A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Por que recorrer à história? Para explicar a origem do subdesenvolvimento e do desenvolvimento, recorremos ao passado e entederemos o presente. Para explicar.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Por que recorrer à história? Para explicar a origem do subdesenvolvimento e do desenvolvimento, recorremos ao passado e entederemos o presente. Para explicar."— Transcrição da apresentação:

1

2 Por que recorrer à história? Para explicar a origem do subdesenvolvimento e do desenvolvimento, recorremos ao passado e entederemos o presente. Para explicar a origem do subdesenvolvimento e do desenvolvimento, recorremos ao passado e entederemos o presente. O conhecimento histórico é esclarecedor, pois nos permite compreender as raízes ou origens de um e de outro e os fatores que impedem um povo de se desenvolver política e economicamente. O conhecimento histórico é esclarecedor, pois nos permite compreender as raízes ou origens de um e de outro e os fatores que impedem um povo de se desenvolver política e economicamente. O colonialismo Deve ser entendido como um sistema de relações econômicas, políticas,sociais e culturais que tornam uma sociedade ( a colônia ) dependente de outra ( a metrópole ). Deve ser entendido como um sistema de relações econômicas, políticas,sociais e culturais que tornam uma sociedade ( a colônia ) dependente de outra ( a metrópole ). O Brasil foi colônia de Portugal até 1822

3 Dois momentos do colonialismo: 1.Do século XV ao XVIII, quando o capitalismo encontra-se na sua fase comercial – capitalismo comercial -, quando a fonte de riqueza para esse sistema era o comércio, a atividade mercantil. 2.Dos séculos XIX e XX, quando o capitalismo entra na sua fase industrial – capitalismo industrial – e a fonte de riqueza passa a ser a atividade industrial. Recebendo o nome de Neocolonialismo, para diferenciar do Colonialismo. Obs.: um certo país pode impor a outro uma dominação colonial ou colonialista, como a posse de territórios africanos, asiáticos e da Oceania.

4 O colonialismo do século XV ao XVIII e o subdesenvolvimento Na Europa, o feudalismo foi substituído pelo capitalismo, tornando o comércio, no século XV, a principal atividade econômica na Europa Ocidental. A fonte de riqueza deixou de ser a propriedade de terras, como era no feudalismo, para ser a atividade comercial, no capitalismo. No início, limitava-se às terras européias e à bacia do Mediterrâneo.Com o desenvolvimento das técnicas de navegação, principalmente com as caravelas, os navegadores puderam se afastar do litoral e chegar a terras longínquas. Como resultado das grandes navegações, a América, a Ásia e a África, já no final do século XV e durante o século XVI, foram incorporadas ao horizonte geográfico e comercial europeu. Em conseqüência, o colonialismo foi implantado e o comércio se mundializou.

5 Iniciativas tomadas pelos europeus para assegurar o desenvolvimento do comércio ou capitalismo comercial: Fundaram feitorias,entrepostos comerciais na África e na Ásia, a parti do século XV; Estabeleceram colônias na América; Impuseram o pacto colonial, conhecido por divisão internacional do trabalho (DIT). Acumulação Primitiva do Capital As metrópoles conseguiram muita riqueza com: -comércio de mercadorias -Comércio de negros africanos -Saques de ouro e prata de civilizações nativas da América -Exploração das minas de metais *** Acumulando assim um grande capital nas metrópoles entre os séculos XV e XVIII, conhecida como Acumulação primitiva do capital.

6

7 Devido à acumulação do capital, as metrópoles puderam se modernizar. Construíram palácios, igrejas; melhoraram as cidades; abriram estradas ou caminhos; construíram embarcações, universidades, portos marítimos; e aperfeiçoaram as técnicas de fabricação de mercadorias para aumentar ainda mais a produção e vender mais. Surgiu a indústria moderna na Europa ( Inglaterra) e passou-se da manufatura para a maquinofatura, ou seja, para a Primeira Revolução Industrial. Aqueles países que ficaram dependentes da importação de produtos maquinofaturados, representou um atraso no desenvolvimento industrial.

