A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Aparições dos espíritos dos vivos; Homens duplos; Santo Afonso de Liguori e Santo Antônio de Pádua; Transfiguração; Invisibilidade Capítulo VII BICORPOREIDADE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Aparições dos espíritos dos vivos; Homens duplos; Santo Afonso de Liguori e Santo Antônio de Pádua; Transfiguração; Invisibilidade Capítulo VII BICORPOREIDADE."— Transcrição da apresentação:

1 Aparições dos espíritos dos vivos; Homens duplos; Santo Afonso de Liguori e Santo Antônio de Pádua; Transfiguração; Invisibilidade Capítulo VII BICORPOREIDADE E TRANSFIGURAÇÃO

2 Bicorporeidade e Transfiguração Estes dois fenômenos são variedades do das manifestações visuais, e por maravilhosos que possam parecer à primeira vista, se reconhecerá facilmente pelas explicações que deles se podem dar, que não saem da ordem dos fenômenos naturais. Exemplo de aparições de espírito de vivos: A vendedora de frutas; Visita à doentes; O casamento.

3 Quando o espírito de uma pessoa encarnada sai para visitar outra, às vezes, num lugar muito distante, como o corpo permanece vivo, já que a morte física se dá pela ausência do espírito que anima a carne? A alma do encarnado jamais se ausenta do corpo físico completamente; permanece ligada a ele por um cordão fluídico, muitas vezes, chamado de cordão de prata, o qual pode ser visualizado pelo médium vidente e por outros espíritos e caracteriza o espírito ainda preso à carne.

4 BICORPOREIDADE Presença simultânea do ser encarnado em dois lugares diferentes (próximos ou distantes entre si). Esse fenômeno é explicado pelo desdobramento: enquanto o corpo físico fica num determinado lugar, o espírito se transporta para outro, tornando-se visível e até tangível. O espírito, no entanto, não se separa totalmente do corpo, ficando a ele ligado por um cordão luminoso denominado laço fluídico.

5 Exemplos de Bicorporeidade: Santo Afonso de Liguori; Santo Antônio de Pádua.

6 Explicações de Santo Afonso sobre o fato: 1)Poderias nos dar a explicação desse fato? Sim; o homem quando está completamente desmaterializado pela sua virtude (...) pode aparecer em dois lugares ao mesmo tempo, e eis como: o espírito encarnado, sentindo chegar o sono, pode pedir a Deus para transportar para qualquer lugar. Seu espírito abandona,então seu corpo, seguido de uma parte do seu perispírito, e deixa a matéria num estado de morte. O corpo aparece no lugar pedido.

7 2) O sono do corpo é indispensável para que o espírito apareça em outros lugares? A alma pode se dividir quando se sente transpor tada para um lugar diferente daquele onde se encontra o corpo. Pode acontecer que o corpo não durma, embora isso seja, muito raro, mas não estará jamais num estado perfeitamente normal, porém está sempre num estado mais ou menos extático. Nota: A alma não se divide no sentido literal da palavra; ela se irradia para diferentes lados e pode, assim, se manifestar em vários pontos sem estar repartida; ocorre o mesmo que uma luz que pode se refletir simultaneamente em várias vidraças.

8 3) Estando um homem mergulhado no sono, enquanto se espírito aparece em outro lugar, que sucederia se fosse despertado subitamente? Não sucederia nada, porque se alguém tivesse a intenção de despertá-lo, o Espírito reentraria no corpo, prevendo a intenção, já que o espírito lê o pensamento. Nota: Uma explicação inteiramente idêntica nos foi dada várias vezes pelo espírito de pessoas mortas ou vivas. Santo Afonso explica o fato da dupla presença, mas não dá a teoria da visibilidade e da tangibilidade.

9 O indivíduo que se mostra simultaneamente em dois lugares diferentes tem, pois dois corpos; mas, desses corpos, só um é real, o outro não é senão uma aparência; pode-se dizer que o primeiro tem a vida orgânica e que o segundo tem a vida da alma. No estado de separação, os dois corpos possam desfrutar simultaneamente, e no mesmo grau, da vida ativa e inteligente. O corpo real não poderia morrer enquanto o corpo aparente estivesse visível: a aproximação da morte chama sempre o espírito para o corpo, ainda que por um instante.

10 TRANSFIGURAÇÃO Fenômeno mediúnico que consiste na modificação da fisionomia, da voz e até do corpo todo de um indivíduo. As transfigurações são sempre reflexos das qualidades e dos sentimentos predominantes do espírito. Resultado de uma transformação fluídica; a transfiguração é uma espécie de aparição perispiritual que se produz sobre o próprio corpo vivente, e algumas vezes no momento da morte, em lugar de se produzir ao longe, como é o caso das aparições propriamente ditas..

11 Exemplos de transfiguração: A jovem de Saint-Etienne. A transfiguração, em certos casos, pode ter por uma causa uma simples contração muscular, que pode dar à fisionomia uma outra expressão, ao ponto de tornar a pessoa quase que irreconhecível.

12 Em princípio o espírito pode dar ao seu perispírito todas as aparências; que por uma modificação na disposição molecular, pode dar-lhe a visibilidade, a tangibilidade e, por conseqüência, a opacidade. O perispírito da de uma pessoa viva, isolado do corpo, pode sofrer as mesma transformações; que essas mudanças de estado se opera pela combinação de fluidos.

13 A teoria da invisibilidade deduz-se muito naturalmente das explicações precedentes e das que foram dadas a respeito do fenômeno de transporte.


Carregar ppt "Aparições dos espíritos dos vivos; Homens duplos; Santo Afonso de Liguori e Santo Antônio de Pádua; Transfiguração; Invisibilidade Capítulo VII BICORPOREIDADE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google