A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AQUISIÇÃO DE UM SISTEMA DE 2 RADARES METEOROLÓGICOS Luiz Paulo Viana Engenheiro Hidrólogo Chefe do Sistema de Alerta de Cheias do INEA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AQUISIÇÃO DE UM SISTEMA DE 2 RADARES METEOROLÓGICOS Luiz Paulo Viana Engenheiro Hidrólogo Chefe do Sistema de Alerta de Cheias do INEA."— Transcrição da apresentação:

1 AQUISIÇÃO DE UM SISTEMA DE 2 RADARES METEOROLÓGICOS Luiz Paulo Viana Engenheiro Hidrólogo Chefe do Sistema de Alerta de Cheias do INEA

2 Avaliação da Proposta Técnica Substancialmente Adequada (Cláusula 31.2 c/c 35.2) Avaliação do preço (Cláusula 35.4 c/c 36.1) Pós-qualificação (Cláusula 37.1, c/c 39.1) Etapas da avaliação das propostas apresentadas pelos Licitantes

3 ICB: Licitação Pública Internacional Seção I. Instruções a Licitantes (IAL) Seção II. Folha de Dados da Licitação (FDL) Seção III Critérios de Avaliação e Qualificação (CAQ) Seção IV. Formulários de Licitação Seção V. Países Elegíveis Seção VI. Exigências da Contratante (Especificações Técnicas) Seção VII. Condições Gerais do Contrato (CGC) Seção VIII. Condições Especiais de Contrato (CEC) Seção IX. Formulários do Contrato

4 Pontos de Atenção no Preenchimento das Propostas Regra geral: Clareza, organização e utilização dos formulários-padrão contidos na Seção 4 (Formulários de Tarifas e Preços; Apresentação da Proposta Técnica e das Garantias Funcionais; e Formulários de Qualificação); O idioma preferencial é o português, mas as propostas podem ser apresentadas em inglês; Para as propostas técnicas: - Descrição clara e precisa da avaliação dos locais de implantação, da concepção da infra- estrutura, dos bens e suas peças sobressalentes, do plano de trabalho e das garantias; - O cronograma de trabalho apresentado no Apêndice I – Formulários do Contrato é uma estimativa! Desde que se respeitem os prazos contidos nas CEC, cláusula 8, os licitantes podem trazer um cronograma estimado diferente; Para as propostas financeiras: -Preencher os formulários com uma única moeda. Sempre deixar a conversão para os avaliadores da proposta (a cotação a ser utilizada será a do Banco Central no dia da abertura das propostas); Para os documentos de qualificação: - Atenção aos critérios exigidos para a qualificação jurídica, fiscal, econômico-financeira, de experiência (geral e específica), do pessoal e das subcontratações exigidos dos licitantes! Os requisitos estão na Seção III e os formulários de apresentação (e de listagem dos documentos de qualificação jurídica e fiscal) estão na Seção IV.

5 O INEA dispõe de um centro de controle operacional - CCO -, que faz a previsão de emergências ambientais. Seus objetivos são: 1. Antecipar potenciais situações de risco 2.Monitorar de forma integrada as diversas informações disponíveis no/para o INEA: - Contingências e - Operação das atividades licenciadas pelo INEA. 3. Oferecer suporte aos serviços operacionais e de atendimento de emergência, superintendências regionais e outros órgãos e entidades 4. Comunicar aos órgãos competentes, à sociedade e à imprensa

6 Via GSM (celular) a cada 15 min 1. WEBSITE SISTEMA DE ALERTA 2. BOLETINS HIDROMETEOROLÓGICOS 3. EMISSÃO DE ALERTAS AS DEFESAS CIVIS E ENVIO DE SMS - Opera 24h por dia, 7 dias por semana. - Monitora as condições do tempo, precipitação e nível dos rios. - Avaliação de estágios e emissão de alertas - Opera 24h por dia, 7 dias por semana. - Monitora as condições do tempo, precipitação e nível dos rios. - Avaliação de estágios e emissão de alertas ESTAÇÕES TELEMÉTRICAS (PLU-FLU) ESTAÇÃO CENTRAL (CCO – INEA) - Total de 75 estações plu-flu telemétricas instaladas em áreas de risco de inundação no Estado do Rio de Janeiro. - Uso de dados meteorológicos de terceiros para previsão meteorológica - Total de 75 estações plu-flu telemétricas instaladas em áreas de risco de inundação no Estado do Rio de Janeiro. - Uso de dados meteorológicos de terceiros para previsão meteorológica

