A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Bacteriose do Pessegueiro Gabriela Guimarães Letícia Reis Pollyana Hammerschmidt.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Bacteriose do Pessegueiro Gabriela Guimarães Letícia Reis Pollyana Hammerschmidt."— Transcrição da apresentação:

1 Bacteriose do Pessegueiro Gabriela Guimarães Letícia Reis Pollyana Hammerschmidt

2 Nome comum: – Bacteriose do Pessegueiro Agente causal: – Xanthomonas campestris pv. Pruni (Smith) Bastante disseminada em áreas com solos arenosos, clima quente e úmido durante a estação de crescimento das plantas.

3 Etiologia Bactéria é móvel; Monotríquia (um único flagelo); Medindo 0,4 – 1,7um de comprimento e 0,2 – 0,8um de largura; Gram-negativa, aeróbia e forma colônias amarelas em meio de cultura.

4 Infecção Pode ocorrer durante o período de crescimento vegetativo em folhas, ramos do ano e frutos; Condições favoráveis: – temperatura moderada, chuvas freqüentes, porém suaves, acompanhadas de ventos fortes e neblina. No outono é pelo ferimento provocado pela abcisão foliar; A disseminação: – curtas distâncias é feita pela água; – longas distâncias é por meio de mudas, borbulhas e frutos, além de insetos.

5 Sintomas A doença ocorre em folhas, ramos e frutos; Nas folhas – inicialmente pequenas manchas angulares, que tornam-se púrpuras ou pretas, com bordos angulares e geralmente rodeadas de um halo verde-amarelado, típico da doença. – Em seguida forma a camada de abscisão e o tecido afetado desprende-se. – As manchas podem coalescer e formar uma grande área. – Folhas muito atacadas caem. – Na face inferior das manchas mais velhas observam-se pequenas escamas secas, que correspondem ao exsudato bacteriano.

6

7

8

9 Sintomas Infecção nos ramos: – Cancro de verão, localizados nos entrenós e formados após a infecção da primavera – Cancro de primavera, localizados nas gemas e nos entrenós, decorrentes de infecção de outono No fruto: – Manchas pequenas, circulares e pardas, que tornam-se escuras, deprimidas e provocam rachaduras na epiderme. Freqüentemente elas são circundadas por halo verde-claro.

10

11

12 Controle Nutrição equilibrada das plantas; Usar gemas de plantas sadias para enxerto e isolar os plantios de pessegueiro, amexeira e damasqueiro; Novos pomares devem ser instalados em lugares protegidos dos ventos domintantes;

13 Controle Uso de calda bordalesa (uso é indicado no outono, na queda das folhas); Aplicação de oxicloreto de cobre e mancozeb; Aplicação oxitetraciclina, sulfato de estreptomicina e terramicina mais sulfato de estreptomicina;

14 Obrigada!


Carregar ppt "Bacteriose do Pessegueiro Gabriela Guimarães Letícia Reis Pollyana Hammerschmidt."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google