A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Economia Criativa. A Cultura sob o ponto de vista antropológico se constitui em um conjunto de padrões de comportamento, crenças, conhecimentos e costumes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Economia Criativa. A Cultura sob o ponto de vista antropológico se constitui em um conjunto de padrões de comportamento, crenças, conhecimentos e costumes."— Transcrição da apresentação:

1 Economia Criativa

2 A Cultura sob o ponto de vista antropológico se constitui em um conjunto de padrões de comportamento, crenças, conhecimentos e costumes que diferenciam um determinado grupo social. A Cultura sob o ponto de vista antropológico se constitui em um conjunto de padrões de comportamento, crenças, conhecimentos e costumes que diferenciam um determinado grupo social. É uma maneira peculiar de um povo exercer sua humanidade. É uma maneira peculiar de um povo exercer sua humanidade.

3 O design através de sua complexa composição de materiais, formas, funções e significados reúne os elementos que comunicam, produzem e registram a cultura. O design através de sua complexa composição de materiais, formas, funções e significados reúne os elementos que comunicam, produzem e registram a cultura.

4 A cultura é também conseqüência da geografia, da constituição geológica, das espécies vegetais, dos animais, da água, dos recursos naturais e da quantidade de sol que a região recebe. A cultura é também conseqüência da geografia, da constituição geológica, das espécies vegetais, dos animais, da água, dos recursos naturais e da quantidade de sol que a região recebe. A política, os sistemas de organização social, as religiões, a comunicação, a expressão e a arte constituem a história, os métodos, os costumes culturais. A política, os sistemas de organização social, as religiões, a comunicação, a expressão e a arte constituem a história, os métodos, os costumes culturais.

5 Cultura + Criatividade = Inovação Principais expoentes. Design de: Produto, Interiores, Moda, Gráfico, Superfície, Web. Softwares, Games, Cenografia. Cinema, Vídeo, Fotografia. Arquitetura, Música, Publicidade, Propaganda, Turismo, Artesanato e Artes.

6 Brasil Brasil É o terceiro maior país em área e o segundo mais populoso da América. É o terceiro maior país em área e o segundo mais populoso da América. É o quinto maior em área e população do mundo. É o quinto maior em área e população do mundo.

7

8 Os dez Países Mais Populosos do Mundo e quantidade de habitantes China hab.( 9,5 m Km) Índia hab. (3,2 m Km) Estados Unidos hab. ( 9,3 m Km) Indonésia hab. (1,8 m Km) Brasil hab. ( 8,5 m Km) Paquistão hab.(0,8 m Km) Rússia hab. (17,1 Km) Bangladesh hab.(0,1 m Km) Japão hab. (0,3 m Km) Nigéria hab. (0,9 m Km)

9

10 A cultura é a própria condição de sobrevivência do homem no planeta. Se você ataca sistematicamente o equilíbrio cultural de um povo, você retira dos indivíduos seu único dispositivo de proteção para enfrentar a desordem e o vazio. Jurandir Freire Costa

11 Cerca de 3,5 milhões de índios habitavam o Brasil. Cerca de 3,5 milhões de índios habitavam o Brasil. A nação Tupi possuía aproximadamente 1 milhão de índios com aldeias entre 300 a 2000 indivíduos. A nação Tupi possuía aproximadamente 1 milhão de índios com aldeias entre 300 a 2000 indivíduos. Uma macro etnia com uma única língua, habitavam do litoral do Paraná até o Maranhão. Uma macro etnia com uma única língua, habitavam do litoral do Paraná até o Maranhão. Uma visão do Paraíso

12 Quando o homem branco chegou ao Brasil os índios os consideravam provavelmente pessoas generosas a sua imagem e semelhança. Quando o homem branco chegou ao Brasil os índios os consideravam provavelmente pessoas generosas a sua imagem e semelhança. No mundo indígena mais belo era dar do que receber. No mundo indígena mais belo era dar do que receber.

