A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CLAREAMENTO NA ROTINA CLÍNICA FO - UERJ / CEO Penedo 2010 Antonio Monnerat.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CLAREAMENTO NA ROTINA CLÍNICA FO - UERJ / CEO Penedo 2010 Antonio Monnerat."— Transcrição da apresentação:

1 CLAREAMENTO NA ROTINA CLÍNICA FO - UERJ / CEO Penedo 2010 Antonio Monnerat

2

3 ETIOLOGIA DAS PIGMENTAÇÕES Endógenas … Doenças Sistêmicas … Medicamentosa … Fatores Odontológicos Exógenas … Medicamentosas … Alimentares

4 ETIOLOGIA DAS PIGMENTAÇÕES Endógenas … Doenças Sistêmicas Porfiria Congênita Eritroblastose Fetal Falhas de Desenvolvimento do Dente

5 ETIOLOGIA DAS PIGMENTAÇÕES Endógenas … Medicamentosa Fluorose Tetraciclina

6 ETIOLOGIA DAS PIGMENTAÇÕES Endógenas … Odontológicos Cárie Bruxismo / Apertamento Trauma Dental Pulpite Aguda Necrose Pulpar Iatrogênicos

7 ETIOLOGIA DAS PIGMENTAÇÕES Endógenas … Odontológicos Iatrogênicos Eugenol Iodo Prata (amálgama) Slicato Eugenolato de Cálcio Hemorragia Trans-Endodontia

8 ETIOLOGIA DAS PIGMENTAÇÕES Exógenas … Medicamentosas Clorexidina Compostos Vitamínicos Antibióticos (Pigmentação Bacteriana)

9 ETIOLOGIA DAS PIGMENTAÇÕES Exógenas … Alimentares / Drogas(Ação Lenta) Chá, Mate, Café Vinho Tinto Chocolate Refrigerantes Fumo Outros Alimentos

10 Peróxido de Carbamida 10% Em Gel Clareamento Vital Caseiro Noturno Pacientes Jovens Peróxido de Carbamida H 2 O 2 + Uréia Materiais

11 Peróxido Carbamida 15 ou 16% Em Gel Clareamento Vital Caseiro Noturno Pacientes acima de 25 anos Peróxido de Carbamida H 2 O 2 + Uréia Materiais

12 Peróxido de Carbamida 35 a 38% Em Gel Clareamento Não Vital Clareamento Vital em Sala de Espera Peróxido de Carbamida H 2 O 2 + Uréia Materiais

13 Peróxido de Hidrogênio 6 a 9 % Em Gel Clareamento Vital Caseiro Diurno H 2 O 2 H 2 O + O ++ Materiais

14 Peróxido de Hidrogênio 30 a 38% Em Gel ou Líquido Clareamento Vital em Consultório Clareamento Não Vital Externo H 2 O 2 H 2 O + O ++

15 Perborato de Sódio Sal Inerte Clareamento Não Vital Clareamento Seguro Técnica muito lenta Per. Sódio+H 2 O H 2 O 2 +Metaborato de Sódio Materiais

16 CLAREAMENTO CASEIRO Opção Principal para todos os casos Diferenciais: … Seleção … Qualidade da Placa … Instruções … Ausência de Sensibilidade … Acompanhamento Pode estar ou não associado a outra técnica

17 CLAREAMENTO Como ocorre o clareamento?

18 CLAREAMENTO CASEIRO Opção Principal para todos os casos. Clareamento caseiro alcança maior estabilidade, diminui sensibilidade e permite procedimentos em paralelo.

19 CL. CASEIRO MELHOR RESULTADO QUE CL. CONSULTÓRIO. CL. CASEIRO + CONSULTÓRIO RESULTADOS IGUAIS CL. CONSULTÓRIO – AUMENTO SENSIBILIDADE Oper Dent Jan-Feb;35(1):3-10. Clinical performance of vital bleaching techniques. Bernardon JKBernardon JK, Sartori N, Ballarin A, Perdigão J, Lopes GC, Baratieri LN.Sartori NBallarin APerdigão JLopes GCBaratieri LN

20 CLAREAMENTO CASEIRO - DIFERENCIAIS Seleção … Elemento mais escuro … Radiografias periapicais … Cervical … Manchas opacas … Transparência

