A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1) Qual o objetivo da Orientação Pessoal? O objetivo da orientação pessoal não é curar doenças. A cura da doença é, por assim dizer, um subproduto da.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1) Qual o objetivo da Orientação Pessoal? O objetivo da orientação pessoal não é curar doenças. A cura da doença é, por assim dizer, um subproduto da."— Transcrição da apresentação:

1

2 1) Qual o objetivo da Orientação Pessoal?

3 O objetivo da orientação pessoal não é curar doenças. A cura da doença é, por assim dizer, um subproduto da orientação pessoal. O principal é despertar na pessoa a consciência de filho de Deus e continuar orientando-a até que ela se torne capaz de manifestar concretamente, na vida prática, essa sua natureza verdadeira. (Manual do Preletor, p. 28 / Apostila CTP, p. 7)

4 2) Em que consiste a verdadeira salvação?

5 Salvar verdadeiramente é fazer com que a pessoa conscientize que o homem é Filho de Deus. O ser humano é a própria Vida de Deus, não adoece não envelhece, não morre, é a Vida que jamais fenecerá. A religião que proporciona esse despertar é a religião mais maravilhosa. (Manual do Preletor, p. 29 / Apostila CTP, p. 7)

6 3) Qual a função da religião?

7 A função da religião é desimpedir a Vida, devolvendo-lhe a liberdade. Se alguém confessa uma religião, mas vive sombrio, triste e preso à ideia de pecado, podemos dizer que essa religião não está cumprindo o seu dever. Ninguém tem dúvida de que a função da religião é eliminar a tristeza e proporcionar a alegria. (A Verdade da Vida v. 27 cap. 1 / Apostila CTP, p. 5) 3) Qual a função da religião? A função da religião é desimpedir a Vida, devolvendo-lhe a liberdade. Se alguém confessa uma religião, mas vive sombrio, triste e preso à ideia de pecado, podemos dizer que essa religião não está cumprindo o seu dever. Ninguém tem dúvida de que a função da religião é eliminar a tristeza e proporcionar a alegria. (A Verdade da Vida v. 27 cap. 1 / Apostila CTP, p. 5)

8 4) Quais os requisitos fundamentais para que ocorra a anulação total do ego no momento da orientação pessoal?

9 A anulação absoluta de si e o sentimento de gratidão a tudo é que facilitam a manifestação da Sabedoria de Deus, possibilitando o aparecimento, em plenitude da força vital de Deus. Quando Jesus disse que ele mesmo nada podia realizar, estava rejeitando a força do ego; e quando disse que tudo é obra do Pai do Céu que nele está, louvou a força de Deus que se manifesta após a anulação do ego. (A Verdade v. 8, p. 249)

10 5) Por que orar se tudo já nos foi dado?

11 Alguém pode pensar que, se tudo já nos foi dado, não há necessidade de orarmos, ou que, se recebemos quando oramos, Deus é movido pelas súplicas das pessoas. Mas as graças que já nos foram dadas, mesmo sem termos pedido, são como as ondas de rádio que já existem, mesmo sem as termos solicitado. Elas estão sendo emitidas constantemente. Conseguir ou não captar as ondas de bênçãos de Deus depende da nossa capacidade de sintonização. (Ciência da Oração, p. 30 / Apostila CTP, p. 13)

12 6) Qual o método para sintonizar a mente com as ondas espirituais de Deus?

13 Quanto à maneira de sintonizar, Jesus ensinou o seguinte: Tudo que pedirdes com fé na oração, o recebereis. Esse é o método para sintonizar com a emissora de Deus e realizar os desejos corretos. Jesus ensinou a orar da seguinte forma: Seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. Significa que, para concretizarmos na terra – ou seja, no mundo fenomênico – as coisas que desejamos, precisamos sintonizar com o céu, isto é, o mundo da Imagem Verdadeira. (Assim se Concretiza o Amor, p. 263 / Apostila CTP, p. 14)

14 7) O que é oração?

15 Orar é emitir vibrações mentais que sintonizem com as de Deus. Orar é emitir vibrações mentais para fazer manifestar as coisas que já existem no mundo da existência verdadeira. (Ciência da Oração, p. 30 / Apostila CTP, p. 15). A palavra oração é usada num sentido bastante amplo, mas sua principal característica, num sentido mais restrito, é a de ser um intercâmbio entre o homem e Deus. E é possível orar com emoção e alegria somente quando há um intercâmbio sincero e pessoal com Deus, a ponto de chamá-LO de Meu Pai, não se limitando a imaginar o mundo de Deus. (Para Realizar o Amor e a Oração, p. 175 / Apostila CTP, pp )

16 8) Qual a finalidade da prática diária da Meditação Shinsokan?

