A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O protestantismo no Brasil. O termo protestante As bases da Reforma Protestante (século 16): crítica a alguns princípios do catolicismo. No início, os.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O protestantismo no Brasil. O termo protestante As bases da Reforma Protestante (século 16): crítica a alguns princípios do catolicismo. No início, os."— Transcrição da apresentação:

1 O protestantismo no Brasil

2 O termo protestante As bases da Reforma Protestante (século 16): crítica a alguns princípios do catolicismo. No início, os reformadores não queriam se separar da Igreja Católica. A ideia foi surgindo no decorrer dos movimentos de contestação. Alguns dos reformadores: Lutero – Alemanha - luteranismo Calvino – Suíça - calvinismo Henrique VIII – Inglaterra - anglicanismo O termo surgiu posteriormente, para denominar as crenças e os indivíduos que protestaram contra algumas doutrinas católicas.

3 Exemplo de uma igreja protestante nos EUA Compare uma Igreja Católica com essa Igreja Protestante. Você consegue encontrar alguma semelhança ou diferença?

4 A inserção do protestantismo no Brasil – primeiras tentativas As duas primeiras tentativas de inserção do protestantismo, ocorrida no período colonial, não obtiveram sucesso, pois, além dos estrangeiros serem considerados invasores pela Coroa Portuguesa, eles não adquiriram o direito e espaço para a legitimação de suas crenças. 1ª tentativa: Século 16 – Calvinistas franceses (huguenotes) tentativa de fundar uma colônia na baía da Guanabara, com o apoio dos comerciantes franceses 2ª tentativa: Século 17 – Calvinistas holandeses, no nordeste da América Portuguesa, vindos para explorar o açúcar foram expulsos da América Portuguesa Huguenotes na região do Maranhão: fundaram a França Equinocial no Maranhão

5 Maranhão Baía de Guanabara, Rio de Janeiro Nordeste

6 O protestantismo durante o Império Antecedentes com a vinda da Família Real e a abertura dos portos (sobretudo à Inglaterra), em 1808, o país teve que ser mais tolerante com os grupos protestantes, visto que grande parte dos ingleses (e das outras nações) era evangélica.

7 A Constituição do Império (1824): Art. 5. A Religião Catholica Apostolica Romana continuará a ser a Religião do Imperio. Todas as outras Religiões serão permitidas com seu culto domestico, ou particular em casas para isso destinadas, sem fórma alguma exterior do Templo. V. Ninguem póde ser perseguido por motivo de Religião, uma vez que respeite a do Estado, e não offenda a Moral Publica. Vamos problematizar um pouco? Como você avaliaria a Constituição de 1824 em relação à abertura do campo religioso no Brasil? Fonte:

8 A vinda dos protestantes no século 19 Primeira metade do século 19 (protestantismo de imigração): vinda esparsa de grupos protestantes. Não tinham um projeto de evangelização consolidado. Muitos queriam apenas exercer sua liberdade religiosa no Brasil, sem ganhar mais adeptos. Os estrangeiros protestantes que chegaram nos primeiros tempos foram americanos, suecos, dinamarqueses, escoceses, franceses e especialmente alemães e suíços, de tradição luterana e reformada.

9 A vinda dos protestantes no século 19 Protestantismo missionário, : consolidação de um projeto proselitista (divulgação da religião) a partir, sobretudo, dos missionários norte- americanos que adentravam os solos brasileiros. Eles vinham ao Brasil com a intenção de divulgar a doutrina evangélica, e não apenas para viver em comunidades.

10 Os metodistas A Igreja Metodista Episcopal foi a primeira denominação a iniciar atividades missionárias junto aos brasileiros ( ). Seus obreiros iniciais foram Fountain E. Pitts, Justin Spaulding e Daniel Parish Kidder. Eles fundaram no Rio de Janeiro a primeira escola dominical do Brasil. Também atuaram como capelães da Sociedade Americana dos Amigos dos Marinheiros, fundada em Ação proselitista: venda de bíblias em várias regiões do Brasil Fonte:

11 Os batistas Os primeiros missionários da Igreja Batista, Thomas Jefferson Bowen e sua esposa ( ), não foram bem sucedidos. Em 1871, os imigrantes batistas de Santa Bárbara organizaram duas igrejas. Os primeiros missionários junto aos brasileiros foram William Buck Bagby, Zachary Clay Taylor e suas esposas (chegados em ). O primeiro membro e pastor batista brasileiro foi o ex- padre Antônio Teixeira de Albuquerque, que já estivera ligado aos metodistas. Em 1882 o grupo fundou a primeira igreja brasileira em Salvador, na Bahia. A Convenção Batista Brasileira foi criada em 1907 Fonte:

12 Os presbiterianos Os missionários pioneiros da Igreja Presbiteriana foram Ashbel Green Simonton (1859), Alexander Latimer Blackford (1860) e Francis Joseph Christopher Schneider (1861). As primeiras igrejas organizadas foram as do Rio de Janeiro (1862), São Paulo (1865) e Brotas (1865). Duas importantes realizações iniciais foram o jornal Imprensa Evangélica ( ) e o Seminário do Rio de Janeiro ( ). O primeiro pastor evangélico brasileiro foi o ex- sacerdote José Manoel da Conceição, ordenado em 17 de dezembro de Em 1870, os presbiterianos fundaram em São Paulo a Escola Americana (atual Universidade Mackenzie). Em 1888, foi organizado o Sínodo do Brasil, que marcou a autonomia eclesiástica da Igreja Presbiteriana do Brasil. Fonte:

