A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

2T14 Dando seqüência ao currículo da CBB para o estudo sistemático da Bíblia, estaremos neste 2T do ano, estudando o segundo livro do Novo Testamento:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "2T14 Dando seqüência ao currículo da CBB para o estudo sistemático da Bíblia, estaremos neste 2T do ano, estudando o segundo livro do Novo Testamento:"— Transcrição da apresentação:

1 2T14 Dando seqüência ao currículo da CBB para o estudo sistemático da Bíblia, estaremos neste 2T do ano, estudando o segundo livro do Novo Testamento: O Evangelho de Marcos, conforme nossas duas revistas anunciam Nossa matriz curricular é desenvolvida em oito anos de forma a alcançar-se toda a Bíblia em 32 trimestres. Um livro do AT no 1T e um livro do NT no 2T. Assim, como no ano passado, primeiro ano do Currículo, estudamos Gênesis e Mateus, neste segundo ano, passamos por Êxodo no 1T e agora estamos diante de Marcos no 2T.

2 2T14 O Evangelho de Marcos Os ensinos de Jesus Estudo 01 Arrependei-vos e crede no Evangelho O início do ministério de Cristo Sobre a autoria desse evangelho, Papias (115 d. C.) afirmou: Marcos, tendo-se tornado intérprete de Pedro, escreveu acuradamente tudo quanto lembrou. Irineu (185 d. C.) disse: Agora, depois da morte de Pedro e Paulo, Marcos, o discípulo e intérprete de Pedro, também transmitiu-nos em escrito, o que Pedro pregou.

3 Embora o Evangelho de Marcos não identifique o seu autor, os pais da igreja primitiva concordam por unanimidade que Marcos foi o autor. Ele era um discípulo do Apóstolo Pedro e evidentemente seu filho espiritual (1 Pedro 5.13). De Pedro ele recebeu informações de primeira mão dos acontecimentos e ensinamentos do Senhor, e preservou essas informações em forma escrita. Marcos seria bem jovem quando se identificou com o Evangelho de Cristo Os manuscritos de Qunram guardam alguns textos dos seus escritos originais

4 É geralmente aceito que Marcos é o João Marcos do NT (Atos 12.12). Sua mãe era uma cristã rica e proeminente na igreja de Jerusalém e a igreja provavelmente se reunia em sua casa. Marcos se juntou a Paulo e Barnabé em sua primeira viagem missionária, mas não na segunda. Perto do final de sua vida Paulo pede a Marcos que venha ficar com ele. (2Timóteo 4.11). O Evangelho de Marcos foi provavelmente um dos primeiros livros escritos no Novo Testamento, provavelmente em dC. Embora Mateus tenha sido escrito principalmente para seus irmãos judeus, o Evangelho de Marcos parece ser direcionado aos crentes romanos, particularmente os gentios. Marcos escreveu como um pastor para os cristãos que já tinham ouvido e acreditado no Evangelho (Romanos 1:8). Ele desejava que eles tivessem uma narrativa biográfica de Jesus Cristo como Servo do Senhor e Salvador do mundo a fim de fortalecer a sua fé diante da perseguição severa e ensinar-lhes o que significava ser Seus discípulos.

5 Tendo Marcos escrito aquilo que Pedro lhe narrava, sua objetividade em seu início descritivo, partindo logo para a pregação da mensagem salvadora, sem deter-se em genealogias ou referências à infância de Cristo, é compreensível, pois não tendo os seus registros como objetivo alcançar o povo judeu, mas sim os gentios "gregos", pouco importavam aquelas citações em que Mateus se detém. Em todo este evangelho, veremos uma grande influência da presença do apóstolo Pedro na maior parte dos eventos que descreve a trajetória de Jesus Cristo entre o povo de Israel. Como não foi escrito para os judeus, como o de Mateus o seria, vamos ver que Marcos não se preocupa em contar a genealogia de Cristo como o apóstolo-publicano o faz (mais ou menos 10 anos depois quando escreve o evangelho que seria colocado como o 1º no cânon do NT), citando as 3 ordens cronológicas das 14 gerações do povo judeu de Abarão até Cristo. Esses dados eram importantes para os judeus, mas não para os gentios.

