A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PSICOPATOLOGIA E EXAME PSÍQUICO Forma e conteúdo dos sintomas A forma de um fenômeno psíquico constitui sua estrutura pouco mutável, independentemente.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PSICOPATOLOGIA E EXAME PSÍQUICO Forma e conteúdo dos sintomas A forma de um fenômeno psíquico constitui sua estrutura pouco mutável, independentemente."— Transcrição da apresentação:

1 PSICOPATOLOGIA E EXAME PSÍQUICO Forma e conteúdo dos sintomas A forma de um fenômeno psíquico constitui sua estrutura pouco mutável, independentemente de influências culturais. O conteúdo é a parte mais plástica e variável de um determinado fenômeno mental, tendo relação com os aspectos culturais e da personalidade do individuo. Ligia Cardoso

2 PSICOPATOLOGIA E EXAME PSÍQUICO Principais alterações formais no exame psíquico Função Psíquica Juízo de Realidade Sensopercepção Pensamento Ligia Cardoso Fenômeno Delírio Alucinações Pseudo-alucinações Descarrilhamento Fuga de Idéias Associação frouxa de idéias

3 PSICOPATOLOGIA E EXAME PSÍQUICO Exame Psíquico Anamnese e/ou entrevista com fins diagnósticos (análise do estado psíquico do paciente) Exame físico Neurológico Laboratoriais Exames complementares Psicodiagnóstico (avaliação psicológica) Ligia Cardoso

4 EXAME PSÍQUICO Roteiro do Exame Psíquico Análise dos aspectos gerais do paciente Funções Psíquicas 1.Consciência 2.Atenção 3.Memória 4.Orientação 5.Consciência do Eu 6.Afetividade e Humor Ligia Cardoso 7. Pensamento (Linguagem e Discurso) 8.Juízo de Realidade 9.Sensopercepção 10.Psicomotricidade 11.Vontade

5 Funções Psíquicas Consciência Avaliação quantitativa ou nível de consciência 1.Estado de vigília – normal 2.Hipervigília – aumentado 3.Hipovigília – flutuação, obnubilação, torpor, coma. Ligia Cardoso Avaliação qualitativa Estados especiais de consciência sem haver prejuízo do nível desta. 1.Transe 2.Estados dissociativos 3.Estados Crepusculares

6 Funções Psíquicas Consciência do Eu Aspecto subjetivo e reflexivo da consciência que diz respeito à capacidade de reconhecer como meu/eu a atividade própria, as vivências, além da noção de independência e identidade sustentada ao longo da existência.Tais propriedades são adquiridas através da: Ligia Cardoso 1.Existência do Eu: Eu existo 2.Identidade do Eu:Sou eu mesmo sempre. 3.Unidade do Eu:Sou indivisível. 4.Atividade do Eu:Sou Eu quem realiza a ação. 5.Oposição do Eu X Mundo externo

7 Funções Psíquicas Atenção Trata-se da faculdade de direcionamento da consciência. Divide-se em: 1.Voluntária: capacidade de dirigir a atenção, selecionar o foco (seletividade) e alternar o foco (alternância). 2.Espontânea: corresponde à reação involuntária a estímulos externos. Ligia Cardoso

8 Funções Psíquicas Memória Corresponde à capacidade de registrar, reter e evocar fatos ocorridos. Alterações quantitativas - comum em quadros de comprometimento neurológico. 1. amnésias 2.hipomnésias 3. hipermnésias. Ligia Cardoso Alterações qualitativas 1.Confabulação 2.Relembramentos delirantes e falsos reconhecimentos típicos da psicose. 3.Jamais vú e déja vú são alterações produzidas por descargas sincronas corticais em caso de esgotamento e epilepsia.

9 Funções Psíquicas Afetividade A vida afetiva é a dimensão psíquica que dá cor, brilho e calor a todas as vivências humanas. O termo afetividade é genérico, compreendendo várias modalidades de vivências afetivas como, o humor, as emoções e os sentimentos. Componentes do afeto: 1.Tônus - quantidade de afeto dirigido. 2.Ressonância – capacidade de reverberação e empatia aos estímulos. 3.Modulação – variação dos afetos. Ligia Cardoso

10 Funções Psíquicas Afetividade Alterações da qualidade dos afetos: 1.Embotamento afetivo: hipotônico, hipomodulante e hiporessonante (ex. psicoses). 2.Labilidade afetiva: hipermodulação do afeto (ex. mania). 3.Dissociação afetiva: supressão das emoções vinculadas a uma idéia ( ex. histerias). 4.Ambivalência afetiva: sentimentos antagônicos ao mesmo objeto. 5.Incongruência afetiva: emoção ou afeto desvinculado do contexto.