7 Baixada 2 Plu 8 Hidro Teresópolis 6 Hidro Petrópolis 13 Plu 6 Hidro Nova Friburgo 1 Plu 8 Hidro Macaé 2 Plu 10 Hidro N-NO 9 Hidro Total do Sistema: 75 estações 19 Plu // 56 Hidro Total do Sistema: 75 estações 19 Plu // 56 Hidro Outras regiões 1 Plu // 9 Hidro

8 A rede de monitoramento hidrometeorológico, com a inclusão de um sistema de 2 radares banda S do tipo Doppler polarimétrico, deverá cobrir completamente o Estado do Rio de Janeiro e algumas áreas dos Estados vizinhos, o que permitirá monitorar o deslocamento de formações provenientes de outras regiões. Os radares serão instalados em: Radar 1: Macaé (cobrindo Região Serrana, Macaé e Norte- Noroeste) Radar 2: Guaratiba (cobrindo Parati, Angra, Médio Paraíba e Região Metropolitana) RADAR COMO ELEMENTO CENTRAL DO SISTEMA DE ALERTA

9 RADARES METEOROLÓGICOS PARA O ESTADO DO RJ Guaratiba Macaé

10 RADAR 1 – LOCAL DE INSTALAÇÃO Na região de Macaé, no Estado do Rio de Janeiro, foi selecionada uma área dentro do Campus Avançado da Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF – onde estão instalados o Laboratório de Engenharia e Exploração de Petróleo – LENEP – e o Laboratório de Meteorologia – LAMET. O sítio selecionado apresenta infra-estrutura básica, como acesso pavimentado, energia elétrica e segurança, sendo totalmente cercado com tela e vigilância por pessoal especializado. A entrada para as dependências da Universidade é feita através de uma portaria única, com acesso controlado.

11 RADAR 1 – INFRAESTRUTURA DO SÍTIO MACAÉ Altura mínima da torre de aproximadamente 20 metros de altura, em relação à base. A torre deverá abrigar todas as facilidades em prédio único, de 4-5 pisos com base de cerca de 36 metros quadrados, incluindo o grupo motor- gerador de pelo menos 20 kVA, o depósito de combustível e cabine de força, preferencialmente em seu primeiro piso.

12 RADAR 1 – CAMPUS DA UENF (MACAÉ) UENF - Macaé

13 RADAR 2 – LOCAL DE INSTALAÇÃO No Município do Rio de Janeiro, na Zona Oeste, numa área da Prefeitura, denominada Fazenda Modelo, foi selecionada uma elevação de aproximadamente 120m, onde existe uma construção abandonada tipo coreto, para instalação do radar 2. Apesar de estar dentro de uma área razoavelmente urbanizada, esse local não possui acesso de carro até o ponto selecionado. O ponto é alcançável por uma via de acesso antiga que se encontra tomada de vegetação rasteira. O INEA vem tomando providências para a construção de um acesso para veículos que permita o transporte do material necessário a instalação do radar e infraestrutura anexa. Ao redor do ponto nota-se a presença de árvores do tipo eucalipto, que serão retiradas, pelo INEA para instalação do radar. No local tem energia elétrica a cerca de 300 m e necessita ser cercado e de sistema de vigilância. O local vai ser entregue limpo e com estrada de acesso construída.

14 RADAR 2 – INFRAESTRUTURA DO SÍTIO DE GUARATIBA Altura mínima da torre de pelo menos 30m de altura em relação á base. A infraestrutura do sítio deve incluir pelo menos o grupo motor-gerador de pelo menos 20 kVA, o depósito de combustível e cabine de força e demais instalações. Material: aço, concreto e/ou alvenaria. No caso de torre metálica, deve haver um processo de proteção contra a corrosão. Há alternativa para construção em separado da torre com antena, radomo e transmissor/receptor, e construção(ões) para as demais facilidades com pelo menos 50 metros quadrados.

