A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DESMISTIFICANDO A FOTOGRAFIA DIGITAL Emilton Barbosa de Oliveira DADCC - FCM - UNICAMP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DESMISTIFICANDO A FOTOGRAFIA DIGITAL Emilton Barbosa de Oliveira DADCC - FCM - UNICAMP."— Transcrição da apresentação:

1 DESMISTIFICANDO A FOTOGRAFIA DIGITAL Emilton Barbosa de Oliveira DADCC - FCM - UNICAMP

2 "A fotografia não mudou desde a sua origem, exceto em seus aspectos técnicos, o que, para mim, não constitui preocupação maior. A fotografia parece ser uma atividade fácil: é uma operação diversa e ambígua, em que o único denominador comum entre os que a praticam é o instrumento. O que escapa deste gravador não escapa às contingências econômicas de um mundo de desordens, às tensões cada dia mais intensas e a conseqüências ecológicas mais insensatas. Henri Cartier Bresson

3 História da Fotografia

4 DESENVOLVIMENTO DA FOTOGRAFIA pinturas de cenas rupestres século XVI século XVII Nièpce em 1826 (heliografia) Daquerre 1839 (daquerreótipo) Hercule Florence (Brasil, 1833), Hippolyte Bayard (França, maio de 1839), Henri Fox-Talbot (Inglaterra, janeiro de , calótipo ou talbótipo, Scott Archer os negativos em colódio Richard Leach Maddox emulsão em gelatina em 1871 George Eastman Kodak N.º 1 em 1888 século XIX Uso de máquinas de desenhar Câmera lúcida descobertas isoladas da fotografia ao mesmo tempo século XX Autochrome(1907), Kodachrome(1935), Ektachrome (1942), Cibachrome(1963), Fotografia instantânea Polaroid (1963), Tecnologia digital (1990) tecnologias aprimoradas Pré-história

5 Primeira fotografia (heliografia) de Niépce ( Joseph Nicéphore Nièpce ( )) em 1826, tirada da janela do sótão de sua casa de campo em Le Gras em Chalons-sur- Saône, na França.

6 O estúdio do fotógrafo, 1837 Primeiro daguerreótipo de Louis-Jacques Mandè Daguerre ( )

7 A fotografia ''fabricada'' ou representada não me concerne. E se faço um julgamento, será apenas de ordem psicológica e sociológica. Há os que fazem fotografia preparada de antemão e os que vão à descoberta da imagem, surpreendendo-a. A câmera fotográfica é para mim um bloco de notas, instrumento da intuição e da espontaneidade, mestre do instante que, em termos visuais, questiona e decide ao mesmo tempo... Henri Cartier Bresson

8 Imagem Digital

9 um subproduto da guerra fria e da exploração espacial cientistas desenvolvem uma maneira de enviar imagens captadas em locais distantes para a terra ponto de imagem ("pixel") é transformado em números e depois em impulsos elétricos transmitidos imagens eram digitalizadas na resolução de 800X800 pixels totalizando elementos de imagem Final dos anos 80 – primeiros programas de editoração de imagens como o Photoshop, Letraset e outros primeiras digitais chegaram ao mercado no início dos anos 90 no padrão profissional Final dos anos 90 tornam-se acessíveis para os amadores com diversos lançamentos efetivados pelas grandes fabricantes

10 Definições de imagem digital

11 -o termo Imagem Digital refere-se ao processo específico de transformar imagens em dados digitais, -o termo Imagem Eletrônica engloba todas as formas de fotografar, tanto as digitais quanto as analógicas, -outra forma de imagem eletrônica é a gravação de vídeo. pode ser usada para filmar ações em movimento, ou capturar quadros individuais específicos de uma seqüência, possibilitando sua digitalização, O processo digital fica melhor entendido, quando desdobramos em seus componentes básicos: captação (que representa tirar uma foto e colocá-la dentro de um computador), manipulação (significando o tratamento e modificação da imagem), produto final (representando as várias formas de saída para a imagem digitalizada).

