A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CONTAMINAÇÃO POR PETRÓLEO ATRAVÉS DE NAVIOS PETROLEIROS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CONTAMINAÇÃO POR PETRÓLEO ATRAVÉS DE NAVIOS PETROLEIROS."— Transcrição da apresentação:

1

2 CONTAMINAÇÃO POR PETRÓLEO ATRAVÉS DE NAVIOS PETROLEIROS

3 CONTAMINAÇÃO POR PETRÓLEO ATRAVÉS DE NAVIOS PETROLEIROS 1989 – Alasca (E.U.A.) Exxon Valdez

4 CONTAMINAÇÃO POR PETRÓLEO ATRAVÉS DE NAVIOS PETROLEIROS 1989 – Alasca (E.U.A.) Exxon Valdez 36 mil toneladas de óleo 800 km de costa 25 mil aves marinhas 5 mil lontras 300 focas 22 orcas 150 pigargos 14 leões marinhos milhares de peixes Prejuízo ambiental:

5

6

7

8

9 Nov/2002 – Espanha - Prestige 70 mil toneladas de óleo

10

11

12

13

14

15 Efeitos Principais

16 Morte direta por recobrimento e asfixia Efeitos Principais

17 Morte direta por recobrimento e asfixia

18

19

20

21 Efeitos Principais

22 Morte direta por intoxicação Morte de larvas Redução na taxa de fertilização Bioacumulação Incorporação de substâncias carcinogênicas Efeitos indiretos subletais Efeitos Principais

23 Com o ecossistema comprometido milhares de pessoas ficam sem trabalho –Famílias de pescadores perdem sua fonte de sustento –O comércio local acaba falindo com o fim do turismo na região

24

25

26

27

28

29 Mean- 5 ppb Mean 45 ppb

30

31 Vulnerabilidade e Sensibilidade

32 Vulnerabilidade é um conceito que abrange vários fatores como a sensibilidade das espécies presentes, o tempo de residência do óleo no ambiente, a susceptibilidade ou chance do ambiente ser atingido o que está relacionado com a proximidade a fontes de poluição e a condições meteorológicas e oceanográficas, a capacidade de recuperação das populações atingidas e a possibilidade de aplicação de técnicas de limpeza nesse caso considerando as características do próprio ambientes, dificuldade de acesso, etc. Vulnerabilidade de Ecossistemas Vulnerabilidade e Sensibilidade

33 Vulnerabilidade de Ecossistemas Vulnerabilidade e Sensibilidade

34 Sensibilidade de Ecossistemas

35

36

37 Matrizes analisadas

38 Água do mar Sedimentos Organismos

39 Coleta de água do mar para orgânicos

40 Coleta de água do mar para orgânicos

41 Organismos

42 Organismos

43 Amostragem de sedimento

44 Amostradores pontuais Amostradores pontuais interface sedimento-coluna dágua interface sedimento-coluna dágua

45 Amostragem de sedimento Amostradores pontuais Amostradores pontuais interface sedimento-coluna dágua interface sedimento-coluna dágua

46 testemunhadores testemunhadores coluna sedimentar coluna sedimentar Amostragem de sedimento

47 testemunhadores testemunhadores coluna sedimentar coluna sedimentar Amostragem de sedimento

48 Conservação

49 Conservação congelamento congelamento liofilização liofilização frascos de vidro - orgânicos frascos de plásticos - inorgânicos

50 Extração da amostra Purificação e separação do extrato Análise cromatográficas Metodologia

51 Extração

52 Clean-up

53 Data System or Recorder Carrier Gas Supply Oven Capillary Column Injection Port Detector Cromatografia Gasosa

54

55 Cromatogramas

56 Observação aérea

57

58 Imagens de Satélite

59 Prestige

60 Dezembro 2007 Derrame de toneladas Navio Hebei Spirit,Corea do Sul - Envisat image. Advanced Synthetic Aperture Radar (ASAR) - ESAs Envisat,

61

62

63 Remoção do óleo Barreiras de contenção

64 Remoção do óleo Barreiras de contenção - disponíveis numa variedade de formas, desde as flutuantes sólidas até as infláveis. Podem ser lançadas a partir da embarcação para conter ou desviar petróleo e detritos. Barreiras de contenção

