A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

HISTÓRIA DA LÍNGUA INGLESA. LÍNGUA INGLESA - PERÍODOS OLD ENGLISH (500 - 1100 A.D.) - também denominado Anglo-Saxon (povos de origem germânica que invadem.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "HISTÓRIA DA LÍNGUA INGLESA. LÍNGUA INGLESA - PERÍODOS OLD ENGLISH (500 - 1100 A.D.) - também denominado Anglo-Saxon (povos de origem germânica que invadem."— Transcrição da apresentação:

1 HISTÓRIA DA LÍNGUA INGLESA

2 LÍNGUA INGLESA - PERÍODOS OLD ENGLISH ( A.D.) - também denominado Anglo-Saxon (povos de origem germânica que invadem e colonizam o território inglês), comparado ao inglês moderno, é uma língua quase irreconhecível, tanto na pronúncia, quanto no vocabulário e na gramática. A correlação entre pronúncia e ortografia, entretanto, era muito mais próxima do que no inglês moderno.

3 MIDDLE ENGLISH ( ) - forte presença e influência da língua francesa no inglês. Essa verdadeira transfusão de cultura franco-normanda na nação anglo-saxônica, que durou três séculos, resultou principalmente num aporte considerável de vocabulário. Isto demonstra que, por mais forte que possa ser a influência de uma língua sobre outra, esta influência normalmente não vai além de um enriquecimento de vocabulário, dificilmente afetando a pronúncia ou a estrutura gramatical.

4 MODERN ENGLISH (a partir de 1500) THE GREAT VOWEL SHIFT Uma acentuada mudança na pronúncia das vogais do inglês ocorreu principalmente durante os séculos 15 e 16. Praticamente todos os sons vogais, inclusive ditongos, sofreram alterações e algumas consoantes deixaram de ser pronunciadas. O sistema de sons vogais da língua inglesa antes do século 15 era bastante semelhante ao das demais línguas da Europa ocidental, inclusive do português de hoje. Portanto, a atual falta de correlação entre ortografia e pronúncia do inglês moderno, que se observa principalmente nas vogais, é, em grande parte, conseqüência desta mudança ocorrida no século 15. O Modern English representou um período de padronização e unificação da língua. O advento da imprensa em 1475 e a criação de um sistema postal em 1516 possibilitaram a disseminação do dialeto de Londres - já então o centro político, social e econômico da Inglaterra. A disponibilidade de materiais impressos também deu impulso à educação, trazendo o alfabetismo ao alcance da classe média.

5 CONTEXTO HISTÓRICO OS CELTAS A história da Inglaterra inicia com os celtas. Por volta de 1000 a.C., depois de muitas migrações, vários dialetos das línguas indo-européias tornam-se grupos de línguas distintos, sendo um desses grupos o celta. Os celtas se originaram presumivelmente de populações que já habitavam a Europa na Idade do Bronze. Durante cerca de 8 séculos, de 700 a.C. a 100 A.D., o povo celta habitou as regiões hoje conhecidas como Espanha, França, Alemanha e Inglaterra. O celta chegou a ser o principal grupo de línguas na Europa, antes de acabarem os povos celtas quase que totalmente assimilados pelo Império Romano.

6 A PRESENÇA ROMANA Em 55 e 54 a.C. ocorrem as primeiras invasões romanas de reconhecimento, sob o comando pessoal de Júlio César. Em 44 A.D., à época do Imperador Claudius, ocorre a terceira invasão, quando então a principal ilha britânica é anexada ao Império Romano até os limites com a Caledônia (atual Escócia) e o latim começa a exercer influência na cultura celta-bretã. Três séculos e meio de presença das legiões romanas e seus mercadores, trouxeram profunda influência na estrutura econômica, política e social das tribos celtas que habitavam a Grã Bretanha. Palavras latinas naturalmente passaram a ser usadas para muitos dos novos conceitos.

