A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O que O que devemos fazer? Quando Quando devemos fazê-lo? Como Como iremos fazê-lo? Quem Quem irá fazê-lo?

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O que O que devemos fazer? Quando Quando devemos fazê-lo? Como Como iremos fazê-lo? Quem Quem irá fazê-lo?"— Transcrição da apresentação:

1

2

3 O que O que devemos fazer? Quando Quando devemos fazê-lo? Como Como iremos fazê-lo? Quem Quem irá fazê-lo?

4 Você NÃO terá uma estratégia completa e exaustiva quando deixar este congresso. Você terá algumas ferramentas que irão ajudá-lo a desenvolver a sua estratégia.

5

6

7 Story Boarding Story Boarding é uma técnica administrativa utilizada para visualizar uma estratégia tanto no seu aspecto geral como nos seus detalhes. Ele revela os caminhos críticos pelos quais uma estratégia irá passar. Concebido apropriadamente, o story boarding resulta em um quadro prático da estratégia do fluxo de transição.

8 Elementos do Story boarding Uma declaração da visão Uma declaração da visão Uma base de valores Uma base de valores Um quadro (board) grande Um quadro (board) grande Objetivos principais Objetivos principais Planos específicos de ação Planos específicos de ação Papéis adesivos Papéis adesivos Fatores envolvidos Fatores envolvidos

9

10 Esse é um instrumento vivo.Esse é um instrumento vivo. Não é uma abordagem inadequada.Não é uma abordagem inadequada. Os métodos podem mudar mas os caminhos críticos permanecem constantes.Os métodos podem mudar mas os caminhos críticos permanecem constantes. Esta não é a sua estratégia mas o mapa para a sua estratégia.Esta não é a sua estratégia mas o mapa para a sua estratégia. Somente Cristo pode revelar e construir a estratégia da sua igreja.Somente Cristo pode revelar e construir a estratégia da sua igreja.

11 12345 Ao desenvolver uma estratégia da igreja pense em um período de cinco anos. Lembre-se, Jesus levou em torno de três anos e meio.

12 Se você pensa que é muito tempo, pense na regra que o exército usa ao fazer um planejamento. Se você pensa que é muito tempo, pense na regra que o exército usa ao fazer um planejamento. A guerra é apenas o resultado de muito planejamento e treinamento A guerra é apenas o resultado de muito planejamento e treinamento12345

13 Leve em conta o tempo que iria levar para completar uma tarefa. Depois dobre o tempo! 12345

14 Interiorizar os valores e dinâmicas da comunidade do reino nas vidas dos líderes-chave, não implementar as estruturas e mecanismos entre as massas: esta foi a razão porque Jesus precisou de três anos e meio para construir o seu tipo de igreja. Eu sou o problema, não o odre de Jesus.

15

16 3 T R I L H O S 20 Objetivos principais Muitos planos de ação Mais subplanos de ação

17 OBJETIVOPRINCIPAL OBJETIVOPRINCIPAL OBJETIVOPRINCIPAL OBJETIVOPRINCIPAL OBJETIVOPRINCIPAL EXEMPLO Este é um objetivo principal.

18 OBJETIVOPRINCIPAL OBJETIVOPRINCIPAL OBJETIVOPRINCIPAL OBJETIVOPRINCIPAL OBJETIVOPRINCIPAL UM TRILHO Este é um plano de ação sujeito ao objetivo principal

