A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

+ Curso de Android 19ª Jornada de Cursos. + 7. Programação para internet.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "+ Curso de Android 19ª Jornada de Cursos. + 7. Programação para internet."— Transcrição da apresentação:

1 + Curso de Android 19ª Jornada de Cursos

2 + 7. Programação para internet

3 + Trabalhando com sockets Sockets são conexões de internet que são especificadas pelos protocolos TCP/IP, ou melhor, são endereços de nós e um número de porta, os quais identificam um serviço. Funciona da seguinte maneira: Primeiro, o programa servidor começa a ser executado esperando por um pedido do cliente. Depois, o programa cliente requisita uma conexão indicando o servidor com o qual quer se conectar. Por fim, quando o cliente envia um pedido, o servidor pode aceitar a conexão, e inicia um socket no lado servidor e dedica esse socket para essa conexão cliente especifica.

4 + Trabalhando com sockets Todo computador ou dispositivo conectado a internet pode ser acessado qualquer outro computador ou dispositivo, e eles podem estar atuando como cliente (que requisita uma conexão) ou servidor (negando ou aceitando essa conexão). A idéia aqui e criar um cliente, que será uma aplicação em Android onde ela irá requisitar um serviço no servidor, que será uma aplicação em Java. A aplicação cliente será uma calculadora onde ela envia dois números para o servidor, que será responsável por retornar a soma dos dois números para o cliente.

5 + Aplicação Cliente-Servidor ANDROID: Project Name: ClienteServidorAndroidJava Package Name : br.ufpe.cin.android.appservidorcliente Create Activity: AppCliente Application Name: Aplicação Cliente Min SDK Version: 10

6 + Aplicação Cliente-Servidor Crie um projeto Java, contendo a classe ServidorCalculadora.java. Essa classe deve ser executada via linha de comando, com o seguinte comando a ser executado: cd \jre7\bin\ java –cp \ServidorJava\bin" ServidorCalculadora

7 + Aplicação Cliente-Servidor ServidorCalculadora.java import java.net.*; import java.io.*; public class ServidorCalculadora { public static void main(String[] args) { double num1,num2; try { ServerSocket ss = new ServerSocket(60); System.out.print("Aguardando conexao...\n\n"); Socket s = ss.accept(); System.out.print("Conexao aceita...\n\n"); DataInputStream in = new DataInputStream(s.getInputStream());

8 + Aplicação Cliente-Servidor DataOutputStream out = new DataOutputStream(s.getOutputStream()); num1 = in.readDouble(); num2 = in.readDouble(); System.out.println(num1 + "+" + num2 + "=" + (num1 + num2)); out.writeDouble((num1 + num2)); in.close(); out.close(); s.close(); ss.close(); } catch (IOException e) { e.printStackTrace(); } }

9 + Aplicação Cliente-Servidor AppCliente.java public void onCreate(Bundle savedInstanceState) { super.onCreate(savedInstanceState); setContentView(R.layout.main); Button btsomar = (Button) findViewById(R.id.btsomar); btsomar.setOnClickListener(new View.OnClickListener(){ public void onClick(View v) { try { Socket s = new Socket(" ",60); DataInputStream in = new DataInputStream(s.getInputStream());

10 + Aplicação Cliente-Servidor DataOutputStream out = new DataOutputStream(s.getOutputStream()); TextView txtnum1,txtnum2; txtnum1 = (TextView) findViewById(R.id.txtnum1); txtnum2 = (TextView) findViewById(R.id.txtnum2); out.writeDouble(Double.parseDouble( txtnum1.getText().toString())); out.writeDouble(Double.parseDouble( txtnum2.getText().toString())); AlertDialog.Builder d = new AlertDialog.Builder(AppCliente.this); d.setTitle("Soma"); d.setMessage("Soma:" + String.valueOf(in.readDouble())); d.setNeutralButton("OK", null);

11 + Aplicação Cliente-Servidor d.show(); in.close(); out.close(); s.close(); } catch (Exception e) { e.printStackTrace(); }

12 + Aplicação Cliente-Servidor No arquivo AndroidManifest.xml, antes da tag, coloque a tag abaixo:

13 + Melhorando! Adicione as outras operações básicas, informando ao servidor de que operação se trata; Faça com que o servidor fique constantemente esperando requisições.

