A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SISTEMA EXCRETOR HUMANO PROF. VÍCTOR PESSOA. CARACTERÍSTICAS GERAIS - Eliminação dos produtos do metabolismo celular (especialmente os nitrogenados);

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SISTEMA EXCRETOR HUMANO PROF. VÍCTOR PESSOA. CARACTERÍSTICAS GERAIS - Eliminação dos produtos do metabolismo celular (especialmente os nitrogenados);"— Transcrição da apresentação:

1 SISTEMA EXCRETOR HUMANO PROF. VÍCTOR PESSOA

2 CARACTERÍSTICAS GERAIS - Eliminação dos produtos do metabolismo celular (especialmente os nitrogenados); - Controle da osmorregulação (controlando a eliminação de água e sais na urina, os rins mantêm a tonicidade do sangue adequada às necessidades de nossas células); - Rins – órgãos responsáveis pela filtração do sangue. Situam-se na parte dorsal do abdome ( retroperitoneais ), logo abaixo do diafragma, um de cada lado da coluna vertebral; Possuem uma cápsula fibrosa, que reveste o córtex (mais externo), e a medula, porção mais interna; Apresentam milhões de unidades filtradoras denominadas néfrons.

3 Córtex renal Medula renal Pelve renal Ureter Córtex renal Medula renal Ducto coletor Glomérulo renal Túbulo renal ANATOMIA DO RIM

4 ULTRA-ESTRUTURA DOS NÉFRONS - Cada néfron é uma longa estrutura tubular microscópica que possui, em uma das extremidades, uma expansão em forma de taça, denominada cápsula glomerular (cápsula de Bowman), que se conecta com o túbulo contorcido proximal, que continua pela alça de Henle (alça néfrica) e pelo túbulo contornado distal, este desembocando em um ducto coletor. - São responsáveis pela filtração do sangue e remoção das excreções.

5 Cápsula de Bowman Glomérulo Ramo descendente da alça de Henle Ramo ascendente da alça de Henle Alça de Henle Ducto coletor capilares para o ureter Túbulo contorcido proximal Túbulo contorcido distal Ramo da artéria renal Ramo da veia renal

6 - Cápsula glomerular: camada parietal (externa) + camada visceral (interna); - Camada parietal: epitélio simples escamoso; - Camada visceral: células epiteliais escamosas modificadas (PODÓCITOS) + endotélio dos capilares. As projeções dos podócitos (pedículos) enrolam-se em torno do endotélio dos capilares.

7 FISIOLOGIA DOS RINS (SINOPSE) No processo de formação da urina, os néfrons e os ductos coletores executam três processos básicos: FILTRAÇÃO GLOMERULAR, SECREÇÃO TUBULAR e REABSORÇÃO TUBULAR. Filtração glomerular Passagem de água e da maioria dos solutos do plasma para a cápsula glomerular Filtração glomerular Passagem de água e da maioria dos solutos do plasma para a cápsula glomerular Reabsorção tubular Reabsorção da maior parte da água e dos solutos úteis Reabsorção tubular Reabsorção da maior parte da água e dos solutos úteis Secreção tubular Secreção de substâncias no filtrado que passa pelos túbulos renais (medicamentos, excesso de íons)

8

9 Membranas de filtração do sangue que chega à cápsula glomerular (membrana endotelial-capsular) FILTRAÇÃO GLOMERULAR

10 A filtração glomerular depende de três pressões principais: uma que estimula a filtração e duas que resistem à filtração. 1 – Pressão hidrostática glomerular do sangue (PHGS) : estimula a filtração / força a água e os solutos, do plasma sanguíneo, através da membrana de filtração. A PHGS corresponde à pressão sanguínea nos capilares glomerulares (55 mmHg); 2 – Pressão hidrostática capsular (PHC) : resiste à filtração / corresponde à pressão hidrostática exercida contra a membrana de filtração pelo líquido já presente no espaço capsular e no túbulo renal (15 mmHg); 3 – Pressão coloidosmótica do sangue (PCOS) : resiste à filtração / decorre da presença das proteínas plasmáticas (30 mmHg).

