A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Vacina Anti-Influenza Estágio Atual Cristina Rodrigues da Cruz Professora Titular de Pediatria Universidade Federal do Paraná

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Vacina Anti-Influenza Estágio Atual Cristina Rodrigues da Cruz Professora Titular de Pediatria Universidade Federal do Paraná"— Transcrição da apresentação:

1 Vacina Anti-Influenza Estágio Atual Cristina Rodrigues da Cruz Professora Titular de Pediatria Universidade Federal do Paraná

2 Família ortomixovirus Vírus RNA Tipos A, B e C Doença em humanos = A e B Subtipos vírus A Hemaglutinina H1 a H16 Neuraminidase N1 a N9 VIRUS INFLUENZA

3 Belém (Instituto Evandro Chagas) Rio de Janeiro (Fundação Oswaldo Cruz) São Paulo (Instituto Adolfo Lutz) Composição da vacina para o Hemisfério Sul, A/California/7/2009 (H1N1) A/Perth/16/2009 (H3N2) B/Brisbane/60/2008 Atlanta(CDC) Genebra (OMS) INFLUENZA SAZONAL Rede Laboratorial (Vigi-gripe)

4 INFLUENZA SAZONAL Doença própria do ser humano e se apresenta principalmente durante os meses de inverno (sazonal) Seus sintomas são similares aos do resfriado comum porém muito mais intensos Transmite quando o vírus da GRIPE entra ao organismo pelos olhos, nariz, e/ou a boca

5 INFLUENZA – REARRANJO ANTIGÊNICO

6 Quem pode ser mais afetado pela influenza sazonal? Tem a capacidade de afetar a todas as pessoas São mais suscetíveis de sofrer complicações: Crianças menores de 5 anos Adultos maiores de 65 anos Pessoas com doenças crônicas Crianças: Maior freqüência de infecção Maior disseminação

7 Hospitalizações por influenza (sazonal) Am Rev Respir Dis 1987,136(3):550-5 NEJM 2000, 342: J Ped 2000,137: pessoas/grupo

8 INFLUENZA – REARRANJO ANTIGÊNICO

9 Novo subtipo detectado em abril de 2009: A/California/04/2009 (A/H1N1) Mutações e recombinações entre vírus influenza aviários – humanos – suínos... Ave Outros Animais RECOMBINAÇÃO GENÉTICA NOVO SUBTIPO RISCO DE PANDEMIA Homem H1N2 H5N1

10 Que conseqüências têm uma pandemia de qualquer influenza? grande número de pessoas doentes Uma forte crise econômica e social Decréscimo e inclusive paradas nos setores de trabalho, escolas, empresas, etc. Superlotação dos serviços de saúde pelo grande número de pacientes

11 Pandemias de influenza AnoNomeVirusMortes 1918 GRIPE Espanhola Influenza A (H1N1) 50 milhões[1] 1957GRIPE AsiáticaInfluenza A (H2N2)2 milhões 1968GRIPE de Hong KongInfluenza A (H3N2)1 milhão 2009Influenza A PandêmicoInfluenza A (H1N1)

12 GRIPE ESPANHOLA

13 Pandemia de 2009 Iniciou em 15 de abril 2009 Rearranjo quadruplo do H1N1 contendo genes de 4 fontes diferentes Estimativas do CDC milhões casos (abril 2009-abril 2010) Maior incidência em pré-escolares hospitalizações óbitos 90% com condições de risco

14 Fatores de Risco para Gravidade pelo H1N1pdm Maior risco de hospitalização < 5 anos e entre 5-14 anos (RR 3.3 e 3.2) Maior risco de óbito anos e > 65 anos (RR 1.5 e 1.6) Proporção de pacientes > 1 condição crônica aumentou com a gravidade: Hospitalização: 31,1% Admitidos em UTI: 52,3% Óbitos: 61,8% Obesidade mórbida: Maior risco para admissão em UTI e óbito (RR: 36,3)

15 Paediatr Respir Rev 2003;4(2) MMWR, 2007/56(RR06);1-54 Único vírus respiratório para o qual se dispõe de vacina Vacina Principal medida para a profilaxia Antivirais adjuvantes Tipos de vacinas: Vírus Inativado Vírus Atenuado Vacina contra influenza cepas A (H1N1 e H3N2) cepa B

16 Vacinas Inativadas Vírus inteiros – mais reatogênicas Fracionadas ou split – fragmentadas ou subunitárias Bom perfil segurança Fragmentadas mais imunogênicas Virossomais – antígenos de superfície incorporados a partículas virossomais com função de adjuvante Vacinas contra influenza