12 Captação

13 pode ser feita através de: "scanner", câmera digital rede de computadores ( Internet ou Intranet ). A mais comum é através de um "scanner" usando-se um negativo, cromo ou cópia, Já é nossa realidade: opção do filme revelado e a disponibilização em forma de CD com as fotos já digitalizadas. pelo correio, após o processamento, enviam de volta diretamente para seu através da Internet, câmeras digitais que possibilitam a captação direta, armazenamento em cartões de memória como: Flash Cards, CompactFlash, SmartMedia, Microdrives ou Disquetes Imediata transferência de arquivos para os computadores, Inconveniências da captação por câmera digital : -baixa resolução dos equipamentos de preço mais acessível, -limitações de recursos das câmeras, quando comparadas com às convencionais de valor equivalente, - preços ainda elevados dos equipamentos completos,

14 Manipulação

15 Inúmeras maneiras para modificar imagens digitalizadas: a otimização: utilizada para limpar fotos que contém imperfeições envolvendo ajuste de brilho e contraste, remoção de "olhos vermelhos", uso de filtro para aumento de definição e eliminação de manchas de poeira e riscos, o processo é relativamente fácil de ser aprendido e existem vários programas disponíveis para este fim por preços acessíveis que executam todas as operações automaticamente, a manipulação de imagens já envolve mudanças em suas características que podem ser: simples (alteração da cor de fundo ou a remoção de algum indivíduo ou elemento indesejado) ou altamente complexas (envolvendo radicais mudanças que podem até transformá-la em um trabalho artístico),

16 A maior parte das Imagens Digitais envolve prévia Manipulação, existem softwares de diversos níveis e recursos, (dos mais simples e amigáveis até os altamente profissionais que necessitam de um bom treinamento), a foto composição consiste em montar em uma única composição diversas imagens, gráficos, textos e outros elementos. Ela pode ser considerada como o topo da Imagem Digital, atualmente existem softwares de preço acessível com elevada capacidade de foto composição, fazendo desaparecer os limites anteriormente existentes entre a manipulação de imagens e a foto composição.

17 Produto final (Output)

18 O estágio final do Processo da Imagem Digital é sua forma de utilização ( "output" ) pode consistir de: cópias ou ampliações, slides, material para impressão, arquivos para distribuição em redes de computadores ou montagem em documentos escritos e outros, a forma mais comum é por intermédio das impressoras de jato de tinta, porém a de melhor qualidade (qualidade fotográfica) é a de "dye-sublimation" ou cera sólida, A geração de slides a partir de arquivos digitais podem ser produzidos com o uso de uma palette de fotografia tradicional,

19 gravação de arquivos de fotos manipuladas em um meio físico que possibilite o fácil transporte. Gravá-los em CD e DVD é a primeira alternativa, desde que sua dimensão (mesmo comprimido) caiba no mesmo, utilização de Pen drives que permitem armazenar até 1 Gb, ou seja, diversas fotos geradas em modo de alta resolução, que ocupam sempre arquivos com mais de 20 Mb, outro caminho é o de transmitir os arquivos por meio de algum serviço "online", em que não há necessidade de cópias, gravações, etc. Por outro lado, o número de pessoas que possuem acesso a tal facilidade ainda é irrelevante em nosso país, estando restrito às grandes editoras de revistas e jornais,

20 transmitir grandes arquivos pela Internet, em face das limitações existentes nas velocidades de transferência, ainda é parcialmente inviável. Arquivos contendo fotos com alta resolução, demandam mais de 30 minutos de transmissão e dificilmente são aceitos pelos provedores de acesso, salvo os casos em que são disponibilizados endereços de repositórios em provedores (FTP), apesar do cenário acima parecer um pouco confuso, a Imagem Digital não deve ser vista como uma tecnologia de difícil domínio, bastando somente o conhecimento de cada uma de suas etapas.

21 Para ''revelar '' o mundo é preciso sentir-se implicado no que se enquadra através do visor. Essa atitude exige disciplina de espírito, sensibilidade e senso de geometria. É através de uma grande economia de meios que chegamos à sensibilidade de expressão. Deve-se sempre fotografar com o maior respeito ao sujeito e a sí próprio. Fotografar é segurar o fôlego quando todas as nossas faculdades se conjugam diante da realidade fugidia; é quando a captura da imagem representa uma grande alegria física e intelectual. Henri Cartier Bresson

22 Fotografia Digital – principais dúvidas:

23 -as células fotossensíveis que compõe um CCD (conjunto de fotocélulas formado por linhas e colunas) registram muito rapidamente a luz, -feita a captação, a imagem retida no CCD deve ser armazenada em algum tipo de memória (RAM, disco, cartão PCMCIA, etc) para liberar o CCD para a próxima imagem, -a digitalização e transferência da informação luminosa do CCD para a memória ou disco da câmara pode requerer alguns segundos, Como funciona uma câmera digital?

