A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE JACAREÍ Núcleo Pedagógico Analista Sociocultural Bibliotecária CRB-8/9196 IZABELITA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE JACAREÍ Núcleo Pedagógico Analista Sociocultural Bibliotecária CRB-8/9196 IZABELITA."— Transcrição da apresentação:

1 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE JACAREÍ Núcleo Pedagógico Analista Sociocultural Bibliotecária CRB-8/9196 IZABELITA MACIEL DOS SANTOS

2 Analista Sociocultural – Atuação Na Diretoria de Ensino: Biblioteca do Núcleo Pedagógico Mediador entre a DE e o CRE Mario Covas; Estruturação do espaço físico, organização e controle patrimonial dos acervos da Biblioteca da Diretoria de Ensino; Participação na elaboração de Orientações Técnicas oferecidas aos professores responsáveis pelas Salas de Leitura; Realização de visitas técnicas às Salas de Leituras para fins acompanhamento e assistência; Participação em programas, projetos e ações, em seu âmbito de atuação, propostos pela Secretaria de Educação e Órgãos Centrais; Nas Escolas: Salas de Leitura Auxiliar na organização do espaço físico e do acervo, bem como na disposição do mobiliário; Divulgar novas mídias e suportes a serem usados; Acompanhamento e homologação da entrada de dados no Sistema Infoprisma; Orientação aos professores das Salas de Leitura quanto à gestão.

3 Biblioteca Escolar / Sala de Leitura É comum as escolas destinarem um espaço para a leitura. Geralmente, esses espaços são chamados de Biblioteca Escolar ou Sala de Leitura. Organizada para integrar-se com a sala de aula e no desenvolvimento do currículo escolar, a Sala de Leitura funciona como um centro de recursos educativos, integrado ao processo de ensino-aprendizagem, tendo como objetivo primordial desenvolver e fomentar a leitura e a informação. É preciso que as Salas de Leitura extrapolem a função de guarda, organização e consulta a acervos, tornando-as espaços de formação de leitores sob todos os aspectos. Assim, além de possuírem uma variedade de documentos, devem ser ambientes agradáveis e aconchegantes, cujo acesso ao acervo seja simples e convidativo. Para que uma Sala de Leitura possa ser organizada dentro dessa concepção, é necessário romper com algumas tradições de modo a torná-la de fato um espaço democrático e que, ao mesmo tempo, estimule a criatividade, o espírito inventivo, a curiosidade e o interesse por conhecer, desenvolver e produzir conhecimentos. Esse espaço pode ser estendido para além de seu espaço físico principal, de modo que seu acervo e as produções de seus usuários possam ser expostas.

4 Cinco Leis da Biblioteconomia (Leis de Ranganathan) 1- Livros são para usar. 2- A cada leitor, seu livro. 3- A cada livro, seu leitor. 4- Poupe o tempo do leitor. 5- A biblioteca é um organismo em crescimento.

5 Visitas às Salas de Leitura nas Escolas Identificação da situação das Salas de Leitura; Preenchimento de Relatório; Feedback para o CRE MARIO COVAS.

6 Sala de Leitura – Como organizar? Manual de Procedimentos: Organização do espaço físico Organização do mobiliário Organização do acervo

7 Organização do espaço físico: Layouts: (3 tipos) – O layout é a forma de distribuir melhor o espaço físico da Sala de Leitura, para tornar o ambiente agradável, sinalizado e adequado para comportar o mobiliário, o acervo e a realização de atividades. Foram pensados de maneira que tornasse o espaço visualmente mais adequado, agradável e funcional, atendendo as normas técnicas.

8 Layout 01

9 Layout 02

10 Layout 03

11 Organização do mobiliário: Quadro branco Mural Mesa de informática Mesa de uso múltiplo Estante para exposição Estante dupla para biblioteca Cadeira giratória Cadeira fixa Armário de aço / 2 portas Mesa de uso múltiplo acessível Ventilador de parede Computador Leitor óptico Impressora

12 Organização do acervo: Para a organização do acervo, é necessário estipular uma metodologia de trabalho, a fim de orientar o trabalho desenvolvido. Dessa forma, foi elaborado um Manual de Procedimentos contendo as seguintes etapas: 1)Aquisição 2)Seleção 3)Desbastamento X Descarte 4)Identificar os diferentes tipos de materiais bibliográficos 5)Registro 6)Carimbagem 7)Classificação 8)Definição das áreas 9)Sinalização 10)Arrumação nas estantes

13 Dicas Importantes! Acervo com acesso livre; Sugestões de Leitura (Livro da semana, por exemplo); Regras de convivência na SL; Atrair os alunos para a SL; Educar os alunos sobre como utilizar o espaço da SL; Sempre atualizar a estante expositora; Orientar os alunos a não recolocar na estante um livro retirado do lugar, deixar na mesa para o professor responsável guardar; Observar o tamanho dos livros e a distância entre as prateleiras.

14 Dicas Importantes – Conservação do Acervo Deixar o acervo longe do sol; Evitar que a sala seja lavada; Deixar ambiente o mais fresco possível; Comer e beber longe dos livros; Orientar os alunos a não escrever/rabiscar os livros;

15 Referências Material Plataforma AVA http://www.educacao.sp.gov.br/portal/projetos/sala-de-leitura http://www.crmariocovas.sp.gov.br/ntc_l.php?t=saladeleitura

16 Ficha Catalográfica F Fonseca, Rubem, 1925- A grande arte: romance/Rubem Fonseca. – 12 ed. revista pelo autor – São Paulo : Companhia das Letras, 1990 ISBN 85-7164-114-5 1. I. Título Palavra Chave CDD-869.935 Romance brasileiro


Carregar ppt "SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE JACAREÍ Núcleo Pedagógico Analista Sociocultural Bibliotecária CRB-8/9196 IZABELITA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google