Isaías um dos grandes profetas que lutou por isto. Já no Reino do Norte, que se esfacelava, Elias e Eliseu foram os grandes profetas que procuravam manter o povo fiel a Deus. Isto de nada adiantou e a queda paulatina vai se verificando até que em 710 a.C. nos tempos do reinado de Ezequias em Jerusalém, Isaías vai assistir a queda de Samaria pelos assírios.

4 { Introdução III É neste quadro de grande preocupações que isaías vai exercer o seu ministério profético por quase 60 anos, talvez. Ele vê o que está acontecendo em Jerusalém, o que aconteceu em Samaria e assiste os perigos que estão em volta de Judá, em razão dos povos pagãos que por ali cresciam. Daí as citações que faz de reis e povos vizinhos que vão se defrontar com Judá mais cedo ou mais tarde. Rezim Peca Assíria Senaqueribe

5 Abramos a Palavra de Deus e acompanhemos a leitura dos textos em destaque de cada um dos capítulos, procurando entender e alcançar a mensagem profética neles contida.

6 Isaías – O Deus do profeta: O texto deste capítulo retrata o afastamento do povo de Israel do seu Senhor, o Deus de Davi. Este afastamento é mais visível pela reação de Acaz, filho de Uzias (reis do reino do sul, Judá), diante da invasão com que lhe ameaçavam os reis do reino do norte (Israel), Peca, o penúltimo deles antes da queda de Samária e Rezim, rei da Síria. Isaías, diante do perigo iminente, vai a ele e oferece-lhe um sinal do Senhor sobre a providência a tomar, porém Acaz, desdenha do oferecimento do profeta, não querendo por a prova o poder de Deus (7.1-4) Diante do perigo que estava sobrevindo e da falta de sensibilidade de Judá para o perigo que representava a invasão, Isaías vai receber de Deus a profecia sobre a vinda do Messias, aquela que iria redimir de uma vez por todas o povo fiel ao Senhor ( )

7 Isaías – A fé no poder de Deus 1 Sucedeu, pois, nos dias de Acaz, filho de Jotão, filho de Uzias, rei de Judá, que Rezim, rei da Síria, e Peca, filho de Remalias, rei de Israel, subiram a Jerusalém, para pelejarem contra ela, mas não a puderam conquistar. 2 Quando deram aviso à casa de Davi, dizendo: A Síria fez aliança com Efraim; ficou agitado o coração de Acaz, e o coração do seu povo, como se agitam as árvores do bosque à força do vento. 3 Então disse o Senhor a Isaías: saí agora, tu e teu filho Sear-Jasube, ao encontro de Acaz, ao fim do aqueduto da piscina superior, na estrada do campo do lavandeiro, 44 e dize-lhe: Acautela-te e aquieta-te; não temas, nem te desfaleça o coração por causa destes dois pedaços de tições fumegantes; por causa do ardor da ira de Rezim e da Síria, e do filho de Remalias. Isaías 7.13 – 16 – A mensagem messiânica 13 Então disse Isaías: Ouvi agora, ó casa de Davi: Pouco vos é afadigardes os homens, que ainda afadigareis também ao meu Deus? 14 Portanto o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel. 15 Manteiga e mel comerá, quando ele souber rejeitar o mal e escolher o bem. 16 Pois antes que o menino saiba rejeitar o mal e escolher o bem, será desolada a terra dos dois reis perante os quais tu tremes de medo.

8 Isaías – Um texto contundente O texto do capítulo 8 é como uma conclusão aos fatos que o profeta anunciou no capítulo 7 que lemos ontem. Nem Israel que vai se valer de auxílio dos homens (Acaz se volta para pedir ajuda à Assíria diante da invasão de Peca, rei de Israel e de Rezim, rei da Síria), nem esses dois também, serão bem sucedidos. Os reinos de Israel, Síria e Judá vão entrar em ruína, imediata (o caso de Israel), e um pouco mais distante, o caso de Judá, mas o fato que fica evidente, segundo o profeta, é que o Senhor Deus é que deveria ser temido pelo seu povo e seus dirigentes e não os homens ou os reinos vizinhos. A palavra de Deus com respeito ao que sucederia aos dois povos que se juntavam contra Judá é categórica: "antes que o menino saiba dizer meu pai ou minha mãe, se levarão as riquezas de Damasco (capital da Síria, reino de Rezim), e os despojos de Samária (capital de Israel, reino de Peca)". Ou seja, antes de um ano, aproximadamente, os dois reinos cairiam diante do poder maior que se alevantava mais ao Oriente, o reino da Assíria.