24 Quais as semelhanças e diferenças entre câmeras convencionais e digitais?

25 -nas digitais não se utilizam filmes, e sim um cartão de memória para armazenamento das imagens (cartão que permite que se grave, copie e apague (delete) arquivos de imagens, inclusive vídeo). -a luz do flash semelhante à câmera tradicional e dependendo do modelo da digital, pode vir embutido no corpo e/ou utilizando um flash externo. -na digital existe um pré-disparo para avaliar a luz branca, ou whitepoint, o que obriga ao uso de flashes especiais. -nas digitais, além de um visor idêntico às das máquinas fotográficas tradicionais (não SLR), incorporam visor de tela de cristal líquido (LCD) localizado na parte posterior do corpo da câmera.

26 - na digital, a vantagem de visualização da imagem exatamente como será fotografada, mas em ambientes de muita luz (sob o sol, por exemplo), é praticamente impossível usar o visor LCD e seu uso contínuo acaba rapidamente com a bateria. -as objetivas são semelhantes, mas na digital muitas incorporam o recurso de zoom digital, além do zoom ótico. O zoom digital é irreal, é uma aproximação, ou uma ampliação gerada por software. Isso resulta numa imagem imprecisa e de cores inconsistentes. -os ajustes de foco, velocidade de obturador e abertura de diafragma, nos modelos mais simples de câmeras digitais são totalmente automáticos.

27 -câmeras digitais mais modernas, pode-se regular estes controles, além definir se a captura da imagem se dará em qual sensibilidade (correspondente a 100, 200, 400 ASA ou de melhor capacidade, dependendo do modelo). -digitais modernas incorporam o recurso de áudio e vídeo, ou seja, é possível filmar alguns segundos ou minutos (depende da capacidade de armazenamento em cartão de memória do equipamento). e anexar anotações de voz numa imagem. -as digitais vem equipadas com um cabo (geralmente USB) para conexão da câmera à um computador, para transferência das imagens. -uma ou mais baterias recarregáveis de longa duração, um cabo de áudio e vídeo que pode inclusive ser conectado a uma aparelho de TV ou videocassete, e o cartão de memória onde as imagens são armazenadas.

28 Qual a diferença entre imagem vetorial e bitmap?

29 A imagem acima mostra uma ilustração vetorial, com e sem o preenchimento de cor. Como as imagens vetoriais são definidas matematicamente, ocupam pouco espaço em disco. São utilizadas principalmente nas fontes de texto, como este que você está lendo agora, gráficos, ilustrações e preenchimento em dégradé. Imagem vetorial

30 Imagem bitmap A imagem obtida por fotografia digital ou escaneada é um bitmap, ou seja, mapeada por bits, É uma imagem que está organizada em uma série de linhas e colunas formadas por pixels, Cada pixel (picture element) possui apenas uma cor e não possui uma dimensão fixa: o tamanho será atribuído ao pixel no momento da impressão,

31 O tamanho de uma imagem digital está definido no número de linhas e colunas que a forma. A imagem ao lado, tem 116 colunas e 119 linhas de tamanho, em um total de pixels, Para sabermos o tamanho em bytes que o arquivo vai ocupar, basta multiplicar o número de pixel da imagem pela quantidade de bytes necessários para descrever cada pixel. O arquivo da margarida possui apenas 10 kB devido à compressão JPG (Joint Photographic Experts Group).

32 PRINCIPAIS TIPOS DE COMPRESSÃO DE IMAGENS tiposcaracterísticasutilização GIF Graphics Interchange Formato leve que não existe perdas, com padrão de cores limitado a 256, pode armazenar mais de uma imagem no arquivo animação em internet. JPEG Joint Photographic Experts Group compressão com perdas. permite o uso de até 16 milhões de cores formato mais utilizados atualmente, em imagens produzidas por câmera digital. TIFF Tagged Image File Format padrão sem perda de qualidade. Pode ser com perdas ou não compressão de imagens para impressão. PNG Ping Alternativa do GIF, imagens de maior qualidade visual Para envio de imagens pela internet. WAV Arquivo de áudio sem compressãoPara salvar arquivos de som. RAW Foto sem compressão e de melhor qualidade. Windows e programas de edição de imagens não reconhecem. Será preciso ser utilizado atraves de programa próprio RAWShooter em imagens produzidas por câmera digital.

