A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Acidez do solo e calagem. Origem da acidez do solo 1- Remoção das bases A remoção das bases pela lixiviação, erosão e pelas culturas, resulta no aumento.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Acidez do solo e calagem. Origem da acidez do solo 1- Remoção das bases A remoção das bases pela lixiviação, erosão e pelas culturas, resulta no aumento."— Transcrição da apresentação:

1 Acidez do solo e calagem

2 Origem da acidez do solo 1- Remoção das bases A remoção das bases pela lixiviação, erosão e pelas culturas, resulta no aumento de formas trocáveis de H + e Al + no complexo sortivo.

3 2- Precipitações atmosféricas A chuva aumenta a acidificação do solo, principalmente devido ao pH da água da chuva.

4 3- Mineralização da matéria orgânica A decomposição da matéria orgânica aumenta a acidez pela liberação de H + na conversão de amônia a nitrato 2 NH 3 + 3O 2 2NO 3 + 6H +

5 4- Material de origem Solos formados de rochas básicas possuem valores de pH mais alcalinos.

6 5- Adição de fertilizantes acidificantes A adubação, especialmente com fertilizantes acidificantes, aumentam a acidez do solo (NH 2 ) 2 CO + 4O 2 2H + + 2NO H 2 O (NH 4 ) 2 SO 4 + 4O 2 4H + + 2NO SO H 2 O

7 Componentes da acidez do solo 1- Acidez ativa (pH) 2- Acidez trocável (Al 3+ ) 3- Acidez não trocável (H o ) 4- Acidez potencial (H + Al 3+ )

8 1- Acidez ativa Refere-se a atividade dos íons H + que se encontram livres ou dissociados na solução, medida pelo pH.

9 Classificação da acidez ativa do solo

10 2- Acidez trocável Refere-se a quantidade de Al 3+ trocável e adsorvido nas superfícies dos colóides por forças eletrostáticas. 3- Acidez não trocável Refere-se a quantidade de acidez que ainda permanece no solo, após a remoção da acidez trocável.

11 4- Acidez potencial Refere-se a quantidade de formas trocáveis e não trocáveis dos íons H + e Al 3+ no solo

12 Acidez ativa – pH (água ou KCl ou CaCl 2 ) Acidez trocável – Al 3+ trocável (cmol c dm -3 ou mmol c dm -3 ) Acidez potencial - (H + + Al 3+ ) (cmol c dm -3 ou mmol c dm -3 ) Acidez potencial Acidez trocável + Acidez não trocável

13

14 Objetivos da Calagem (correção do solo) Fornecimento de Ca 2+ + Mg 2+ Elevação do pH Neutralização do Al 3+

15 1- Disponibilidade de nutrientes O aumento do pH, em solos ácidos, promove: - Insolubilização do Al 3+ e Mn 2+ - Aumenta a disponibilidade de P e Mo - Diminui a toxidez por micronutrientes (Zn, Mn, Cu e Fe). Efeitos da correção do solo

16 pH e a disponibilidade de nutrientes

17 2- Insolubilização de Al 3+ Em pH ácido o Al 3+ causa toxidez para as plantas e o aumento do pH acima de 5,5 diminui a toxicidade do elemento. Efeitos da correção do solo

18 pH e as formas de Al 3+ no solo

19 pH e o teor de Al 3+ trocável

20 3- Aumento da CTC e saturação por bases A correção da acidez proporciona aumento das cargas negativas dependentes do pH (carga variável), aumentando a CTC do solo e a saturação por bases. Efeitos da correção do solo

21 Saturação por bases e o rendimento das culturas

22 4- Aumento da disponibilidade de fósforo. A calagem promove maior respostas das culturas a adubação fosfatada. Efeitos da correção do solo

23 Calagem e a disponibilidade de P

24 5- Aumento da atividade microbiana do solo A correção da acidez proporciona condições adequadas para a mineralização da matéria orgânica, principalmente a nitrificação. Efeitos da correção do solo

25 6- Aumento na fixação biológica do N 2 As bactérias fixadoras de N 2 tem maior eficiência em pH próximo a neutralidade. Efeitos da correção do solo

26 Correção da acidez do solo Solo H 2 + CaCO 3 Solo Ca + H 2 O + CO 2 Antes da calagemApós a calagem

27 Neutralização do Al CaCO H 2 O K Ca Mg Ca + 2 Al (OH) CO 2 Al Ca Mg K Al Insolúvel

28 Capacidade tampão do solo Capacidade tampão – resistência do solo a mudança no pH. Obs.: A argila e a matéria orgânica apresentam efeito tamponante da acidez do solo.

