A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SISTEMAS AGROFLORESTAIS SISTEMAS AGROFLORESTAIS na Operação Arco Verde Marcio Armando julho 2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SISTEMAS AGROFLORESTAIS SISTEMAS AGROFLORESTAIS na Operação Arco Verde Marcio Armando julho 2010."— Transcrição da apresentação:

1 SISTEMAS AGROFLORESTAIS SISTEMAS AGROFLORESTAIS na Operação Arco Verde Marcio Armando julho 2010

2 Abrangência da Operação Arco Verde e a Diversidade Amazônica

3

4 AP Forças atuantes Crédito Assistência Técnica Informação e tecnologia Mercado Sustentável Insustentável Modelo de Desenvolvimento para a Amazônia Incentivos Políticas Públicas Fiscalização

5 SISTEMAS AGROFLORESTAIS na Operação Arco Verde Marcio Armando julho 2010  Abordagem multidimensional e transdisciplinar

6 O que são Sistemas Agroflorestais? São sistemas de cultivo que combinam culturas anuais ou forrageiras com espécies arbóreas na mesma área, de forma sequencial ou rotacionada. Podem ser classificados em silviagrícolas, silvipastoris e agrossilvipastoris, de acordo com as combinações de espécies utilizadas.

7 Porque Sistemas Agroflorestais? 1. Permitem o preparo do solo e manejo sem fogo. 2. Diversificam a produção, aumentando a segurança alimentar e a oferta de produtos florestais. 3. Geram renda, oferecendo opção econômica para áreas já abertas, sem gerar novos desmatamento. 4. Prestam serviços ambientais, tais como: captação de carbono, produção de água, conservação do solo e da biodiversidade. 5. Tem efeito educativo/demonstrativo para uma política de mudança de modelo de desenvolvimento. 6. São uma forma de cultivo concordante com os compromissos do país na COP 15.

8 FLORESTA INTOCADA RESERVA FLORESTAL DE CONSERVAÇÃO FLORESTAS MANEJADAS COM BAIXA INTENSIDADE FLORESTAS NATURAIS INTENSAMENTE MANEJADAS POR REGENERAÇÃO PLANTAÇÕES FLORESTAIS SAF VALOR DE PRODUÇÃO

9 Produção científica em SAF´s na Amazônia brasileira Amplitude de abordagens no VII CBSAF Análise e viabilidade econômica 2. Análise florística, espécies apropriadas 3. Avaliação de implantação de forrageiras na presença de animais 4. Comportamento de clones em função da orientação de plantio 5. Comportamento de pragas e doenças 6. Comportamento e produção de forrageiras 7. Concorrência radicular 8. Construção participativa em assentamentos 9. Contribuição para a segurança alimentar 10. Crescimento 11. Efeito do sombreamento no crescimento 12. Incrementos na fertilidade do solo 13. Influência da radiação e precipitação nos sistemas 14. Integração Ensino, Pesquisa e Extensão 15. Interculturalidade e tradição (TI) 16. Introdução de espécies 17. Manejo 18. Ocorrência de micorrizas e de bactérias solubilizadoras de fosfato 19. Processos de implantação 20. Produtividade em diferentes arranjos 21. Recuperação de áreas de degradadas 22. Rendimento de frutos 23. SAF´s na transição agroecológica.

10 Segurança alimentar Quintais agroflorestais de 3.510m² a 8.260m² supriram as necessidades totais de potássio, os requerimentos mensais de Vitamina C, quantidades variáveis de tiamina, niacina, proteínas e minerais da população em Mazagão - Amapá. Todos os SAFs catalogados em Mato Grosso do Sul utilizam princípios agroecológicos, causaram melhorias significativas em atributos físicos, químicos e biológicos do solo, aumento da biodiversidade, redução da ocorrência de pragas e doenças nas culturas, indicativos de que os sistemas estão caminhando rumo à sustentabilidade. Serviços ambientais A recuperação ambiental com SAF´s em propriedades familiares no Pará propicia ambiente florestal na propriedade e auxilia no cumprimento da legislação ambiental vigente. Cumprimento da legislação ambiental

11 CulturaQuantidade de plantasEspaçamento Pimenta do reino1.8002,5 x 2 x 2 x 4m Maracujá7022 x 5 x 4m Açaí3605 x 6m Cacau7022 x 5 x 4m Espécies Florestais2025 x 24m Total3.584 Sistema: Maracujá, Pimenta-do-Reino, Açaí, Cacau e Espécies Florestais Fonte: CAMTA 2008 Ano Total Custo total 315,91.002, , , , , , , ,69 Renda Bruta - Custos 2.843, , , , , , , , ,07 Reembolso das parcelas 8.055, , , , ,21 Renda Líquida 2.843, , , , , , , , ,85

12 CUSTOS, RECEITAS E RENDA LÍQUIDA DE SAF EM RORAIMA DURANTE O PERÍODO DE 20 ANOS Fonte: Arco-Verde (2008)

13 Entrada em Produção Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 2 Ano 20 Ano 6 e 20

14 COMPONENTES DOS SISTEMAS ANOS Arroz 1 ●● Milho 2 ● Soja 2 ● Mandioca ● Bananeira ●●●●● Ingazeiro ●●●●●●● Gliricídia 3 ●●●●●●●●●●●●●●●●●●●● Cupuaçuzeiro ●●●●●●●●●●●●●●●●●●●● Pupunheira ●●●●●●●●●●●●●●●●●●● Cupiúba ●●●●●●●●●●●●●●●●●●● Castanheira ●●●●●●●●●●●●●●●●●●● PERMANÊNCIA DOS COMPONENTES NOS SAFs AO LONGO DO TEMPO Obs: 1: espécie plantada somente no modelo 1; 2: espécies plantadas somente no modelo 2; 3: espécie plantada como cerca viva. Fonte: Arco-Verde (2008).

15 Ano 6 Ano 12 Ano 18 Ano 30 Brienza et al. (2008) ‏

16 Análise de rentabilidade dos sistemas agroflorestais

17 1.Tecnologia disponível adaptada às condições amazônicas. 2.Linhas de crédito adequadas. 3.Logística e recursos para montar um programa de capacitação. 4.Pessoal treinado para capacitar multiplicadores. 5.Assistência técnica eficiente 6.Multiplicadores capacitados nos municípios-alvo. 7.Insumos básicos para a implantação dos SAF´s disponíveis e suficientes. 8. Unidades demonstrativas bem distribuídas para capacitação continuada. Onde queremos chegar!

18 1. O que querem de nós? 2. O que temos? 3. O que vamos fazer juntos? 4. Como devemos nos organizar?

19 “A adoção de um modelo de desenvolvimento sustentável na Amazônia é uma responsabilidade de todos nós e depende, em grande parte, da capacidade de trabalharmos juntos e de maneira coordenada.”

20 Grato pela atenção


Carregar ppt "SISTEMAS AGROFLORESTAIS SISTEMAS AGROFLORESTAIS na Operação Arco Verde Marcio Armando julho 2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google