A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Impactos do PNLT no Setor Ferroviário Brasileiro 29º SEMINÁRIO DE LOGÍSTICA – SUPRIMENTOS, PCP E TRANSPORTES Vicente Abate - Presidente da ABIFER Joinville.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Impactos do PNLT no Setor Ferroviário Brasileiro 29º SEMINÁRIO DE LOGÍSTICA – SUPRIMENTOS, PCP E TRANSPORTES Vicente Abate - Presidente da ABIFER Joinville."— Transcrição da apresentação:

1 Impactos do PNLT no Setor Ferroviário Brasileiro 29º SEMINÁRIO DE LOGÍSTICA – SUPRIMENTOS, PCP E TRANSPORTES Vicente Abate - Presidente da ABIFER Joinville - 18 de junho de 2010

2 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

3 HÁ MAIS DE 30 ANOS, A ABIFER ESTÁ SEMPRE EM AÇÃO...

4 HÁ MAIS DE 30 ANOS, A ABIFER ESTÁ SEMPRE EM AÇÃO...

5 NOSSA MISSÃO Fomentar a expansão do transporte ferroviário no Brasil, através de ações de apoio às concessionárias de carga e de passageiros, e a seus usuários, objetivando também o crescimento da indústria ferroviária instalada no Brasil. ABIFER

6 NOSSA VISÃO ABIFER Ser a entidade de referência nos temas relacionados ao transporte ferroviário no Brasil e na América Latina. NOSSOS VALORES > Foco no Brasil > Crença no Negócio > Crescimento Sustentado > Transparência nas Ações > Geração de Valor > Motivação Setorial

7 1 Fabricantes de equipamentos, sistemas e componentes para o setor ferroviário de carga e de passageiros 2 Empresas de projetos, consultoria e serviços ASSOCIADAS QUEM SOMOS

8 ASSOCIADAS

9 ATUAÇÃO EM PRODUTOS > Locomotivas Diesel-Elétricas e Diesel-Hidráulicas > Vagões de carga de todos os tipos > Vagões siderúrgicos > Trens Unidades Elétricos para Metrôs e Subúrbio > Trens de Alta Velocidade – TAVs > Veículos Leves sobre Trilhos – VLTs > Monotrilhos > Sistemas de Freio, Choque e Tração, Sinalização e Telecomunicação > Truques, Engates, Rodas, Eixos e Molas > Materiais para via permanente > Fixações elásticas l Talas de junção l Aparelhos de mudança de via l Dormentes l Soldagem de trilhos ASSOCIADAS

10 ATUAÇÃO EM SERVIÇOS ASSOCIADAS > Engenharia > Manutenção, reparação e modernização de veículos ferroviários > Consultoria

11 12000 VAGÕES DE CARGA 600 CARROS DE PASSAGEIROS 100 LOCOMOTIVAS CAPACIDADES As associadas da ABIFER apresentam números significativos em capacidade de produção anual MAIS DE

12 NÚMEROS DE PRODUÇÃO

13 VAGÕES PRODUÇÃO BRASILEIRA (P) Fonte: ABIFER

14 10(P) / VAGÕES PRODUÇÃO BRASILEIRA > PRODUÇÃO POR DÉCADA Fonte: ABIFER

15 / CARROS DE PASSAGEIROS PRODUÇÃO BRASILEIRA (P) Fonte: ABIFER

16 10(P) > PRODUÇÃO POR DÉCADA CARROS DE PASSAGEIROS PRODUÇÃO BRASILEIRA Fonte: ABIFER

17 / LOCOMOTIVAS PRODUÇÃO BRASILEIRA (P) Fonte: ABIFER

18 INOVAÇÕES DA INDÚSTRIA FERROVIÁRIA BRASILEIRA

19 INOVADORES DA INDÚSTRIA FERROVIÁRIA BRASILEIRA > Vagões de elevada capacidade, para transporte de minério de ferro, com peso bruto máximo de 150 t e truques de 37,5 t/eixo; > Vagões graneleiros com sistema de descarga longitudinal e acionamento simultâneo de portas por apenas um operador; > Vagões tanques para transporte de gás natural liquefeito, para abastecimento de locomotivas em movimento; > Freio eletro-pneumático para vagões de carga; > Rodas ferroviárias de aço microligado; > Locomotivas diesel-elétricas de HP, corrente alternada; > Locomotivas diesel-hidráulicas, para manobra e linha; > Sistema CBTC de sinalização completamente automático (driverless); > Carros de passageiros com ar condicionado, circuito fechado de TV e itens de acessibilidade como portas mais amplas para cadeirantes; > Fixações pré-montadas em metrôs, que atenuam os ruídos e as vibrações da via permanente; > Utilização de dormentes de concreto em larga escala, favorável ao meio ambiente. PROJETOS