14 + Obtendo conteúdo de uma URL Project Name: AplicacaoRecebConteudo Package Name : br.ufpe.cin.android.apprecebcont Create Activity: AppContent Application Name: Aplicação URL 1 Min SDK Version: 10

15 + Obtendo conteúdo de uma URL main.xml EditText Layout width: fill_parent Button Layout width: fill_parent Text: Somar

16 + Obtendo conteúdo de uma URL AppContent.java public void onCreate(Bundle savedInstanceState) { super.onCreate(savedInstanceState); setContentView(R.layout.main); edurl = (EditText) findViewById(R.id.edurl); btmostrar = (Button) findViewById(R.id.mostrar); btmostrar.setOnClickListener(new View.OnClickListener(){ public void onClick(View v) { try{ String strurl = edurl.getText().toString(); URL url = new URL(strurl); InputStream is = url.openStream(); int i;

17 + Obtendo conteúdo de uma URL String conteudo=""; while((i = is.read()) != -1) conteudo+= ((char)i); AlertDialog.Builder dialogo = new AlertDialog.Builder(AppContent.this); dialogo.setMessage(conteudo); dialogo.setTitle("Conteúdo"); dialogo.setNeutralButton("OK", null); dialogo.show(); }catch(Exception e) { } } }); }

18 + Obtendo conteúdo de uma URL No arquivo AndroidManifest.xml, antes da tag, coloque a tag abaixo:

19 + Envio de informações para uma URL Project Name: AplicacaoEnviaConteudo Package Name : br.ufpe.cin.android.appenviacont Create Activity: AppSend Application Name: Aplicação URL 2 Min SDK Version: 10

20 + Enviando informações para uma URL main.xml EditText Layout width: fill_parent TextView Text: Idade EditText Layout width: fill_parent Button Layout width: fill_parent, Text: Enviar Dados

21 + Enviando informações para uma URL AppContent.java public void onCreate(Bundle savedInstanceState) { super.onCreate(savedInstanceState); setContentView(R.layout.main); Button b = (Button) findViewById(R.id.btenviar); b.setOnClickListener(new View.OnClickListener(){ public void onClick(View v) { TextView txtnome = (TextView) findViewById(R.id.nome); TextView txtidade = (TextView) findViewById(R.id.idade); String nome = txtnome.getText().toString(); String idade = txtidade.getText().toString(); nome = URLEncoder.encode(nome);

22 + Enviando informações para uma URL try{ URL url = new URL("http://www.lfliborio.com.br/android/php/cadastrar_dados.p hp?nome=" + nome + "&idade=" + idade); url.openStream(); AlertDialog.Builder d = new AlertDialog.Builder(AppSend.this); d.setMessage("Dados enviados com sucesso."); d.setNeutralButton("OK", null); d.setTitle("Resultado"); d.show(); }catch(Exception e) { AlertDialog.Builder d = new AlertDialog.Builder(AppSend.this); d.setMessage(e.toString()); d.setNeutralButton("OK", null); d.setTitle("Erro"); d.show(); } }); }

23 + Enviando informações para uma URL No arquivo AndroidManifest.xml, antes da tag, coloque a tag abaixo:

24 + Desafio! Voltemos para a nossa aplicação de cadastro (a primeira versão); Queremos agora armazenar os dados a serem cadastrados em um banco de dados remoto; Usaremos duas páginas Web: Receberá os parâmetros nome,idade e profissao, para inserir no BD; Retornará o registro com a posição indicada pelo parâmetro id (inciando de zero)

25 + Fazendo download de um arquivo Project Name: AplicacaoDownload Package Name : br.ufpe.cin.android.appdownload Create Activity: AppDownload Application Name: Aplicação Download Min SDK Version: 10

26 + Fazendo download de um arquivo main.xml Button Layout width: fill_parent Text: Baixar imagem TextView Text: Imagem ImageView Src: Layout: height wrap_content Layout width: wrap_content

27 + Fazendo download de um arquivo AppDownload.java public void onCreate(Bundle savedInstanceState) { super.onCreate(savedInstanceState); setContentView(R.layout.main); Button b = (Button) findViewById(R.id.btdownload); b.setOnClickListener(new View.OnClickListener(){ public void onClick(View v) { ImageView imagem = (ImageView) findViewById(R.id.imagem); try { URL url = new URL("http://www.lfliborio.com.br/android/php/logo.png"); InputStream is = url.openStream(); Bitmap bmp = BitmapFactory.decodeStream(is); imagem.setImageBitmap(bmp);

28 + Fazendo download de um arquivo } catch (Exception e) { AlertDialog.Builder d = new AlertDialog.Builder(AppDownload.this); d.setMessage(e.toString()); d.setTitle("Aviso"); d.setNeutralButton("OK", null); d.show(); } }); }

29 + Fazendo download de uma arquivo No arquivo AndroidManifest.xml, antes da tag, coloque a tag abaixo:

30 + Melhorando! Voltemos a nossa aplicação de galeria de imagem. Vamos fazer a sua composição apenas de imagens retiradas da internet; Nomes separados por vírgulas (\\,) As imagens estão em

31 + O componente WebView Esse componente WebView é muito utilizado quando queremos desenvolver um navegador próprio para o nosso dispositivo. Embora o emulador já possua um Browser embutido, o Android fornece um componente próprio voltado para tal finalidade. Ele funciona como um display onde podemos visualizar as páginas da internet. Normalmente, o componente WebView é trabalhado em conjunto com o componente WebSettings.

