A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AUTO- AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR PROCESSOS ENVOLVIDOS Maria Mário Murteira.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AUTO- AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR PROCESSOS ENVOLVIDOS Maria Mário Murteira."— Transcrição da apresentação:

1 AUTO- AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR PROCESSOS ENVOLVIDOS Maria Mário Murteira

2 A ideia de criar um modelo de avaliação das bibliotecas escolares permite perspectivar a organização estrutural no seu todo. Apresenta-se assim, como um instrumento de melhoria, uma vez que através da recolha sistemática de evidências permitirá a possibilidade de transformar/inovar na busca da qualidade. A sua pertinência alia-se à missão de transformar em resultados objectivos o que se vai definindo e desenvolvendo na BE.

3 A BE corresponde às expectativas esperadas? Até que ponto a BE tem implicações na aprendizagem? De que forma é que a BE é transportada para a sala de aula? Quais os benefícios que alunos e professores podem tirar da BE? Os recursos estão actualizados? A acessibilidade ao fundo documental é funcional? As novas tecnologias estão reorientadas às necessidades dos utilizadores? Que tipo de literatura é devorada e que tipo de literatura é esquecida nas estantes?

4 Necessidade de apresentar o trabalho que a BE desenvolve e de que forma é que contribui para o sucesso educativo dos alunos. Necessidade de saber a integração plena da BE no processo ensino/aprendizagem. Necessidade de saber se as práticas utilizadas revelam as prioridades educativas enunciadas. Necessidade de provar o impacto que as práticas da BE exercem no contexto de escola. Necessidade de aferir a eficácia dos serviços prestados e a satisfação dos utilizadores da BE.

5 Identificar os pontos fortes e fracos. Conhecer a ligação entre a BE, a escola e o sucesso educativo. Interagir com os diferentes órgãos da escola (Conselho Executivo, Departamentos…) Analisar o impacto das práticas da BE no contexto escolar. Aferir sobre a qualidade da gestão e eficácia da BE ao serviço dos utilizadores. Envolver toda a comunidade educativa no processo de avaliação. Compatibilizar diferentes instrumentos de trabalho.

6 O modelo apresenta-se organizado em quatro domínios: A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular; B. Leitura e Literacias; C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade; D. Gestão da Biblioteca Escolar (e num conjunto de indicadores temáticos sobre os quais assenta o trabalho da BE). O documento está faseado para ser aplicado durante 4 anos de forma a fornecer uma visão holística da BE. A escolha do domínio prioritário a avaliar deve resultar de uma decisão fundamentada da equipa junto do órgão de gestão.

7 Recolha de evidências. Lançamento de inquéritos e registos inerentes ao processo de avaliação. Interpretação da informação recolhida. Estabelecer ligações entre os dados obtidos. Divulgação dos resultados à escola. Apresentação do Relatório final, discussão e aprovação em Conselho Pedagógico. Elaboração de uma síntese para constar no relatório da escola.

8 O Coordenador da BE terá de exercer a função de catalisador junto da comunidade educativa ( deverá elaborar um plano devidamente estruturado para conseguir chegar a todos). A relevância da contribuição de todos (professores, órgãos pedagógicos, alunos, funcionários e pais/e. educação) através da execução das tarefas pedidas (recolha de evidências). Aplicação de questionários e registos significativos para obter um diagnóstico fundamentado. Os esforços devem convergir no sentido de construir uma cultura baseada na verdade e na confiança de todos os envolvidos.

9 Valorização da BE no processo de ensino/aprendizagem Ajudar a desenvolver novas estratégias de actuação Reorientar práticas e processos Melhoria nos seus serviços Reconhecimento da importância da BE no contexto escolar(ligação ao currículo e ao sucesso educativo dos alunos) Responsabilidade colectiva Saber gerir a mudança

10 No desenvolvimento de actividades culturais e de integração Na transversalidade dos conteúdos curriculares Na aquisição de diferentes aprendizagens/diferentes literacias Na melhoria da aprendizagem e no sucesso educativo No apoio a projectos curriculares Na integração das diferentes áreas curriculares No desenvolvimento pedagógico de toda a escola Na aquisição do conhecimento através da informação orientada (TIC e internet - prioridades educativas)

11 Após a aprovação do Relatório em Conselho Pedagógico e da realização da síntese para constar no relatório da escola, a sua divulgação será feita nos departamentos e através da página web da escola e da página web da BE. Posteriormente dever-se-á construir um plano de acção baseado nas evidências recolhidas, com o objectivo de divulgar o valor da BE e redefinir as novas práticas a implementar, com a finalidade de corrigir os pontos fracos detectados. O relatório ficará disponibilizado na BE. Desta forma, a sua presença evidenciará a sua importância na melhoria contínua das aprendizagens e consequentemente no sucesso educativo dos alunos.


Carregar ppt "AUTO- AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR PROCESSOS ENVOLVIDOS Maria Mário Murteira."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google