A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O PENSAMENTO DE KARL MARX (1818-1883) E FRIEDRICH ENGELS (1820- 1895) Poemas globalizados II Por que sensibilizar-se com as sobras humanas E rogar por.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O PENSAMENTO DE KARL MARX (1818-1883) E FRIEDRICH ENGELS (1820- 1895) Poemas globalizados II Por que sensibilizar-se com as sobras humanas E rogar por."— Transcrição da apresentação:

1 O PENSAMENTO DE KARL MARX ( ) E FRIEDRICH ENGELS ( ) Poemas globalizados II Por que sensibilizar-se com as sobras humanas E rogar por suas almas monetárias Se nelas não há lastro, dividendos Se nelas só se espera favelas Entre remendos? José Moraes Barbosa

2 O contexto das ideias – Se são as circunstâncias que atrapalham os homens, que mudemos as circunstâncias. Amplas transformações econômicas e sociais Século XIX – o século da ciência – Cientificismo transformado em ideologia e forma de dominação A Ciência passa a ocupar o lugar que era da religião na Idade Média Momento da criação do mercado mundial Concentração de riquezas de um lado x pobreza de outro

3 Modo de produção e a produção da existência Modo de produção – certa maneira de organização das relações humanas e forças produtivas. É constituído pelas: Forças produtivas – tipo de mão-de-obra e técnica Relações de produção – senhor x escravo O Materialismo histórico Análise dos modos de produção da História Modo de produção asiático Modo de produção escravista Modo de produção feudal Modo de produção capitalista

4 O modo de produção capitalista e a vida alienada Não se produz somente o objeto, mas também a própria vida. O que acontecerá com o ser humano, no momento em que o trabalho, atividade a partir da qual se criou e desenvolveu, transformar-se em algo destrutivo, relativamente à sua própria natureza?

5 A alienação – Eu não me manifesto para interpretar o mundo, e sim, para modificá-lo. Pode ser definida como um certo desvio em relação ao essencialmente humano Os diferentes significados 1. Judaísmo – desvio à divindade 2. Psicologia – perda da capacidade psíquica do paciente 3. Mercado – condição de um bem, financiado, não totalmente adquirido pelo comprador 4. Senso comum – indivíduo que está desinformado do mundo

6 Alienação para Marx – A história só se repete como paródia Análise feita no início do século XIX Homem – criador da Natureza O homem transformou a Natureza externa e a si mesmo por meio do trabalho. O quem vem a ser o trabalho? O trabalho faz o homem, ou de outra forma, o homem fez-se histórica e socialmente, por intermédio do trabalho. Sendo assim, o homem transforma o exterior (o meio) e o interior (sua essência) Portanto, o homem modifica o meio e modifica-se por meio do trabalho – Vida é atividade.

7 A mais-valia - Por qual motivo a burguesia vai manter o trabalho escravo se ela pode criar o salário mínimo? Diferença entre o valor pago pela força de trabalho, na forma de salário, e o valor do produto do trabalho, na forma de salário, e o valor do produto do trabalho, que ficará em mãos do capitalista. Exemplo – se o capitalista contratou o assalariado para produzir uma mesa, pagando-lhe cinco reais e pôde vender a mesa por vinte reais, a mais-valia será calculada subtraindo 5 de 20, ou seja, igual a 15. A mais-valia expressa o nível de exploração a que está sujeito o operário e o quanto lhe é tirado de forma não explícita, ou visível, pelo patrão.

8

9

10 A fragmentação da existência humana – Dividir um homem em pedaços seria o mesmo que assassiná-lo. O operário não produzirá a mesa do começo ao fim, APENAS PARTE DELA – O trabalhador perde o domínio do processo Ele não se sente desafiado; é vigia da máquina, seu mero-apêndice; perderá o gosto pela vida O funcionamento da indústria – divisão técnica e social do trabalho devem atender às necessidades do capital – Interdependência entre as pa rtes Marx definiu a natureza humana como o conjunto de suas relações; como um peixe que vive na água, o homem vive em tais relações; se a água apodrece, o peixe agonizará ou morrerá.