9 Isaías – As predições contra inimigos e contra Judá 1 Disse-me também o Senhor: Toma uma tábua grande e escreve nela em caracteres legíveis: Maer-Salal-Has-Baz; 2 tomei pois, comigo fiéis testemunhas, a Urias sacerdote, e a Zacarias, filho de Jeberequias. 3 E fui ter com a profetisa; e ela concebeu, e deu à luz um filho; e o Senhor me disse: Põe-lhe o nome de Maer-Salal-Has-Baz. 4 Pois antes que o menino saiba dizer meu pai ou minha mãe, se levarão as riquezas de Damasco, e os despojos de Samária, diante do rei da Assíria. Isaías – A predição contra advinhos e feiticeiros 19 Quando vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os feiticeiros, que chilreiam e murmuram, respondei: Acaso não consultará um povo a seu Deus? acaso a favor dos vivos consultará os mortos? 20 A Lei e ao Testemunho! se eles não falarem segundo esta palavra, nunca lhes raiará a alva. 21 E passarão pela terra duramente oprimidos e famintos; e, tendo fome, se agastarão, e amaldiçoarão o seu rei e o seu Deus, olhando para o céu em cima; 22 e para a terra em baixo, e eis aí angústia e escuridão, tristeza da aflição; e para as trevas serão empurrados.

10 Isaías A visão do Messias Em meio a escuridão espiritual em que vivia o povo de Deus aos tempos de Isaías, tanto no reino do Norte quando no reino do Sul, o profeta vai apresentar o brilho de uma luz que deveria conduzir sempre aqueles que confiam no Senhor. Infelizmente, mesmo o povo de Deus hoje, se deixa muitas vezes envolver pela tribulação do mundo ao redor, perdendo de vista a luz que vem dos céus e que além de nos iluminar o caminho a seguir, pode nos preservar dos perigos nele presentes e à espreita do incauto. Isaías apresenta ao povo de Judá, 700 anos antes a luz que iria brilhar da mangedoura em Belém. Ele aponta para aquele que vindo ao mundo, poderia passar a ser para os homens, o "maravilhoso conselheiro, Deus forte, Pai da eternidade e Príncipe da paz". Bastaria que aquele povo cresse neste Senhor Jesus, o filho de Deus humanado, para que a luz viesse a brilhar sobre eles.

11 Isaiás – A visão do Messias A queda do Reino do Norte 1 Mas para a que estava aflita não haverá escuridão. Nos primeiros tempos, ele envileceu a terra de Zebulom, e a terra de Naftali; mas nos últimos tempos fará glorioso o caminho do mar, além do Jordão, a Galiléia dos gentios. 2 O povo que andava em trevas viu uma grande luz; e sobre os que habitavam na terra de profunda escuridão resplandeceu a luz. 3 Tu multiplicaste este povo, a alegria lhe aumentaste; todos se alegrarão perante ti, como se alegram na ceifa e como exultam quando se repartem os despojos. 4 Porque tu quebraste o jugo da sua carga e o bordão do seu ombro, que é o cetro do seu opressor, como no dia de Midiã. 5 Porque todo calçado daqueles que andavam no tumulto, e toda capa revolvida em sangue serão queimados, servindo de pasto ao fogo. 6 Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai Eterno, Príncipe da Paz. 7 Do aumento do seu governo e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o estabelecer e o fortificar em retidão e em justiça, desde agora e para sempre; o zelo do Senhor dos exércitos fará isso.

12 Isaías Esse capítulo do livro do profeta é um verdadeiro libelo contra a opressão e a crueldade exercida pelos poderosos sobre os mais fracos e oprimidos. Embora ao final do capítulo o autor se volte mais para a ruína da Assíria, em consequência ao mal que estaria levando a todos os povos ao redor com as suas guerras de conquista e usurpação, fica claro que sua palavra é uma advertência a todos aqueles que praticam a maldade contra os desamparados e miseráveis. A palavra do Senhor é de advertência. Cedo ou tarde aqueles que se beneficiam desses esquemas fraudulentos são descobertos e a vergonha se derrama sobre a nação, e a justiça ainda que falha e lenta, infelizmente em nosso país é assim, vai se exercer, punindo os culpados ou lançando-os à execração pública.

13 Isaías – Predições contra Judá e contra a Assíria 1 Ai dos que decretam leis injustas, e dos escrivães que escrevem perversidades; 2 para privarem da justiça os necessitados, e arrebatarem o direito aos aflitos do meu povo; para despojarem as viúvas e roubarem os órfãos! 3 Mas que fareis vós no dia da visitação, e na desolação, que há de vir de longe? a quem recorrereis para obter socorro, e onde deixareis a vossa riqueza? 4 Nada mais resta senão curvar-vos entre os presos, ou cair entre os mortos. Com tudo isso não se apartou a sua ira, mas ainda está estendida a sua mão. 10 Do mesmo modo que a minha mão alcançou os reinos dos ídolos, ainda que as suas imagens esculpidas eram melhores do que as de Jerusalém e de Samária. 11 como fiz a Samária e aos seus ídolos, não o farei igualmente a Jerusalém e aos seus ídolos? 12 Por isso acontecerá que, havendo o Senhor acabado toda a sua obra no monte Sião e em Jerusalém, então castigará o rei da Assíria pela arrogância do seu coração e a pomba da altivez dos seus olhos.

