A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

HISTORIA DA SAUDE NO Brasil 1500 ATÉ O PRIMEIRO REINADO Um país colonizado, por aventureiros e degredados desde o descobrimento até a instalação do império,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "HISTORIA DA SAUDE NO Brasil 1500 ATÉ O PRIMEIRO REINADO Um país colonizado, por aventureiros e degredados desde o descobrimento até a instalação do império,"— Transcrição da apresentação:

1 HISTORIA DA SAUDE NO Brasil 1500 ATÉ O PRIMEIRO REINADO Um país colonizado, por aventureiros e degredados desde o descobrimento até a instalação do império, não dispunha de nenhum modelo de atenção a saúde da população, e nem mesmo o interesse por parte do país colonizador. Sendo assim, a atenção a saúde limitava-se aos recursos da terra (plantas e ervas), ou por conhecimentos empíricos (curandeiros).

2 1808 Com a vinda da família real ao Brasil criou-se uma mínima estrutura sanitária na cidade do Rio de Janeiro. Em 1808, Dom João VI fundou na Bahia o Colégio Médico-Cirúrgico Real Hospital Militar. Até 1850 as atividades de saúde pública estavam limitadas aos controles de navios, saúde dos portos e atribuições sanitárias às juntas municipais. Assim foi surgindo e proliferando os Boticários (farmacêuticos), que manipulavam e indicavam fórmulas (comum até hoje).

3 Periodo Republicano INÍCIO DA REPÚBLICA 1889 ATÉ 1930 Surgiu então, na cidade do RJ um quadro sanitário caótico, caracterizado pela presença de diversas doenças graves como varíola, malária, peste bubonica e febre amarela. Gerou assim, consequências ruins para a saúde coletiva e para o comércio exterior devido a entrada de navios pelo porto.

4 Oswaldo Cruz foi nomeado por Rodrigues Alves (presidente) a assumir como diretor do Departamento Federal de Saúde Pública do RJ, criou-se então um verdadeiro exército de 1500 pessoas, contra o mosquito vetor da febre amarela (Aedes aegypti), propondo eliminar a febre amarela no RJ, e Emílio Ribas fazia o mesmo trabalho em São Paulo.

5 Oswaldo cuz As medidas de desinfecção usadas pelos campanhistas revoltaram a população. Oswaldo Cruz cria uma Lei Federal nº 1261, de 31 de outubro de 1904, que institui a vacinação anti- varíola, obrigatória em todo território nacional, aumentando a onda de insatisfação na população criando a revolta da vacina. Mesmo assim conseguiu erradicar a doença. O modelo assistencial por ele seguido era denominado Campanhista( Sanitarista).

6 DÉCADA DE 20 Em 1920, Carlos Chagas, sucessor de Oswaldo Cruz, criou propaganda de educação para a saúde, expansão de atividades de saneamento em âmbito nacional, licença-gestante, criação das Caixas de Aposentadoria e Pensões (CAPs) aos func. das ferrovias, vetou admissão de menores de 12 anos em fábricas.

7 CAPS Cria órgãos especializados na luta contra TB, Hanseníase (Lepra) e doenças venéreas Primeira faculdade de enfermagem (Anna Nery). Eloy Chaves desenvolve a Lei Eloy Chaves instituindo as CAPs (Caixas de Aposentadorias e Pensões); Os únicos que tinham direito as CAPs eram os assalariados, cada categoria tinha sua CAP, (Ferroviários, bancários, s/ contar c/ os trabalhadores rurais). Nao tinha direito a medico.

8 Caps A renda arrecadada era: 3% do funcionário e 1% da renda bruta era do empregador. O estado não participava em nada na CAP. As CAPs davam benefícios como: assistência médica, medicamentos, aposentadorias, pensões e auxílio funeral Ocorre a quebra da bolsa de valores de Nova York - Crise Mundial. Abalo nas exportações dos produtos agrários Afeta a indústria cafeeira. Êxodo da população rural para as cidades em busca de trabalho.

9 1930 a 1967 De 1930 à Surgiu o Ministério do Trabalho, onde surgiu alguns direitos e deveres ao trabalhador; As CAPs são ampliadas e se tornam IAPs- organizadas por categorias profissionais. Era organizada pelo governo federal; Criação do Ministério de Educação e Saúde; cria o Serviço Nacional da Febre Amarela, erradicando a F.A no Brasil.

10 1941 a Criado o Departamento Nacional de Saúde, assumindo as endemias que ainda restavam Criado o Ministério da Saúde III Conferência Nacional de Saúde, proposto o processo de Descentralização da Saúde (Municipalização) Início da Ditadura Militar Comissão de organização para reformulação das IAPs em INPS.

11 Criação do INPS (Instituto Nacional de Previdência Social), onde o governo unificou as IAPs, os trabalhadores rurais, as empregadas domésticas e os trabalhadores autônomos passam a ter direito aos benefícios previdenciários. Inicia-se a UNIVERSALIZAÇÃO DA COBERTURA (englobando quase toda totalidade da população urbana e parte da rural). Surge a CIPA, sendo obrigatória quando mais de 100 funcionários por indústria.