7 OS ANGLO-SAXÕES Devido às dificuldades em Roma enfrentadas pelo Império, as legiões romanas, em 410 A.D., se retiram da Britannia, deixando seus habitantes celtas à mercê de inimigos (Scots e Picts). Uma vez que Roma já não dispunha de forças militares para defendê-los, os celtas, em 449 A.D., recorrem às tribos germânicas (Jutes, Angles, Saxons e Frisians) para obter ajuda. Estes, entretanto, de forma oportunista, acabam tornando-se invasores, estabelecendo-se nas áreas mais férteis do sudeste da Grã-Bretanha, destruindo vilas e massacrando a população local. Os celtas-bretões sobreviventes refugiam-se no oeste. Prova da violência e do descaso dos invasores pela cultura local é o fato de que quase não ficaram traços da língua celta no inglês. São os dialetos germânicos falados pelos anglos e pelos saxões que vão dar origem ao inglês. A segunda metade do século V, quando ocorreram as invasões germânicas, marca o início do período denominado Old English.

8 A CONQUISTA DA INGLATERRA PELOS NORMANDOS NA BATALHA DE HASTINGS A Batalha de Hastings em 1066, foi um evento histórico de grande importância na história da Inglaterra. Representou não só uma drástica reorganização política, mas também alterou os rumos da língua inglesa, marcando o início de uma nova era. A batalha foi travada entre o exército normando, comandado por William, Duque da Normandia (norte da França), e o exército anglo- saxão liderado por King Harold, em 14 de outubro de O predecessor de Harold havia tido fortes vínculos com a corte da Normandia e supostamente prometido o trono da Inglaterra para o Duque da Normandia. Após sua morte, entretanto, o conselho do reino apontou Harold como sucessor, levando William a apelar para a guerra como forma de impor seus pretensos direitos. A sangrenta batalha só terminou ao fim do dia, com o Rei Harold e seus irmãos mortos e um saldo de 1500 a 2000 guerreiros mortos do lado normando e outros tantos ou mais, do lado inglês.

9 William havia conquistado em poucos dias uma vitória que romanos, saxões e dinamarqueses haviam lutado longa e duramente para alcançar. Ele havia conquistado um país de um milhão e meio de habitantes e provavelmente o mais rico da Europa, na época. Por esse feito ficou conhecido na história como William the Conqueror. O regime que se instaurou a partir da conquista foi caracterizado pela centralização, pela força e, naturalmente, pela língua dos conquistadores: o dialeto francês denominado Norman French. O próprio William l não falava inglês e, por ocasião de sua morte em 1087, não havia uma única região da Inglaterra que não fosse controlada por um normando. Seus sucessores, William II ( ) e Henry I ( ), passaram cerca de metade de seus reinados na França e provavelmente possuíam pouco conhecimento de inglês. Durante os 300 anos que se seguiram, principalmente nos 150 anos iniciais, a língua usada pela aristocracia na Inglaterra foi o francês. Falar francês tornou-se então condição para aqueles de origem anglo-saxônica em busca de ascensão social através da simpatia e dos favores da classe dominante.

10

11 Geoffrey Chaucer nasceu em Londres, possivelmente entre 1340 /44, filho de Jonh Chaucer, próspero mercador de vinhos (mordomo da família real), e Agnes Copton. De origem francesa, Chaucer significa sapateiro. As evidências históricas indicam que a sua família era muito ligada ou da nobreza. Seu pai foi muito bem relacionado na corte o que favoreceu a entrada de Chaucer, como pajem, na casa de Elizabeth de Burgh, condessa de Ulser (Irlanda do Norte) esposa de Lionel de Antuérpia, terceiro filho de Eduardo III, e duque de Clarence.

12 Em 1366 Chaucer casa com Philippa de Roet, dama de companhia da rainha Philippa de Hainault e filha do senhor de Paon ou do rei de Payne de Roet (Guienne), neste ano morre o pai de Chaucer. Em 1367 Chaucer torna-se um dos funcionários da casa real, cargo destinado aos representantes das 40 regiões administrativas do reino no cargo de escudeiro do Tribunal Real..