21 CLAREAMENTO CASEIRO - DIFERENCIAIS Seleção … Elemento mais escuro … Radiografias Periapicais

22 CLAREAMENTO CASEIRO - DIFERENCIAIS Seleção … Cor da Cervical

23 CLAREAMENTO CASEIRO - DIFERENCIAIS Seleção … Manchas opacas

24 CLAREAMENTO CASEIRO - DIFERENCIAIS Seleção … Transparência

25 CLAREAMENTO CASEIRO - DIFERENCIAIS Qualidade da Placa … Moldagem e Vazagem … Adaptação Cervical e Bolhas – hollemback … Escolha da placa … Posicionamento na plastificadora … Recorte cervical

26 CLAREAMENTO CASEIRO - DIFERENCIAIS Ausência de Sensibilidade … Utilizar Protocolo de Dessensibilização Caseiro Profissional

27 Caseiro 1 semana antes até 1 semana após Creme Dental CREST Sensitivity 3x dia Solução Flúor 0,05% 2x dia Protocolo Dessensibilização Para todas as técnicas CLAREAMENTO CASEIRO - DIFERENCIAIS

28 Profissional Após cada aplicação Após cada aplicação Gel Nitrato Potássio – Ultra EZ / DesensibilizeGel Nitrato Potássio – Ultra EZ / Desensibilize Para Sala de Espera e Consultório Protocolo Dessensibilização CLAREAMENTO CASEIRO - DIFERENCIAIS

29 Clareamento consultório / sala de espera –Retração Recortar Moldeira aquém da retraçãoRecortar Moldeira aquém da retração Pro Alívio - Semanalmente nos locaisPro Alívio - Semanalmente nos locais Clareamento consultório / sala de espera –Retração Recortar Moldeira aquém da retraçãoRecortar Moldeira aquém da retração Pro Alívio - Semanalmente nos locaisPro Alívio - Semanalmente nos locais Para todas as técnicas Protocolo Dessensibilização CLAREAMENTO CASEIRO - DIFERENCIAIS

30 DESSENSIBILIZANTES Obliterador de Canalículo Dentinário … ACP … Arginina … Fluoretos … Oxalatos Modulador de Impulsos Nervosos … Nitrato de Potássio

31 DESSENSIBILIZANTES ACP … Obliterador de canalículo dentinário … Night White – Discus … Creme Dental … Pasta Profilática – Enamel Pro – GC America J. De n t 3 7 ( ) 29 7 – O.A. Adebayo, M.F. Burrow *, M.J. Tyas An SEM evaluation of conditioned and bonded enamel following carbamide peroxide bleaching and casein phosphopeptide-amorphous calcium phosphate (CPP-ACP) treatment.

32 DESSENSIBILIZANTES Nitrato de Potássio … Ação Analgésica. Modulador de Impulsos Nervosos … Whiteness Perfect, FGM e Opalescence, Ultradent … Ultra-EZ (Ultradent) e Dessensibilize (FGM) (5%) … Crest Sensitivity e Oral B PRO-Sensitive (5%) J Periodontol Apr 6. [Epub ahead of print] A R P, Anuj S. COMPARISON OF THE CLINICAL EFFICACY OF A DENTIFRICE CONTAINING CALCIUM SODIUM PHOSPHOSILICATE WITH A DENTIFRICE CONTAINING POTASSIUM NITRATE AND A PLACEBO ON DENTINAL HYPERSENSITIVITY: A RANDOMIZED CLINICAL TRIAL.

33 DESSENSIBILIZANTES Arginina 8% … Obliterador de canalículo dentinário … Colgate Pro-Alívio J Clin Dent. 2009;20(4): Comparing the efficacy in reducing dentin hypersensitivity of a new toothpaste containing 8.0% arginine, calcium carbonate, and 1450 ppm fluoride to a benchmark commercial desensitizing toothpaste containing 2% potassium ion: an eight-week clinical study in Rome, Italy. Docimo RDocimo R, Montesani L, Maturo P, Costacurta M, Bartolino M, Zhang YP, DeVizio W, Delgado E, Cummins D, Dibart S, Mateo LR.Montesani LMaturo PCostacurta MBartolino MZhang YPDeVizio WDelgado E Cummins DDibart SMateo LR

