A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Uma Mulher e seu Ensinamento Esotérico Tema do mês de setembro: Mulher.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Uma Mulher e seu Ensinamento Esotérico Tema do mês de setembro: Mulher."— Transcrição da apresentação:

1 Uma Mulher e seu Ensinamento Esotérico Tema do mês de setembro: Mulher

2 Seu nome de batismo era Helena von Hahn, foi a responsável pela sistematização da moderna Teosofia, e foi uma das fundadoras da Sociedade Teosófica. Os seus mais importantes livros são Ísis Sem Véu e A Doutrina Secreta, escritos em 1875 e 1888, respectivamente. Helena Petrovna Blavatsky Nasceu em 30/31 de julho de mais conhecida como Helena Blavatsky, ou Madame Blavatsky, nasceu na cidade de Yekaterinoslav, no sul da Rússia (atualmente território da Ucrânia). Morreu em Londres, no dia 8 de maio de 1891.

3 Blavatsky era filha do Coronel Peter von Hahn e Helena de Fadeyev, uma conhecida escritora de romances. Pela parte materna, era neta da princesa Helena Dolgorukov, botânica e escritora. Depois do precoce falecimento de sua mãe em 1842, Helena cresceu sob cuidados de seus avós em Saratov, onde seu avô era governador. Helena era uma talentosa pianista e, dotada de poderes psíquicos ou sobrenaturais. Desde jóvem mostrou-se interessada no esoterismo, lendo várias obras da biblioteca pessoal do seu bisavô que tinha sido iniciado na Maçonaria no final do século XVIII. Aos dezessete anos, Helena casou-se com Nikifor Vassilievitch Blavatsky, vice- governador da província de Erevan na Arménia, de quem herdou o sobrenome. Ele era muito mais velho do que ela, e o casamento nunca se consumou de fato. Helena aceitou casar-se com a esperança de adquirir independência. Afastou-se do marido no decorrer da lua-de-mel, e iniciou uma série de viagens que incluíram a Turquia, Egito e Grécia.

4 Aos vinte anos, em 1851, Helena estava com seu pai em Londres, quando pela primeira vez encontrou-se com seu Mestre, que ela conhecia de visões e sonhos desde sua infância, Mestre Morya, como é conhecido entre os teósofos. Em 1855, viajou para a Índia e teve sucesso em sua tentativa de entrar no Tibete, através de Caxemira e Ladakh (anteriormente havia fracassado neste intento). No Tibete, passou por um período de treinamento sob a orientação de seu Mestre. De 1860 até 1865, viveu e viajou no Cáucaso, passando por experiências e crises de natureza psíquicas. O que lhe possibilitou, segundo ela própria, adquirir total controle sobre seus poderes psíquicos. Em 1868, retornou à Índia, via Tibete e, nesta viagem, Blavatsky, conheceu o Mestre Koot Hoomi.

5 Em Outubro de 1874 Blavatsky conheceu o Coronel Henry Steel Olcott e juntamente com outros dezesseis teósofos fundaram a Sociedade Teosófica em 7 de setembro de 1875, cujo símbolo está ao lado. Blavatsky publicou sua primeira grande obra em setembro de 1875, Ísis Sem Véu. Obra que menciona a história, o desenvolvimento das ciências ocultas, a natureza e origem da magia, as raízes do cristianismo, e, segundo a perspectiva da autora, os erros da teologia cristã e as falácias estabelecidas pela ciência ortodoxa. Neste mesmo ano, H.P. Blavatsky foi naturalizada cidadã do Estados Unidos. Em 1878, Blavatsky e Henry Olcott transferiram a Sede da Sociedade Teosófica para a Adyar, Índia, e em 1882 adquiriram uma grande área em Madras, onde estabeleceram a Sede Internacional da Sociedade Teosófica.

6 Alexis e Emma Coulomb (dois membros do grupo de trabalho de Adyar) acusaram Blavatsky de fraude, ataque que repercutiu fortemente em sua vida e obra. Em dezembro de 1884 ela retornou para Adyar, com o intuito de informar- se melhor sobre a situação e de processar o casal, que já havia sido banido da sociedade. O alto comitê da Sociedade Teosófica, no entanto, não aceitou que Blavatsky processasse o casal. Desapontada, renunciou ao cargo de secretária correspondente de Adyar, e em Março de 1885, partiu para a Europa e nunca mais retornou à Índia. O ataque de Coulomb,publicado em uma revista de missionários cristãos em Madras, não tinha bases sólidas, como foi depois comprovado, pois baseava-se em cartas falsificadas, em nome de Blavatsky, com instruções para manifestação de falsos fenômenos psíquicos.