17 Não há dúvida que a Meditação Shinsokan efetua esse intercâmbio emocionante com Deus. A Meditação Shinsokan, que praticamos de manhã e à noite na Seicho-No-Ie, é uma oração que delineia na mente a Imagem Verdadeira do mundo perfeito criado por Deus e a contempla. É, portanto, uma oração de máxima eficácia, que se denomina Meditação Shinsokan porque contempla o mundo que existe verdadeiramente. (Para Realizar o Amor e a Oração, p. 174 / Apostila CTP, p. 16)

18 9) Em se tratando de orientação pessoal, qual o preparo mental que deverá ser realizado pelo orientador religioso na condução dessa prática?

19 9) Resposta: O preparo mental do orientador não começa apenas no momento da orientação, mas também no dia a dia. A postura mental do orientador já sinaliza que tipo de preparo ele possui. É necessário que o orientador inicie o dia com a Meditação Shinsokan e procure manter a mente serena. Em caso de orientação pessoal (seguindo escala) na regional, núcleo ou associação local, é bom que o orientador chegue antes do horário determinado (assim como faz no caso de orientar uma palestra) e realizar a leitura da Sutra Sagrada para harmonizar o ambiente e serenar a sua própria mente. Quando não houver ninguém para orientar dentro do horário estabelecido, é bom que o preletor permaneça na sala de orientação realizando estudo dos livros sagrados ou das revistas sagradas. Dessa forma, o orientador permanece emanando a atmosfera de harmonia e respeito necessária à orientação pessoal. (Apostila CTP, pp )

20 10) Qual a correta postura mental do orientador em relação ao consulente?

21 10) Resposta:Ao ministrar a orientação pessoal, o orientador não deve pensar que ele, na qualidade de Filho de Deus, vai orientar um pobre mortal perdido neste mundo. O orientador deve ter plena consciência de que a orientação pessoal é uma prática religiosa na qual um Filho de Deus (o orientador) tem a graça de orientar outro Filho de Deus (a pessoa que pede a orientação). (Módulo de Estudos da Seicho-No-Ie – Módulo 3, p. 174)

22 11) O que significa orientar as pessoas até a salvação definitiva?

23 Devemos agir com objetivo de despertá-la para a Verdade, orientando-a um pouco de cada vez, e fazendo com que ela venha repetidas vezes e aprenda a sentir prazer de ouvir as palavras da Verdade. Devemos fazer com que ela frequente as reuniões, torne-se assinante da revista Seicho-No-Ie e contribuinte da Missão Sagrada; e, entrementes, leia assiduamente A Verdade da Vida. (Módulo de Estudos da Seicho-No-Ie – Módulo 3, p. 175) )

24 12) A Seicho-No-Ie cura doenças?

25 A Meditação Shinsokan não tem o objetivo de derrotar as doenças e os micróbios. Seu objetivo é não ver os fenômenos tais como doenças, seus sintomas e suas causas. Transcende-os por completo. (...) A contemplação é feita com a mente serena, clara, sem qualquer agitação nem parcialidade e, portanto, não havendo perturbação mental, projeta-se no mundo fenomênico a imagem perfeita do mundo da Realidade que já existe, de modo tão preciso quanto através de uma lente límpida e translúcida. (A Verdade e a Saúde, pp – Apostila CTP, p. 21

26 13) Quando o doente procura o orientador e quando o orientador procura o doente?

27 13) Resposta: No caso de orientar um doente, se este veio caminhando com suas próprias pernas é porque a doença não é tão grave. E há diferença no modo de orientar quando o orientador procura o doente e quando o doente procura o orientador. A pessoa que vem à Sede Central à procura de orientação pessoal fez sua doação para receber o ensinamento e veio com a clara intenção: quero ser curada. Porém, no caso de um doente pedir a presença de um orientador porque o médico já o desenganou, na verdade, não se deve ir por não ser um médico. No entanto, já que a missão do religioso é salvar o próximo, mesmo que seja um doente que vai morrer, precisamos salvar-lhe a alma. Por isso, haverá casos em que teremos que ir, quando a visita for solicitada com insistência. Nessas circunstâncias, assim como Jesus fazia, é preciso, antes de tudo, perguntar ao doente: Você deseja ser curado?. (Módulo de Estudos da Seicho-No-Ie – Módulo 3, p. 176)

28 14) Como eliminar da mente do consulente a ideia de incurabilidade da doença?