15 PONTOS DE ATENÇÃO PARA A INFRAESTRUTURA DE AMBOS OS SÍTIOS Deve acomodar, minimamente: a antena de 8 metros e radomo, e seus equipamentos auxiliares; sala de operação; depósito de equipamentos eletrônicos de testes e calibração e partes e peças de manutenção; sanitários; e todos os demais requisitos exigidos nas ET. Nos dois sítios de radar os serviços devem prever instalações elétricas, sistema de proteção contra descargas atmosféricas, ar condicionado, proteção contra incêndio, sonorização, alarme, telefonia e lógica, revestimentos de parede, pisos e tetos. Deve garantir também a instalação do transmissor/receptor o mais próximo possível da base da antena. A pintura externa das torres deve obedecer às recomendações aeronáuticas. As obras civis devem ocorrer dentro da área disponibilizada para implantação do radar, contendo, pelo menos, se necessário: instalações físicas, pavimentação, cisterna, poços de visita, etc., assim como o cercamento do perímetro limítrofe e instalação dos portões de acesso deste limite. Devem dispor de sistema remoto de câmeras de vigilância com transmissão e gravação 24 horas por dia.

16 RADAR 2 - FAZENDA MODELO (GUARATIBA) Fazenda Modelo Av das Américas

17 FLUXO DAS INFORMAÇÕES DOS RADARES (meramente ilustrativo) CCO site

18 A CONTRATANTE será responsável pela aquisição e fornecimento da posse legal e física do Local, assim como pelo acesso e preparação do terreno (supressão de vegetação, nivelamento e regularização da área de implantação) onde o Sistema Radar será instalado. A CONTRATADA deverá adquirir e pagar por todas as permissões, aprovações e/ou licenças junto a todos os órgãos governamentais municipais, estaduais e federais ou agentes de serviço público no país no qual o Local estiver situado – excetuando-se licenças ambientais, que deverão ser obtidas pela SEA, através do INEA. As interligações às redes de energia, água, esgoto e acesso à Internet e linhas telefônicas necessárias para a obra de instalação e para a operação do Sistema Radar são de responsabilidade da CONTRATADA. O sistema deve ser garantido pelo fornecedor contra falhas ou defeitos de projeto ou fabricação por um período mínimo de 60 meses (5 anos). CONDIÇÕES ESPECIAIS DO CONTRATO

19 PRAZOS – DATAS LIMITES A Contratada deverá apresentar em um prazo de até 45 dias após a Data Efetiva um Programa de Execução detalhado, contendo o projeto executivo da torre e de obras complementares, o detalhamento dos serviços de instalação, os planos de testes e os programas de treinamento e operação assistida. O prazo para a conclusão da instalação dos radares, realização dos testes de campo e entrega do Projeto As Built é de no máximo 240 dias para o primeiro radar e de no máximo 270 dias para o segundo radar, contados a partir da Data Efetiva. O Prazo para Conclusão da totalidade das Instalações é de no máximo 360 dias para o Sistema de Radares, contados a partir da Data Efetiva Nenhuma razão será aceita para a prorrogação do prazo para conclusão. exceto os itens (a), (b), (c), (d) e (g) da Subcláusula 40.1 Alíquota aplicável para danos apurados: 1% (um por cento) do valor do Preço do Contrato por cada semana de atraso (dedução máxima de 10%)

20 CRONOGRAMA DE DESEMBOLSO DESCRIÇÃO (PARA O SISTEMA RADAR)PRAZOVALOR Assinatura do ContratoDE (data efetiva)- Entrega do Programa de Execução aprovado contendo Projeto Executivo da Infraestrutura DE + 45 dias10% Treinamento, inspeção e liberação em fábricaDE dias30% Entrega e aceite das obras civis da torre obras complementares dos sítios dos radares DE dias5% Entrega dos equipamentos nos sítios dos radaresDE dias5% Conclusão da instalação, incluindo testes, comissionamento e entrega do Projeto As Built do primeiro radar DE dias15% Conclusão da instalação, incluindo testes, comissionamento e entrega do Projeto As Built do segundo radar DE dias20% Conclusão do treinamento em campo e a operação assistida, com o comissionamento e aceitação definitiva do Sistema Radar DE dias15%

21 CRONOGRAMA ESTIMADO GERAL DO PROJETO

22 Obrigado! Dúvidas:

23 CARACTERÍSTICAS DOS EQUIPAMENTOS A SEREM FORNECIDOS CARACTERÍSTICAS GERAIS Radar Doppler Banda S com Dupla Polarização. Faixa de freqüência de 2,7 a 2,9 GHz. Largura do feixe de microondas em meia potência igual ou inferior a 1,0º. CONJUNTO ANTENA Refletor sólido parabólico com alimentador de Dupla Polarização e dois guias de onda. Ganho da antena 42 dBi. Primeiro lóbulo lateral -25dB do principal. Primeiro lóbulo lateral -30 dB do principal na direção ±10º do eixo do feixe. Diferença entre as larguras dos feixes H e V < 0,1º. Polarização cruzada < -30 dB. Antena com movimentação contínua em elevação cobrindo a faixa de pelo menos -2º a +90º. Antena com movimentação contínua em azimute (360º). Acurácia de posicionamento angular da antena ± 0,1º em azimute e elevação. Velocidade de rotação da antena cobrindo a faixa de valores de 1º/s a 36º/s em elevação e de 1º/s a 36º/s em azimute. Aceleração e desaceleração da antena > 10º/s² em elevação e > 15º/s² em azimute. Pedestal da antena acionado a partir de um conjunto de engrenagens.