32 + Aplicação de cadastro Project Name: AplicacaoBrowser Package Name : br.ufpe.cin.android.appbrowser Create Activity: AppBrowser Application Name: Aplicação de Browser Min SDK Version: 10

33 + Aplicação de Browser AppNavegador.java public void onCreate(Bundle savedInstanceState) { super.onCreate(savedInstanceState); WebView w = new WebView(this); WebSettings ws = w.getSettings(); ws.setSavePassword(false); ws.setSaveFormData(false); ws.setJavaScriptEnabled(true); ws.setSupportZoom(false); w.loadUrl("http://www.globo.com"); setContentView(w); }

34 + Aplicação de Browser No arquivo AndroidManifest.xml, antes da tag, coloque a tag abaixo:

35 + 8. Testes

36 + TDD Test-driven development (TDD), é um método de desenvolvimento de software in que testes de unidade são repetidamente feitos no código. O conceito é ter algo funcionando agora e perfeito depois. Depois de cada teste, refatorações são feitas e o mesmo teste é rodado novamente. Esse processo é repetido quantas vezes forem necessárias até cada unidade estar funcionando de acordo com as especificações fornecidas.

37 + TDD Utilizando TDD, pode-se produzir aplicações com alta qualidade em menos tempo do que é possível com outros métodos. Implementações corretas de TDD precisam que os desenvolvedores e testadores antecipem acertadamente como a aplicação e suas funcionalidades vão ser utilizadas pelos usuários finais.

38 + TDD Problemas são abordados de uma maneira incremental, e os testes são feitos em uma mesma unidade de código devem ser feitos várias vezes. A natureza metódica do TDD garante que todas as unidades na aplicação foram testadas para obter a melhor funcionalidade, individual ou coletivamente. Como começa cedo no ciclo de desenvolvimento, o custo com uma depuração que seria feita mais adiante é minimizado.

39 + Estrutura do teste de aplicações Os testes em Android, como as aplicações, são organizados em projetos. Um projeto de teste é um diretório ou um projeto do Eclipse em que o desenvolvedor cria, entre outros arquivos, o código-fonte do pacote de testes. O Android SDK possui ferramentas para auxiliar o desenvolvimento em conjunto com o Eclipse e o ADT, para criação de toda a estrutura de arquivos necessária.

40 + Estrutura do teste de aplicações É altamente recomendado que o desenvolvedor sempre utilize as ferramentas do Android SDK para criar o projeto de testes. Entre outros benefícios, temos: Uso da classe InstrumentationTestRunner setado automaticamente para o pacote de testes. Ela sera usada para execução dos testes com JUnit. Criação automática de todos os arquivos de build, manifest e a estrutura de diretórios do projeto de testes.

41 + Estrutura do teste de aplicações O projeto de teste pode ser criado em qualquer diretório da máquina de desenvolvimento, mas uma boa prática é adicionar o projeto (com a pasta raiz tests/) no mesmo nível da pasta src/ da aplicação. Isso facilita a associação do pacote de testes com a aplicação em questão. A API de testes do Android é baseada na API do JUnit, e estendida com um framework de instrumentação e casos de testes específicos para o Android.

42 + Estrutura do teste de aplicações O JUnit pode ser usado para planejar um objeto em Java puro. A classe TestCase é a base para a classe AndroidTestCase, que é usada para realizar testes específicos para objetos Android. Para exibir os resultados dos testes, podemos utilizar a classe do JUnit chamada Assert. Os métodos desta classe comparam os valores esperados para o teste com os resultados atuais e lança uma exceção se a comparação falhar.

43 + Instrumentation A instrumentação no Android funciona como uma série de métodos de controle no sistema, como ganchos. Estes ganchos controlam um componente Android independentemente do seu ciclo de vida normal. Eles também controlam como o Android carrega aplicações. Normalmente, um componente do Android executa em um ciclo de vida determinado pelo sistema. Quando uma Activity é ativada por uma Intent, seus métodos onCreate, onPause, onResume e onDestroy são chamados pelo sistema, não existindo meios para que o código acesse esses métodos diretamente. Mas isto pode ser feito com instrumentação.

