A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 O SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 O SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 O SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO

2 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Busca voluntária da qualidade Processo de construção de equipe Educação da direção e corpo funcional Instrumento de gerenciamento Aspectos Relevantes da Acreditação

3 Organização Nacional de Acreditação 23/10/ Iniciativas Nacionais de Acreditação no Brasil

4 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Sociedade civil sem finalidade econômica; Funções: o Coordenar o Sistema Brasileiro de Acreditação; o Definir sistemática de avaliação; o Elaborar padrões de qualidade; o Capacitar multiplicadores e facilitadores. A Organização Nacional de Acreditação

5 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Entidades Fundadoras - Conselho de Administração

6 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Parceiros do Governo – Conselho de Administração

7 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Instituições Acreditadoras Credenciadas

8 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 A LÓGICA E O MÉTODO

9 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Vantagens do Processo de Acreditação Caminho para a melhoria contínua Critérios e objetivos concretos, adaptados à realidade brasileira Segurança para os pacientes e profissionais Útil instrumento de gerenciamento

10 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 A Organização de Saúde Como um Sistema

11 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006

12 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Nível 2 PROCESSO Nível 3 RESULTADO Os 3 Níveis Nível 1 ESTRUTURA

13 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Expectativas desejáveis de desempenho de uma organização; Elaborados com base na existência de 3 Níveis; Devem ser integralmente cumpridos. Os Padrões

14 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 NÍVEL 1 ATRIBUTO GERAL: Segurança (estrutura) NÍVEL 2 ATRIBUTO GERAL: Organização (processos) NÍVEL 3 ATRIBUTO GERAL: Práticas de Gestão e Qualidade (resultados)

15 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 NÃO ACREDITADO ACREDITADO Conformidade com os padrões de Nível 1 ACREDITADO PLENO Conformidade com os padrões de Nível 1 e 2 ACREDITADO COM EXCELÊNCIA Conformidade com todos os padrões (Nível 1, 2 e 3)

16 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Porque implantar um Sistema de Qualidade nas Organizações de Saúde? Gestão da Qualidade

17 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Casos de Incidentes CASO 1: Esquecimento de uma régua de metal de 33 cm. O que: Retirada de tumor no abdômen. Onde: Hospital Universitário (EUA)

18 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Casos de Incidentes CASO 2: Queimadura grave após lipoaspiração O que: Lipoaspiração. Onde: Clínica de Estética (Brasil)

19 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Risco x Eventos Adversos Complicações indesejadas decorrentes dos cuidados prestados ao paciente, não atribuídas à evolução natural da doença de base (Gallotti, 2004) Estudos das décadas de 50 e 60 já apresentavam relatos de eventos adversos Estima-se que 50 a 60% são evitáveis

20 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Magnitude dos Eventos Adversos Estudos de Harvard / % dos pacientes sofrem algum tipo de dano no Hospital 70% dos eventos adversos provocam uma incapacidade temporal 14% dos incidentes são mortais Fonte: World Alliance for Patient Safety : forward programme. World Health Organization 2004, apud: To err is human: building a safer health system by the Institute of Medicine, USA

21 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Grupo de Trabalho sobre a Qualidade da Atenção Hospitalar/2000 Um a cada dez pacientes dos hospitais europeus sofrem danos evitáveis e efeitos adversos ocasionados por cuidados recebidos. Fonte: The quality of health care/hospital activities: Report by the Working Party on quality care in hospitals of the subcommittee on coordination. September Magnitude dos Eventos Adversos

22 Organização Nacional de Acreditação 23/10/ Óbitos Erros Médicos Acidentes Auto Ca de Mama Aids Causas de Mortes nos EUA Fonte: The Institute of Medicine. To Err is Human: Building a Safer Health System, 1999 citado por Antônio Quinto Neto

23 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 A maioria das falhas médicas pertencem a cinco categorias: Falhas de equipamento Leitura incorreta dos exames de laboratórios Engano do tipo de sangue durante a transfusão Leitura incorreta de prescrições Cirurgia em parte errada do corpo Ocorrências de Falhas na Assistência à Saúde

24 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Fatores que interferem e fazem variar a Qualidade: Variabilidade e localização; Treinamento, experiência, especialização e a idade dos profissionais; Condições do local onde se realiza o trabalho; Financiamento e organização da assistência; Características da Organização de Saúde; Características dos clientes. Gestão da Qualidade Assistencial

25 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 CONSCIENTIZAÇÃO + INICIATIVA QUALIDADE AVALIAÇÃO ACREDITAÇÃOCOMPETITIVIDADE Buscando a Competitividade

26 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Qualidade x Risco qualidaderisco Em serviços de saúde qualidade e risco são indissociáveis Risco Qualidade

27 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Informações sobre o SBA Notícias Agenda da Saúde Educação a distância Biblioteca Virtual Loja virtual PORTAL ONA

28 Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 Edifício Palácio do Rádio – Bloco 3 / 5° andar Brasília/DF


Carregar ppt "Organização Nacional de Acreditação 23/10/2006 O SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google