11

12 O capital é hostil ao desenvolvimento intelectual dos trabalhadores – O operário não cria, nem mais aprende; apenas executa Ao operário restará cortar ou lixar, ou pintar etc. Vale pouco enquanto mão-de-obra – tornou-se descartável – decréscimo no salário Até que ponto o desemprego é uma necessidade do capitalismo? O operário retrocede à condição de animalidade, torna-se violento, rústico, insensível, ignorante Como o operário pode entender o mundo perante às condições desumanas impostas pelo capital? A alienação é o processo de desumanização do operário, mas também do patrão, mera personificação do capital

13

14 A aranha-capital Alienação = imensa teia de aranha Aranha = o poder estranho e hostil, o poder do capital Ela dita a forma, o ritmo, a direção e a finalidade de nossos próprios movimentos e pensamentos Um indivíduo sozinho não consegue destruí-la, pois está no ISOLAMENTO – morrerá em consequência de seus próprios esforços, exausto, esvaziado de sentido, desiludido. Que tipo de exemplo se tornará? Só será possível romper a teia, quer dizer, superar a alienação se o coletivo se unir – INTERNACIONAL COMUNISTA Criar alguma alternativa histórica à realidade existente

15

16 A transição para o comunismo As coisas boas produzidas pelo capitalismo são indispensáveis para a construção histórica do comunismo A) desenvolvimento ininterrupto das forças produtivas B) desenvolvimento dos transportes e das comunicações C) desenvolvimento das capacidades intelectivas e da consciência de classe do proletariado D) desenvolvimento da ciência e tecnologia E) desenvolvimento da riqueza social

17

18 Mas como o desenvolvimento da riqueza social? Reeducação do homem – Combater antigos valores da sociedade capitalista Miséria x riqueza Cada indivíduo ganharia proporcionalmente ao seu trabalho e esforço. Trabalhar-se-ia no limite das próprias forças e se receberia proporcionalmente a esse esforço A contradição entre as forças produtivas e as relações de produção implicará, segundo Marx, em um momento de crise generalizada, ou seja, numa OPORTUNIDADE REVOLUCIONÁRIA

19

20 Como chegar ao comunismo? Só a luta de classes, sob a base de uma consciência revolucionária e proletária, poderia garantir, no entender de Marx, a transição bem-sucedida do capitalismo para o comunismo. Tal processo será extremamente complexo e se realizará por etapas, sendo a primeira delas, a ditadura do proletariado. A própria concorrência, entre os agentes econômicos, durante o período capitalista, levaria a maioria de seus membros à falência, o que determinaria a elevação do número de membros da classe operária.

21

22 A ditadura Não seria uma ditadura no sentido pleno da palavra Pela primeira vez a esmagadora maioria estaria no poder político, social e econômico Deve, assim, destruir o sistema assalariado e máquina do Estado. Refaria o mundo em outros princípios e diretrizes Comunismo = reconstrução histórica, econômica, social, política, cultural e mesmo psicológica do Homem, desaprendendo o egoísmo, a violência, a mentira, a ambição... Essa fase de transição para o comunismo seria o socialismo

23

24 Marxismo nos dias atuais A pergunta que se deve fazer: quem é hoje a esquerda/socialista? No Brasil, quem a representaria? Partidos políticos? Se sim, quais? PSTU, PCO,PCB, PSB, PT? Quais as propostas marxistas desses partidos/tendências? Adequar o marxismo ao sistema capitalista? Terceira via?

25

26 Burguesia x proletariado Quem hoje representaria a burguesia e o proletariado? Teria o processo democrático diminuído o abismo entre patrões e empregados? Ou a concentração de renda ainda se mantém na sociedade? A mais-valia acabou ou ainda está presente nos dias atuais?

27 As questões culturais Marx afirma que a infra-estrutura (relações econômicas) determina a super-estrutura (o Estado, as leis, a cultura). Ou seja, se a infra-estrutura é capitalista, a super-estrutura também será capitalista. Na atualidade, até que ponto o Estado/leis existem para garantir o funcionamento do sistema capitalista? E a questão cultural, será que as manifestações culturais são necessariamente capitalistas? Até que ponto as manifestações marginais (hip hop, funk e outros) são incorporadas/compradas pelo sistema?

28


Carregar ppt "O PENSAMENTO DE KARL MARX (1818-1883) E FRIEDRICH ENGELS (1820- 1895) Poemas globalizados II Por que sensibilizar-se com as sobras humanas E rogar por."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google