6 A objetividade de Marcos é de tal rapidez que, ainda na introdução do seu evangelho, já vemos Cristo iniciando o seu ministério na Galileia, mais precisamente na região próxima ao Mar de Genezaré (título do AT), ou Mar de Tiberíades (nome dado em homenagem ao Imperador Tibério, após a conquista da Palestina pelos romanos) ou mesmo, Mar da Galileia, o nome mais tradicional pelo qual é conhecido. Tema do Trimestre O Evangelho de Marcos Estudo 01 O início do ministério de Jesus Texto bíblico – Marcos Texto áureo: Marcos Ora, depois que João foi entregue, veio Jesus para a Galileia pregando o evangelho de Deus 15 e dizendo: O tempo está cumprido, e é chegado o reino de Deus. Arrependei-vos, e crede no evangelho. (Abramos as nossas Bíblias para a leitura do texto)

7 1 Princípio do evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus. 2 Conforme está escrito no profeta Isaías: Eis que envio ante a tua face o meu mensageiro, que há de preparar o teu caminho; 3 voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas; 4 assim apareceu João, o Batista, no deserto, pregando o batismo de arrependimento para remissão dos pecados. 5 E saíam a ter com ele toda a terra da Judéia, e todos os moradores de Jerusalém; e eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados. 6 Ora, João usava uma veste de pêlos de camelo, e um cinto de couro em torno de seus lombos, e comia gafanhotos e mel silvestre. 7 E pregava, dizendo: Após mim vem aquele que é mais poderoso do que eu, de quem não sou digno de, inclinando- me, desatar a correia das alparcas. 8 Eu vos batizei em água; ele, porém, vos batizará no Espírito Santo. O texto bíblico de Marcos 1 nos remete logo em seu início ao capítulo 40.3 do livro do profeta Isaías, onde o príncipe dos profetas anuncia a vinda do Messias. A seguir o evangelista nos aponta para a figura do precursor do Senhor, João, o Batista, aquele que prepararia o caminho para Jesus Menciona o aspecto singular do apóstolo João e indica a transformação de vida que o batismo que ele pregava devia operar na vida dos conversos ao Evangelho de Cristo.

8 9 E aconteceu naqueles dias que veio Jesus de Nazaré da Galiléia, e foi batizado por João no Jordão. 10 E logo, quando saía da água, viu os céus se abrirem, e o Espírito, qual pomba, a descer sobre ele; 12 e ouviu-se dos céus esta voz: Tu és meu Filho amado; em ti me comprazo. Imediatamente o Espírito o impeliu para o deserto. 13 E esteve no deserto quarenta dias sentado tentado por Satanás; estava entre as feras, e os anjos o serviam.. A objetividade de Marcos é marcante. Depois do anúncio de João, ele passa rápido para o batismo de Cristo e a manifestação do Espírito Santo naquele momento. Sem intervalos, após o batismo nos leva a acompanhar a ida do Senhor Jesus ao deserto da Judéia para ser tentado e assim provar o seu preparo para a obra a realizar A manifestação magnífica do Espírito Santo reconhece a divindade de Cristo Jesus, como o Filho de Deus, e o leva à vitória sobre o maligno no deserto onde foi tentado por 40 dias e 40 noites, vencendo as três provas que Satanás, o senhor do mal lhe fez: física, emocional e espiritual.

9 14 Ora, depois que João foi entregue, veio Jesus para a Galileia pregando o evangelho de Deus 15 e dizendo: O tempo está cumprido, e é chegado o reino de Deus. Arrependei- vos, e crede no evangelho. 16 E, andando junto do mar da Galileia, viu a Simão, e a André, irmão de Simão, os quais lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores. 17 Disse-lhes Jesus: Vinde após mim, e eu farei que vos torneis pescadores de homens. 18 Então eles, deixando imediatamente as suas redes, o seguiram. 19 E ele, passando um pouco adiante, viu Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que estavam no barco, consertando as redes, 20 e logo os chamou; eles, deixando seu pai Zebedeu no barco com os empregados, o seguiram. Mais rapidamente ainda, ele passa do deserto da Judéia para as margens do Mar da Galileia. É ali que ele vai chamar os seus primeiros discípulos como nos narra. O primeiro a ser chamado é exatamente o apóstolo Pedro que para muitos comentaristas foi aquele que narrou para Marcos toda a história do ministério de Cristo Juntamente com Pedro, o Senhor chama a André seu irmão. Logo depois sai em busca de João e Tiago que pescadores também vão ser chamados por Cristo para serem pescadores de homens.

10 21 Entraram em Cafarnaum; e, logo no sábado, indo ele à sinagoga, pôs-se a ensinar. 22 E maravilhavam-se da sua doutrina, porque os ensinava como tendo autoridade, e não como os escribas. 23 Ora, estava na sinagoga um homem possesso dum espírito imundo, o qual gritou: 24 Que temos nós contigo, Jesus, nazareno? Vieste destruir-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus. 25 Mas Jesus o repreendeu, dizendo: Cala-te, e sai dele. 26 Então o espírito imundo, convulsionando-o e clamando com grande voz, saiu dele. 27 E todos se maravilharam a ponto de perguntarem entre si, dizendo: Que é isto? Uma nova doutrina com autoridade! Pois ele ordena aos espíritos imundos, e eles lhe obedecem! 28 E logo correu a sua fama por toda a região da Galileia. O Mar da Galileia com as suas cidades litorâneas vai se tornar o palco primeiro do ministério de Cristo. Cafarnaum será a sua cidade sede. Cristo vai a sinagoga e é logo chamado a dirigir a palavra. A sua pregação a todos impressiona com a sua doutrina e a sua autoridade. É nesta sinagoga que um dos seus primeiros sinais ocorre e é então narrado por Marcos o que evidencia para todos da região o poder maravilhoso do Senhor Jesus, o Filho de Deus sobre a natureza demoníaca.