33 IMAGEM PADRÃO JPG A luz de Floripa 1024x Kb

34 IMAGEM PADRÃO TIFF orquídea 1772x Mb

35 Imagem JPG impressão com pixelização IMAGEM PADRÃO JPG impressa

36 IMAGEM PADRÃO GIF Câmera digital 300x kb

37 O que é resolução de imagem? É o número de pixels impressos (quanto maior a resolução, mais pormenores podem ser reproduzidos ou exibidos) por unidade de medida, sendo a polegada (1pol = 2,54 cm) utilizada com mais freqüência.

38 Como produzir imagens para impressão?

39 -a imagem, na sua forma digital, não possui, tecnicamente, uma resolução. Uma imagem de 600 pixels de largura que seja impressa em 3 polegadas ela terá 200 dpi, se impressa em 6 polegadas terá 100 dpi. No primeiro caso, a imagem está apropriada para uma impressão em jornal, no segundo para um banner, -existe uma proporcionalidade inversa entre as dimensões de uma impressão e a resolução. Aumentando o tamanho da impressão diminui a resolução e vice-versa. Uma resolução bastante comum para impressão de arquivos em offset, e suficiente para 95% dos trabalhos de alta qualidade, é 254 dpi -para saber que tamanho em centímetros imprimirá um arquivo nesta resolução, basta dividir o número de pixel por 100. Ex: uma imagem de 1800 x 1200 pixels imprime um arquivo de 18 por 12 cm.

40 Como produzir imagens para visualização em tela de computador e multimídia?

41 -devemos ficar atentos às dimensões em pixel da imagem, para sabermos o tamanho relativo que ela ocupará na tela. EX: uma imagem de 400 x 300 pixel exibida em uma página da web, em monitores idênticos (a dimensão da tela, 14, 15, 17, 19 ou 21 é irrelevante) mas com diferentes configurações de pixel: Tela: 640 x 480 pixel Tela: 800 x 600 pixel Imagem: 400 x 300 pixel Não importa que resolução em dpi esteja configurada a imagem, ela vai sempre ocupar o mesmo tamanho relativo às dimensões de exibição da tela.

42 Naquelas configuradas para 640x480 a imagem vai ocupar cerca de 1/3 do espaço; na tela 800x600, vai ocupar 1/4. Observe que os menus e as paletas de ferramentas se alteram proporcionalmente de tamanho, pois também são bitmaps.

43 Como armazenar as imagens digitais?

44 -os meios de armazenamento das imagens captadas pela câmeras digitais estão como os filmes para as câmeras convencionais, -por força da existência de inúmeros fabricantes de câmeras digitais, existem no mercado diversos tipos de meios de armazenamento, -quanto maior a capacidade do meio (medida em Megabytes - Mb), maior o número de imagens que conseguimos armazenar, -fotografias em alta resolução, com qualidade para ser impressa em tamanhos razoáveis, formam arquivos muito grandes, -para se tirar 36 fotografias no formato TIFF em alta resolução (o que corresponderia à quantidade de fotos de um filme tradicional) seriam necessários nada mais nada menos que 324 MB de espaço num cartão de memória,

45 -existem cartões dessas dimensões, e maiores até, mas ainda custam muito caro, -os cartões que são fornecidos pelos fabricantes normalmente são de 8 ou 16 MB de capacidade, pouco para fotos de alta resolução, -quando a idéia são fotos para a Internet, tipo 640 x 480 pixel (que representam arquivos por volta de 10 kbs), pode-se tirar centenas de fotos num cartão de memória de 8 MB, -novos modelos de câmeras digitais usam alguma forma de mídia de armazenamento removível, normalmente cartões de memória flash, pequenos discos rígidos e até mesmo disquetes, O número de imagens que se pode gravar até completar o espaço disponível depende de uma série de fatores: -a capacidade em tamanho (expressa em Megabytes) do equipamento - a resolução com a qual as fotos são feitas - quanto de compressão é usada no arquivo salvo

46 Mídias para armazenagem de imagens -até recentemente, a maioria dos cartões de memória vinham no formato PC Card (PCMCIA) usados originalmente em computadores tipo notebook. -hoje existe uma confusa variedade de cartões de memória incompatíveis uns com os outros, e que são: -PC Cards -CompactFlash -SmartMedia -xD Cards -MemorySticks -Multimedia Cards IMPORTANTE É SABER QUAL É O CARTÃO COMPATÍVEL COM A SUA CÂMERA DIGITAL

