A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Planejamento Estratégico Prof. Ms. Flávio Foguel

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Planejamento Estratégico Prof. Ms. Flávio Foguel"— Transcrição da apresentação:

1 Planejamento Estratégico Prof. Ms. Flávio Foguel

2 Diagnóstico Situacional Ambiente Externo

3 Processo Estratégico Etapas do Processo Estratégico Diagnóstico Situacional Implementação Estratégica Formulação Estratégica Análise Competitiva Controle Estratégico

4 Diagnóstico Situacional AMBIENTE INTERNO Estrutura Cultura Recursos AMBIENTE SETORIAL MACROAMBIENTE EXTERNO Fornecedores Concorrentes Clientes Forças Econômicas Forças Tecnológicas Forças Sócio Culturais Forças Político-Legais

5 Análise do Ambiente Externo MACROAMBIENTE SETOR OPORTUNIDADES E AMEAÇAS

6 O Macroambiente Toda empresa existe dentro de uma complexa rede de forças ambientais. Todas as empresas são afetadas por tendências e sistemas político-legais, econômicos, tecnológicos e sociais. Juntos, esses elementos formam o macroambiente das empresas. Como essas forças são muito dinâmicas, suas constantes mudanças criam milhares de oportunidades e ameaças ou restrições para os administradores estratégicos. (WRIGHT, P.; KROLL, M.; PARNELL, J, 2007)

7 Ambiente Externo Forças Macroambientais ECONÔMICAS: Tendências no PIB; Taxas de Juros; Oferta de Capital; Taxas de Inflação; Níveis de Desemprego; Distribuição de Renda; Controles de salários/preços/crédito; Taxa de Câmbio; Disponibilidade e Custo de Energia; Renda Disponível.

8 Ambiente Externo Forças Macroambientais TECNOLÓGICOS: Total de investimento do Governo em P&D; Total de investimento do Setor em P&D; Foco nos esforços tecnológicos; Proteção a patentes; Novos produtos; Novos avanços em transferência de tecnologia dos laboratórios p/ mercado; Melhoras na produtividade resultantes da automação.

9 Ambiente Externo Forças Macroambientais POLÍTICO LEGAIS: Regulamentos antitruste; Leis de proteção ambiental; Legislação Tributária; Incentivos Especiais; Regulamento de Comércio Exterior; Atitudes em relação a empresas estrangeiras; Leis trabalhistas; Leis de Incentivo; Estabilidade do Governo; Programas Governamentais;

10 Ambiente Externo Forças Macroambientais SÓCIOCULTURAIS: Mudanças no estilo de vida; Expectativas de carreira; Movimentos ativistas por parte de consumidores; Taxa de constituição de famílias; Taxa de crescimento demográfico; Distribuição etária da população; Mudanças demográficas regionais; Expectativa de vida; Taxa de natalidade; Níveis de escolaridade.

11 Outras forças Força Global Aspectos a serem considerados: –Eventos políticos importantes; –Mercados globais críticos; –Processo de industrialização; –Características culturais; –Fatores institucionais.

12 Diagnóstico Situacional – Ambiente Setorial AMBIENTE INTERNO Estrutura Cultura Recursos AMBIENTE SETORIAL Fornecedores Concorrentes Clientes

13 Análise Setorial Cada empresa também opera dentro de um ambiente mais específico denominado setor industrial: um grupo de empresas que produzem mercadorias ou oferecem serviços concorrentes. A estrutura de um setor influencia a intensidade da competição entre as empresas que dele fazem parte, impondo algumas restrições em suas operações e oferecendo várias oportunidades para que as empresas bem administradas obtenham vantagens sobre suas concorrentes (WRIGHT, P.; KROLL, M.; PARNELL, J, 2007)

14 Objetivo da Análise Setorial Meta da estratégia competitiva: encontrar uma posição dentro da indústria onde a companhia consiga se defender melhor contra estas forças competitivas ou influenciá-las a seu favor (Porter, 2004). Chave: pesquisar em maior profundidade e analisar as fontes de cada força.