24 RECEPTOR Receptor FI Digital. Figura de ruído 2,0 dB. Faixa dinâmica > 105 dB Mínimo Sinal Detectável -110 dBm. Linearidade da curva de resposta do receptor 1,0 dB. MDZ +8 dBZ a 200km. Acurácia: Z 0,5 dBZ, Velocidade 1m/s, Largura Espectral 1m/s, ZDR 0,2 dB, Ф DP 1°, ρhv 0,01. Sistema de calibração automático. RADOMO Perda de transmissão em um caminho < 0,3dB. Distorção do feixe < 0,1°. Resistência a carga de vento 200km/h. Resistência a granizo 10mm à 15 m/s. CARACTERÍSTICAS DOS EQUIPAMENTOS A SEREM FORNECIDOS

25 CONTROLE DE RADAR/ANTENA Varreduras volumétricas programáveis. Varredura setorial. Varredura RHI. Varredura espiralada. GUIA DE ONDA Pressurização e desumidificação. TRANSMISSOR Transmissor tipo Magnetron coaxial. Transmissor / receptor operando em modo coerente na recepção. Largura de pulso selecionável entre 0,6 a 4,0 μs. Potência de pico 750 kW. Modulador de estado sólido. PRF de 200 a 1300 Hz. CARACTERÍSTICAS DOS EQUIPAMENTOS A SEREM FORNECIDOS

26 CABOS E CONECTORES Especificação equivalente à militar. Cabos externos com proteção UV. SOFTWARE DE CONTROLE DO RADAR Modo de operação Manual/Automático. Ferramenta gráfica para configuração de todos os parâmetros relativos aos diversos modos de varredura com correção automática de eventuais erros de configuração por parte do operador. Ferramenta gráfica para calibração do radar contendo opções tais como Sol e ZDR. Ferramenta gráfica para visualização no domínio do tempo (distância) de todas as variáveis medidas. Ferramenta gráfica para gerenciamento do banco de dados volumétricos e de produtos. Ferramenta gráfica para configuração de produtos a serem gerados a partir dos dados volumétricos. Filtros de ecos de terreno aplicáveis aos dados volumétricos. INTERFACE GRÁFICA DE MANUTENÇÃO Visualização e controle da velocidade e posição da antena em elevação e azimute. Controle do transmissor. Controle da largura de pulso e PRF. Interface gráfica de calibração do receptor. Interface gráfica de calibração da posição e velocidade da antena. CARACTERÍSTICAS DOS EQUIPAMENTOS A SEREM FORNECIDOS

27 MENU PRINCIPAL DO OPERADOR Visualização dos dados, produtos e informações geradas pelo sistema. Visualização multi-janelas, funções de zoom e setorização. Executa cortes de seção transversal dos dados volumétricos, com visualização também das informações relativas ao posicionamento geográfico. Parametrização Z-R disponível para alteração pelo operador e reapresentação dos dados atualizados. Tela de fundo composta de múltiplas camadas (relevo, municípios, mapas temáticos, estradas, camadas do usuário customizáveis), que podem ser selecionadas individualmente, bem como anéis de distancia em km e grade de latitude e longitude. Visualização de varreduras volumétricas e setoriais em tempo real com todas as variáveis (exemplo: Zh, Zv, Ф DP, ρhv, velocidade, largura espectral, ZDR, K DP ). PPI, CAPPI e RHI de refletividade horizontal, vertical e velocidade. PPI e RHI de refletividade diferencial (ZDR). Mapas de alvos classificados através de Ф DP, ρhv, velocidade, largura espectral, ZDR e K DP. IMPORTAÇÃO DE DADOS DE FONTES EXTERNAS Aplicativos computacionais que permitam a importação, visualização e manipulação de dados meteorológicos para uso sinérgico com os dados dos radares. CARACTERÍSTICAS DOS EQUIPAMENTOS A SEREM FORNECIDOS