47 Tipos de mídias para armazenagem de imagens Compact Flash Cartões de Memória Flash

48 O que devo observar quando for fotografar?

49 Fotografar é, num mesmo instante e numa fração de segundo, reconhecer um fato e a organização rigorosa das formas percebidas visualmente que exprimem e significam este fato. É colocar na mesma mira a cabeça, o olho e a emoção. No que me concerne, fotografar é um meio de compreender, que não pode se separar dos outros meios de expressão visual. É uma forma de gritar, de se liberar e não de provar ou de afirmar sua própria originalidade. É uma forma de viver.' Henri Cartier Bresson

50 -para obtermos boas fotografias é importante que primeiro entendamos os conceitos de fotografia e depois procurar no manual da câmera os passos necessários para utilizá-los em qualquer situação. - conceitos de fotografia é o caminho para responder a pergunta do tipo por que esta foto não ficou boa. -uma grande fotografia começa quando se reconhece uma grande cena ou motivo. O fotógrafo deve estar preparado. E isso envolve o conhecimento da sua câmera de modo a fotografar o que se vê. -conhecer o tipo de câmera, suas características e limitações nos explicam o questionamento do tipo como eu não consegui fotografar. -para conseguir fotografias mais interessantes e criativas, o fotógrafo precisa entender como e quando usar um mínimo de recursos de sua câmera, como profundidade de campo e controle de exposição.

51 -tendo em mente o exposto, o fotógrafo estará pronto para manter tudo numa cena com nitidez absoluta para exibir melhores detalhes, ou deixar meio nebuloso para dar um ar impressionista à um retrato, ou tomar closes dramáticos, congelar ações rápidas, criar maravilhosos panoramas, e capturar a beleza de arco-íris, pôr-do- sol, queimas de fogos e cenas noturnas. Não existem regras ou melhor modo de fotografar. Grande fotógrafos aprenderam o que sabem experimentando e tentando novos modos de fotografar. Câmeras digitais tornam isso muito fácil porque não existem custos de filmes ou demoras para se ver os resultados. Cada experiência é livre, e cada fotógrafo poderá registrar os resultados imediatamente, ou passo a passo.

52 Capturar uma boa cena requer oportunidade

53 Velocidade alta de obturador congela a imagem

54 Momento decisivo, quando ações acontecem

55 Obturador em 8 segundos e movimento de câmera

56 ter noções de fotografia, e conhecimento de seu equipamento aliado à sensibilidade pessoal faz a qualidade de uma boa fotografia.

57 O que devo observar quanto decidir adquirir uma câmera digital?

58 Câmeras digitais mais populares: preço final baixo ( questão de marketing ) qualidade de imagem é limitada falta de controles manuais (problema para fotógrafos experientes) Nas câmeras digitais mais sofisticadas: - a qualidade da imagem rivaliza ou até excede, em alguns casos, as obtidas por câmeras SLR 35mm tradicionais. -câmeras digitais com lentes intercambiáveis -controles iguais a qualquer modelo reflex tradicional O que se pretende com a câmera digital? -se a idéia for produzir imagens para serem vistas na tela, apresentações, ou enviar imagens rapidamente pela Internet para parentes e amigos, as câmeras de baixo custo e que geram imagens em baixa resolução são mesmo as mais indicadas.

59 Qual o melhor procedimento para fotografar motivos diversos?

60 -câmeras digitais com recursos oferecem controles criativos sobre as imagens. -embora a maioria das câmeras simples sejam totalmente automáticas, algumas permitem que se façam pequenos ajustes que afetarão a imagem. -as melhores câmeras oferecem uma ampla gama de controles, em alguns casos mais do que se pode encontrar em uma câmera 35 mm SLR. -mesmo que a câmera seja totalmente automática, é possível controlá-la indiretamente, ou tirar vantagem desses efeitos para controlar as imagens.

61 -totalmente automáticos – este modo configura a velocidade e abertura, mais o balanço de cor (White-balance) e foco sem a intervenção do fotógrafo. Permite que o fotógrafo preste atenção na cena e ignore a câmera. -modo programado – permite que o fotógrafo selecione uma variedade de situações como fotos de retrato, cenários, esportes, crepúsculo, etc. Ainda é a câmera que estabelece a abertura e a velocidade nessas condições. -prioridade de abertura – este modo permite que o fotógrafo selecione a abertura necessária para obter uma certa profundidade de campo enquanto o sistema combina essa abertura com a velocidade de obturador necessária para correto balanço da exposição.