20 Ferrovia Estatal (até 1997) VALE e MRS (2000) VALE e MRS (2007) VALE* (2009/2010) ** P.B.M.T. (t) Tara do vagão (t) Carga útil (t) Ganho de carga (t) * Em fase de testes na E.F.Carajás I ** 34 t acumuladas > VAGÃO GÔNDOLA PARA TRANSPORTE DE MINÉRIO DE FERRO BITOLA LARGA VAGÃO GÔNDOLA PARA MINÉRIO DE FERRO Fonte: AmstedMaxion

21 FERTILIZANTE MINÉRIO DE FERRO COM DESCARGA AUTOMÁTICA GRÃO E FARELO DE SOJA LASTRO COM DESCARGA AUTOMÁTICA PLACA PARA ENERGIA SOLAR FOSFATO COM DESCARGA AUTOMÁTICA AÇÚCAR VAGÕES HOPPER

22 FRIGORÍFICO PARA AUTOMÓVEIS PLATAFORMA ARTICULADA DOUBLE STACK (em desenvolvimento) PARA COMBUSTÍVEIS VAGÕES DIVERSOS

23 Plano Expansão SP CARROS DE PASSAGEIROS

24 VLT - Brasília VEÍCULO LEVE SOBRE TRILHOS

25 LOCOMOTIVAS

26 NÚMEROS DAS CONCESSIONÁRIAS

27 MOVIMENTAÇÃO DE CARGA TRANSPORTADA PELAS FERROVIAS

28 CONTÊINERES QUANTIDADE DE CONTÊINERES

29 INVESTIMENTOS NO SETOR FERROVIÁRIO BRASILEIRO

30 INVESTIMENTOS INDÚSTRIA FERROVIÁRIA > Modernização e ampliação das instalações fabris, novas fábricas e novas tecnologias 1 bilhão (período 2003 a 2009) R$

31 INVESTIMENTOS NAS MALHAS CONCEDIDAS

32 INFRAESTRUTURA Fonte: Ministério dos Transportes

33 INVESTIMENTOS PREVISTOS > No Plano Nac. de Logística e Transportes I 2008 a ,6 > No Trem de Alta Velocidade I 2011 a ,6 > No Plano Expansão São Paulo I 2007 a > Para a Copa do Mundo 2014 I 2010 a < TOTAL 220,2 R$ bilhões

34 PNLT PLANO NACIONAL DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES

35 RESGATE DO PROCESSO DE PLANEJAMENTO DE TRANSPORTES > Retomada de uma tradição do Ministério dos Transportes > Constituição de base de dados georreferenciados > Racionalização energética e econômica da matriz de transportes > Integração do conceito de territorialidade ao planejamento > Consideração de aspectos logísticos (custo & tempo) > Participação dos segmentos interessados I.Setores produtivos II.Usuários III.Transportadores IV.Governos dos Estados (áreas de Planejamento e Transportes)

36 PNLT: 10 IDEIAS-FORÇA 1.1. Planejamento nacional, de caráter indicativo 2.2. Plano para o Estado brasileiro, não plano de um governo 3.3. Continuidade como processo de planejamento permanente no Ministério dos Transportes 4.4. Atrelado a uma visão de desenvolvimento econômico de médio e longo prazo, considerando o contexto global. Não é um simples portfólio setorial de projetos 5.5. Planejamento do sistema federal de transportes, mas com um caráter nacional e federativo;

37 6. Orientado para a multimodalidade e racionalidade da matriz de transportes 7. Enfoque não tradicional, considerando fatores logísticos 8. Enfoque não tradicional, considerando fatores de nexo político 9. Gestão institucional do plano – readequação das estruturas de planejamento do setor federal de transportes 10. Compromisso com o território, a segurança nacional e o meio ambiente. PNLT: 10 IDEIAS-FORÇA