28 PROGRAMAS E EXIBIÇÃO DE PRODUTOS: REFLETIVIDADE Indicador de posição plana (PPI) a ângulos de elevação selecionáveis. Indicador de altura e distância (RHI) a ângulos de elevação e azimute, e distância selecionáveis. Indicador de Posição Plana a altura constante (CAPPI) para alturas selecionáveis. Corte vertical para duas posições arbitrárias, definidas via mouse sobre as imagens PPI e CAPPI. Alturas de ecos para intensidades selecionáveis. Altura máxima intensidade sobre um ponto de grade. Máxima dBZ sobre cada ponto de grade. Painéis laterais com cortes verticais E-O, N-S. Conteúdo de água líquida integrada na vertical mm ou kg/m² em pontos de grade com relação ZW selecionável (VIL). Acumulação de chuva horária em pontos de grade com relação polarimétrica selecionável. Acumulação de chuva para qualquer intervalo de tempo. Histograma da intensidade de chuva – Visualização da intensidade de chuva em mm/h durante um período selecionável pelo usuário. Acumulação de chuvas sobre bacias hidrográficas para intervalos de tempo selecionáveis. Ferramenta de previsão imediata. Indicador de tempo severo – Este produto deve fornecer informações sobre fenômenos meteorológicos como células de tempestade, mesociclones e padrões divergentes / convergentes em uma só imagem. Detecção e acompanhamento, simultâneo de alvos definidos por limiares selecionáveis. Mosaico de produtos dos dois radares meteorológicos. CARACTERÍSTICAS DOS EQUIPAMENTOS A SEREM FORNECIDOS

29 PROGRAMAS E EXIBIÇÃO DE PRODUTOS: VELOCIDADE Indicador de posição plana (PPI) a ângulos de elevação selecionáveis. Indicador de altura e distância (RHI) a ângulos de elevação, azimute e distância selecionáveis. Indicador de Posição Plana a altura constante (CAPPI) para alturas selecionáveis. Corte vertical para duas posições arbitrárias, definidas via mouse sobre as imagens PPI e CAPPI. Display de velocidade azimutal (VAD) – Display da informação da velocidade em função do azimute em uma elevação e distância específica. Processamento de velocidade do volume (VVP) – Análise do campo de vento próximo ao local do radar. Vento – Estimativa e visualização dos vetores de vento horizontais. Esta apresentação deve ser selecionável como sobreposição para outras projeções cartesianas (padrão PPI) de imagens de radar. Detecção de microexplosões / mesociclone – O produto deverá identificar condições precursoras de microexplosão bem como padrões de mesociclone. Áreas de alta probabilidade de ocorrência desses fenômenos devem ser marcadas por indicadores gráficos junto com informação de texto. CALIBRAÇÃO DO RADAR Calibração por auto consistência entre Z, ZDR e K DP. Calibração por meio do Sol. Calibração de ZDR com apontamento vertical de 90º. Calibração com dados pluviométricos telemedidos. CARACTERÍSTICAS DOS EQUIPAMENTOS A SEREM FORNECIDOS

30 SUPERVISÃO E MONITORAMENTO Software, com interface gráfica apresentando condições de funcionamento do sistema, status do transmissor, temperatura, correntes, tensões, pressão no guia de onda, etc. SISTEMA ININTERRUPTO DE ENERGIA Capacidade de prover potência mínima de 1,3 vezes da carga instalada. NO-BREAK com autonomia mínima de 20 minutos, microprocessado, com recursos para supervisão e controle remotos. Grupo gerador de potência compatível com o sistema, autonomia mínima de 12 horas, acionamento automático e recursos para supervisão e controle remotos. EQUIPAMENTO DE TESTE INTEGRADO Indicação de Potência de pico transmitida. Indicação de Status do sistema de alimentação de energia. Indicação de Posição da seleção da largura de pulso. Indicação de Pressão do guia de ondas. Indicação de Status do transmissor. Indicação de Status do modulador. Tela de visualização em tempo real dos valores I, Q, Refletividade não corrigida e corrigida, Velocidade radial e Largura Espectral. Calibração ZDR a partir do rastreio do sol. Sistema automático de apontamento da antena pelo rastreio do sol.


Carregar ppt "AQUISIÇÃO DE UM SISTEMA DE 2 RADARES METEOROLÓGICOS Luiz Paulo Viana Engenheiro Hidrólogo Chefe do Sistema de Alerta de Cheias do INEA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google