15 Análise Setorial Segundo Porter (2004, p. 3): Embora o meio ambiente relevante seja muito amplo, abrangendo tanto forças sociais como econômicas, o aspecto principal do meio ambiente da empresa é a indústria ou as indústrias em que ela compete. A estrutura industrial tem uma forte influência na determinação das regras competitivas do jogo, assim como das estratégias potencialmente disponíveis para a empresa.

16 As Cinco Forças Competitivas (Porter) Há um conjunto de forças que determina o potencial de lucro final na indústria, que é medido em termos de retorno a longo prazo sobre o capital investido (rentabilidade da indústria). O potencial de lucro difere à medida que o conjunto destas forças difere entre as indústrias (setores). Indústria: grupo de empresas fabricantes de produtos que são substitutos bastante aproximados entre si.

17 As Forças competitivas refletem o fato de que a concorrência em uma indústria não está limitada aos participantes estabelecidos, entrando também na análise: Clientes, Fornecedores, Concorrentes substitutos Concorrentes entrantes potenciais. As Cinco Forças Competitivas (Porter)

18 Modelo das 05 Forças - Porter CLIENTES FORNECEDORES NOVOS CONCORRENTES CONCORRENTES SUBSTITUTOS CONCORRENTES ATUAIS

19 Concorrentes Atuais Grau de Rivalidade Fatores que afetam o Grau de Rivalidade: Crescimento do Setor; Concentração e equilíbrio; Custos Fixos/Valor agregado; Excesso de capacidade intermitente; Diferença entre produtos; Identidade da Marca; Custos de Mudança; Complexidade Informacional; Diversidade de Concorrentes; Apostas Corporativas; Barreiras à Saída.

20 Novos Concorrentes Barreiras a Entrada Fatores que influenciam a entrada de novos concorrentes: Economias de escala; Identidade da Marca; Requisitos de Capital; Diferença entre produtos exclusivos; Custos de Mudança; Acesso à distribuição; Curva de aprendizado exclusiva; Acesso aos insumos necessários; Projeto de produto de baixo custo; Política governamental; Retaliação esperada.

21 Concorrentes Substitutos Ameaças Ameaças determinadas por: Desempenho relativo de preço dos concorrentes; Custos de mudança; Propensão do consumidor para mudar.

22 Fornecedores Poder de Barganha Fontes do Poder de Barganha: Custos de mudança; Diferenciação de insumos; Concentração de Fornecedores; Presença de insumos substitutos; Importância do volume para os fornecedores; Impacto dos insumos sobre custo ou diferenciação; Custo em relação às compras totais no setor.

23 Clientes Poder de Barganha Fontes do Poder de Barganha: Custos de mudança; Diferença entre produtos; Concentração de Clientes; Produtos substitutos; Lucro dos Clientes; Volume de Clientes; Sensibilidade a preços; Identidade da marca; Capacidade de Venda; Impacto sobre qualidade/desempenho; Incentivo dos tomadores de decisão.

24 Conclusão da Análise Setorial A interação das forcas competitivas determina o potencial de lucro e atratividade do setor Não há atratividade quando... –Há muita rivalidade entre os fabricantes –As barreiras de entrada forem fracas –A possibilidade de produtos substitutos é elevada –O poder do fornecedor for elevado (oligopólio) –O poder do comprador for elevado (oligopsônio)

25 As Cinco Forças são dinâmicas O grau de rivalidade muda com o tempo (com o ciclo de vida da indústria); Entrada de um novo concorrente pode mudar o perfil da competição; Inovação tecnológica pode alterar os padrões de custo; Poder de negociação dos compradores e dos fornecedores pode mudar ao longo do tempo.

26 Bibliografia Consultada WRIGHT, P; KROLL, M. J. & PARNELL J. Administração Estratégica - Conceitos. Cap. 02. São Paulo: Atlas, 2000.


Carregar ppt "Planejamento Estratégico Prof. Ms. Flávio Foguel"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google