8 Alterações socioeconômicas e espaciais que caracterizaram o período do capitalismo comercial dos séculos XV ao XVIII: povoamento realizado por europeus construção e melhoria dos portos para a exportação importação de produtos; fundação de vilas; massacre das populações indígenas da América e escravização do negro africano; introdução da agricultura comercial de exportação ( cana-de- açúcar,tabaco,algodão,...) para abastecer o mercado europeu; exploração de metais e pedras preciosas e sua transferência para as metrópoles; ausência de autonomia política e administrativa; criação de espaços geográficos extrovertidos- espaços cuja produção volta-se para o mercado externo, para exportação; proibição de instalação de manufaturas, devido o pacto colonial. Enfim, restou um desenvolvimento limitado: o subdesenvolvimento.

9 Colonização de povoamento As feitorias foram transformadas em colônias com o neocolonialismo na África e na Ásia. Na Oceania, os seus territórios foram incorporados à Inglaterra no final do século XVIII, na condição de colônia penal, que além da ausência de produtos e a distância da Europa não motivaram a emigração européia para a Austrália, no século XVIII. Somente no século XIX, alguns fatores como criação de ovelhas, terras férteis e o ouro atraíram milhares de conquistadores para Austrália e Nova Zelândia. A colonização veio por meio de massacres da população nativa, como na América. Nos Estados Unidos forma implantadas a colonização de povoamento no norte e centro, e no sul os ingleses implantaram a colonização de exploração, assim como, no Canadá, na Austrália e na Nova Zelândia. OBJETIVO: era o povoamento de certas áreas do território e a constituição de lares pelas famílias de colonos que saíam de seus países de origem.

10 Características: 1.Organização da produção com o objetivo de atender ao mercado interno. 2.Formação de pequenas propriedades agrícolas, co o trabalho familiar e a preocupação de produzir para o próprio sustento e o mercado interno. No sul dos Estados Unidos a produção foi realizada baseada na colônia de exploração. 3.Colonização realizada por famílias que procuravam formar um novo lar longe das perseguições religiosas e crise econômica que afligiam a Europa. A colonização de povoamento dos Estados Unidos, do Canadá e Nova Zelândia favoreceu o desenvolvimento econômico desse países. 4.Desenvolvimento da manufatura, apesar da proibição das metrópoles, tornando-os menos dependente da Inglaterra. Obs.: Os Estados Unidos receberam cerca de 40 milhões de imigrantes, o Brasil recebeu 4 milhões, pois ainda existia a escravidão no nosso país, que repelia a imigração. Os Estados Unidos doaram terras e o Brasil somente vendiam, excluindo a maioria sem dinheiro e concentrando o poder político e econômico.

11 Colonização de exploração Objetivo: explorar tudo o que a terra e sua gente pudessem oferecer para o enriquecimento dos comerciantes e de suas metrópoles. Implantação: na América, África e Ásia. Características: 1.Organização da produção, da economia ou do sistema produtivo com base no abastecimento do mercado externo. 2.Modesto desenvolvimento do artesanato e da manufatura decorrente da DIT imposta pelas metrópoles às colônias. 3.Introdução da grande propriedade agrícola e monocultora – o latifúndio ou plantation. 4.Escravidão de povos indígenas na América, do negro africano na própria África e na América, e a exploração de inúmeros povos asiáticos. 5.Produção e organização de espaços geográficos voltados para fora. O espaço geográfico é histórico porque sem os conhecimentos do passado que se manifesta nos espaços geográficos, dificilmente comprenderemos a construção e organização espacial.

12


Carregar ppt "Por que recorrer à história? Para explicar a origem do subdesenvolvimento e do desenvolvimento, recorremos ao passado e entederemos o presente. Para explicar."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google