44 + Instrumentation Também é possível que o sistema execute todos os componentes de uma aplicação dentro do mesmo processo. O desenvolvedor pode permitir que alguns componentes, como ContentProviders, executem em um processo separado, mas não pode forçar uma aplicação a rodar no mesmo processo que outra que já está executando.

45 + Instrumentation Com a instrumentação do Android métodos de call-back podem ser invocados diretamente no código de teste. Isto possibilita executar passo a passo o ciclo de vida de um componente, como se o código estivesse sendo debugado. mActivity = getActivity(); mSpinner = (Spinner)mActivity.findViewById(com.android.example.spinner.R.id.Spinner01); mActivity.setSpinnerPosition(TEST_STATE_DESTROY_POSITION); mActivity.finish(); mActivity = getActivity(); int currentPosition = mActivity.getSpinnerPosition(); assertEquals(TEST_STATE_DESTROY_POSITION, currentPosition);

46 + Instrumentation O método-chave utilizado é o getActivity(), que é parte da API de instrumentação. A Activity testada não é iniciada enquanto o método não for chamado. Adicionalmente, a instrumentação pode rodar a aplicação e o pacote de testes dentro do mesmo processo. Desde que os componentes da aplicação e os respectivos testes estejam no mesmo processo, os testes podem invocar métodos dos componentes, bem como modificar e examinar campos nos mesmos.

47 + 9. Layouts

48 + FrameLayout FrameLayout é o tipo mais simples de layout. Ele é, basicamente, um espaço em branco na tela, que o desenvolvedor pode preencher com um único objeto. Todos os componentes do layout são fixados no topo esquerdo da tela. Não é permitida outra localidade para ele. Itens subsequentes são simplesmente desenhados sobre os outros, encobrindo total ou parcialmente.

49 + LinearLayout Um LinearLayout alinha todos os components em uma única direção – vertical ou horizontal, dependendo da orientação fornecida. Todos os componentes são enfileirados um depois do outro, sendo uma lista vertical tendo um elemento por linha, enquanto que uma horizontal tem a altura máxima de uma linha (no caso, a altura do maior item).

50 + LinearLayout O LinearLayout respeita margens entre os items e o alinhamento de cada item de acordo com o espaço. LinearLayout também pode atribuir um peso a componentes, para mostrar a importância deste para a view, e permite ao componente ocupar todo o espaço restante da view. No caso de vários valores de pesos serem atribuídos (sendo estes inteiros), cada item é expandido proporcionalmente ao valor do seu peso. O valor default é zero.

51 + LinearLayout Para criar um layout de tamanho proporcional, crie um container com os atributos layout_width e layout_height setados para fill_parent; atribua os valores dos itens de height e width para zero.

52 + TableLayout TableLayout posiciona seus components em linhas e colunas. Os espaços desse layout não mostram as bordas das linhas, colunas e células. A quantidade de colunas na tabela será determinada pelo linha com o maior número de células. Uma tabela pode ter células vazias. TableRow são sub-elementos de TableLayout, onde cada um deles define uma linha na tabela). Cada linha possui zero ou mais células, onde cada uma define uma outra View ImageView, TextView, etc), ou ainda, outro ViewGroup aninhado (outro TableLayout, por exemplo).

53 + TableLayout

54 +

55 + TableLayout

56 + TableLayout

57 + TableLayout

58 + TableLayout TableRow>

59 + TableLayout TableRow>

60 + RelativeLayout RelativeLayout faz com que as posições dos componentes sejam determinadas relativamente ao layout ou a outro componente. Então, é possível alinhar dois elementos a margem direita, ou colocar um abaixo do outro, centralizado na tela, etc. Os elementos são renderizados na ordem fornecida, então, se o primeiro elemento for centralizado na tela, outros elementos alinham-se relativamente ao primeiro. Também, por conta dessa ordenação, se for usado XML para especificar o layout, o elemento que o desenvolvedor irá usar como referencia tem que estar listado primeiro que os outros.

61 + RelativeLayout

62 +

63 + RelativeLayout

64 + Melhorando! Voltemos a nossa aplicação de cadastro! Implemente a tela de Listar com um TableLayout; Implemente a tela de Cadastrar com um RelativeLayout; Visualmente, o resultado deve ser o mesmo da aplicação anterior!


Carregar ppt "+ Curso de Android 19ª Jornada de Cursos. + 7. Programação para internet."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google