A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Capitalismo Adaptador por Professor Marcelo Rocha Contin.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Capitalismo Adaptador por Professor Marcelo Rocha Contin."— Transcrição da apresentação:

1 Capitalismo Adaptador por Professor Marcelo Rocha Contin

2 Capitalismo e Capital Capitalismo: é o modo de produção em que o capital, sob suas diferentes formas, é o principal meio de produção! Capital: bem possuído por um indivíduo, como seu patrimônio. Pode ser uma quantia em dinheiro, ações ou um meio físico como terra, casa, etc. Assim: 1.O Capital existe em toda a sociedade e em qualquer tempo e lugar. 2. Objetos inanimados podem ser produtivos e gerar renda por si próprios. Bolsa de Valores Nova York 1929

3 Um objeto em si não seria capaz de gerar renda. O capital seria uma Relação Social que toma a forma de objeto. Se são os homens com seu trabalho que geram riquezas, o Capital é, antes de mais nada, a relação entre seres humanos que se transforma em bens materiais. O Capital não é simplesmente um conjunto de Meios de Produção. Esses é que foram transformados em Capital ao serem apropriados por uma classe social (burguesia) e empregados com a finalidade de gerar rendas!

4 Capitalismo é baseado essencialmente na propriedade privada dos meios de produção. Assim: Burguesia Capitalista: classe dominante e detentora dos Meios de Produção! Proletariado: Classe dominada, a quem resta o trabalho assalariado! Sobre essa infra-estrutura econômica, ergue-se a superestrutura do Estado Nacional, que detém o poder de governo sobre a sociedade e que encarna a ideologia da igualdade jurídica entre os indivíduos.

5 Mais-Valia Teoria da Mais-Valia: Base teórica para explicar a fonte de acumulação de capital que permitiu ao capitalismo expandir-se por todo o planeta e promover uma revolução tecnológica sem precedentes na história da Humanidade.

6 Os trabalhadores produzem utilizando os Meios de Produção do patrão; este, em troca, paga-lhes um salário em dinheiro, depois de vender as mercadorias produzidas. Essa venda é necessária para que ele reponha as matérias- primas e as ferramentas e possa reiniciar o processo. Com seu salário, os empregados compram os bens necessários para a sobrevivência sua e de sua família. Mas se a troca parece justa, e se nenhum dos lados está sendo privilegiado, de onde vem a riqueza dos capitalistas e a pobreza dos operários? Dois velhos que comem Francesco Goya

7 Explicação Capitalista: O enriquecimento se dá com os lucros obtidos com as vendas, uma vez que o mercado necessita de bens, que possuem preços variáveis, e as pessoas precisam comprar o que não conseguem ou não podem produzir! Crítica Marxista: Mas se o patrão pagar o empregado por todas as mercadorias produzidas por eles em uma jornada de trabalho, ele teria que abrir mão dos lucros para poder adquirir novas matérias- primas, repor máquinas e pagar os impostos e as demais despesas da empresa. O que determina o valor de uma mercadoria? (Lembrar que a força de trabalho vendida ao patrão pelo proletário também é uma mercadoria!)

8 Valor de uma mercadoria é determinado pelo tempo de trabalho socialmente necessário para produzi-la. Valor de Uso: de interesse pessoal e não é levado em conta para a análise econômica. Valor de Troca: Mercadorias diferentes são trocadas como equivalentes, porque é possível fazer uma relação, já que elas têm em comum o tempo gasto para produzi-las. No estágio em que se encontra de desenvolvimento a sociedade atual, é possível saber qual o tempo médio que se leva para a confecção de cada produto. O tempo social do trabalho é tomado como medida de valor.

9 Valor da Força de Trabalho: Determinado pelo tempo de trabalho social despendido para sua produção e reprodução, isto é, para a manutenção do trabalhador em condições de produzir e de manter os filhos que vão substituí-lo um dia no mercado de trabalho. Na massa de salários pagos está incorporado o valor social da produção dos alimentos, vestuários, transportes, moradias, etc. necessários aos trabalhadores. É por esse valor que os patrões pagam os salários e compram as jornadas de trabalho.

10 A Mais-Valia é o valor a mais produzido pelos trabalhadores, além daquele pago pelo patrão no salário trocado pela jornada de trabalho. Os homens não precisam trabalhar todos os dias e todas as horas do dia para sua sobrevivência. O avanço tecnológico permite que se trabalhe algumas horas diárias conforme a sociedade permite. Mas o patrão comprou todas a jornada de trabalho. Ela se compõe de um tempo de trabalho necessário (que é pago) e um tempo de Sobretrabalho (que não é pago e gera a Mais- Valia)

11 Exemplo (real): Valor da Força de trabalho do Proletário: equivalente a 16 horas/mês Jornada de trabalho: 08 horas/dia Em 30 dias = 240 horas A empresa precisa de 88 horas de produção (11 dias de trabalho) para repor matérias-primas e pagar as demais despesas. A empresa precisou de 02 dias para pagar o salário do empregado! Assim o trabalhador produziu, em 01 mês, o necessário para o patrão pagar seu salário em 02 dias, os custos em 11 (13 dias para as contas) e 17 dias (136horas) de Mais-Valia! apropriados gratuitamente. A empresa de Computadores produz 01 computador por hora. 08 x 30 = 240 computadores/mês O empresário precisou vender 16 computadores para pagar os empregados, 88 para cobrir as despesas de produção e 136 foram produzidos de graça pelo sobretrabalho gerando a Mais- Valia! Exemplo (real):

12 O Bicho (Manuel Bandeira) O bicho não era um cão, Não era um gato, Não era um rato. Vi ontem um bicho Na imundície do pátio Catando comida entre os detritos. O bicho, meu Deus, era um homem! Quando achava alguma coisa, Não examinava nem cheirava: Engolia com voracidade.


Carregar ppt "Capitalismo Adaptador por Professor Marcelo Rocha Contin."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google