A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Potássio. Demanda por K pelas culturas Arroz Feijão Milho Soja Sorgo Trigo Demanda de K (kg K 2 O t -1 grão) 3 15 6 20 4 6 Recomendação de K (kg K 2 O.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Potássio. Demanda por K pelas culturas Arroz Feijão Milho Soja Sorgo Trigo Demanda de K (kg K 2 O t -1 grão) 3 15 6 20 4 6 Recomendação de K (kg K 2 O."— Transcrição da apresentação:

1 Potássio

2 Demanda por K pelas culturas Arroz Feijão Milho Soja Sorgo Trigo Demanda de K (kg K 2 O t -1 grão) Recomendação de K (kg K 2 O ha -1 t -1 grão)

3 Importância do K para as plantas

4 Deficiência de K nas plantas

5 Formas de Potássio no solo a) Potássio estrutural (não disponível) K contido na estrutura dos minerais. b) Potássio não trocável (lentamente disponível) K fixado ou retido entre as lâminas das argilas (2:1). c) Potássio trocável (disponível) K retido na CTC do solo. d) Potássio em solução (disponível) K dissolvido na solução do solo.

6 K estrutural – 90% a 98% K trocável – 1% a 8% K em solução – 0,1% a 0,2% Formas de Potássio no solo

7 Dinâmica do potássio no solo

8 K estrutural K presente nos minerais primários e secundários. - Minerais primários (micas, feldspatos) - Minerais secundários (ilita, vermiculita)

9 Intemperismo dos minerais potássicos KAlsi 3 O 3 + H + HAlSi 3 O 8 + K +

10 K não trocável K fixado nas camadas das argila expansivas do tipo 2:1.

11 K trocável K ligado as cargas negativas da CTC do solo, disponível para suprir a solução do solo. Saturação por K no solo. Considera-se adequada a saturação por K no solo em torno de 2 a 5 % da CTC.

12 K em solução K dissolvido na solução do solo na forma disponível para absorção pelas plantas.

13 Potássio disponível K trocável K em solução

14 Como o potássio movimenta-se no solo O potássio movimenta-se por difusão.

15 O potássio no solo No solo o K pode: - Ser atraído para a superfície das argilas e matéria orgânica (CTC). - Permanecer na solução do solo - Ser absorvido pelas plantas. - Ser lixiviado em solos arenosos. - Ser fixado ou convertido em formas não disponíveis ou lentamente disponíveis.

16 Fatores do solo que afetam a absorção de K pelas plantas a) Aeração do solo Solos aerados promovem maior absorção de K pelas plantas. b) Nível de K trocável Baixo nível de K no solo diminui a absorção pelas plantas c) Fixação do K Solos com alta capacidade de fixação de K, diminuem a disponibilidade para as plantas.

17 d) CTC do solo Alta CTC proporciona maior capacidade de fornecimento de K para as plantas. e) Umidade do solo A água é o transportador principal do K para as plantas. Fatores do solo que afetam a absorção de K pelas plantas

18 g) Profundidade de enraizamento Plantas com maior volume de raízes apresentam maior capacidade de absorção de K. e) pH do solo Toxicidade do Al 3+ desfavorecem absorção de K. Solos ácidos apresentam aumento de cargas positivas. Fatores do solo que afetam a absorção de K pelas plantas

19 Lixiviação do K. A lixiviação do K ocorre em solos com baixa CTC presentes em áreas com alta precipitação.

20 Conversão de K para K 2 O K = K 2 O x 0,83 K 2 O = K x 1,2

21 Ex.: Converter 20 kg K para K 2 O Ex.: Converter 150 kg de K 2 O para K.

22 Fonte de fertilizantes potássicos Cloreto de potássio (KCl) Solúvel e contém 60 % de K 2 O. Apresenta alto índice salino. Sulfato de potássio (K 2 SO 4 ) Solúvel e contém cerca de 50 % de K 2 O e 18 % de S. Nitrato de potássio (KNO 3 ) Contém cerca de 44 % de K 2 O e 13 % de N.

23 Adubação com K. A quantidade de K a ser aplicada depende do teor de K no solo, espécie vegetal e a expectativa de produção. Dependendo do teor de K no solo (muito baixo a baixo) há a necessidade de utilizar uma adubação corretiva com K, com o objetivo de elevar a saturação por K no solo.

24 Índices genéricos para classificação do potássio trocável: UnidadeBaixoMédioAlto cmol c /dm 3 0,100,11-0,30>0,30 mmol c /dm 3 1,01,1-3,0>3,0 Tomé Junior, 1997

25 Interpretação da análise de solo (Região dos Cerrados) K (extraído por Mehlich 1)

26 Recomendação de adubação – Milho (Região dos Cerrados)

27 Métodos de aplicação de potássio A forma de aplicação depende: Cultura Mão-de-obra Nível de fertilidade do solo Tipo de solo Dose

28 O potássio pode ser aplicado no solo: Semeadura Parcelado (Semeadura + cobertura)

29 Manejo da adubação potássica a)Textura, tipo de solo e CTC. b)Parcelamento da adubação Solos arenosos, com baixa CTC e sujeito a chuvas intensas: -Adubação parcelada, principalmente em grandes quantidades, em linha ou sulco de plantio. Solos argilosos e com alta CTC: -pode-se optar por adubação total ou parcelada, de acordo com a disponibilidade de mão-de-obra.

30 Manejo da adubação potássica c) Adubação potássica corretiva No caso da adubação corretiva deve-se distribuir o fertilizante a lanço e incorporar (observar que a saturação por K deve ser de 2 a 5% da CTC a pH 7,0.) d) Manejo dos restos culturais A grande parte do K absorvido pelas planta encontra-se nos restos culturais.

31 Sulco Lanço Sulco + cobertura Dose (K 2 O) LVA Argiloso kg ha NQ kg ha kg 72 kg Modo de aplicação de K sobre o rendimento da soja em dois solos


Carregar ppt "Potássio. Demanda por K pelas culturas Arroz Feijão Milho Soja Sorgo Trigo Demanda de K (kg K 2 O t -1 grão) 3 15 6 20 4 6 Recomendação de K (kg K 2 O."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google