19 OBJETIVOPRINCIPAL OBJETIVOPRINCIPAL OBJETIVO PRINCIPAL UM TRILHO Este é um subplano de ação sujeito ao plano de ação.

20 OBJETIVO PRINCIPAL UM TRILHO OBSERVE: Planos de ação e subplanos de ação estão dispostos em diferentes padrões.

21 Planos de ação e subplanos de ação completam a frase Nós vamos...

22 OBJETIVO PRINCIPAL Nós vamos...

23 OBJETIVO PRINCIPAL Nós vamos...

24 OBJETIVO PRINCIPAL Nós vamos...

25 OBJETIVO PRINCIPAL Nós vamos...

26 OBJETIVO PRINCIPAL Nós vamos...

27 Planos de ação e subplanos de ação Devem ser descritos de modo preciso e breve. Devem ser descritos de modo preciso e breve. Devem ser mensuráveis. Devem ser mensuráveis. Devem ser baseados em valores. Devem ser baseados em valores. A princípio, devem ser somente uma frase. A princípio, devem ser somente uma frase. Mais tarde podem ser aperfeiçoados para uma sentença mais completa. Mais tarde podem ser aperfeiçoados para uma sentença mais completa. CHAVE: Neste momento não se preocupe com a seqüência ou quem será o responsável pela sua execução. CHAVE: Neste momento não se preocupe com a seqüência ou quem será o responsável pela sua execução.

28 CHAVE: Neste momento não se preocupe com a seqüência ou com os detalhes. CONCENTRE-SE nos planos de ação. Comece com os mais fáceis.

29 Trilho de treinamento OBJETIVO PRINCIPAL EXEMPLO PRÁTICA

30 Trilho de treinamento OBJETIVO PRINCIPAL Decidir sobre os materiais. Plano de ação PRÁTICA

31 Trilho de treinament o OBJETIVO [PRINCIPAL OBJETIVO PRINCIPAL Avaliar vários currículos diferentes. Sub- plano de ação Decidir sobre os materiais. PRÁTICA

32 Trilho de treinamento OBJETIVO PRINCIPAL Testar o material do Ministério em Células Plano de ação PRÁTICA

33 Trilho de treinamento OBJETIVO PRINCIPAL Sub-plano de ação Avaliar e adaptar Testar o material do Ministério em células PRÁTICA

34 Trilho de treinamento OBJETIVO PRINCIPAL Líderes estudam os materiais. Sub-plano de ação Testar os materiais do Ministério em células PRÁTICA

35 Trilho de treinamento OBJETIVO PRINCIPAL Células-protótipo estudam os materiais do Ministério em células. Sub-plano de ação PRÁTICA

36 T R I L H O S

37 ObjetivosPrincipais

38 Objetivos Principais Planosdeação

39 T R I L H O S Objetivos Principais Planosdeação Sub-planos de ação

40 FATORES ESTRATÉGICOS Devem ser aplicados à estratégia determinados fatores abrangentes. Esses fatores devem ser aplicados APÓS todos os planos de ação essenciais terem sido considerados. Considerar esses fatores durante o processo de estratégia irá desviar e complicar o processo.

41 FATOR NÚMERO Quantas unidades de células haverá na igreja depois de um determinado tempo? O número de células deve ser reavaliado nos planos estratégicos em cada momento.

42 FATOR TEMPO Quando cada etapa vai ocorrer? A estratégia deve estar relacionada a uma seqüência de tempo e duração. Todos os detalhes e ações não podem ser executados ao mesmo tempo.

43 FATOR PESSOAS Quem será responsável pela implementação das várias partes da estratégia? Até que alguém seja designado para cada elemento, a estratégia não será executada.

44 FATOR CRÍTICA Qual será o tamanho da oposição, abandono ou controvérsia em comparação com o retorno positivo da mudança de um programa ou atividade existente em um momento específico?

45 FATOR CONTEXTO Que elementos culturais, demográficos, sociais e políticos precisam ser aplicados à estratégia para que esta seja apropriada e eficaz?

46 Depois que o seu story board estiver pronto ENTÃO você aplicará os seis fatores. Faça uma coisa de cada vez!

47 OBJETIVO PRINCIPAL NúmerosTempoPessoasCríticaContextoRecursos UM TRILHO

48 Selecione um dos 3 trilhos. Selecione um dos 3 trilhos. Escolha um dos 20 objetivos principais. Escolha um dos 20 objetivos principais. Esboce planos de ação específicos para aquele objetivo. Esboce planos de ação específicos para aquele objetivo. Desenvolva subplanos de ação para o plano de ação maior. Desenvolva subplanos de ação para o plano de ação maior. Aplique os 6 fatores. Aplique os 6 fatores.


Carregar ppt "O que O que devemos fazer? Quando Quando devemos fazê-lo? Como Como iremos fazê-lo? Quem Quem irá fazê-lo?"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google