13 Para os índios que ali estavam, nus na praia, o mundo era um luxo de se viver, tão rico de aves, de peixes, de raízes, de frutos, de flores, de sementes, que podia dar as alegrias de caçar, de pescar, de plantar e colher a quanta gente aqui viesse ter. Na sua concepção sábia e singela, a vida era dádiva de deuses bons, que lhes doaram esplêndidos corpos, bons de andar, de dançar, de lutar...E, sobretudo, sexo opostos e complementares, feitos para as alegrias do amor. Para os índios que ali estavam, nus na praia, o mundo era um luxo de se viver, tão rico de aves, de peixes, de raízes, de frutos, de flores, de sementes, que podia dar as alegrias de caçar, de pescar, de plantar e colher a quanta gente aqui viesse ter. Na sua concepção sábia e singela, a vida era dádiva de deuses bons, que lhes doaram esplêndidos corpos, bons de andar, de dançar, de lutar...E, sobretudo, sexo opostos e complementares, feitos para as alegrias do amor. Darcy Ribeiro. Darcy Ribeiro. O enfrentamento dos mundos

14 Cunhadismo. Cunhadismo. Da união das índias com os europeus nasceu uma gente mestiça que efetivamente ocupou o Brasil. Da união das índias com os europeus nasceu uma gente mestiça que efetivamente ocupou o Brasil. Formação do Povo Brasileiro Formação do Povo Brasileiro

15 Os recém-chegados eram gente prática, experimentada, sofrida. Os recém-chegados eram gente prática, experimentada, sofrida. Aos olhos dos índios os invasores pareciam aflitos demais, acumulavam de tudo, gostando mais de reter do que de dar, juntavam toras de pau vermelho incansavelmente. Aos olhos dos índios os invasores pareciam aflitos demais, acumulavam de tudo, gostando mais de reter do que de dar, juntavam toras de pau vermelho incansavelmente. Temeriam eles, acaso, que as florestas fossem acabar e com elas, as aves e as caças? Temeriam eles, acaso, que as florestas fossem acabar e com elas, as aves e as caças? Que os rios e o mar fossem secar, matando todos os peixes? Que os rios e o mar fossem secar, matando todos os peixes? Darcy Ribeiro Darcy Ribeiro

16 No ventre das mulheres indígenas começavam a surgir seres que não eram indígenas, meninas prenhadas pelos homens brancos – e meninos que sabiam que não eram índios... e também não eram europeus. O europeu não o aceitava como igual.No ventre das mulheres indígenas começavam a surgir seres que não eram indígenas, meninas prenhadas pelos homens brancos – e meninos que sabiam que não eram índios... e também não eram europeus. O europeu não o aceitava como igual. O que era ? Era uma gente "ninguém ", era uma gente vazia. O que era ? Era uma gente "ninguém ", era uma gente vazia. O que significavam eles do ponto de vista étnico ?... Darcy Ribeiro O que significavam eles do ponto de vista étnico ?... Darcy Ribeiro

17 Afro-brasileiros Afro-brasileiros Entre 1538 e 1860, 3,3 milhões* de negros. Entre 1538 e 1860, 3,3 milhões* de negros. * alguns historiadores especulam que vieram, 15 milhões. (Rocha Pombo 1905) * alguns historiadores especulam que vieram, 15 milhões. (Rocha Pombo 1905)

18 Neobrasileiros Neobrasileiros A substituição da solidariedade fundada no parentesco, característica do mundo tribal igualitário, por outras formas de estruturação social, dividiu a sociedade em componentes rurais e urbanos e a estratificou em classes opostas umas às outras, ainda que interdependentes pela complementaridade de seus papéis. A substituição da solidariedade fundada no parentesco, característica do mundo tribal igualitário, por outras formas de estruturação social, dividiu a sociedade em componentes rurais e urbanos e a estratificou em classes opostas umas às outras, ainda que interdependentes pela complementaridade de seus papéis. A população possuía uma aparência muito mais indígena. A população possuía uma aparência muito mais indígena.

19 Até meados do século XVIII a língua corrente era o tupi-guarani que continuava a unificar a futura nação brasileira. Até meados do século XVIII a língua corrente era o tupi-guarani que continuava a unificar a futura nação brasileira.

