A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A influência da política e da economia na comunicação (Por Oona Brant, Marcel Gomes e Rodrigo Ratier) Rodrigo Ratier Curso de Difusão.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A influência da política e da economia na comunicação (Por Oona Brant, Marcel Gomes e Rodrigo Ratier) Rodrigo Ratier Curso de Difusão."— Transcrição da apresentação:

1 A influência da política e da economia na comunicação (Por Oona Brant, Marcel Gomes e Rodrigo Ratier) Rodrigo Ratier Curso de Difusão Cultural

2 A PERGUNTA FUNDAMENTAL Quem são os donos da mídia? –Quais são seus interesses? Políticos Econômicos Culturais

3 O DIAGNÓSTICO FUNDAMENTAL Qual a situação política, econômica e cultural dos meios de comunicação no Brasil e no mundo?

4 A RESSALVA FUNDAMENTAL O ataque ao determinismo –Descobrir interesses políticos, econômicos e culturais explica parte do discurso da mídia, mas não todo o seu discurso –Descobrir esses interesses não significa respaldar o discurso de que existe manipulação (moldar com a mão)

5 O CONFLITO FUNDAMENTAL JORNALISMO X CAPITALISMO

6 Categorias do Jornalismo Interesse público Honestidade intelectual Independência crítica Categorias da Empresa Interesse privado Obtenção de lucro Competição

7 OS CONFLITOS DO CAPITALISMO 1)Posse da empresa (dos meios de produção) Interesses políticos Interesses econômicos Interesses culturais 2) Sustentabilidade da empresa Publicidade Venda em banca/assinatura Apoio institucional

8 OS CONFLITOS DO CAPITALISMO Tendência atual: a concentração de propriedade CAPITALISMO MONOPOLISTA GLOBALIZADO Fusões, megacorporações, concentração de propriedade

9 TIPOS DE CONCENTRAÇÃO HORIZONTAL: monopólio/oligopólio em uma mesma área VERTICAL: controle por um só grupo de todas as etapas do processo de produção e distribuição PROPRIEDADE CRUZADA: detenção de vários meios de comunicação por um mesmo conglomerado CONCENTRAÇÃO EM CRUZ: reprodução da propriedade cruzada em nível local ou regional

10 CONCENTRAÇÃO INTERNACIONAL companhias respondiam por 90% do faturamento com informação e entretenimento 1990 menos de 25 companhias controlam os mesmos 90%

11 CONCENTRAÇÃO INTERNACIONAL Agências de informação: o domínio das cinco irmãs –France Presse (FRA) –United Press International (EUA) –Associated Press (EUA) –Reuters (ING) –Ansa (ITA) Elas controlam a maior parte das informações veiculadas no mundo

12 BRASIL: LEGISLAÇÃO § 5º do artigo 220 da Constituição Brasileira que deveria impedir oligopólio dos meios de comunicação art. 221: criaria exigências mínimas de programação para emissoras de rádio e televisão Mas não há regulamentação

13 CONCENTRAÇÃO NO BRASIL No Brasil, a concentração de propriedade é anterior ao processo de globalização –Diários Associados. Chatô, o nosso Cidadão Kane

14 CONCENTRAÇÃO NO BRASIL Quadro atual: 9 famílias/clãs controlam mais de 90% de toda a comunicação social brasileira (jornais, revistas, rádios e redes de televisão com mais de 90% da circulação, audiência e produção de informações).

15 FAMÍLIAS CONTROLADORAS

16 OS CONFLITOS DO CAPITALISMO A concentração de propriedade tem matizes políticas e econômicas. Vamos conhecê-las.

17 CONCENTRAÇÃO DE PROPRIEDADE (política) Rádio e televisão: o coronelismo eletrônico

18 CONCENTRAÇÃO DE PROPRIEDADE (economia) Dependência de anúncios governamentais Endividamento Murdochização Entrada do capital estrangeiro (lei dos 30%)

19 CONCENTRAÇÃO (o discurso legitimador) A mídia legitimou todo o processo de globalização baseada na modernização, da infalibilidade do fenômeno, na necessidade de mudança; Mídia passou a denunciar fusões que constituiriam monopólios/oligopólios (ex. cerveja, chocolate, empresas de aviação) Mídia não fala sobre si mesma – exceto quando para defender suas ações

20 CONCENTRAÇÃO (a censura privada) Mas as empresas defendem a liberdade de imprensa no sentido de liberdade de empresa Isso colide com o direito à comunicação Censura privada talvez seja a mais perversa das censuras Liberdade das empresas - abuso do poder (no caso de rádios e TVs, as concessões são públicas)

21 O QUE FAZER? Sendo assim: quem controla a mídia? Se há fusões que geram oligopólios no setor, quem denuncia? Necessidade de controle público (em oposição à censura). Mídia rechaça qualquer tipo de controle público alegando liberdade de imprensa e combate à censura

22 O QUE FAZER? Direito à comunicação - articulação e luta conjunta com diversos setores da sociedade Efetivação de controle público Leitura Crítica Ampliação de veículos comunitários Internet


Carregar ppt "A influência da política e da economia na comunicação (Por Oona Brant, Marcel Gomes e Rodrigo Ratier) Rodrigo Ratier Curso de Difusão."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google