A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O RACIONALISMO CRÍTICO DE KARL POPPER Expositor: Leandro Fernandez.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O RACIONALISMO CRÍTICO DE KARL POPPER Expositor: Leandro Fernandez."— Transcrição da apresentação:

1 O RACIONALISMO CRÍTICO DE KARL POPPER Expositor: Leandro Fernandez

2 KARL RAIMUND POPPER: VIDA E OBRA – Originário de uma rica família judia, nasce em 28 de julho de 1902, em Viena; – Seu pai era Doutor em Direito pela Universidade de Viena e participava de diversas ações de auxílio a famílias pobres. Sua mãe era pianista; – Vive de 1919 a 1920 em uma casa de estudantes (área abandonada de um hospital de guerra), onde participou de debates políticos, entrando em contato com as idéias marxistas;

3 KARL RAIMUND POPPER: VIDA E OBRA (cont.) – De 1922 a 1924, torna-se aprendiz de marceneiro. Trava com seu patrão, homem sem instrução formal, discussões acerca da teoria do conhecimento; – Abandona a profissão de marceneiro. Habilita-se para o magistério em escolas primárias e passa a realizar trabalhos sociais em favor de crianças necessitadas;

4 KARL RAIMUND POPPER: VIDA E OBRA (cont.) – Posteriormente, rompe com o marxismo. Afirma que o historicismo marxista seria um inimigo da sociedade aberta. O determinismo que lhe é inerente limitaria a liberdade de pensamento e de crítica; – Conclui seu doutorado em Filosofia em 1928; – Na década de 30, com a ascensão do nazismo, emigra para a Nova Zelândia, onde exerce o magistério;

5 KARL RAIMUND POPPER: VIDA E OBRA (cont.) – Em 1946, dirige-se para a Inglaterra, onde exerce a função de assistente de lógica e método científico na Escola de Economia de Londres, vindo, em 1949, a tornar-se professor nesta instituição; – Foi nomeado cavaleiro em 1965; – Eleito para a Sociedade Real de Londres em 1976; – Recebeu diversos prêmios, incluindo o prêmio Lippincott, da Associação Americana de Ciência Política;

6 KARL RAIMUND POPPER: VIDA E OBRA (cont.) – Principais publicações: - A Sociedade Aberta e Seus Inimigos; - A Lógica da Pesquisa Científica; - Conjecturas e Refutações (O progresso do conhecimento científico); - A Lógica das Ciências Sociais; – Falece em 17 de setembro de 1994, em Londres.

7 NOTAS INICIAIS: CONTEXTO E ESTRUTURA DA LÓGICA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS – Abertura das discussões acerca da Lógica das Ciências Sociais no Congresso dos Sociólogos Alemães, em Göttingen, em 1960; – A réplica de Theodor Adorno; – A formulação das 27 teses (pontos de vista) e a tarefa das Ciências Sociais teoréticas.

8 PONTO DE PARTIDA: CONHECIMENTO E IGNORÂNCIA – A ignorância humana é ilimitada – Uma aula com Machado Neto: o papel da ignorância na construção do conhecimento

9 A IMPORTÂNCIA DO PROBLEMA – Não há problema sem ignorância: o problema como decorrência de contradição ou ausência de regularidade. – Não há problema sem conhecimento: a insatisfação de expectativas. – A tópica, de Viehweg: comentários

10 VERDADE E CONHECIMENTO HUMANO: UMA CLASSIFICAÇÃO DE POPPER – Verificacionista: é possível atingir a verdade (Descartes, Bacon); – Cética: não é possível alcançar a verdade, logo não há verdade ou nada há a alcançar; – Falsificacionista: não é possível alcançar a verdade, mas é possível aprender com erros, contribuindo para o progresso do conhecimento.

11 POPPER E O ORNITORRINCO – Os verificacionistas e a necessidade de regularidade.

12 O RACIONALISMO CRÍTICO – A influência de Einstein: a procura por experimentos idôneos a revelar a insuficiência/inadequação da teoria. – A atitude científica é uma atitude crítica. – Verdade e conhecimento provisório.

13 O RACIONALISMO CRÍTICO O método da ciência consiste em tentativas experimentais para resolver nossos problemas por conjecturas que são controladas por severa crítica. É um desenvolvimento crítico consciente do método de 'ensaio e erro'. Objetividade da ciência – objetividade do método crítico (não há teorias imunes ao exercício da crítica)

14 FALSEABILIDADE OU REFUTABILIDADE – Possibilidade de refutação empírica como critério demarcatório da cientificidade. – Pilares da falseabilidade: 1) testabilidade 2) corroboração – relato de atuação passada. A importância da tradição como substrato para o desenvolvimento científico

15 FALSEABILIDADE OU REFUTABILIDADE 3) Verossimilhança – probabilidade lógica, proximidade da verdade. * Verossimilhança como meta da ciência

16 FALSEABILIDADE OU REFUTABILIDADE O papel privilegiado do raciocínio dedutivo no método: teoria da retransmissão da falsidade da conclusão até, ao menos, uma das premissas

17 PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE CIENTÍFICA – autocrítica – crítica interpessoal (cooperação amistosa e hostil: competição e desejo de encontrar a verdade)

18 CONCLUSÕES

19 REFERÊNCIAS: – OLIVEIRA, Rafael. Karl Popper e a Cooperação Hostil-Amistosa no Processo Judicial. Metodologia da Pesquisa em Direito. Rodolfo Pamplona Filho, Nelson Cerqueira (Coord.). Vol. II. Salvador, – POPPER, Karl. Lógica das Ciências Sociais. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, – SILVA, Marcelo Pinto de. A metodologia da pesquisa no direito e Karl Popper. Metodologia da Pesquisa em Direito e a Filosofia. Rodolfo Pamplona Filho, Nelson Cerqueira (Coord.). São Paulo: Saraiva, 2011.


Carregar ppt "O RACIONALISMO CRÍTICO DE KARL POPPER Expositor: Leandro Fernandez."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google