20 O ciclo do ouro. O ciclo do ouro. Estrutura as bases da economia e da unidade nacional. Estrutura as bases da economia e da unidade nacional. 128 toneladas de ouro e 3 milhões de quilates em diamantes. 128 toneladas de ouro e 3 milhões de quilates em diamantes. Mais da metade das exportações de metais preciosos das Américas Mais da metade das exportações de metais preciosos das Américas

21 Liberdade, aqui e agora. Liberdade, aqui e agora. Os mineiros versus Coroa Portuguesa. Foram prontamente dizimados, seus corpos esquartejados e pendurados pelos caminhos. Os mineiros versus Coroa Portuguesa. Foram prontamente dizimados, seus corpos esquartejados e pendurados pelos caminhos. Inconfidência Mineira Inconfidência Mineira

22 O sábio rei sabia bem que seu reino prestante estava aqui... E de um dia para outro trouxe 20 mil portugueses, fugidos da invasão de Napoleão....apropriam-se do melhor que havia no país. Mas nos ensinam a governar. Darcy Ribeiro O sábio rei sabia bem que seu reino prestante estava aqui... E de um dia para outro trouxe 20 mil portugueses, fugidos da invasão de Napoleão....apropriam-se do melhor que havia no país. Mas nos ensinam a governar. Darcy Ribeiro A Família Real

23 A crise de desemprego que ocorre na Europa entre o final do século XIX e início do século XX manda 7 milhões de europeus para o novo mundo. A crise de desemprego que ocorre na Europa entre o final do século XIX e início do século XX manda 7 milhões de europeus para o novo mundo. Deste contingente 4,5 milhões se fixam definitivamente no sudeste e sul do Brasil. Deste contingente 4,5 milhões se fixam definitivamente no sudeste e sul do Brasil.

24 BRASIL XXI Sertanejos do nordeste. Sertanejos do nordeste. Caboclos da Amazônia. Caboclos da Amazônia. Crioulos do litoral. Crioulos do litoral. Caipiras do sudeste e centro do país. Caipiras do sudeste e centro do país. Gaúchos do sul. Gaúchos do sul. E ítalo-brasileiros, teuto-brasileiros, nipo- brasileiros, e recentemente os coreanos, chineses, todos abrasileirados, marcados mais pelo que têm em comum como brasileiros, do que por suas diferenças. E ítalo-brasileiros, teuto-brasileiros, nipo- brasileiros, e recentemente os coreanos, chineses, todos abrasileirados, marcados mais pelo que têm em comum como brasileiros, do que por suas diferenças.

25 O povo Brasileiro O povo Brasileiro É o novo, porque surge como uma etnia nacional, diferenciada culturalmente de suas matrizes formadoras, fortemente mestiçada, dinamizada por uma cultura sincrética e singularizada pela redefinição de traços culturais delas oriundos. Darcy Ribeiro É o novo, porque surge como uma etnia nacional, diferenciada culturalmente de suas matrizes formadoras, fortemente mestiçada, dinamizada por uma cultura sincrética e singularizada pela redefinição de traços culturais delas oriundos. Darcy Ribeiro

26 Novo porque vê a si mesmo e é visto como uma gente nova, um novo gênero humano diferente de quantos existam. E apesar de estar numa servidão continuada ao mercado mundial trás dentro de si muita alegria e uma espantosa vontade de felicidade. Darcy Ribeiro

27 "Nós, brasileiros, somos um povo em ser, impedido de sê-lo. Um povo mestiço na carne e no espírito, já que aqui a mestiçagem jamais foi crime ou pecado. Nela fomos feitos e ainda continuamos nos fazendo. Essa massa de nativos viveu por séculos sem consciência de si... Assim foi até se definir como uma nova identidade étnico-nacional, a de brasileiros..." Darcy Ribeiro "Nós, brasileiros, somos um povo em ser, impedido de sê-lo. Um povo mestiço na carne e no espírito, já que aqui a mestiçagem jamais foi crime ou pecado. Nela fomos feitos e ainda continuamos nos fazendo. Essa massa de nativos viveu por séculos sem consciência de si... Assim foi até se definir como uma nova identidade étnico-nacional, a de brasileiros..." Darcy Ribeiro

28 Mas foi essa gente nossa, feita da carne de índios, alma de índios, de negros, de mulatos, que fundou esse país. Esse "paisão" formidável. Invejável. A maior faixa de terra fértil do mundo, bombardeada pela energia do sol. É uma área imensa, preparada para lavouras imensas, produtoras de tudo, principalmente de energia. Esse povão que está por aí pronto pra se assumir como um povo em si e como um povo diferente, como um gênero humano novo dentro da Terra.Mas foi essa gente nossa, feita da carne de índios, alma de índios, de negros, de mulatos, que fundou esse país. Esse "paisão" formidável. Invejável. A maior faixa de terra fértil do mundo, bombardeada pela energia do sol. É uma área imensa, preparada para lavouras imensas, produtoras de tudo, principalmente de energia. Esse povão que está por aí pronto pra se assumir como um povo em si e como um povo diferente, como um gênero humano novo dentro da Terra. Darcy Ribeiro Darcy Ribeiro

29 Temos que aprender a gostar, respeitar o que somos, deixamos de ser uma colônia e não precisamos imitar a ninguém. Mais ainda sofremos do efeito do colonizado. Não possuímos confiança nos nossos próprios passos, embora já tenhamos ensaiado.

