A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A Eficiência Energética O que é a Eficiência energética?

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A Eficiência Energética O que é a Eficiência energética?"— Transcrição da apresentação:

1

2 A Eficiência Energética

3 O que é a Eficiência energética?

4 Eficiência energética consiste na procura de formas de optimizar o uso das fontes de energia, ou seja, utilizar menos energia para fornecer a mesma quantidade de valor energético, utilização racional de energia. A eficiência energética envolve a utilização de uma tecnologia que requer um menor consumo de energia para realizar a mesma função.

5 A que se deve o aumento do consumo energético?

6 A energia utiliza-se diariamente no transporte, preparação dos alimentos, climatização, fabrico de inúmeros produtos, iluminação, abastecimento de água e até no lazer. Contamos com a energia para ter uma vida confortável, produtiva e agradável.

7 Assim, a utilização de energia tem aumentado exponencialmente, devido a duas grandes razões: o aumento da actividade económica e humana devido ao crescimento demográfico, que fez com que os consumos energéticos disparassem nos últimos 200 anos. o desenvolvimento dos países. Em geral, quanto mais desenvolvida é uma sociedade, maior é o seu consumo de energia.

8 Sustentar esta qualidade de vida requer que a energia seja sensatamente utilizada, caso contrário as consequências serão enormes! A gestão dos recursos energéticos inclui, não apenas a redução do consumo de energia, mas também uma utilização mais eficiente.

9 O que acontece se a energia não for usada de forma eficiente?

10 Fontes de energia renováveis : não se esgotam se a taxa de utilização não for superior à taxa de renovação. Exemplos: sol, água, vento, ondas do mar, calor da terra, biomassa. Fontes de energia não renováveis: encontram-se na natureza em quantidades limitadas e esgotam-se com a sua utilização. Exemplos: os combustíveis fósseis (petróleo, carvão, gás natural e urânio). Chamam-se fontes de energia aos vários elementos da natureza que podem fornecer energia. As fontes de energia são:

11 O consumo de energias renováveis não tem praticamente impactes ambientais, nem conduz ao esgotamento dos recursos. Contudo, grande parte da energia consumida em todo o mundo ainda provém da queima de combustíveis fósseis, que liberta para a atmosfera de dióxido de carbono, metano, hidrogénio e ozono. A acumulação destes gases na atmosfera provoca o aumento do Efeito de Estufa e o consequente aumento do Aquecimento Global. Este último traz graves consequências para o planeta: Degelo, que provoca o aumento do nível médio das águas do mar, deixando regiões submersas; Desertificação, que provoca a extinção de muitas espécies animais e vegetais; Alterações climáticas, que provocam destruição e mortes.

12 Como contribuir para o uso eficiente da energia?

13 Para evitar o aumento do Efeito de Estufa e as alterações climáticas temos que nos tornar cidadãos mais eficientes no uso da energia. Podemos fazê-lo utilizando fontes de energia alternativas ou renováveis e diminuindo o consumo de energia nos gestos do dia a dia. 43% 11% 12% 5% 17%

14 Se tentarmos, cada um de nós pode fazer a sua parte para reduzir as emissões de gases que provocam o efeito de estufa e aquecem o nosso planeta. Dicas de eficiência: Substituir as lâmpadas incandescentes por lâmpadas economizadoras. Instalar detectores de presença que activem a iluminação apenas quando existem pessoas no local. Optar por computadores portáteis porque são energicamente mais eficientes podendo reduzir o consumo de energia até 90%.

15 Diminuir a intensidade da iluminação do ecrã do portátil para que a bateria dure mais tempo. Desligar as luzes e os aparelhos eléctricos quando não se estiverem a utilizar. Não deixar os equipamentos em stand-by para não gastar energia desnecessariamente. Não deixar os carregadores na ficha depois dos aparelhos terem carregado. Reciclar (o vidro, o papel, o plástico, as pilhas e os equipamentos eléctricos e electrónico)s. Utilizar tinteiros reutilizáveis e papel reciclado. Evitar os produtos embalados. As embalagens criam demasiado lixo! Imprimir só se for realmente necessário, na frente e no verso das folhas, em modo de rascunho.