29 Critérios para determinação da necessidade de calagem - pH SMP - Elevação do Ca 2+ + Mg 2+ e neutralização do Al 3+ trocável - Elevação da saturação por bases (V%)

30 1- pH SMP Critério utilizado no estados RS e SC

31 pH SMP e a necessidade de calagem

32 2- Elevação do Ca 2+ + Mg 2+ e neutralização do Al 3+ trocável Apresenta a finalidade de neutralizar o Al 3+ trocável e/ou fornecer Ca 2+ e Mg 2+

33 Estado de Minas Gerais (Comissão de fertilidade do solo). N.C. = [Y x Al 3+ ] + [X - (Ca 2+ + Mg 2+ )] N.C. = necessidade de calagem (t ha -1 de um calcário PRNT 100%) Y = valor variável de acordo com a textura do solo X = valor variável de acordo com a cultura 2 (maioria das culturas) 1 (eucalipto) 3 (cafeeiro)

34 Solo Arenoso Textura média Argiloso Muito argiloso Argila % 0 a a a a 100 Y 0 a 1 1 a 2 2 a 3 3 a 4 Estimativa dos valores intermediários de Y Y = 0, ,06532 Arg – 0, Arg 2

35 a) Se: o teor de argila > 15% o teor de Ca + Mg < 2,0 cmol c dm -3 NC (t ha -1 )= (2 x Al 3+ ) + [2 – (Ca 2+ + Mg 2+ )] Região dos Cerrados (Embrapa...) b) Se: teor de argila > 15% teor de Ca + Mg > 2,0 cmol c dm -3 NC (t ha -1 ) = (2 x Al 3+ )

36 c) Se: Solos com teor de argila < 15% NC (t ha -1 ) = (2 x Al 3+ ) NC (t ha -1 ) = 2 – (Ca 2+ + Mg 2+ ) ou Utiliza-se o que der maior valor Região dos Cerrados (Embrapa...)

37 3- Elevação da saturação por bases (V) Baseado na relação entre o pH e a saturação por bases (V). Utilizado na região Sudeste e Centro Oeste.

38 NC (t ha -1 ) = T (V e – V a ) / 100 T – CTC pH 7,0 (cmol c dm -3 ) V e – Saturação por bases esperada (%) V a – Saturação por bases atual (%)

39 Ex.: Determinar a necessidade de calagem do solo, cuja análise revelou os seguintes resultados: pH = 4,5; K= 0,1; Ca 2+ = 0,9; Mg 2+ = 0,3; Al 3+ = 1,3; H+Al 3+ = 2,5 cmol c dm -3 Elevar a saturação por bases a 60%. SB = 0,1 + 0,9 + 0,3 = 1,3 cmol c dm -3 CTC pH 7,0 = SB + (H+Al) = 1,3 + 2,5 = 3,8 cmol c dm -3 V(%) = SB/CTC x 100 = 1,3/3,8 x 100 = 34% NC (t ha -1 ) = CTC (V e – V a )/100 NC (t ha -1 ) = 3,8 x (60 – 34)/100 NC (t ha -1 ) ~ 1,0 t ha -1

40 Ex.: Determinar a necessidade de calagem do solo, cuja análise revelou os seguintes resultados: pH = 4,5; K = 0,1; Ca = 0,9; Mg = 0,3; Al = 1,3; H+Al = 2,5 cmol c dm -3 Argila = 22 % SB = 0,1 + 0,9 + 0,3 = 1,3 cmol c dm -3 CTC pH 7,0 = SB + (H+Al) = 1,3 + 2,5 = 3,8 cmol c dm -3 V(%) = SB/CTC x 100 = 1,3/3,8 x 100 = 34% NC (t ha -1 )= (2 x Al) + [2 – (Ca + Mg)] NC (t ha -1 ) = (2 x 1,3) + [2 – (1,2)] NC (t ha -1 ) = 2,6 + 0,8 NC (t ha -1 ) ~ 3,5 t ha -1