30 Design Brasileiro

31 Ini. batizada por Pero Vaz Caminha de Rede de Dormir

32 Fábrica de Móveis Patente

33 Um grito de guerra.

34 John Graz 1920

35

36 Flavio de Carvalho

37 Bossa Nova

38 Noite da Bossa Nova, o show "A Noite do Amor, do Sorriso e da Flor", na faculdade de Arquitetura 21/05 /1960

39 Bonfá, João Gilberto e Tom Jobim em Ipanema Casa das Canoas Oscar Niemeyer Poltrona Mole Sergio Rodrigues

40

41

42 Cadeira Diz Sérgio Rodrigues

43 Lina Bo Bardi Naturalizei-me Brasileira. Quando a gente nasce, não escolhe nada, nasce por acaso. Eu não nasci aqui, escolhi este lugar para viver. Por isso o Brasil é meu pais duas vezes, é minha Pátria de Escolha, eu me sinto cidadão de todas as cidades, desde o Cariri, ao Triangulo Mineiro, às Cidades do Interior e as da fronteira. D. Lina.

44 Lina Bo Bardi

45 Joaquim Tenreiro

46 Jean Gilon Zanine Caldas

47 Designer Geraldo de Barros, para a Unilabor uma experiência de autogestão de 1954 a 1967

48 o artista popular é solid á rio, ele não tem problema de individualidade, ao contr á rio, d á a mão aos que trabalham com ele, sua preocupa ç ão é que mais pessoas possam viver daquela atividade. Sua visão de mundo é inteiramente diferente das pessoas das grandes cidades. Janete Costa

49

50

51

52 Kaiman

53 Sofá Boa

54 Poltrona Anêmona década de 90 século XX, designers Irmãos Campana

55

56

57

58

59

60 Irmãos Campana Cadeira Favela

61 Estante Cabana

62 Prioridades É necessário reconhecer a grandiosidade do Brasil, entende-lo através das características de seus regionalismos. Pesquisar e catalogar a produção cultural brasileira e o saber popular. Tomar posse deste patrimônio que tende a se perder. Valorizar, notabilizar, evidenciar, divulgar a produção da indústria criativa. Promover grandes exposições regionais e nacionais deste saber fazer. Do Açaí a Melissa.

63 Articulação Os produtores criativos se encontram dissociados dos setores Produtivos e Comerciais. Estamos vivendo uma grande diversidade de ações com resultados heterogêneos, por todo o Brasil. Arte aplicada versus gerenciamento Profissões sem regulamentação. Dificuldade em administrar os desdobramentos do processo criativo.

64 Os escritórios de design em processo de adaptação diante de uma nova perspectiva de mercado. A pequena e média indústria sem tradição na contratação de serviços de design. Forte concorrência dos produtos chineses. Direitos autorais e custo de patentes. A criatividade como solução, velocidade na inovação. Os processos de formação profissional integrados a realidade produtiva., parcerias de escolas com a indústria e flexibilização de currículos.

65 André Marx Carlos Motta Fernando Jaeguer

66 Antes dos portugueses descobrirem o Brasil, o Brasil tinha descoberto a felicidade. Antes dos portugueses descobrirem o Brasil, o Brasil tinha descoberto a felicidade. Manifesto Antropofágico 1922 Manifesto Antropofágico 1922

67 Bibliografia: Bibliografia: O Povo Brasileiro, Darcy Ribeiro. Culturas Híbridas, Nestor Garcia Canclini. O Vestígio e a Aura, Jurandir Freire Costa.


Carregar ppt "Economia Criativa. A Cultura sob o ponto de vista antropológico se constitui em um conjunto de padrões de comportamento, crenças, conhecimentos e costumes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google