38 METAS DO PNLT Enquadrar e validar os projetos de transporte em vetores logísticos estruturantes do desenvolvimento social e econômico do País, considerando os seguintes objetivos: > Aumento da eficiência produtiva em áreas consolidadas (AEP) > Indução ao desenvolvimento de áreas de expansão de fronteira agrícola e mineral (IDF) > Redução de desigualdades regionais (RDR) > Integração regional sul-americana (IRS)

39 PORTFÓLIO DO PNLT Mapeamento dos projetos relevantes em transportes, visando alcançar os objetivos do planejamento, com um horizonte até o ano de 2023: Portfólio de investimentos com 917 projetos envolvendo os modos rodoviário, ferroviário, hidroviário, portuário, aeroportuário e dutoviário em todo o País. 332 projetos são de rodovias, 96 são de ferrovias e 51 são de hidrovias Total de investimentos necessários: R$ 291 bilhões. Projetos ferroviários: R$ 148 bilhões.

40 TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS

41 EXPANSÃO DA MALHA FERROVIÁRIA Fonte: Ministério dos Transportes

42 EF (Ferrovia Norte-Sul) Panorama/SP - Rio Grande/RS (1.600 km) EXPANSÃO DA MALHA FERROVIÁRIA Fonte: Ministério dos Transportes

43 MATRIZ DE TRANSPORTE DE CARGA Fonte: PNLT/ MT ATUAL E FUTURA (km 1000) (%) Estimativas ABIFER Extensão Participação

44 TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE PASSAGEIROS

45 TRENS REGIONAIS Objetivos > Promover a integração regional > Desenvolver empreendimentos imobiliários e de serviços ao longo do trecho > Minimizar a ociosidade de trechos ferroviários

46 Codó(MA) – Teresina(PI)MA / PI Conc. da Feira – Salvador – AlagoinhasBA São Paulo – ItapetiningaSP Bocaiúva – Montes Claros – JanaúbaMG Santa Cruz – MangaratibaRJ Campinas – AraraquaraSP Pelotas – Rio GrandeRS Itajaí – Blumenau – Rio do SulSC Belo Horizonte – Ouro Preto / Conselheiro LafaieteMG Campos – MacaéRJ Recife – CaruaruPE Bento Gonçalves – Caxias do SulRS Londrina – MaringáPR São Cristóvão – Aracaju - LaranjeirasSE TRECHOSESTADOS TRECHOS PRIORITÁRIOS

47 TAV O TREM DE ALTA VELOCIDADE

48 TAV PROJETOS MALHA DE ALTA VELOCIDADE NO BRASIL

49 PROJETOS Em curso Campinas > São Paulo > Rio de Janeiro I EF 222 Extensão: 511 km Valor estimado do projeto: R$ 34,6 bilhões TAV Em estudo São Paulo > Curitiba Campinas > Uberlândia Campinas > Belo Horizonte Extensão: km

50 Geração de empregos Redução de congestionamentos Ajuste na demanda: rodovias e aeroportos Desenvolvimento tecnológico Redução no deslocamento Redução de poluentes IMPACTOS ESPERADOS TAV

51 PLANTAS PARA MONTAGEM DO TAV NO BRASIL IESA AMSTEDMAXION/BOMBARDIER CAF SIEMENS ALSTOM TTRANS

52 NACIONALIZAÇÃO A indústria ferroviária brasileira possui capacidade instalada para fabricar e montar o TAV no Brasil. Dispõe de um corpo técnico altamente especializado, capaz de absorver a tecnologia de ponta que será transferida através do Governo Federal. TAV

53 NACIONALIZAÇÃO A ABIFER apoia integralmente o projeto do TAV brasileiro e defende um conteúdo nacional mínimo de 60% na fabricação dos equipamentos e sistemas ferroviários. TAV

54 OBRIGADO! Vicente Abate Presidente ABIFER Tel: (11)


Carregar ppt "Impactos do PNLT no Setor Ferroviário Brasileiro 29º SEMINÁRIO DE LOGÍSTICA – SUPRIMENTOS, PCP E TRANSPORTES Vicente Abate - Presidente da ABIFER Joinville."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google