29 1) Libertar o doente do desejo de não se curar; 2) Libertá-lo do medo causado pela possibilidade de ter doença incurável. Isso se refere ao caso em que o orientador visita o doente em estado grave. (Módulo de Estudos da Seicho-No-Ie – Módulo 3, p. 177)

30 15) Qual o segredo para o orientador conhecer a causa mental das doenças?

31 Quando a pessoa não consegue compreender a causa mental de uma doença, basta praticar a Meditação Shinsokan e pedir a orientação a Deus numa atitude de total entrega a Ele, que uma mensagem divina irá aflorar em sua mente. Aconselho também a leitura do volume 8 da coleção A Verdade da Vida (Prática Contemplativa), em que escrevi sobre o meio de receber mensagens divinas. (A Verdade da Vida v. 18, p. 34 / Módulo de Estudos da Seicho-No-Ie – Módulo 3, p. 181)

32 16) Simbologia das partes do corpo: Parte do corpoSimboliza NarizEu, ego OlhosPessoa do mesmo nível Acima dos olhosSuperiores, pessoas mais velhas Mãos, pés, dedos e artelhosIrmãos e irmãs consangüíneos Dedo polegarMarido; pai Dedo mínimoEsposa; mãe Dentes (maxilar superior)Superiores Dentes (maxilar inferior)Subalternos CabeçaAntepassados Lado esquerdo do corpo humanoPessoa do sexo masculino Lado direito do corpo humanoPessoa do sexo feminino

33 17) Qual a posição da Seicho-No-Ie em relação à homossexualidade?

34 Na Seicho-No-Ie fazemos clara distinção entre Imagem Verdadeira e fenômeno. A Imagem Verdadeira do ser humano é perfeição e harmonia. Portanto, independente do estado que se apresente no plano fenomênico, ele é na essência um ser perfeito e harmonioso. Entre os nossos adeptos temos pessoas que têm esse tipo de orientação sexual e jamais são discriminados, sendo tratados com amor e respeito como qualquer outro. Não há problema algum que um indivíduo homossexual frequente nossas reuniões, façam parte como associados e atuem livremente. A postura dos nossos dirigentes deve refletir a sua plena conscientização como filho de Deus, vivenciando o Ensinamento no cotidiano. Assim, da mesma forma que não seria recomendável a um dirigente que aprecia bebidas alcoólicas vir a uma reunião cheirando a álcool, o dirigente homossexual deve portar-se adequadamente, atuando com dignidade e naturalidade. (Apostila CTP, pp )

35 18) Como orientar quem já foi orientado?

36 Antes de ministrar uma orientação pessoal pergunte Você já conversou sobre isso com algum Preletor?. Caso a resposta seja afirmativa, pergunte qual foi a prática indicada e, geralmente, a sua resposta será: Está correto, continue realizando essa prática!. Nós precisamos entender que fazer o consulente praticar o que já foi orientado (por outro colega) deve ser um código de ética entre os preletores. Uma questão de honra! A orientação do colega é a mais acertada, se você praticá-la, certamente a situação se resolverá. (Apostila CTP, p. 33)

37 19) Todos os problemas estão relacionados ao plano espiritual?

38 Não, não é tudo que está relacionado ao plano espiritual. Portanto, nem toda a orientação deve estar voltada para esse assunto. É necessário esclarecer que a influência da alma em seus descendentes poder ser positiva ou negativa, de acordo com o estado que essa alma se encontra e também com a postura mental desse descendente. (Manual do Preletor, p. 63 / Apostila CTP, p. 40)

39 20) Qual o verdadeiro significado da expressão: a orientação é um ato de amor para manifestar a Imagem Verdadeira?

40 A verdadeira orientação ministrada pela Seicho- No-Ie não constitui em ficarmos apontando os defeitos das pessoas dizendo para que elas se corrijam.(...) O verdadeiro mérito da religião consiste em fazer com que os defeitos desapareçam naturalmente da mente. Enquanto a pessoa se esforça para se corrigir, ela está praticando moral e não a religião, pois está em confronto com uma existência relativa. Quando a pessoa se entrega ao Ser absoluto e perfeito, já não existem nem defeito nem má índole. (Módulo de Estudos da Seicho-No-Ie – Módulo 3, pp )


Carregar ppt "1) Qual o objetivo da Orientação Pessoal? O objetivo da orientação pessoal não é curar doenças. A cura da doença é, por assim dizer, um subproduto da."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google