A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Trabalho realizado pelos alunos: Beatriz Cruz, Bernardo Andrade e Francisca Rochinha 4.º Ano do Ensino Básico da Escola EB1 de Vila Nova de Paiva ANO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Trabalho realizado pelos alunos: Beatriz Cruz, Bernardo Andrade e Francisca Rochinha 4.º Ano do Ensino Básico da Escola EB1 de Vila Nova de Paiva ANO."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 Trabalho realizado pelos alunos: Beatriz Cruz, Bernardo Andrade e Francisca Rochinha 4.º Ano do Ensino Básico da Escola EB1 de Vila Nova de Paiva ANO LETIVO 2011/2012 PROFESSORA: HELENA TAVARES

4 O pão foi produzido pela primeira vez há anos. Segundo os historiadores, o pão surgiu juntamente com o cultivo do trigo e inicialmente era apenas para ser mastigado. Os primeiros pães foram feitos com farinha de trigo, misturada com frutos do carvalho ou nozes. Eram achatados, duros, secos e muito amargos. Para ser ingerido, o pão era lavado várias vezes em água fervente e depois cozido sobre pedras quentes.

5 Para o pão chegar à mesa dos consumidores é preciso muito trabalho e demora vários meses. São muitas as pessoas que são necessárias para podermos saborear o pão que consumimos diariamente, embora hoje em dia já não se faça pão da mesma forma, já que temos várias máquinas que auxiliam o processo. Mas o mais importante é que o pão está ligado à terra e o pão que consumimos é o resultado de muito esforço.

6 CICLO DO PÃO

7 LAVRAR O primeiro trabalho realizado para se poder produzir pão é a preparação da terra. Com o passar dos meses e com o calor do sol, a terra fica um pouco dura e seca. Para tornar a terra melhor, os lavradores lavram a terra. Assim, lavram, remexem a terra, tiram-lhe as ervas e enterram a vegetação e o estrume dos animais para a tornar mais fértil e produzir mais. Após este trabalho a terra está pronta para receber as sementes.

8 SEMEAR O segundo trabalho é semear. O lavrador lança a semente à terra com um braço, num movimento circular e largo. Mas semear não é tão fácil como parece, pois o lavrador tem de calcular bem os seus gestos, tem de perceber como sopra o vento e em que sentido, tem de controlar o tamanho do campo. Se o lavrador não fizer bem o trabalho, a semente pode ficar mal distribuída pelo campo.

9 GRADAR Depois de lavrada e semeada, podem subsistir pedaços de terra mais duros que se devem desfazer, para que assim seja mais fácil trabalhar a terra. Para se desfazerem esses pedaços mais duros os lavradores usam uma grade que passam por toda a área pretendida.

10 CEIFAR Passam alguns meses e o milho, o centeio e o trigo estão prontos para serem colhidos. Para se colher o trigo do solo é necessário ceifá-lo com uma foice com a forma de meia lua. Para cortar o milho, o lavrador segura o caule com a mão esquerda enquanto corta o milho rente ao chão com uma foice mais pequena.

11

12 ATAR E JUNTAR Agora é necessário atar e juntar os cereais que foram colhidos, principalmente o trigo e o centeio. Para atar estes dois cereais em molhos os lavradores utilizam um atilho feito com palha de centeio, pois a palha do centeio é mais resistente e comprida.

13 MALHAR Os molhos são depois levados para a eira, que é onde os grãos dos cereais são retirados. Uma eira é um espaço plano ao ar livre e pode ser de pedra, xisto ou terra batida. Mas afinal como se extrai o trigo? O trigo é colocado em camadas, os molhos são desatados e deixam-se secar as espigas ao sol. Depois o trigo é debulhado com um trilho que desgrana as espigas e corta a palha.

14 E o centeio como se extrai? O centeio é malhado, isto é, batido com manguais. Dois grupos de homens batem à vez no cereal, depois de desatados os molhos. O milho, esse é desfolhado à mão, ou seja é retirada a espiga do seu embrulho de folhas. Nalgumas regiões o milho é depois posto em espigueiros (pequenas casinhas). Nos espigueiros o milho é guardado por vários meses, só depois se retiram os grãos de milho à mão ou com manguais.