13 Em 1374 È o encarregado da escolha diária do vinho do rei. Como inspetor na alfândega de Londres é acusado de rapto seguido de violação contra Cecile Champaigne, mas nada ficou provado, entretanto paga uma indenização em 1380 terminando o litígio. Em 1385 aposenta-se como Aduaneiro e perde o direito a moradia e torna-se Juiz de Paz, em Kent, até 1389, onde inicia sua fase mais criativa (Tróilus e Criseyda).

14 Durante a sua formação como pajem possivelmente freqüentou a escola para nobres e cursou a Universidade de Oxford (1360) como preparação adicional para a carreira administrativa. Consagrou-se como renomado tradutor do francês e Latim. Geoffrey Chaucer fundiu o franco-normando, latim e saxão em prosa e verso na época pré-renascentista contribuindo significativamente para o surgimento do inglês moderno e antecipou o Renascimento na Inglaterra.

15 Chaucer foi humanista, poeta, tradutor, romancista, burocrata (cortesão), homem de negócios e diplomata. Traduziu livros filosóficos, históricos, obras jurídicas medievais e religiosos, entre eles, A Vida de Santa Cecília, tragédias medievais, obras sobre homens famosos que viveram adversidades perdendo sua fortuna, Miséria da Condição Humana do papa Inocente II, obra perdida que sobrevive apenas nos Contos da Cantuária em Conto do Homem.

16 Sua obra tem um alcance e sutileza superada apenas por Dante, sendo considerado o melhor poeta inglês antes de Shakespeare. Por causa do caráter psicológico da obra Tróilus e Criseyda Chaucer é considerado um dos primeiros romancistas modernos. Como diplomata foi enviado a Flandres, Navarra, França e Itália (1378 ) onde visita Gênova em missão diplomática para abertura de portos aos navios ingleses. Em Florença negocia um empréstimo à coroa inglesa e conhece as obras pré- renascentistas de Dante, Boccaccio (falecido) e conhece pessoalmente Petrarca em Pádua.

17 Circulando na corte, salões de embaixadas, antecâmaras do poder, acampamentos militares, como juiz de paz e representante no Parlamento pelo condado de Kent, como fiscal de alfândega no cais do porto de Londres e membro do clero secular em Windsor, obteve a vivência para traçar o grande painel social da Inglaterra medieval e o material necessário para sedimentar em definitivo a fusão da língua germano-românica.

18 Evolução das obras de Chaucer em três fases: Francesa: ( ), traduz o Roman de la Rose com 1705 linhas, escreve Book of the Douses, Parliament of Fowls e House of Fame. Italiana: ( ), recebe a influência de Dante, Boccaccio e Petrarca. Escreve o poema Troilo e Criseyda e Legend of Good Women. Inglesa: ( ), escreve Canterbury Tales.

19 Período francês ( ) A fase francesa de Chaucer origina-se da formação cultural da classe dominante, predominantemente francesa. Influenciaram Chaucer as obras de poetas franceses como Guillaum Machaut e Jean Froissart, Guillaum Lorris (Romance da Rosa) e Jean de Meun, com suas poesias de amor. Em 1380 Chaucer é amplamente reconhecido como poeta e sua fama chega à França.

20 Período italiano (1383 – 1396) Casa da Fama, obra humorística inacabada que demonstra a influencia de Dante Boccaccio, com mais de 2000 versos. Sobre uma viajem do poeta no lombo de uma águia dourada (idéia que proveniente de Dante) rumo ao palácio da deusa da Fama. Parlamento das Aves testemunha o debate inconclusivo sobre o amor entre as diferentes classes de aves, contendo uma mistura de comédia e especulação séria sobre a natureza enigmática do amor. Tróilus e Criselda são a história de um amor trágico do príncipe troiano que conquista Criselda com a ajuda de Pandarus, seu amigo e tio de Criselda, mas a perde para o grego Diomedes, baseada em uma história do amor por Boccaccio. Em 1386 escreve Lenda das Mulheres de Bem onde o deus do amor acusa o poeta de heresia por escrever sobre a infiel Cryseida, e impõe o castigo de escrever sobre as mártires de Cupido, isto é, as mulheres fiéis que morreram por amor. Em 1391 Escreve Tratado do Astrolábio para seu filho Lewis, que faleceu ainda criança. "The Equatorie of the Planetis", um suplemento do seu "Treatise on the Astrolabe", incluíu seis passagens criptografadas. O sistema de cifrado consiste num alfabeto de símbolos em substituição as letras.