11 29 Em seguida, saiu da sinagoga e foi a casa de Simão e André com Tiago e João. 30 A sogra de Simão estava de cama com febre, e logo lhe falaram a respeito dela. 31 Então Jesus, chegando-se e tomando-a pela mão, a levantou; e a febre a deixou, e ela os servia. 32 Sendo já tarde, tendo-se posto o sol, traziam-lhe todos os enfermos, e os endemoninhados; 33 e toda a cidade estava reunida à porta; 34 e ele curou muitos doentes atacados de diversas moléstias, e expulsou muitos demônios; mas não permitia que os demônios falassem, porque o conheciam.35 De madrugada, ainda bem escuro, levantou-se, saiu e foi a um lugar deserto, e ali orava. 36 Foram, pois, Simão e seus companheiros procurá-lo; 37quando o encontraram, disseram-lhe: Todos te buscam. 38 Respondeu-lhes Jesus: Vamos a outras partes, às povoações vizinhas, para que eu pregue ali também; pois para isso é que vim. 39 Foi, então, por toda a Galileia, pregando nas sinagogas deles e expulsando os demônios. Nem bem acaba o episódio da sinagoga com a narrativa do milagre operado pelo Mestre, e Marcos nos encaminha para um outro na casa de Pedro. A cura da sogra de Pedro é noticiada e com isto muitos doentes e enfermos vão à procura do Mestre para a cura e a operação de milagres Mas em toda esta dinâmica e movimento, o Mestre nos dá um exemplo maravilhoso da importância da solidão para a reflexão. À noite, isola-se de todos e vai a um lugar deserto para orar e estar a sós com o Pai.

12 40 E veio a ele um leproso que, de joelhos, lhe rogava, dizendo: Se quiseres, bem podes tornar-me limpo. 41 Jesus, pois, compadecido dele, estendendo a mão, tocou-o e disse-lhe: Quero; sê limpo. 42 Imediatamente desapareceu dele a lepra e ficou limpo. 43 E Jesus, advertindo-o secretamente, logo o despediu, 44 dizendo-lhe: Olha, não digas nada a ninguém; mas vai, mostra-te ao sacerdote e oferece pela tua purificação o que Moisés determinou, para lhes servir de testemunho. 45 Ele, porém, saindo dali, começou a publicar o caso por toda parte e a divulgá-lo, de modo que Jesus já não podia entrar abertamente numa cidade, mas conservava-se fora em lugares desertos; e de todos os lados iam ter com ele expulsando os demônios. Estamos encerrando o capítulo 1 de Marcos com um episódio que Mateus narra em seu capítulo 8 logo ao final do Sermão do Monte quando ao descer, Cristo é interpelado por um leproso. A interpelação do homem demonstra que ele devia já ter tomado conhecimento do poder do Mestre, pois apenas pede: Se quiseres... Já neste início, Cristo evidencia não querer chamar muita atenção para o seu ministério salvífico. Ele não queria precipitar os fatos para a revelação maior que ainda iria trazer para os judeus. Daí a sua palavra ao leproso para que não contasse aos demais, o que lhe acontecera.

13 CONCLUSÃO Como estamos num trimestre de leitura integral do texto de um livro da Palavra de Deus, vamos ao final de cada lição procurar retirar de cada texto, o que melhor ele contém para as nossas vidas. Por exemplo: O que o batismo de Jesus ensina a você? Ele precisava ser batizado? Por que João não quer fazê-lo? O que significa o batismo para você? Como você interpreta a manifestação do Pai e do Espírito Santo no batismo de Cristo? Qual o significado deste evento para você? E a tentação de Cristo no deserto? Como você a entende? Seria necessária? O que ela nos ensina? Você compreende o fato do ES tê-lo impelido ao deserto? E o chamado aos discípulos? Você acha que Cristo foi recrutá-los no lugar certo? Homens rudes? Pescadores da Galileia? Em Jerusalém ele não encontraria gente melhor? Como você interpreta a busca de Cristo por estar a sós com o Pai? Seria necessária? E você? Você tem momentos a sós com o Pai?


Carregar ppt "2T14 Dando seqüência ao currículo da CBB para o estudo sistemático da Bíblia, estaremos neste 2T do ano, estudando o segundo livro do Novo Testamento:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google