16 Aproveitar toda a energia solar possível. Plantar uma árvore – as árvores absorvem CO 2 e libertam oxigénio, evitando que o nosso Planeta se torne demasiado quente. Evitar o uso do ar condicionado e outros sistemas de climatização. Isolar eficazmente portas, janelas, paredes, tecto e pavimento. Não abrir as janelas quando o ar condicionado está ligado. Não abrir a porta do frigorífico muitas vezes para o frio não sair e não colocar alimentos e bebidas quentes lá dentro, senão a temperatura dentro do frigorífico aumenta e este terá de produzir mais energia. Preferir produtos nacionais e locais. Quanto menos km andarem até nós, mais eficientes são. Dar prioridade à agricultura biológica.

17 Importância e impacto da Etiquetagem Energética

18 Os consumidores são a chave para a eficiência energética. Sem a sua participação activa não é possível que os equipamentos eléctricos (electrodomésticos) mais eficientes sejam preferidos e utilizados. É ao consumidor que cabe decidir qual o aparelho que pretende adquirir para a sua casa de acordo com as suas necessidades, a sua disponibilidade financeira e o seu sentido estético, ou seja, se a sua escolha recai num equipamento mais eficiente ou num menos eficiente e mais barato.

19 O objectivo da etiqueta energética é fornecer ao consumidor, no local de venda, a informação sobre a eficiência energética dos aparelhos de modo a que fique capacitado a escolher o mais eficiente. A etiqueta energética desenvolvida pela União Europeia informa o consumidor sobre: A classe do equipamento numa escala de A a G, em que A representa o mais eficiente e G o menos eficiente; O valor indicativo do respectivo consumo de energia para que o consumidor possa formar a sua opinião. Actualmente encontram-se definidas etiquetas para os seguintes equipamentos: - Frigoríficos e Arcas Congeladoras - Máquinas de Lavar/Secar Roupa - Máquinas de Lavar Louça - Aparelhos de Ar Condicionado - Fornos Eléctricos - Lâmpadas

20 Etiqueta energética: Frigoríficos e Arcas Congeladoras

21 Etiqueta energética: Máquina de Lavar roupa

22 Etiqueta energética: Máquina de Lavar Louça

23 Etiqueta energética: Forno eléctrico

24 Etiqueta energética: Lâmpadas

25 Impacto da etiquetagem energética no consumo de energia O impacto da aplicação da etiquetagem energética dos equipamentos eléctricos de uso doméstico traduz-se na redução da energia eléctrica consumida sem que haja uma redução do nível de desempenho desses equipamentos. Com efeito, as vendas de equipamentos de refrigeração são hoje significativamente mais elevadas para os equipamentos de Classe A, B e C do que para as Classes E,F e G. As escolhas que fazemos no modo como consumimos a energia – desligar os equipamentos quando não estão em utilização ou adquirir equipamentos mais eficientes – têm impacto no ambiente e na nossa qualidade de vida. Podemos fazer muitas coisas para consumir menos energia ou usá-la mais eficientemente. Isto inclui conservação de energia e eficiência energética.

26 Quais os planos energéticos de Portugal até 2015?

27 Plano Nacional de Acção para a Eficiência Energética (PNAEE) A Resolução do Conselho de Ministros n.º 80/2008 aprovou o Plano Nacional de Acção para a Eficiência Energética (PNAEE), documento que engloba um conjunto alargado de programas e medidas consideradas fundamentais para que Portugal possa alcançar e suplantar os objectivos fixados no âmbito da Directiva n.º 2006/32/CE, do Parlamento Europeu relativa à eficiência na utilização final de energia e aos serviços energéticos.