21 Período Inglês ( ) Escreve Contos da Cantuária Canterbury Tales foi a obra prima de Chaucer, uma coleção de vinte e quatro contos numa série de fábulas, relatos piedosos, novelas breves, sátiras e elogios, emoldurados pela peregrinação à Catedral da Cantuária, especificamente ao túmulo de São Thomas Becket, sob comando do pároco que transforma a viagem primaveril numa viagem espiritual à Jerusalém. A Inspiração da peregrinação vem de Dante, que na Divina Comédia faz uma peregrinação até a esfera espiritual, entretanto Chaucer utiliza elementos mundanos, inspirado de Boccaccio o que torna a peregrinação à Canterbury relatar passagens picantes sobre a vida humana. Obs: Thomas Becket é um bispo mártir assassinado pelos partidários do rei Henrique II, cujo túmulo encontra-se na Catedral da Cantuária, no Condado de Kent.

22 A peregrinação inicia-se na Pousada de Tabard Inn, no bairro de Sotwark, nos arredores de Londres, com 29 personagens representantes da variedade social da Inglaterra medieval do século XIV, ou seja, classe militar, clero, classe alta, classe média baixa, oficiais da igreja e o próprio Geoffrey Chaucer. A classe da nobreza não é representada no conto por motivos óbvios, não se aventurariam em uma peregrinação misturados com um grupo tão variado e, também os camponeses por não terem a chance de viajar livremente pois deviam serviços a nobreza. A proposta inicial, sugerida pelo albergueiro, era de que cada integrante contasse quatro contos no total durante a ida e a volta para passar o tempo.

23 Chaucer iniciou Contos de Canterbury aos 40 anos e produziu apenas um quarto da proposta inicial, com 22 contos em verso (dois inacabados) e dois contos longos (em prosa).No total foram linhas de poesia, sendo cada conto vinculado ao anterior. Após o Conto do Cavaleiro, com seu linguajar rebuscado, sucede-se o conto do homem do povo, o Conto do Moleiro com uma linguagem obscena fortemente inspirada em Boccaccio, com passagens picantes de amor, sexo e morte. Chaucer satiriza os abusos da igreja e também inclui vários contos didáticos como o Sermão de Penitência de Parson.

24 Os personagens são pessoas das classes sociais da idade média e não são construções abstratas, mas seres humanos comuns que representam suas classes, situação social e profissões. Um cavaleiro e seu escudeiro, alguns monges, um frade mendicante, uma prioresa, um pároco, um vendedor de indulgências, um mercador, um estudante, alguns profissionais liberais (médico, advogado, jurista) e gente do povo (moleiro, feitor, cozinheiro, carpinteiro, tintureiro, tapeceiro, marujo, lavrador, etc...). Obteve assim, sucesso na prosa em dar vida a cada um de seus personagens, individualizando-os de maneira inconfundível, dotando cada um com sua forma própria de linguagem e traços psicológicos. Os contos tem elementos italianos, franceses e medievais aparentemente dispares, unidos pela personalidade de Chaucer, sempre presente como defensor dos valores da vida.

25 WILLIAM SHAKESPEARE

26 BIOGRAFIA Nasceu em 23 de abril de Foi criado na cidade de Stratford-upon-Avon (Inglaterra). William era filho de John Shakespeare um luveiro e sub-prefeito de Stratford. Casa de John Shakespeare em Stratford-upon-Avon.