41 Corretivo de Acidez: produto que promove a correção da acidez do solo, além de fornecer cálcio, magnésio ou ambos. Corretivo de Alcalinidade: produto que promove a redução da alcalinidade do solo. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº44, DE 2 DE AGOSTO DE 2004 Corretivos

42 Poder de Neutralização (PN): capacidade potencial total de bases neutralizantes contidos em corretivo de acidez, expresso em equivalente de Carbonato de Cálcio puro (% E CaCO 3 ). Reatividade das Partículas (ER): valor que expressa o percentual (%) do corretivo que reage no solo no prazo de 3 (três) meses. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº44, DE 2 DE AGOSTO DE 2004

43 Poder Relativo de Neutralização Total (PRNT): conteúdo de neutralizantes contidos em corretivo de acidez, expresso em equivalente de Carbonato de Cálcio puro (% E CaCO 3 ), que reagirá com o solo no prazo de 3 (três) meses. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº44, DE 2 DE AGOSTO DE 2004

44 PN – poder de neutralização do material comparado ao CaCO 3 puro CaCO 3 MgO CaO Ca(OH) 2 Mg(OH) 2 CaCO 3.MgCO 3 PN fator 1,00 2,48 1,79 1,35 1,72 1,09

45 Legislação brasileira O calcários deve (mínimo): Passar 100 % na peneira de 2 mm (ABNT 10) Passar 70 % na peneira de 0,84 mm (ABNT 20) Passar 50 % na peneira de 0,30 mm (ABNT 50) Granulometria do calcário

46 Reatividade (ER) – eficiência relativa de um corretivo baseado na sua granulometria. ER = 0,2x + 0,6y + z x – material retido na peneira ABNT10 y – material retido na peneira ABNT20 z – material retido na peneira ABNT50

47 Quanto aos valores do poder de neutralização (PN), soma dos óxidos (%CaO + %MgO) e PRNT: INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº44, DE 2 DE AGOSTO DE 2004

48 PRNT = (PN x ER) / 100 Fator de correção ( f ) f = 100 / PRNT calcário

49 Tipos de calcários Calcíticos Magnesianos Dolomíticos % MgO < 5% 5 a 12% >12%

50 Preço do corretivo posto na propriedade Preço por ton. efetiva = preço na fazenda x 100 PRNT

51 Efeito residual de um corretivo é o tempo de duração da correção da acidez, ou seja,é a duração da calagem. Depende: Dose do corretivo Tipo de solo Adubações Intensidade de cultivo Reatividade (granulometria) Efeito residual

52 Aplicação do calcário Regra geral: Aplicar, com antecedência de dois a tres meses, uniformemente (a lanço) na superfície da área e incorporar ao solo.

53 Observações: A recomendação de aplicação deve considerar: a) a profundidade de incorporação do calcário. b) A dose a ser aplicada c) O PRNT do calcário d) As condições de umidade do solo.

54 Incorporação do calcário e a produtividade

55 Época de aplicação e a correção da acidez

56

57

58 Gessagem O gesso promove a correção da acidez em profundidade e melhora o ambiente radicular. 2CaSO 4.2H 2 O Ca 2+ + SO CaSO H 2 O

59 Benefícios da gessagem - Fonte de Ca e S - Correção da acidez em subsuperfície - Melhoria do ambiente radicular - Redução do Al 3+ tóxico (AlSO 4 + ).

60 Gessagem e o sistema radicular do milho Utilização da lamina de água, após veranico de 25 dias (Sousa et al., 1995)

61 Recomendação do gesso agrícola Recomendação baseada na textura do solo NG (t ha -1 ) = f x teor de argila f = 0,050 (culturas anuais) f = 0,075 (culturas perenes)


Carregar ppt "Acidez do solo e calagem. Origem da acidez do solo 1- Remoção das bases A remoção das bases pela lixiviação, erosão e pelas culturas, resulta no aumento."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google