11 Funções Psíquicas Afetividade Humor Corresponde ao estado basal dos afetos, à sua tonalidade. Apresenta variação polar variando do rebaixamento do humor à elação, com variações intermediárias. Alterações do humor: 1.Hipotimia - rebaixamento 2.Hipertimia - elação 3.Irritável 4.Ansioso 5.Disforia – desassossego Ligia Cardoso

12 Funções Psíquicas Pensamento e Discurso Pensamento Correspondem a imagens e representações mentais que integram a atividade intelectiva e emocional do indivíduo. A linguagem é o enunciado que possibilita a significação e transmissão dessa experiência. O discurso é a manifestação explícita da linguagem que permite inferir sobre a saúde/patologia do pensamento do indivíduo. Ligia Cardoso

13 Funções Psíquicas Pensamento e Discurso Componentes do pensamento: 1.Curso ou fluxo do pensamento: aceleração, lentificação, bloqueio ou roubo do pensamento (esquizofrenias). 2.Forma: lógica e organização Arborização: perda do foco principal sem prejuízo no encadeamento das idéias. Fuga de idéias: perda da estrutura lógica do discurso. Desagregação do pensamento: prejuizo dos laços associativos com acentuada perda da lógica do discurso. (salada de palavras). Ligia Cardoso

14 Alterações do Discurso Discurso característicaSituações determinantes Logorréia ou taquilalia > Velocidade da fala Mania, intoxicação/drogas Bradilalia < velocidade da fala depressão Pressão do discurso fluxo volumoso ansiedade, mania. Mutismo ausência de discurso catatonia, síndromes orgânicas Prolixidade excesso de detalhes obsessivo, epilepsias Perseverante repetição do tema lesão de lóbulos frontais Pobreza de discursoAusência de abstração retardo mental Neologismo invenção ou fusão de palavras esquizofrenias

15 Funções Psíquicas Juízo de Realidade Corresponde a capacidade de criticar, ajuizar e avaliar satisfatoriamente a realidade vivida. É assim que o indivíduo apreende e compreende a existência de si mesmo e do mundo. A alteração psicopatológica do juízo de realidade denomina-se delírio. Segundo Jaspers, o delírio é um fenômeno primário que não tem raízes na experiência psíquica do homem normal. È impenetrável, impossivel de ser atingido pela relação intersubjetiva, pelo contato empático. È algo inteiramente novo que se insere na curva vital do indivíduo, resultando numa quebra radical de sua biografia, uma transformação qualitativa em sua existência. Ligia Cardoso

16 Funções Psíquicas Juízo de Realidade Conteúdo dos delírios 1.Persecutório 2.Referencia 3.Relação 4.Influência 5.Grandeza 6.Reivindicação sentimentos de injustiça 7.Invenção ou descoberta 8.Reforma 9.Místico ou religioso Ligia Cardoso 10. Ciúmes 11. Erótico: crença no apaixonamento dos outros. 12. Delírios de Conteúdo depressivo: Niilista ou ruina Negação dos orgãos Hipocondríaco Cenestopático Infestação

17 Funções Psíquicas Sensopercepção Diz respeito ao território sensorial: visão, audição, gustação, tato e cenestesia. As alterações dessa função correspondem a deformações ou erros destes sistemas. Psicopatologia: 1.Ilusões: percepção deformada de um objeto real e existente. 2.Alucinações: percepção clara e definida de um objeto ausente. 3.Pseudo alucinação: representações situadas no espaço subjetivo interno. 4.Alucinoses: alterações perceptuais que ocorrem em indivíduos com comprometimento orgânico. Ligia Cardoso

18 Vontade O processo volitivo determina a passagem de um intenção ou representação volitiva a uma ação. Alterações quantitativas: 1.Hipobulia: falta de desejo, motivação. 2.Hiperbulia: motivação frente a qualquer estimulo. Ligia Cardoso Alterações qualitativas: Negativismo: resistência ao estimulo. Pode ser ativo ou passivo.


Carregar ppt "PSICOPATOLOGIA E EXAME PSÍQUICO Forma e conteúdo dos sintomas A forma de um fenômeno psíquico constitui sua estrutura pouco mutável, independentemente."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google