27 Cinco anos antes do nascimento de Shakespeare a Inglaterra corta laços com Igreja Católica Romana. Na Inglaterra, houve uma pressão extrema contra os católicos com o fim de os converter à Igreja Protestante da Inglaterra A família de Shakespeare se converte a Igreja Protestante. A evidências e registros que a família de Shakespeare praticava o catolicismo escondido.

28 Aos 18 anos casou-se com Anne Hathaway, que tinha 26 anos. Teve três filhos (Susanna, Hamnet e Judith). Entre 1585 e 1592 os estudiosos chamam de anos perdidos de Shakespeare.

29 VIDA EM LONDRES Segundo os Biógrafos: Shakespeare ao chegar em Londres não tinha amigos, estava pobre e arruinado; Começou trabalhando como cavalariço no teatro The Globe Theatre Foi promovido como auxiliar nos bastidores. Londres século XVI

30 Depois começou a atuar no palco com pequenos personagens; Seu talento como ator logo fez com que ganhasse personagens principais. The Globe Theatre Shakespeare apaixona-se pela dramaturgia então começa a inspiração em escrever.

31 CARREIRA TEATRAL Não se sabe de exato quando Shakespeare começara a escrever. Em 1592 suas peças começam a ser representadas. Shakespeare produziu a maior parte de sua obra entre 1590 e Neste período cresce o desenvolvimento cultural e artístico.

32 Pois a Inglaterra vivia os tempos de ouro sob o reinado da rainha Elizabeth I. O teatro deste período era conhecido como Teatro Elisabetano. William começou uma carreira bem-sucedida em Londres como ator e escritor. Rainha Elizabeth I

33 Era uns dos proprietários da companhia de teatro chamada Lord Chamberlains Men, mais tarde conhecida como Kings Men. Torna-se um homem rico e um poeta e dramaturgo respeitado em sua própria época. Shakespeare torna-se sócio do Globe Theatre.

34 PEÇAS A carreira teatral de Shakespeare é dividida em quatro períodos: Comédias: escreveu até meados de 1590; Tragédias: iniciou-se aproximadamente em 1595; Histórias: começou a escrever em 1600; Romances: escreveu de 1608 até 1613;

35 Suas primeiras histórias dramatiza os resultados destrutivos, fracos e corruptos do estado. Cria atmosfera romântica para suas comédias. Dramatiza romances espirituosos e fantasiosos. Antônio e Cleópatra, obra de Lawrence Alma-Tadema

36 Envolve também a baixa sociedade. Demonstra sagacidade com alegres seqüências cênicas. Seus personagens tornam se cada vez mais complexos e alternam entre o cômodo e o dramático ou o grave, ou o trágico. Angélica e Kauffma em A Tempestade

37 PERFORMACES 1603 inicia-se o reinado do rei James I. Eles entram com uma relação especial mudando o nome da companhia de Lord Chamberlains Men para Kings Men (Homens do Rei). A mudança interior influenciou para aprimorar a montagem dos palcos e cenários. Rei James I

38 Neste período realizou-se 7 peças shakesperianas perante à corte. Incluindo duas performances de O Mercador de Veneza. Durante a encenação da Peça Henry VIII o Globe Theatre foi devorado por um incêndio. O Mercador de Veneza

39 POEMAS Em 1593 e 1594, os teatros foram fechados por causa da peste. Sakespeare publica dois poemas eróticos (Vênus e Adônis e O Estupro de Lucrécia). Ele os dedica a Henry Wriothesley, o que houvesse várias especulações a respeito.

40 Ambos poemas tornaram-se populares e foram diversas vezes publicados durante a vida de Shakespeare. Uma terceira narrativa poética, A Lovers Complaint. Cena da obra Romeu e Julieta, onde ambos declaram seu amor em forma de poemas.

