A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série da classificação brasileira de solos: Relações solo-paisagem e sua utilização em levantamentos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série da classificação brasileira de solos: Relações solo-paisagem e sua utilização em levantamentos."— Transcrição da apresentação:

1 Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série da classificação brasileira de solos: Relações solo-paisagem e sua utilização em levantamentos pedológicos detalhados em áreas de citrus, cana-de-açúcar e café

2 Levantamentos detalhados e ultra-detalhados no Brasil Resultados de pesquisa 95,6 ha (citrus) 530 ha (cana-de-açúcar) 31,7 ha (café) 200 ha (cana-de-açúcar) Considerações finais Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série

3 Série ??? Brasil (Série ???) E.U.A Limites laboratorias quantitativos Sistema de classificação de solos Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Levantamentos detalhados e ultra-detalhados no Brasil

4 Levantamento: Nível Exploratório Levantamento: Nível Semi-detalhado Levantamento: Nível Ultra-detalhado Pédon Trado

5 Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Segundo Legros (2006) existem 5 tipos de mapeamento de solo: LEGROS, J.-P. Mapping of the soil, 411 pp., 2006 (a)pela similaridade de diferentes (método clássico) (b)livre ou categórico (podem utilizar conceitos de relação solo-paisagem) (c)utilizando análise geoestatística (d)utilizando à lógica fuzzy (e)pela capacidade de uso da terra Mapeamento híbrido ( Modelos de paisagem+classificação númerica ) Em escalha detalhada e ultra-detalhada requer grande número de amostras Em escalha detalhada e ultra-detalhada requer grande número de amostras 1.Aumento dos custos 2.Aumento do tempo de coleta e análise 3.Erro laboratórial ( até 30% - Cantarella et al., 2006) 4.Menor tempo para planejamento 5. Impacto ambiental ( reagentes químicos usados nas análises laboratóriais) 1.Aumento dos custos 2.Aumento do tempo de coleta e análise 3.Erro laboratórial ( até 30% - Cantarella et al., 2006) 4.Menor tempo para planejamento 5. Impacto ambiental ( reagentes químicos usados nas análises laboratóriais) Levantamentos detalhados e ultra-detalhados no Brasil

6 Siqueira et al. (2010a) Correlation of properties of Brazilian Haplustalfs with magnetic susceptibility measurements. Soil Use and Management, 26, 425–431 Auxílio Pesquisa CNPQ(Proc /2009-0) Caracterização do Solo Utilizando Técnicas Geomorfologicas e Classificação Númerica Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Levantamentos detalhados e ultra-detalhados no Brasil Suscetibilidade magnética (SM) Correlação da SM com: Teor de argila ( 0,68 ), V% ( 0,76 ) e teor de hematita ( 0,81 )

7 Principal componente-PC ( trabalha os segmentos de diferentes amostras simultaneamente ) Espectroscopia de Reflectância Difusa PC- Visível (Vis) PC- Infravermelho (Nir) Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Levantamentos detalhados e ultra-detalhados no Brasil

8 Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Levantamentos detalhados e ultra-detalhados no Brasil Resultados de pesquisa 95,6 ha (citrus) 530 ha (cana-de-açúcar) 31,7 ha (café) 200 ha (cana-de-açúcar) Considerações finais

9 Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 1 Auxílio Pesquisa FAPESP (Proc. 2005/ ). Relações entre a variabilidade espacial dos atributos físicos de Latossolos e qualidade da fruta cítrica Caracterização da área Município: Gavião Peixoto – SP Material de origem: arenitos do Grupo Bauru, Formação Adamantina Solos: Latossolo Vermelho Escuro distrófico, com horizonte A moderado e textura média a argilosa Uso: laranja Área: 95,6 ha Pontos amostrados: 312

10 Caracterização da área Município: Gavião Peixoto – SP Material de origem: arenitos do Grupo Bauru, Formação Adamantina Solos: Latossolo Vermelho Escuro distrófico, com horizonte A moderado e textura média a argilosa Uso: laranja Área: 95,6 ha Pontos amostrados: 312 Espaçamento: 50 m Unidade amostral amostragem do fruto (média de 9 plantas) Coleta de solo Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 1