13 O destaque da ação missionária dos presbiterianos Foram um dos grupos de protestantes de maior destaque no Brasil Império e na Primeira República, devido às estratégias proselitistas adotadas Ações dos missionários: Atuavam, sobretudo, nas áreas rurais (onde a Igreja Católica não conseguia estar presente a todo tempo) Locais onde o presbiterianismo se destacou: interior de São Paulo e sul de Minas regiões onde se cultivava o café Criação de escolas protestantes (a leitura era essencial, visto que no protestantismo a Bíblia é o centro da doutrina) Usavam da oralidade e não só da leitura ou distribuição de bíblias para a conversão das pessoas (isso era mais coerente com a realidade educacional do Brasil no Império e na Primeira República) Levar a fé e a cultura americana (american way of life) para os países não- protestantes

14 Ashbel Green Simonton Ashbel Green Simonton ( ), o fundador da Igreja Presbiteriana do Brasil, nasceu em West Hanover, no sul da Pensilvânia [...] Concluídos os estudos, foi ordenado em 1859 e chegou ao Brasil no dia 12 de agosto do mesmo ano. Pouco depois de organizar a Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro (12/01/1862), o jovem missionário seguiu em viagem de férias para os Estados Unidos, vindo a casar-se com Helen Murdoch, em Baltimore. Regressaram ao Brasil em julho de No final de junho do ano seguinte, Helen faleceu nove dias após o nascimento da sua filhinha, que recebeu o seu nome. Helen Murdoch Simonton, a filha única do Rev. Simonton, nunca se casou e faleceu aos 88 anos no dia 7 de janeiro de Com o passar dos anos, Simonton criou o jornal Imprensa Evangélica (1864), organizou o Presbitério do Rio de Janeiro (1865) e fundou o Seminário Primitivo (1867), este último localizado em um edifício de vários pavimentos junto ao Campo de Santana. Fonte:

15 A primeira Constituição republicana (1891): Todos os indivíduos e confissões religiosas podem exercer pública e livremente o seu culto, associando-se para esse fim e adquirindo bens, observadas as disposições do direito comum. § 4º - A República só reconhece o casamento civil, cuja celebração será gratuita. § 5º - Os cemitérios terão caráter secular e serão administrados pela autoridade municipal, ficando livre a todos os cultos religiosos a prática dos respectivos ritos em relação aos seus crentes, desde que não ofendam a moral pública e as leis. § 6º - Será leigo o ensino ministrado nos estabelecimentos públicos. § 7º - Nenhum culto ou igreja gozará de subvenção oficial, nem terá relações de dependência ou aliança com o Governo da União ou dos Estados. Vamos problematizar um pouco? Como você avaliaria a Constituição de 1891 em relação à abertura do campo religioso no Brasil? Compare a Constituição de 1824 com esta. Você consegue notar alguma diferença? Fonte:

16 Os dois grandes momentos da inserção do protestantismo no Brasil Brasil Império: momento de chegada dos missionários, processo de instalação e início da atividade missionária República: consolidação e crescimentos dos grupos protestantes, sobretudo dos presbiterianos

17 Por que o protestantismo se consolidou e cresceu somente a partir da Primeira República? Você consegue identificar um fator que contribuiu para esse aumento?

18 Os evangélicos no Brasil contemporâneo Não existe uma, mas várias igrejas evangélicas espalhadas pelo Brasil. Cada uma mantém sua especificidade, porém todas possuem uma raiz em comum, seja com o luteranismo, calvinismo, ou com outra corrente reformada.

19 Protestantismo de missão (ou histórico) Presbiterianos Batistas Episcopais Metodistas Congregacionais Luteranos

20 Pentecostais Congregação Cristã no Brasil Assembleia de Deus Deus é amor Igreja do Evangelho Quadrangular

21 Neopentecostais Igreja Universal do Reino de Deus Igreja Internacional da Graça de Deus Igreja Renascer em Cristo Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra Igreja Mundial do Poder de Deus

22 Você conhece alguma dessas igrejas? Consegue perceber as diferenças e semelhanças entre elas? Tem alguma dessas denominações na sua cidade?

23 São tantas denominações! Infelizmente seria impossível estudarmos cada uma delas. Que tal fazermos uma pesquisa sobre essas diferentes correntes evangélicas?

24 O importante é conhecermos e respeitarmos cada uma dessas práticas religiosas, afinal, todos temos o direito de expressarmos nossa fé da maneira que escolhermos

25 Referências MENDONÇA, Antonio Gouvêa. O Celeste Porvir: a Inserção do Protestantismo no Brasil. 3. ed. São Paulo: EDUSP, RIBEIRO, Boanerges. Protestantismo e cultura brasileira. São Paulo: Casa Editora Presbiteriana, 1981 Sites:


Carregar ppt "O protestantismo no Brasil. O termo protestante As bases da Reforma Protestante (século 16): crítica a alguns princípios do catolicismo. No início, os."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google