11

12 IMPORTANTE! A filtração glomerular (FG) é a quantidade de filtrado formado em todos os corpúsculos renais a cada minuto (125 mL/min – homens / 105 mL/min – mulheres); Os valores da FG devem ser relativamente constantes: Se for elevada pode comprometer o processo de reabsorção de substâncias úteis contidas no filtrado; Se for baixa quase todo o filtrado pode ser reabsorvido, e certos produtos residuais podem não ser adequadamente eliminados.

13 REGULAÇÃO DA FILTRAÇÃO GLOMERULAR Ajuste do fluxo sanguíneo que entra e sai do glomérulo; Alteração da área da superfície do capilar glomerular disponível para a filtração. AUMENTO DA FG Aumento do fluxo sanguíneo para os capilares glomerulares; Dilatação da arteríola aferente DIMINUIÇÃO DA FG Diminuição do fluxo sanguíneo para os capilares glomerulares; Constrição da arteríola aferente

14 Mecanismos que controlam a filtração glomerular: AUTO-REGULAÇÃO / REGULAÇÃO NEURAL / REGULAÇÃO HORMONAL. Auto-regulação renal * Auto-regulação renal : os rins mantêm o fluxo sanguíneo e a FG constantes, por meio dos mecanismos miogênico e de feedback tubuloglomerular. Mecanismo miogênico 1. Pressão arterial aumenta a FG aumenta (aumenta o fluxo de sangue para os rins); 2. Pressão arterial elevada causa o estiramento das paredes das arteríolas aferentes; 3. Em resposta, as fibras musculares lisas dessas arteríolas se contraem, diminuindo o lúmen desses vasos; 4. Com a diminuição do calibre das arteríolas aferentes, o fluxo de sangue para os rins diminui, reduzindo a FG ao seu nível normal.

15 Feedback tubuloglomerular Participação da mácula densa neste processo. 1. Pressão arterial elevada Elevação da FG Velocidade elevada do filtrado nos túbulos renais; 2. Menor reabsorção de água e dos íons sódio e cloreto; 3. As células da mácula densa detectam essa baixa reabsorção e passam a liberar um vasoconstritor; 4. Contração das arteríolas aferentes Diminuição do fluxo sanguíneo para os rins Diminuição da pressão arterial até os níveis normais.

16 Regulação neural * Regulação neural : inervação dos vasos sanguíneos renais por fibras do sistema nervoso autônomo simpático (liberação de norepinefrina / vasoconstritor). Regulação hormonal * Regulação hormonal : participação da angiotensina II (vasoconstritor que estreita as arteríolas aferente e eferente reduz a FG) e do peptídio natriurético atrial (PNA) (aumento da área de superfície dos capilares aumenta a FG). O PNA é liberado quando os átrios sofrem um estiramento de suas paredes, como nos momentos em que chega a eles um volume sanguíneo elevado.

17 APARELHO JUSTAGLOMERULAR Mácula densa Mácula densa : epitélio simples colunar da parte final do ramo ascendente da alça néfrica que faz contato com a arteríola aferente. Células justaglomerulares Células justaglomerulares : células musculares lisas modificadas situadas na parte externa da arteríola aferente. mácula densa + células justaglomerulares: aparelho justaglomerular

18 CONTROLE HORMONAL * ADH : Hormônio anti-diurético (vasopressina). Aumenta a reabsorção de água pelos túbulos coletores / Formação de urina concentrada. A secreção de ADH é inibida pelo álcool, resultando em uma urina diluída. * Aldosterona : ao detectar a queda de pressão sangüínea, as células do rim secretam substâncias que estimulam a adrenal a produzir o hormônio aldosterona (um mineralocorticóide). A aldosterona estimula a reabsorção de sódio nos túbulos renais, aumentando, por consequência, a reabsorção de água. Esses eventos, por sua vez, promovem o aumento do volume e da pressão sanguínea.

19


Carregar ppt "SISTEMA EXCRETOR HUMANO PROF. VÍCTOR PESSOA. CARACTERÍSTICAS GERAIS - Eliminação dos produtos do metabolismo celular (especialmente os nitrogenados);"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google