17 Disponíveis no Brasil Inativadas FRAGMENTADAS (IM, SC, ID) Vacinas contra influenza

18 PERÍODO DE INVERNO Máxima circulação do vírus da gripe Vacinação Vacina altamente eficaz para prevenção da gripe SEMANAS Detecção de anticorpos protetores 4 -6 SEMANAS Nível máximo de anticorpos séricos Duração da proteção 1 ano Vacinação Outono Inverno Máximo de Máxima Circulação Anticorpos do vírus da gripe

19 Vacina contra influenza MMWR, 2007/56(RR06);154 Pediatrics 2007; 119(4):740-8 Am J Med 2008;121(4): IdadeQuantidadeNúmero doses 06 meses - 03 anos0,25 ml01 ou 02* 03 anos - 08 anos0,5 ml01 ou 02* 09 anos0,5 ml01 Aplicação – SC ou IM *intervalo 1 mês Inativada e fragmentada não causa GRIPE Eventos adversos leves

20 Pediatr Infect Dis j 2004;23(11 Suppl):S MMWR, 2007/56(RR06);1-54 Considerar Vacina contra influenza - Eficácia Idade Situação imunológica Similaridade vírus vacina – circulante Crianças 30-90% Adultos saudáveis 80-90% > 65 anos 30-40%

21 Indicações MMWR, 2007/56(RR06);154 Pediatrics 2008; 121(4):e Pediatrics 2012; 129, Suppl 2: S54-62 Quem pode tomar Qualquer indivíduo que deseje evitar gripe Quem deve tomar (AAP e CDC) Crianças saudáveis de 6m a 18 anos Contatos domiciliares e extra domiciliares Crianças com alto risco Qualquer indivíduo > 6 meses com comorbidade Gestantes durante estação influenza Profissionais de saúde > 50 anos

22 Indicações - Brasil Indicação: Prioridades para a vacinação contra influenza nos CRIE: Transplantados de órgãos sólidos e medula óssea; Doadores de órgãos sólidos e MO cadastrados nos programas de doação; Imunodeficiências congênitas; HIV/aids; Imunodepressão devido a câncer ou imunossupressão terapêutica; Comunicantes domiciliares de imunodeprimidos; Profissionais de saúde; Cardiopatias crônicas; pneumopatias crônicas Asplenia anatômica ou funcional e doenças relacionadas; Diabetes mellitus; Fibrose cística; Trissomias; Implante de cóclea; Asma; Doenças neurológicas crônicas incapacitantes; Usuários crônicos de ácido acetil salicílico; Nefropatia crônica / síndrome nefrótica; Hepatopatias crônicas.

23 Vacina atenuada adaptada ao frio Trivalente / vírus vivo atenuado (FluMist ® ) Mesmas cepas que a inativada Anual Administração Spray nasal Indicação Indivíduos saudáveis de 2 a 49 anos Eficácia 87 a 92% Peculiaridades na conservação – alteração produto MMWR, 2003 / 52(RR13) MMWR, 2007 / 56(RR06);1-54

24 Novas Opções Vacina Influenza com altas doses Proteção relaciona-se com a concentração de anticorpos anti-HÁ Objetivo – melhorar a resposta imune em idosos Mais eventos adversos Licenciada pelo FDA para uso em > 65 anos Recomendação sob prescrição P&D, v.36, n.10, 2011

25 Novas Opções Vacina Influenza Intradérmica Sistema de microagulha Apresenta o antígeno diretamente nas células dendríticas da pele inicia a resposta imune. Resposta imune adequada Eventos adversos locais e febre mais frequente que as vacinas comuns Licenciada pelo FDA (maio 2011) – 18 a 64 anos P&D, v.36, n.10, 2011

26 Vacina Influenza Intradérmica Volume reduzido 0,1 ml Agulha 10x menor Licenciada no Brasil para uso entre 18 e 59 anos

27 Em investigação Influenza vacina Intradérmica para Idosos Concentrações maiores de antígenos Influenza Aviária H5N1 Licenciada na Europa H5N1 A/Vietnam/1194/04 + Adjuvante ASO3 Adultos >18 anos Em fase 3: H5N1 A/Indonesia/05/ Adjuvante ASO3 Adultos anos P&D, v.36, n.10, 2011

28 Não esquecer: Profissionais da Saúde Doentes crônicos (CRIES)


Carregar ppt "Vacina Anti-Influenza Estágio Atual Cristina Rodrigues da Cruz Professora Titular de Pediatria Universidade Federal do Paraná"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google