14 Isaías – A visão do Reino do Messias Diante do triste quadro retratado no capítulo anterior onde o profeta vislumbra o castigo que sobreviria a Israel, e a futura queda também de Babilônia, com a volta de um remanescente do povo de Deus à Jerusalém devastada, Isaías avança 7 séculos à frente e começa a vislumbrar a chegada do reino do Messias. A mão do Senhor o fará: "Então brotará um rebento do toco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará." Is 11.1 A visão é de Cristo. Este "rebento do toco" de Jessé (a família do pai do rei Davi) e este "renovo" que frutificará das raízes (a descendência de Abraão, que era visto como o pai da fé para o povo de Israel, daí a citação à raiz), era a visão do próprio Cristo que, como o broto que nasce junto ao tronco e se transforma em flor que floresce e logo se torna fruto, é a visão mais poética e bucólica da imagem do Senhor Jesus surgindo para a instauração do seu reino.

15 Isaáis – O Reino de paz e harmonia do Messias 1 Então brotará um rebento do toco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará. 2 E repousará sobre ele o Espírito do Senhor, o espírito de sabedoria e de entendimento, o espírito de conselho e de fortaleza, o espírito de conhecimento e de temor do Senhor. 3 E deleitar-se-á no temor do Senhor; e não julgará segundo a vista dos seus olhos, nem decidirá segundo o ouvir dos seus ouvidos; 4 mas julgará com justiça os pobres, e decidirá com eqüidade em defesa dos mansos da terra; e ferirá a terra com a vara de sua boca, e com o sopro dos seus lábios matará o ímpio. 5 A justiça será o cinto dos seus lombos, e a fidelidade o cinto dos seus rins. 6 Morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará; e o bezerro, e o leão novo e o animal cevado viverão juntos; e um menino pequeno os conduzirá. 7 A vaca e a ursa pastarão juntas, e as suas crias juntas se deitarão; e o leão comerá palha como o boi. 8 A criança de peito brincará sobre a toca da áspide, e a desmamada meterá a sua mão na cova do basilisco. 9 Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte; porque a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar.

16 Isaías – Deus é louvado pela restauração do seu povo A frase que abre o capítulo 12 é quase que como uma continuação à que encerra o capítulo 11: "como houve (alegria) para Israel no dia em que subiu da terra do Egito"... "dirás, pois, naquele dia: Graças te dou, ó Senhor". Sim, este capítulo é um hino de gratidão a Deus pelo que suscitou ao seu opressor (c.10) e pelo que trouxe de bênção para o seu povo (c.11). É o menor capítulo do livro profético e é um verdadeiro hino de louvor e ação de graças. Todos os seus versículos são evocativos da bênção do Senhor sobre o seu povo e por isso mesmo, motivos de gratidão e de exaltação. Esta é a mensagem de Isaías para o crente de ontem e de hoje. Salvos que fomos pelo poder de Deus, por meio da graça de Cristo, devemos pautar a nossa vida, por tirar sempre água, alimento, proteção, conforto, bem estar, desta fonte inesgotável da salvação que é Jesus. Aquele povo, deveria daquele momento em diante, nunca mais voltar-se para encontrar apoio nos reinos vizinhos

17 Isaías – O louvor ao Deus Salvador 1 Dirás, pois, naquele dia: Graças te dou, ó Senhor; porque, ainda que te iraste contra mim, a tua ira se retirou, e tu me confortaste. 2 Eis que Deus é a minha salvação; eu confiarei e não temerei porque o Senhor, sim o Senhor é a minha força e o meu cântico; e se tornou a minha salvação. 3 Portanto com alegria tirareis águas das fontes da salvação. 4 E direis naquele dia: Dai graças ao Senhor, invocai o seu nome, fazei notórios os seus feitos entre os povos, proclamai quão excelso é o seu nome. 5 Cantai ao Senhor; porque fez coisas grandiosas; saiba-se isso em toda a terra. 6 Exulta e canta de gozo, ó habitante de Sião; porque grande é o Santo de Israel no meio de ti.

18 Conclusão 1. Será que como crentes de hoje temos a coragem de Isaías em testemunhar diante de um mundo hostil? 2. Será que como Isaías estamos proclamando as boas novas de salvação? 3. Como estamos nos comportando diante da opressão do mundo? 4. Que gurus, líderes, estamos consultando diante de um Deus que exige a nossa fidelidade a ele? 5. Você consegue vislumbrar o reino de Deus em meio a este mundo tão conturbado em que nos encontramos? 6. Como agir para mostrar a diferença que existe (?) em nós? 7. No mundo moderno existem a Samaria, a Assíria, a Babilônia influenciando o povo de Deus? 8. Qual a sua atitude como crente?


Carregar ppt "4T13 – O livro do profeta Isaías Estudo 2 Seu nome será Emanuel Texto Bíblico Isaías 7 a 12 Texto áureo Isaías 7.14 Portanto, o Senhor mesmo nos dará um."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google