62 -prioridade de obturador – este modo permite que se escolha a velocidade do obturador como prioritária, torna-se necessária quando se pretende congelar uma imagem ou tremer propositalmente um objeto, deixando a escolha da abertura para a câmera. Ex: quando se fotografa ação de esportes, animais ou em foto jornalismo, a escolha de velocidade de obturador é quase obrigatório, com velocidades maiores, 1/500 por exemplo, para congelar a ação, ou baixas velocidades, 1/8 por exemplo, para tremer a imagem. -modo manual – permite que se selecione tanto a velocidade como a abertura. Recomendado somente para fotógrafos experientes e profissionais.

63 USANDO O FLASH -nos modelos mais simples são incorporados ao corpo da câmeras e podem ser utilizados nas formas: -automático –a câmera faz a leitura da luz ambiente, e se for necessário, dispara o flash para melhor iluminar a cena. -nunca disparar – a câmera não dispara mesmo que tenha detectado iluminação insuficiente. Usado para se conseguir efeitos especiais em fotos noturnas. -sempre disparar – obriga a câmera a disparar o flash mesmo que as medições concluam que há luz suficiente. Recurso bom para melhorar a iluminação de rostos em contra-luz, por exemplo, ou para melhorar o contraste em cenas de pouco contraste. -redução de olhos vermelhos – é um recurso da câmera para evitar o chamado efeito de olhos vermelhos.

64 Como conservar as imagens digitais?

65 -a imagem digital possui a capacidade técnica de conservação teoricamente infinita, pois o arquivo copiado não sofre degeneração alguma. -a fotografia convencional colorida terá uma duração muito boa de 15 a 20 anos e uma duração razoável (com perda de cor) entre 40 e 60 anos, dependendo das condições de armazenagem. -é um paradoxo, uma vez que as condição técnica superior não garante futuro longínquo à fotografia digital uma vez que cópias destes arquivos geralmente são feitos em CDs não confiáveis e baratos cuja durabilidade muitas vezes não chega a 6 meses. -graças à nossa cultura de usuários, a fotografia produzida no papel fotográfico tem uma durabilidade muito superior a digital. Obviamente, que uma não exclui nem substitui a outra, elas são complementares. -o melhor caminho que em geral devem tomar neste momento, é saborear a seleção virtual que a foto digital permite e escolher a cada tema fotografado as melhores imagens e reproduzi-las no papel fotográfico.

66 O que o apoio didático oferece aos usuários com relação à fotografia digital? -são produzidos materiais didáticos (fotografia), no formato digital para montagem de apresentações, publicações, teses, pôsteres e para documentação de eventos. Atendendo também a chamadas para documentações de casos médicos de interesse científico, onde fotografamos, tratamos e gravamos em CD e disponibilizamos para o solicitante. Brevemente todas as imagens produzidas na FCM estarão depositadas em um banco de imagens com permissão do autor. Poderão ser acessadas somente pelo autor, restrito a algumas pessoas autorizadas ou disponibilizadas para toda a comunidade FCM.

67 -canal contemporâneo -curso de fotografia digital DMM/IA/UNICAMP -Conservação e Preservação de Coleções Fotográficas. Por Marli Marcondes -Cuidados com a câmera digital -Fotografia digital -Geração Sem Memória - Fotografia Digital - Jonatas Abbott 19/09/ Pixels, resolução e coisas afins. por Egidio Pandolfo -Henri Cartier Bresson Bibliografia consultada:

68 HENRY CARTIER-BRESSON, França, Considerado o pai da foto reportagem é co- fundador da agência Mágnum Photos, agências de fotografia conceituda como uma das melhores do mundo. Possuía a capacidade única de capturar o momento efêmero em que a importância do tema se conjuga a forma e a expressão que ele chamou de momento decisivo. Com respeito a sua técnica jamais fez montagem de negativos, cortes em ampliações, sempre produziu fotos com o enquadramento original e sem cortar nada. Realizou fotografia em praticamente todo o mundo e foi o primeiro a expor suas fotos no museu do Louvre. Durante os seus últimos anos Cartier-Bresson se dedicou a pintar e desenhar retratos e paisagens. É considerado um gênio da fotografia e inspiração para muitos que respeitam a fotografia como arte e cultura.

69

70

71

72

73

74


Carregar ppt "DESMISTIFICANDO A FOTOGRAFIA DIGITAL Emilton Barbosa de Oliveira DADCC - FCM - UNICAMP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google