7 Desde as acusações feitas contra ela, na Índia, Madame Blavatsky foi desenganada pelos médicos em várias ocasiões. Segundo testemunhas, Helena recebeu, um dia, a visita de um de seus instrutores tibetanos que lhe deu, a seguinte escolha: "ou morrer, libertando-se (do corpo doente), ou continuar viva e terminar A Doutrina Secreta". Ela recuperou-se e continuou a escrever sua grande obra, que foi publicada em 1888, simultaneamente em Londres e Nova Iorque. Seus auxiliares na transcrição e edição dos manuscritos foram Bertram Keightley e Archibald Keightley. Em 1889 Blavatsky publicou o livro A Chave para a Teosofia, uma exposição clara de Ética, Filosofia e Ciência em forma de perguntas e respostas expondo a razão pela qual a Sociedade Teosófica fora fundada e quais eram seus ensinamentos básicos. Ela, também, publicou A Voz do Silêncio, um livro poético baseado no Livro dos Preceitos de Ouro, que ela havia memorizado enquanto residia num monastério tibetano, que foi traduzido para a língua portuguesa por Fernando Pessoa.

8 Segundo testemunhas da época, Blavatsky trabalhava incessantemente em seus projetos, mesmo com sua saúde seriamente abalada. Em A Doutrina Secreta, obra monumental, ela inclui mais de citações, com indicações precisas de páginas e autores, relacionadas a livros que ela não poderia ter lido, pelo menos diretamente. Outro exemplo, de seu extenso trabalho e dedicação, é o livro Ísis Sem Véu, com mais de páginas. Várias testemunhas afirmam que sua biblioteca, que a acompanhava nas viagens, se limitava a poucos dicionários de inglês. Segundo o crítico inglês William Emmett Coleman, para escrever Isis sem Véu, Blavatsky precisaria ter estudado livros, o que seria impossível para alguém que viajava constantemente com uma pequena quantidade de livros em sua biblioteca pessoal. Além disso, se Blavatsky tivesse lido todos os livros (muitos deles somente disponíveis em alguns museus ou bibliotecas longínquos), dos quais cita trechos ipsis litteris em seus livros, teria levado várias vidas para concluir a leitura e a obra.

9 Madame Blavatsky explicava que escreveu tanto Ísis Sem Véu quanto a Doutrina Secreta com a ajuda dos Mahatmas, que certas vezes transferiam suas consciências para o corpo físico de HPB, em um processo chamado tulku. Blavatsky afirma que tal processo, na concepção teosófica, não seria mediúnico, uma vez que os Mahatmas não eram espíritos de mortos, mas seres humanos em corpos físicos. Ainda, segundo ela própria, algumas cenas e citações lhes eram mostradas por clarividência através da luz astral, outras vezes, enquanto dormia, páginas inteiras eram precipitadas com sua própria letra, ou cartas dos Mestres se materializavam em papéis. Esses fatos contribuíram fortemente para que Blavatsky fosse tida como uma farsante. Além disto, seus críticos a acusaram de racismo, particularmente quando Blavatsky refere-se a alguns grupos étnicos, os aborígenes australianos, por exemplo, como pertencendo a uma raça inferior, já que os identifica como "mestiços atlanto-lemurianos". Com relação aos semitas, particularmente os árabes, diz que são "espiritualmente degenerados".

10 Helena Blavatsky faleceu 1891, em Londres. Após sua morte e a de Henry Steel Olcott, a liderança da Sociedade Teosófica foi entregue à discípula favorita de Blavatsky, Annie Besant, e a William Quan Judge. Seu corpo foi cremado e um terço das cinzas ficou na Europa, um terço foi para os Estados Unidos, levado por William Quan Judge, e o outro terço encontra-se na Sede Internacional da S.T., depositadas no interior de uma estátua dela. Em seu testamento, Blavatsky pede aos teósofos que celebrem a data de seu falecimento como o Dia do Lótus Branco. Atendendo ao seu pedido, desde 1892, os membros da Sociedade Teosófica ao redor do mundo reúnem-se nesta data para homenageá-la.

11 Obras principais * Ísis Sem Véu (1877) * A Doutrina Secreta, vol. I e II (1888) * Glossário Teosófico (editado em 1892) * A Chave para a Teosofia (1889) * Ocultismo Prático * A Voz do Silêncio (1889) * No País das Montanhas Azuis * Pelas Grutas e Selvas do Hindustão * Cinco Anos de Teosofia (artigos da revista The Theosophist) * Gemas do Oriente (pensamentos para cada dia do ano) * Transações da Loja de Londres * Narrativas Fantásticas * O Dubar em Lahore (escrito em russo sob o pseudônimo de Radha-Bai) * Cartas de Blavatsky para as Convençôes da Sociedade Teosofica nos EUA * As Obras Completas de Blavatsky (editada por Trevor Barker) * Estudos em Ocultismo * Cartas de Blavatsky para A.P. Sinnet * Cartas de Blavatsky para sua Família na Rússia * Cartas de Blavatsky para William Q. Judge * Sonhos * Programa Original da Sociedade Teosófica * Sabedoria Eterna


Carregar ppt "Uma Mulher e seu Ensinamento Esotérico Tema do mês de setembro: Mulher."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google