65 Remoção do óleo Barreiras de contenção - disponíveis numa variedade de formas, desde as flutuantes sólidas até as infláveis. Podem ser lançadas a partir da embarcação para conter ou desviar petróleo e detritos. Barreiras de contenção

66

67

68

69 Características estruturais das barreiras de contenção Local de Uso TipoBorda Livre (cm) Saia (cm) Carga (t)Vento (nós) Corrent e (nós) Volume (m 3 /100 m) Águas interioresleve12 a 2520 a 451 a 3até 15 0,7 a 1,0 1,0 a 1,5 Águas abrigadasfixa25 a 4040 a 653 a 8até 5 0,7 a 1,0 1,5 a 3,0 Oceânicaspesada40 a a a 35até 30 0,1 a 1,5 3,0 a 6,0

70 Configurações

71 Existem vários modos de configurar barreiras no mar como as chamadas configurações em "J", "U" ou "V". A escolha de um ou outro procedimento está associada à disponibilidade de recursos e condições meteorológicas e oceanográficas. "J", "U" ou "V""J", "U" ou "V" Configurações

72 Skimmer

73 Skimmer de disco Skimmer

74 Skimmer de disco Barcaça recolhedora Skimmer

75 Skimmer de disco Barcaça recolhedora Skimmers de óleo podem recolher até 30 toneladas de petróleo pesado por hora. Skimmer

76

77

78

79 O óleo é aspirado com utilização de caminhões-vácuo ou bombas-vácuo e é transferido para recipientes como tambores. Bombeamento a vácuo

80 Jateamento de água quente

81 combustão

82 Jateamento de água quente combustão Adsorventes

83 Modelagem

84 Limpeza de praias

85 Aplicação de turfa vegetal em limpeza de praia Limpeza de praias

86

87

88

89 Limpeza natural

90 Uso de Dispersantes

91

92 A -Gotas de dispersante contendo o surfactante são aplicadas no óleo B -O solvente carrega o surfactante para o óleo C- As moléculas de surfactante migram para a interface óleo/água e reduzem a tensão superficial D- São formadas pequenas gotas de óelo que se quebram da mancha E- As gotas dispersam por mistura turbulenta deixando apenas uma fina camada na superfície Uso de Dispersantes

93 Dispersante - unidade com braços de pulverização desmontáveis. A unidade comporta até 600 litros de fluido de dispersão. Uso de Dispersantes

94

95 Organização

96 Técnicas indicadas pela CETESB para serem aplicadas nos diferentes ambientes costeiros.

97 Disposição e tratamento do óleo removido

98

99 Reutilização dificultada:

100 Disposição e tratamento do óleo removido - água do mar, areia, material adsorvente, etc - intemperismo do óleo Reutilização dificultada:

101 Disposição e tratamento do óleo removido - água do mar, areia, material adsorvente, etc - intemperismo do óleo disposição direta incineração biodegradação Reutilização dificultada:

102

103 Bioremediação- é o termo usado para descrever vários processos que podem ser usados para acelerar a biodegradação natural Bioestimulação (adição de nutrientes nutrientes) Bioaugumentação (adição de microorganismos) Disposição e tratamento do óleo removido Biodegradação

104 Disposição e tratamento do óleo removido Biodegradação

105 Bioremediação- é o termo usado para descrever vários processos que podem ser usados para acelerar a biodegradação natural Bioestimulação (adição de nutrientes nutrientes) Bioaugumentação (adição de microorganismos) Disposição e tratamento do óleo removido Biodegradação

106

107 Custo de um derrame EXXON VALDEZ (Alaska, 1989) - Custo total - US$9.5 billion ( multas, cobertura de prejuízos) - -Limpeza US$2.5 billion AMOCO CADIZ (France, 1978) US $282 million, metade para despesas legais ERIKA (França, 1999), US$ 180 milhões which is available under the '92 Civil Liability and Fund Conventions. NAKHODKA (Japan, 1997) US$219 milhões PRESTIGE Espanha provavelmente superar todos os custos

108

109 Custo de um derrame

110

111


Carregar ppt "CONTAMINAÇÃO POR PETRÓLEO ATRAVÉS DE NAVIOS PETROLEIROS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google