11 Mapeamento de zonas específicas de manejo ( g.kg -1 ) ( mmol c.dm -3 ) Resultados de pesquisa – Exemplo 1

12 Mapeamento de zonas específicas de manejo ( g.kg -1 ) (m g.kg -1 ) ( g.kg -1 ) Resultados de pesquisa – Exemplo 1

13 (número de cx. tonelada de suco concentrado -1 ) 1.Menor número de caixas 1 tonelada de suco concetrado 2.Mais homogênea planejamento de colheita: maior uniformidade da matéria-prima Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 1 Dissertação: Leão, M. G. (2004)

14 Índice de qualidade física do solo Índice da fruta 0,18 0,39 DMG, teor de argila, teor de matéria orgânica, condutividade hidráulica, resistência do solo à penetração, teor de água, VTP e densidade do solo na profundidade de 0.00 – 0.20 m Sólidos solúveis totais, acidez total titulavel, produção e tamanho da frua, em três épocas diferentes côncava Análise de correlação canônica (ACC): Foi criado um índice para expressar a relação de causa-efeito entre solo e planta Siqueira et al. (2010b) The use of landforms to predict the variability of soil and orange attributes. Geoderma v. 155, Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 1

15 7.248,73 kg Preço médio do suco concentrado e congelado na Bolsa de Nova Iorque, 2007 (US$/t): 2223* * Fonte: Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada CEPEA ESALQ/USP ~ 16 mil dólares/ha Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 1 Cortez et al. (2011) Suscetibilidade Magnética para Identificação de Áreas de Manejo Específico em Citricultura Energia na Agricultura Côncava

16 Caracterização da área Município: Pradópolis – SP Material de origem: arenitos do Grupo Bauru, Formação Adamantina Solos: Latossolos vermelhos eutroférricos, distroférricos Uso: cana-de-açúcar Transeção: ~ 3 km Pontos amostrados: 121 pontos Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 2 Auxílio Pesquisa FAPESP (Proc. 2009/ ). Variabilidade Espacial da Mineralogia da Fração Argila e Relações com Atributos Físicos e Químicos de Latossolos em Diferentes Superfícies Geomórficas

17 SG I SG II SG III Topo Ombro Meia encosta Sopé Sopé t-studant Splint Moving Windows Suscetibilidade magnética 0-20 cm cm Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 2

18 Bi-lateralidade ? ? SG I SG II SG III Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 2

19 Bi-lateralidade SG I SG II SG III Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 2

20 Bi-lateralidade Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 2

21 Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 2 Dissertação: Siqueira, D. S. (2010) – Bolsa FAPESP/Mestrado (Proc. 2008/ ) Tese: Matias, S. S. R. (2010) – Programa DINTER – Bolsa/CAPES Ultra-detalhado (110 ha-257 pontos) Ultra-detalhado (110 ha-257 pontos) Detalhado (770 ha-110 pontos) Detalhado (770 ha-110 pontos)

22 Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 2 Atributos cristalográficos do mineral goethita Ferro mais cristalino encontrado no solo Tese: Camargo, L. A. (2012) Bolsa FAPESP/Doutorado (Proc /5)

23 Co:50% Co: 33% Menor erro na modelagem na modelagem da variabilidade Exemplo 2 - Semivariograma Escalonado Siqueira et al. (2010) Suscetibilidade Magnética no Estudo da Variabilidade Espacial dos Atributos do Solo e da Cana-de-açúcar ConBAP – Congresso Brasileiro de Agricultura de Precisão, Ribeirão Preto-SP, 2010, Apresentação Oral Proximidade do parâmetro alcance

24 Município de Guimarânea, região do Alto Paranaíba, a suldoeste do Estado de Minas Gerais (18 de produção de café var. Catuaí) 31,7 hectares (145 pontos ) Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 3 Dissertação: Baracat, M. G. S. (2009)