15 TRATAR O GRÃO Os lavradores já debulharam e malharam o grão. Agora é preciso separar a palha do grão. Para o trigo, deve-se atirar a palha ao vento com as forquilhas e depois padejar o grão com a pá. Depois o grão é passado por uma joeira e metido em sacas. Quanto ao centeio, este é reunido a um canto da eira, depois de a palha ter sido retirada. Depois o grão é limpo ao vento e por fim é guardado em caixas. O milho é limpo usando uma joeira, para assim tirar a palha mais pequena.

16 MOAGEM Os cereais já foram colhidos e os grãos tratados. É preciso agora transformar os grãos em farinha para depois fazer o pão. A moagem é feita nos moinhos de vento, os mais conhecidos, nos moinhos de campo, nas azenhas, nos rodízios cujas mós aproveitam a força da água dos ribeiros, nos moinhos de maré que aproveitam a força das marés e ainda nas mós manuais que aproveitam a força do homem.

17 O TRABALHO DO MOLEIRO O homem que trabalha no moinho chama-se moleiro. Ele tem de fazer vários trabalhos no seu moinho. Tem de cuidar das grandes pedras que esmagam os grãos, usando para isso martelos próprios que são conhecidos por picões. Também limpa os grãos com bandejas. Pode ainda ter de lavar o trigo. Depois coloca os grãos nas mós, onde são esmagados, transformando-se em farinha que depois é transformada em pão.

18 PENEIRAR Antes de amassar a farinha é preciso limpá-la uma última vez. Para isso usa-se uma peneira que tira o farelo que ainda está misturado com a farinha. O farelo fica na peneira enquanto a farinha cai facilmente. Este trabalho é muito cansativo para quem o executa.

19 AMASSAR A farinha já está limpa, por isso pode ser colocada num alguidar ou numa amassadeira (atualmente). A essa junta-se o fermento, que serve para a massa crescer, o sal e a água. A massa de farinha de trigo cresce bem, a de centeio não cresce tão bem. Para a massa de pão de milho é necessário juntar farinha de trigo ou de centeio para esta poder crescer. O trabalho de amassar é muito cansativo, os gestos de amassar são sempre iguais e podem durar até um hora. Hoje em dia já existem amassadeiras, o que facilita o trabalho.

20 TENDER A massa ao fim de amassada fica a levedar, isto é, a crescer. Quando isto está feito dá-se a forma que se quer ao pão. Chama-se a isso tender. Pode-se tender dentro de uma tigela grande, dentro de um alguidar, geralmente de barro, ou de uma masseira. Após dar forma ao pão, levam-se os pães a cozer.

21

22 O FORNO É no forno que o pão é cozido. Primeiro o forno é limpo e depois aquecido. Os pães são cobertos de farinha e postos no forno através de pás de madeira de cabo grande, de tapetes ou de carregadores (é o que se usa hoje em dia nas padarias). Espera-se que os pães cozam, retirando-os do forno, um a um (dependendo do tipo de pão) e colocam-se em tabuleiros. Está feito o pão.

23

24 DISTRIBUIÇÃO DO PÃO Há alguns anos atrás o pão era distribuído nas aldeias e vilas às costas dos padeiros, ou em burros. Alguns usavam bicicletas. Os padeiros iam de porta em porta ou tinham lugares nos mercados. Hoje em dia esses padeiros são raros, a maioria dos pães é comprada em padarias ou supermercados. O que importa é que o pão chegue à mesa das pessoas para se alimentarem.

25 Daqui para a frente, cada vez que comerem pão, pensem que este, além de ser um óptimo alimento, é como se vê, resultado de muito trabalho.

26


Carregar ppt "Trabalho realizado pelos alunos: Beatriz Cruz, Bernardo Andrade e Francisca Rochinha 4.º Ano do Ensino Básico da Escola EB1 de Vila Nova de Paiva ANO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google