28

29

30

31

32

33

34

35 Portugal ultrapassou os objectivos definidos em eficiência energética para 2010, cumprindo ainda 37% das metas estabelecidas para 2015 no Plano Nacional de Acção para a Eficiência Energética (PNAEE), revela um balanço da Agência para a Energia. Financeiramente, conclui-se que a eficiência energética alcançada equivale a uma redução de 4,9 milhões de barris de petróleo, o que significa uma economia anual superior a 350 milhões de euros na factura energética com o estrangeiro. Os resultados demonstram que os portugueses estão mais sensíveis para as questões da eficiência energética nos seus edifícios de residência e trabalho, utilizam mais e melhor os transportes públicos e que, na indústria energeticamente mais intensiva, se começam a registar bons resultados devido às medidas de eficiência implementadas. Na análise aos 12 programas definidos no Plano, as melhores taxas de execução estão concentradas na área Residencial e Serviços, que apresentam excelentes resultados nos programas de renovação de iluminação e equipamentos, energia solar e certificação energética de edifícios.

36 Segue-se a área de Transportes, nomeadamente o programa relacionado com a utilização de transportes público. Para os bons resultados obtidos nesta área contribui o desenvolvimento das redes de metro ocorrida na última década e o programa Mobi.E (mobilidade eléctrica), com o qual Portugal se posiciona como pioneiro, ao ter uma rede, à escala nacional, de pontos de carregamento deste inovador meio de transporte. Na Indústria, destaca-se a forte dinâmica na aplicação de medidas de eficiência nas empresas de consumo intensivo de energia. Nos edifícios, os mais de 400 mil certificados energéticos emitidos demonstram o potencial dos resultados que se perspectivam na área da reabilitação urbana na vertente da eficiência energética. É ainda de salientar que os equipamentos de linha branca adquiridos pelos consumidores são hoje maioritariamente de alta eficiência energética.

37

38 Curiosidades

39 1. Pela primeira vez, em Portugal, as empresas vão poder ser distinguidas por boas práticas de eficiência energética, com os Energy Efficiency Awards Portugal As empresas mais eficientes serão apuradas através do Barómetro da Eficiência Energética Portugal 2010, no âmbito do Plano Nacional de Acção para a Eficiência Energética (PNAEE). Para isso, é analisada a utilização da energia nos processos de produção, nas instalações e nas actividades desenvolvidas pelas empresas, com o objectivo de promover métodos inovadores e mais eficientes de consumo de energia.

40 2. Quanto mais cheio está um congelador mais eficiente ele é. Mas o frigorífico não. O frio deve conseguir circular livremente entre os alimentos para que fiquem frescos. 3. Deixar de usar gravata pode ajudar a combater as alterações No verão de 2005, os japoneses resolveram trocar os seus fatos escuros e gravatas por colarinhos abertos e cores mais claras, uma medida do Governo japonês para poupar energia e manter uma temperatura de 28ºC nos escritórios, durante esse verão. Num só verão, estima-se que o Japão tenha conseguido diminuir toneladas de CO 2.

41 4. Os aviões são o meio de transporte que emite mais CO 2. Diminuir o tráfego aéreo e a necessidade que as pessoas têm de viajar entre continentes e cidades é muito difícil, mas hoje está a pensar-se em alternativas de voo para que os aviões voem numa linha directa, de forma a que se reduzam os tempos das viagens, se consuma menos energia e se eliminem as enormes toneladas de CO 2 produzidas todos os anos. 5. Partilhar o carro ajuda o ambiente!. Há pessoas que se organizam para apanhar boleia para o trabalho, porque perceberam que quatro pessoas podem ir juntas no mesmo carro em vez de irem em quatro carros separados. O sistema de aluguer de carros também está a ter cada vez mais sucesso, sobretudo para quem vive em grandes cidades, em vez de comprar um carro, aluga um quando precisa de fazer distâncias maiores.

42 6. Alguns produtos são feitos de forma a poupar energia. Actualmente, existem já alguns carros que conseguem andar mais, consumindo muito menos gasolina e poluindo menos - carros híbridos. Estes carros utilizam dois sistemas, um de combustão (gasolina) e outro eléctrico e assim emitem menos gases com efeitos de estufa.

43 A Eficiência Energética depende de todos nós!

44 A eficiência energética e as energias renováveis são os "dois pilares" de uma política energética sustentável. Enquanto indivíduos, o nosso comportamento e as escolhas energéticas que fazemos podem fazer a diferença.

45


Carregar ppt "A Eficiência Energética O que é a Eficiência energética?"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google