A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE JACAREÍ Núcleo Pedagógico Analista Sociocultural Bibliotecária CRB-8/9196 IZABELITA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE JACAREÍ Núcleo Pedagógico Analista Sociocultural Bibliotecária CRB-8/9196 IZABELITA."— Transcrição da apresentação:

1 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE JACAREÍ Núcleo Pedagógico Analista Sociocultural Bibliotecária CRB-8/9196 IZABELITA MACIEL DOS SANTOS

2 Analista Sociocultural – Atuação Na Diretoria de Ensino: Biblioteca do Núcleo Pedagógico Mediador entre a DE e o CRE Mario Covas; Estruturação do espaço físico, organização e controle patrimonial dos acervos da Biblioteca da Diretoria de Ensino; Participação na elaboração de Orientações Técnicas oferecidas aos professores responsáveis pelas Salas de Leitura; Realização de visitas técnicas às Salas de Leituras para fins acompanhamento e assistência; Participação em programas, projetos e ações, em seu âmbito de atuação, propostos pela Secretaria de Educação e Órgãos Centrais; Nas Escolas: Salas de Leitura Auxiliar na organização do espaço físico e do acervo, bem como na disposição do mobiliário; Divulgar novas mídias e suportes a serem usados; Acompanhamento e homologação da entrada de dados no Sistema Infoprisma; Orientação aos professores das Salas de Leitura quanto à gestão.

3 Biblioteca Escolar / Sala de Leitura É comum as escolas destinarem um espaço para a leitura. Geralmente, esses espaços são chamados de Biblioteca Escolar ou Sala de Leitura. Organizada para integrar-se com a sala de aula e no desenvolvimento do currículo escolar, a Sala de Leitura funciona como um centro de recursos educativos, integrado ao processo de ensino-aprendizagem, tendo como objetivo primordial desenvolver e fomentar a leitura e a informação. É preciso que as Salas de Leitura extrapolem a função de guarda, organização e consulta a acervos, tornando-as espaços de formação de leitores sob todos os aspectos. Assim, além de possuírem uma variedade de documentos, devem ser ambientes agradáveis e aconchegantes, cujo acesso ao acervo seja simples e convidativo. Para que uma Sala de Leitura possa ser organizada dentro dessa concepção, é necessário romper com algumas tradições de modo a torná-la de fato um espaço democrático e que, ao mesmo tempo, estimule a criatividade, o espírito inventivo, a curiosidade e o interesse por conhecer, desenvolver e produzir conhecimentos. Esse espaço pode ser estendido para além de seu espaço físico principal, de modo que seu acervo e as produções de seus usuários possam ser expostas.

4 Cinco Leis da Biblioteconomia (Leis de Ranganathan) 1- Livros são para usar. 2- A cada leitor, seu livro. 3- A cada livro, seu leitor. 4- Poupe o tempo do leitor. 5- A biblioteca é um organismo em crescimento.

5 Visitas às Salas de Leitura nas Escolas Identificação da situação das Salas de Leitura; Preenchimento de Relatório; Feedback para o CRE MARIO COVAS.

6 Sala de Leitura – Como organizar? Manual de Procedimentos: Organização do espaço físico Organização do mobiliário Organização do acervo

7 Organização do espaço físico: Layouts: (3 tipos) – O layout é a forma de distribuir melhor o espaço físico da Sala de Leitura, para tornar o ambiente agradável, sinalizado e adequado para comportar o mobiliário, o acervo e a realização de atividades. Foram pensados de maneira que tornasse o espaço visualmente mais adequado, agradável e funcional, atendendo as normas técnicas.

8 Layout 01

9 Layout 02

10 Layout 03

11 Organização do mobiliário: Quadro branco Mural Mesa de informática Mesa de uso múltiplo Estante para exposição Estante dupla para biblioteca Cadeira giratória Cadeira fixa Armário de aço / 2 portas Mesa de uso múltiplo acessível Ventilador de parede Computador Leitor óptico Impressora

12 Organização do acervo: Para a organização do acervo, é necessário estipular uma metodologia de trabalho, a fim de orientar o trabalho desenvolvido. Dessa forma, foi elaborado um Manual de Procedimentos contendo as seguintes etapas: 1)Aquisição 2)Seleção 3)Desbastamento X Descarte 4)Identificar os diferentes tipos de materiais bibliográficos 5)Registro 6)Carimbagem 7)Classificação 8)Definição das áreas 9)Sinalização 10)Arrumação nas estantes

13 Dicas Importantes! Acervo com acesso livre; Sugestões de Leitura (Livro da semana, por exemplo); Regras de convivência na SL; Atrair os alunos para a SL; Educar os alunos sobre como utilizar o espaço da SL; Sempre atualizar a estante expositora; Orientar os alunos a não recolocar na estante um livro retirado do lugar, deixar na mesa para o professor responsável guardar; Observar o tamanho dos livros e a distância entre as prateleiras.

14 Dicas Importantes – Conservação do Acervo Deixar o acervo longe do sol; Evitar que a sala seja lavada; Deixar ambiente o mais fresco possível; Comer e beber longe dos livros; Orientar os alunos a não escrever/rabiscar os livros;

15 Referências Material Plataforma AVA

16 Ficha Catalográfica F Fonseca, Rubem, A grande arte: romance/Rubem Fonseca. – 12 ed. revista pelo autor – São Paulo : Companhia das Letras, 1990 ISBN I. Título Palavra Chave CDD Romance brasileiro


Carregar ppt "SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE JACAREÍ Núcleo Pedagógico Analista Sociocultural Bibliotecária CRB-8/9196 IZABELITA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google