41 William Shakespeare e Suas Obras Tragédias Antônio e Cleópatra - Coriolano - Hamlet - Júlio César - Rei Lear - Macbeth - Otelo - Romeu e Julieta - Timão de Atenas - Titus Andronicus - Tróilo e Créssica Comédias Tudo Bem Quando Termina Bem - Como Gostais - A Comédia dos Erros - Cimbelino - Trabalhos de Amores - Medida Por Medida - O Mercador de Veneza - As Alegres Comadres de Windsor - Sonhos de Uma Noite de Verão - Muito Barulho Por Nada - Péricles, Príncipe de Tiro - A Megera Domada - A Tempestade - Noites de Reis - Os Dois Cavalheiros de Verona - Os Dois Nobres de Parentes - Conto do Inverno Históricas Rei João - Ricardo II - Henrique IV (parte 1 e 2) - Henrique V - Henrique VI (parte 1, 2 e 3) - Ricardo III - Henrique VIII Poemas 154 Sonetos - Vênus e Adônis - O Estupro de Lucrecia - O Peregrino Apaixonado - A Fênix e a Tartaruga - Uma Queixa de Um Amante Apócrifos ou Peças Perdidas Eduardo III - Sir Thomas More - Um Dia Você Aprende - The Birth of Merlin - Locrine - The London Prodigal - The Purtan - The Second Maidens Tragedy - Ricardo II - Sir John Oldcastle - Thomas Lord Cromwell - A Yorshire Tragedy - Fair Em - Mucedorus - The Merry Devil of Edmonton - Arden of Faversham - Eduard Ironside - Vortgem and Rowena

42 HAMLET – CARACTERÍSTICAS Explora temas como traição, vingança, incesto, corrupção, moralidade e loucura. Análise psicológica Transição entre dois mundos (mundo medieval para o renascentista) crenças, tradições e verdades pré-estabelecidas x a crença nas ideias racionalistas) Relações da linguagem com a realidade Questões filosóficas apresentadas no decorrer da trama, principalmente ao que se refere à natureza e ao existencialismo humano.

43 A IMPORTÂNCIA DE SHAKESPEARE PARA LITERATURA INGLESA Representou uma forte influência no desenvolvimento de uma linguagem literária. Revolucionou o teatro, a dramaturgia. William Shakespeare era ator, diretor, escritor e poeta. Shakespeare

44 Mostrou que os sentimentos inclusive o amor poderia ser representado nos palcos. Através do seus poemas pode passar sua experiência de vida, demonstrando os sentimentos e uma visão de como enxergar a vida. Maior obra literária, teatral e poética na literatura inglesa é de William Shakespeare. Considerado o dramaturgo mais popular do mundo e gênio da humanidade

45 A IMPORTÂNCIA DE SHAKESPEARE PARA LÍNGUA INGLESA Shakespeare enriqueceu a língua inglesa com cerca de 1500 palavras. Neste período teve um grande desenvolvimento progressivo no vocabulário na narrativa da língua. Ele também converteu verbos em substantivos (dawn e scuffle), verbos em adjetivos (hush) ou adjetivos em substantivos (accused), e acrescentou sufixos a palavras já existentes.

46 Novos significados foram dados a palavras velhas para simplificar o uso das palavras. Na obra Hamlet, podemos observar que a peça é cheia de denotações variadas, antíteses e repetições. Hamlet-Conscience does make cowards of us all, and thus the native hue oh thought. O uso do does com a finalidade de enfatizar surgiu somente a partir da obra de Shakespeare, até então o povo utilizava essa forma gramatical sem realmente saber a razão.

47 Variedade de novas palavras, servia-se de falas curta, objetivas e simplificadas, contribuição essencial para a memorização. Ele teve uma participação relevante na corroboração e no desenvolvimento da língua inglesa. Renovou e deu novos sentidos a palavras já existentes e gerou outras tantas com novas funções ao vocábulo.


Carregar ppt "HISTÓRIA DA LÍNGUA INGLESA. LÍNGUA INGLESA - PERÍODOS OLD ENGLISH (500 - 1100 A.D.) - também denominado Anglo-Saxon (povos de origem germânica que invadem."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google