A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Universidade Federal Fluminense MBA Gestão de Empreendimentos Turísticos Gestão Financeira de Empreendimentos Tur í sticos Professor: João Evangelista.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Universidade Federal Fluminense MBA Gestão de Empreendimentos Turísticos Gestão Financeira de Empreendimentos Tur í sticos Professor: João Evangelista."— Transcrição da apresentação:

1 Universidade Federal Fluminense MBA Gestão de Empreendimentos Turísticos Gestão Financeira de Empreendimentos Tur í sticos Professor: João Evangelista

2 DECISÕES OPERACIONAIS NOS EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS

3 Processo gerencial ou processo decis ó rio numa empresa tur í stica Decisões Operacionais Objetivo – Lucro Decisões Estratégicas Objetivo – Retorno Decisões Administrativas Objetivo - Eficiência

4 Decisões Operacionais Lucro = Receita Total – Custo Total Receita = Preço *Quantidade Custo Total = Custo Fixo + Custo Variável Custo Médio = Custo Total / Quantidade João Evangelista João Evangelista

5 LUCRO = RT - CT LUCRO = P*Q - Cme*Q LUCRO = (P - Cme)*Q (P - Cme) - margem de lucro por Unidade (P - CVme) - margem de contribuição por Unidade Condição de Maximização de Lucro João Evangelista

6 Atividades Caracter í sticas do Turismo Restaurante Parques Temáticos Hotelaria Operadoras /Agências Aluguel de automóveis João Evangelista

7 Exerc í cio Operadora de Receptivo Internacional P = US$6.000 Q = 150 Custo M é dio (Por pacote) = R$ 9.000,00 Taxa de câmbio = R$ 2,00/US$1,00 Qual o Lucro Mensal? Qual o impacto de uma valoriza ç ão de 30% do Real em rela ç ão ao D ó lar sobre o lucro da empresa?

8 Ponto de Equilíbrio de um Negócio No ponto de equilíbrio, o lucro é zero. Portanto: 0 = Receitas - Despesas variáveis – Despesas fixas Despesas Fixas = Receitas - Despesas Variáveis Como as despesas fixas são conhecidas é possível determinar qual o volume de vendas que permita a igualdade acima. João Evangelista

9 Ponto de Equilíbrio de um Negócio O resultado indica quantas unidades precisarão ser vendidas pela empresa para cobrir seus custos operacionais, ou seja : quando esse volume de vendas for atingido, a empresa terá coberto os seus custos operacionais fixos, bem como os custos variáveis correspondentes às unidades vendidas. Custos Operacionais Fixos P E = Preço de venda por unidade - Custo Variável por unidade João Evangelista

10 EXEMPLO DE UMA PAUSADA Custos Operacionais Fixos ( Totais ) R$ ,00 Preço da Diária R$ 200,00 Custo Variável por Unidade R$ 100,00 CALCULANDO ENTÃO: ,00 P E = = 1200 Pernoites. 200, ,00 O resultado indica que será necessário a pausada vender 1200 pernoites para cobrir seus custos operacionais. Ponto de Equil í brio de um Neg ó cio João Evangelista

11 COMO OS AUMENTOS DOS CUSTOS E DO PREÇO AFETAM O PONTO DE EQUILÍBRIO. O aumento do preço unitário de venda diminui o ponto de equilíbrio. O aumento do custo variável por unidade aumenta o ponto de equilíbrio. A última posição mostra que aumentos do preço de venda e do custo variável podem ser compensados entre si, sem alterar o ponto de equilíbrio. João Evangelista

12 Uma outra forma de analisarmos o ponto de equilíbrio de uma empresa turística, considera os valores totais da receita de Vendas, dos custos fixos e dos custos variáveis totais: CUSTOS FIXOS P E = RECEITA TOTAL - CUSTOS VARIÁVEIS João Evangelista

13 EXEMPLO : RECEITA TOTAL R$ ,00 CUSTOS FIXOS R$ ,00 CUSTOS VARIÁVEIS R$ ,00 PREÇO …………………………………………R$ 30,00 CAPACIDADE DE PRODUÇÃO …………… 2500 ponto de equilíbrioO resultado representa que o ponto de equilíbrio será alcançado quando a empresa atingir 40 % das vendas ,00 P E = = 0,40, ou seja 40% , ,00 João Evangelista

14 Risco Operacional Fatores Determinantes Custos de produção ou Operacional – Alavancagem operacional (Custos Operacionais Fixos). Estrutura de Decisões da Empresa João Evangelista

15 Alavancagem Operacional Custos de Produção = Custo fixo + Custo Variável. Custos fixos elevados significa que uma redução na produção não implica redução nos custos da empresa. Necessário economia de Escala. João Evangelista

16 ALAVANCAGEM OPERACIONAL Indica a capacidade da empresa de aumentar seus lucros com o acréscimo de vendas e com apoio em determinado nível de custos operacionais fixos. João Evangelista

17 Redução nas Vendas Aumento nas Vendas Impacto das vendas sobre o lucro João Evangelista

18 Mede-se o Grau de Alavancagem Operacional, dividindo-se o percentual da variação do lucro operacional pelo percentual da variação das vendas. Variação percentual do lucro operacional GAO = Variação percentual das vendas + 133% + 80% + 53% GAO= = 2,67 ; = 2,67 ; = 2,67 ; + 50% + 30% + 20% João Evangelista

19 Conclusão – o aumento nos custos operacionais fixos, aumenta o risco operacional da empresa, uma vez que o ponto de equilíbrio aumenta proporcionalmente ao crescimento dos custos fixos, sendo necessário mais vendas para cobrí- los. João Evangelista

20 Resumo Existem três tipos de decisões no processo gerencial de uma empresa turística: Operacional, estratégica e Administrativa. As Decisões Operacionais tem como objetivo principal, a maximização do lucro dada as condições de produção e vendas. A análise do ponto de equilíbrio de um negócio é uma ferramenta importante utilizada na avaliação das decisões estratégicas. O conhecimento e gerenciamento do risco operacional é importante na redução de risco de curto prazo. João Evangelista

21 Obrigado João Evangelista


Carregar ppt "Universidade Federal Fluminense MBA Gestão de Empreendimentos Turísticos Gestão Financeira de Empreendimentos Tur í sticos Professor: João Evangelista."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google