12 Decada 70 Década de Epidemia de meningite em SP o instituto é elevado ao grau de ministério (Ministério da Previdência e Assistência Social); Criado em 1978 o INAMPS (Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social) vai coordenar somente as atividades de assistência médica.

13 Conferência de Alma-Ata URSS, 6 à 12 setembro 1978 Foi uma conferência para discutir a extensão das desigualdades sanitárias, tanto nos países desenvolvidos como nos países subdesenvolvidos. Estabeleceram a meta: A Saúde para todos até o ano de O Brasil esteve presente na Conferência e se comprometeu alcançar esta meta, reorganizando o Sistema de Saúde Nacional.

14 Situação do Brasil Situação do Brasil na época: - 40 milhões de brasileiros sem acesso aos serviços de saúde; - Inadequação dos serviços prestados; - Carências nutricionais afetavam metade da população; - Mortalidade infantil em torno de 80/1000 nativivos. - Expectativa de vida não chegava aos 50 anos em algumas regiões.

15 Decada Instituído o CONASP- Conselho Consultivo de Administração da Saúde Previdenciária. Com o propósito de organizar a assistência médica, sugerir critérios para recursos, estabelecer controle de custos e avaliação do financiamento, além de buscar disciplinar o atendimento dos serviços implantadas as AIS (Ações Integradas de Saúde) com o objetivo de criar uma rede pública unificada com intenção de promover a descentralização e a universalização da atenção à saúde. Une, educação e prevenção.

16 Fim do regime militar Fim do regime militar. Primeira eleição onde o povo que elege o presidente, Tancredo Neves é eleito, mas morre antes de assumir o cargo, então seu vice José Sarney assume em seu lugar. E a doença e hospitalização e vaga dificil

17 1986 VIII Conferência Nacional de Saúde em 1986 O debate foi a criação de um sistema nacional de saúde. O que foi proposto: -Mudança no novo modelo assistencial vigente; -Novo conceito de saúde; -Organização dos recursos humanos de saúde.

18 Sus Nascimento do SUS Criado o SUDS (Sistema Unificado Descentralizado de Saúde). Formada a Assembléia Nacional Constituinte, elaborando e escrevendo a nova constituição federal.

19 Constituição..... CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. PROMULGADA EM Inicio do sus

20 PREÂMBULO: Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controversias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

21 Artigo 196 a 200 ARTIGO 196 A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantindo mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença, de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.

22 Artigo 197 São de relevância pública as ações e serviços de saúde, cabendo ao poder público dispor, nos termos da lei, sobre sua regulamentação, fiscalização e controle, devendo sua execução ser feita diretamente ou através de terceiros e, também, por pessoa física ou jurídica de direito privado.

23 Artigo 198 As ações e serviços públicos de saúde integram uma rede regionalizada e hierarquizada e constituem um sistema único, organizado de acordo com as seguintes diretrizes: I- descentralização com direção única em cada esfera de governo; II- atendimento integral, com prioridade para as atividades preventivas, sem prejuízo dos serviços assistênciais; III- participação da comunidade.

24 Cont Parágrafo Único. O sistema único de saúde será financiado, nos termos do art. 195, com recursos do orçamento da seguridade social, da União, dos estados, do Distrito Federal e dos Municípios, além de outras fontes.

25 Art 199 A assistência de saúde é livre à iniciativa privada. 1º- As instituições privadas poderão participar de forma complementar do sistema único de saúde, segundo diretrizes deste, mediante contrato de direito público ou convênio, tendo preferência as entidades filantrópicas e as sem fins lucrativos. 2º- É vedada a destinação de recursos públicos para auxílios ou subvenções às instituições privadas ou com fins lucrativos.

26 Art 199 3º- É vedada, a participação direta ou indireta de empresas ou capitais estrangeiros na assistência à saúde no país, salvo nos casos previstos em lei. 4º- A lei disporá sobre condições e os requisitos que facilitem a remoção de orgãos, tecidos e substâncias humanas para fins de transplantes, pesquisa e tratamento, bem como a coleta, processamento e transfusão de sangue e seus derivados, sendo vedado todo tipo de comercialização.

27 Art 200 O sistema único de saúde compete, além de outras atribuições, nos termos da lei: I - controlar e fiscalizar procedimentos, produtos e substâncias de interesse para a saúde e participar da produção de medicamentos, equipamentos, imunológicos, hemoderivados e outros insumos; II - executar as ações de vigilância epidemiológica e sanitária, bem como as de saúde do trabalhador.

28 Cont art 200 III – Ordenar a formação de recursos humanos na área de saúde; IV - Participar da formulação da política e da execução das ações de saneamento básico; V – Incrementar em sua área de atuação o desenvolvimento científico e tecnológico; VI - Fiscalizar e inspecionar alimentos, compreendido o controle de seu teor nutricional, bem como bebidas e águas para consumo humano;

29 Art 200 VII – Participar do controle e fiscalização da produção, transporte, guarda e utilização de substâncias e produtos psicoativos, tóxicos e radioativos; VIII - Colaborar na proteção do meio ambiente, nele compreendido o do trabalho.

30


Carregar ppt "HISTORIA DA SAUDE NO Brasil 1500 ATÉ O PRIMEIRO REINADO Um país colonizado, por aventureiros e degredados desde o descobrimento até a instalação do império,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google