34 CLAREAMENTO CASEIRO - DIFERENCIAIS Instruções … Quantidade Local da aplicação … Ingestão de corantes … Frequência Ideal … Frequência Estratégica

35 CLAREAMENTO CASEIRO - DIFERENCIAIS Acompanhamento … Fotografias … Escalas … Colorímetro Revisão … 6 meses … anual

36 CLAREAMENTO AUTO-APLICADO O QUE FAZER?

37 CLAREAMENTO AUTO-APLICADO Não tem no Brasil? Não tem no Brasil? Doi Mais? Doi Mais? Não Funciona? Não Funciona? É Proibido? É Proibido?

38 CLAREAMENTO AUTO-APLICADO Etiologia Etiologia Alteração Pulpar Alteração Pulpar Restaurações Restaurações DTM DTM Danos Gengivais Danos Gengivais Resultado aquém do esperado Resultado aquém do esperado

39 CLAREAMENTO PROFISSIONAL Opção Complementar Técnicas: … Sala de Espera … Consultório Uso de Luz

40 CLAREAMENTO SALA DE ESPERA Materiais: … Peróxido de carbamida 35% … Opalescence Très White Supreme. 50 a 60 minutos na Sala de Espera Complementar ao Caseiro Jornada Acadêmica Coelho e Souza

41 CLAREAMENTO CONSULTÓRIO Materiais: … Peróxido Hidrogênio 25%; 35% ou 38% 30 a 45 minutos na Cadeira Proteção Tecidos Moles Complementar ao Caseiro 1 Elemento + Escuro Não Vital

42 TENDÊNCIAS Blue Covarine (Pepsodent – White Now) … Ação Superficial e Instantãnea (até 4 horas) J De n t 3 6 s ( ) s 21 – s 2 5 Instant tooth whitening from a silica toothpaste containing blue covarine Luisa Z. Collins *, Mojgan Naeeni, Suzanne M. Platten J. De n t 3 6 s ( ) s 8 – s 1 4 A novel optical approach to achieving tooth whitening Andrew Joiner *, Carole J. Philpotts, Coralie Alonso, Alex T. Ashcroft, Naomi J. Sygrove

43 CLÍNICA DE CLAREAMENTO DENTAL FO - UERJ Objetivo: Objetivo: … Desenvolver projetos clínicos de clareamento dental que possam, além de atender ao pacientes da FO-UERJ e responder a questionamentos clínicos comuns ao tratamento clareador.

44 Equipe: Equipe: … Prof. Dr. Antonio Fernando Monnerat … Prof Dr Rogério Luiz de Oliveira Mussel … Profa. Mariana de Andrade Macêdo … Profa. Laisa Laxe

45 Estudo Longitudinal da Imagem Radiográfica Pulpar de Pacientes Submetidos a Clareamento Dental. Estudo Longitudinal da Imagem Radiográfica Pulpar de Pacientes Submetidos a Clareamento Dental. Avaliação da Influência do Momento da Aplicação da Luz no Clareamento Profissional. Avaliação da Influência do Momento da Aplicação da Luz no Clareamento Profissional. Estudo da Inciência de Clareamento Dental na Clínica de Dentística da FO-UERJ nos últimos 10 anos. Estudo da Inciência de Clareamento Dental na Clínica de Dentística da FO-UERJ nos últimos 10 anos. Avaliação do Protocolo de Dessensibilização utilizado na FO-UERJ para Clareamento Dental. Avaliação do Protocolo de Dessensibilização utilizado na FO-UERJ para Clareamento Dental. Alterações histopatológicas da polpa humana após clareamento dental Alterações histopatológicas da polpa humana após clareamento dental

46 Avaliar Histopatologicamente a polpa dental após clareamento dental Utilização de Boost sobre incisivos inferiores e pré- molares 3 grupos (n total=30): com luz; sem luz e sem clareamento Pacientes ortodônticos com exo indicada 4 sessões, sendo a última imediatamente antes Mesmo Protocolo para Incisivos e Pré-Mol.


Carregar ppt "CLAREAMENTO NA ROTINA CLÍNICA FO - UERJ / CEO Penedo 2010 Antonio Monnerat."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google