25 Unidade amostral amostragem do fruto (média de 9 plantas) 145 pontos Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 3

26 Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 3

27 Análise de componentes principais (ACP) Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 3 Silva Júnior et al. (2010) Delimitação de zonas de manejo específico por meio da geoestatística e análise multivariada ConBAP – Congresso Brasileiro de Agricultura de Precisão, Ribeirão Preto-SP, 2010, Apresentação Oral

28 Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 3

29 % peneira litros pé -1 Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 3 litros pé -1

30 Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 3

31 Caracterização da área Município: Catanduva – SP Material de origem: rochas areníticas sedimentares do Grupo Bauru, Formação Adamantina Solos: Argissolo Vermelho-Amarelo eutrófico textura média/argilosa Uso: cana-de-açúcar Área: 200 ha Pontos amostrados: 623 pontos 2 malhas de 1 ha (121 pontos) Côncava Convexa Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série Exemplo 4 Finalistas da 11ª edição do Prêmio FINEP de Inovação Tecnólogica Dissertações: Barbieri, D. M. (2007), Camargo, L. A. (2009) Tese de Doutorado: Baracat, R. S. (2006) Tese de Livre-Docência: Marques Jr. (2009) Caracterização de áreas de manejo específico no contexto das relações solo-relevo ( Bolsa FAPESP de Pesquisa no Exterior, Proc. FAPESP Processo: 2007/ )

32 Exemplo 4 - Malhas Barbieri et al. (2009) Hillslope curvature, clay mineralogy, and phosphorus adsorption in an Alfisol cultivated with sugarcane Scientia Agricola, 6,

33 Mapeamento de zonas específicas de manejo Área total (200 ha) Modelo matemático +modelo de paisagem: 60,05 U$ ha -1 Modelo de paisagem: 88, 53 U$ ha -1 Resultados de pesquisa – Exemplo 5

34 ~ 120 pontos (0,00-0,20 m) ~ 1 ha Marques Jr. et al. (2010) Suscetibilidade Magnética e Refletância Difusa como Função de Pedotransferência para Atributos Físicos e Químicos do Solo. XXXII – Congresso Brasileiro de Ciência do Solo, Fortaleza-CE Exemplo 4 – Malha (Côncava)

35 Exemplo 4 - Semivariograma Escalonado C o em ordem crescente: Nir-PC2 < SM < Vic-PC2 < Vis-PC1 < Nir-PC1 Resultados da parceria UNESP-UCO (FAPESP Proc. 07/ )

36 Levantamentos detalhados e ultra-detalhados no Brasil Resultados de pesquisa 95,6 ha (citrus) 530 ha (cana-de-açúcar) 31,7 ha (café) 200 ha (cana-de-açúcar) Considerações finais Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série

37 Compartimento II (- homogêneo) Compartimento I (+ homogêneo) Escala 1:50.000Escala 1:5.000 Escala 1:1.000 Número de amostras por unidade de área Dentro de um mesmo compartimento o padrão de variabilidade dos atributos do solo e da planta é o mesmo independente da escala Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série

38 Complexo sistema de relações de causa-efeito Ao longo da paisagem Modelos de paisagem para identificação dos limites no campo e otimização amostral Amostragem (SM, Espectroscopia) e classificação númerica para validação dos limites de campo Identificação de áreas de manejo específico ~ subsídios aos levantamentos para o nível de série

39 Literatura consultada *texto com hiperlink, clique sobre o nome para acessar

40 Créditos Coordenador: Prof. Dr. José Marques Júnior Coordenador: Prof. Dr. José Marques Júnior Diagramação: Diego Silva Siqueira Diagramação: Diego Silva Siqueira Apoio: Equipe CSME Apoio: Equipe CSME *texto com hiperlink, clique sobre o nome para acessar

41 OBRIGADO!


Carregar ppt "Subsídios para levantamentos detalhados para nível de série da classificação brasileira de solos: Relações solo-paisagem e sua utilização em levantamentos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google